Almyr Gajardoni

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Almyr Gajardoni
Almyr Gajardoni na redação da Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, em julho de 2008.
Nascimento 15 de maio de 1935 (82 anos)
Birigüi, SP
Nacionalidade Brasil brasileiro
Ocupação jornalista e escritor

Almyr Gajardoni, com mais de 50 anos de profissão, é um jornalista brasileiro que notabilizou-se por ser um garimpeiro do trabalho legislativo, tendo iniciado a carreira e dela passado boa parte na cobertura do Congresso Nacional e assembléias legislativas.

Reportou, em 1960, a inauguração de Brasília[1] e permaneceu na nova capital nos dez anos seguintes, cavoucando diariamente notícias e reportagens no Congresso. Nessa condição, passou pelo jornal Folha de S.Paulo, Correio da Manhã, Veja, Jornal do Brasil e IstoÉ. Sua última cobertura política foi a morte de Tancredo Neves e os primeiros momentos do governo José Sarney.

Em 1987, fundou e dirigiu por oito anos a revista Superinteressante[2], da Editora Abril; e, com Jorge Escosteguy, reformou e dirigiu, por um ano e meio, a revista semanal da Fiesp.

Em 2008, coordenou a equipe que selecionou os textos e foi o editor do livro colaborativo "Livro de Todos", uma iniciativa para divulgar a 20ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo.

Atualmente Gajardoni é editor da revista D.O. Leitura, da Imprensa Oficial do Estado de São Paulo.

Obras[editar | editar código-fonte]

  • "Idiotas & Demagogos – Pequeno Manual de Instruções da Democracia" (157 págs., Ateliê Editorial, São Paulo, 2002).
  • Brasil Selvagem, Palco da Iniciação de Darwin. História Viva, São Paulo, nº 31, p. 20-21, mai. 2006. [Impressões de Charles Darwin sobre o Brasil, durante a viagem do HMS Beagle.][3]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. BELIN, Luciane (8 de maio de 2009). «Democracia precisa da atuação da população para ser efetiva». Jornal Comunicação  Verifique data em: |data= (ajuda)
  2. VENCESLAU, Pedro (1 de junho de 2006). «Troféu Dia da Imprensa: Confira os vencedores». Portal da Imprensa  Verifique data em: |data= (ajuda)
  3. «Páginas, textos e links legais» 
  4. SOUZA, Claudia (27 de maio de 2008). «Obra literária ao alcance de qualquer mortal». Associação Brasileira de Imprensa  Verifique data em: |data= (ajuda)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) jornalista é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.