Almir Chediak

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde agosto de 2015). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Almir Chediak (Rio de Janeiro, 21 de junho de 1950 - 25 de maio de 2003) foi um produtor musical, empresário, violonista, compositor, editor, professor, escritor, e pesquisador brasileiro.[1]

Criado em Minas Gerais, na cidade de Carmo da Cachoeira[2] , aos 13 anos Almir passou a morar no Rio de Janeiro onde começou a estudar violão com um dos maiores instrumentistas brasileiros de todos os tempos, Horondino Silva, mais conhecido como Dino 7 Cordas e harmonia, arranjo e solfejo com o professor Ian Guest. Com apenas 17 anos, Almir começou a lecionar e compor dando aulas de violão particulares e assinou a trilha sonora do filme O Vale do Canaã, dirigido por Jece Valadão[3] . Ainda jovem, gravou um compacto com a atriz e modelo belga radicada no Brasil Annik Malvil, a lançadora da moda do vestido tubinho nos anos 1960. Deu aula para grandes nomes como Gal Costa, Elba Ramalho, Nara Leão, Moraes Moreira, Tim Maia e inclusive para uma das referências no instrumento no Brasil, o maranhense Turíbio Santos.

Em 1984, Almir lança seu primeiro livro, o Dicionário de Acordes Cifrados[4] publicado pela editora Irmãos Vitale[5] . O livro busca racionalizar e uniformizar a padronização do sistema de cifragem brasileiro. Em 1988, Almir lança seu segundo livro Harmonia e Improvisação[6] publicado pela sua própria editora, a Lumiar Discos & Editora, [7] a qual fundou no mesmo ano.

Em 1989, Almir Chediak lança a série Songbook da MPB, trabalho que reproduz minuciosa e fielmente música e letra com as cifras e acordes revisados pelos próprios compositores, criando algo inovador que eternizara as obras de nomes da MPB como Tom Jobim, Vinicius de Moraes, Noel Rosa, Dorival Caymmi, Braguinha, Chico Buarque, Caetano Veloso, Gilberto Gil, entre outros[8] . Em 1990, Almir cria a versão em áudio, reproduzindo as músicas dos compositores do Songbook em discos.

Em 1993, Almir é laureado com o Prêmio Roquete Pinto de Personalidade da Música Brasileira. Até o ano de sua precoce morte Almir se dedicou à eternizar a MPB em sua série Songbook. Seu último trabalho foi uma biografia inacabada sobre o cantor Tim Maia.

Em 2003, aos 52 anos de idade, Almir Chediak é cruelmente assassinado por assaltantes em seu sítio em Araras, Petrópolis, no Rio de Janeiro.[9]

Almir Chediak deixou uma filha, a violoncelista Aleska Russo, nascida em 12 de outubro de 1991.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

Referências