Alpargatas S.A.

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Alpargatas S.A)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Alpargatas
Marca Alpargatas.jpg
Razão social Alpargatas S.A.
Empresa de capital aberto
Cotação BM&F Bovespa: ALPA3; ALPA4
Atividade Calçados
Gênero Sociedade Anônima
Fundação 3 de abril de 1907 (112 anos)
Fundador(es) Robert Fraser
Sede São Paulo, SP,  Brasil
Proprietário(s) Itaúsa
Cambuhy Investimentos
Brasil Warrant
Presidente Roberto Funari
Empregados 18.600
Produtos Calçados, Chinelos, Tênis, Têxtil, Vestuário
Subsidiárias Alpargatas Argentina
Lucro Aumento R$ 324,0 milhões (2018)[1]
Faturamento Aumento R$ 3.904,5 bilhões (2018)[2]
Website oficial www.alpargatas.com.br

Alpargatas S.A. é uma indústria brasileira do ramo de calçados e lonas.

Histórico[editar | editar código-fonte]

Foi fundada em 1907, com o nome original de Fábrica Brasileira de Alpargatas e Calçados, pelo escocês Robert Fraser, oriundo da Argentina, em associação com uma indústria inglesa. Robert Fraser havia criado fábricas de Alpargatas na Argentina e no Uruguai.

Iniciou suas produções no distrito da Mooca, em São Paulo. Já em 1909, a empresa - com o nome de São Paulo Alpargatas Company S.A. - encontrava o sucesso na venda de seus produtos graças à utilização das sandálias e lonas na produção cafeeira.

Na década de 1930, o controle acionário da São Paulo Alpargatas foi transferido para a empresa argentina. No entanto, em 1982, após um gradativo processo de nacionalização do capital iniciado em 1948, a São Paulo Alpargatas deixou de ter participação argentina e passou para ao controle do Grupo Camargo Corrêa, seu maior acionista.

Superando inúmeras dificuldades ao longo dos cem anos, a companhia tornou-se uma das maiores indústrias calçadistas do Brasil.

Em outubro de 1999, adquiriu mais de 3% da Alpargatas Argentina, sua antiga controladora, passando a ser a maior calçadista da América do Sul,[3] e em abril de 2013 comprou a totalidade das ações da subsidiária argentina e com isso passou a ter 100% da empresa.

Em 2012, a Alpargatas muda sua logomarca. A modernização do logotipo atende à estratégia de crescimento da companhia.[4]

Em 2 de Novembro de 2015, a Alpargatas vende as marcas Topper e Rainha para grupo liderado por Carlos Wizard Martins por 48,7 milhões de reais.[5]

No mês de novembro de 2015, o grupo Camargo Correa a vendeu ao conglomerado J&F Investimentos, dona da companhia de alimentos JBS por 2,67 bilhões de reais[6].

Em 12 de julho de 2017, as empresas Cambuhy Investimentos e Brasil Warrant[7] (ambas de propriedade da família Moreira Salles)[8] e a holding Itaúsa[8][7] fecharam a compra da Alpargatas por 3,5 bilhões de reais.[7] A aquisição foi aprovada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica ainda em 2017.[9]

Principais produtos e marcas[editar | editar código-fonte]

Além das lonas e sandálias, muitas das marcas lançadas ou adquiridas pela Alpargatas tornaram-se bastante populares no Brasil, e até mesmo fora dele. As principais são:

  • Havaianas, uma das maiores marcas brasileiras de chinelos de borracha, desde 1962;
  • Dupé, chinelos de borracha;
  • Mizuno, calçados, vestuário e acessórios esportivos - concessão de produção e venda da marca japonesa;
  • Osklen marca "new luxury" comprada em outubro de 2012.

Referências

  1. Erro de citação: Código <ref> inválido; não foi fornecido texto para as refs de nome DadosFinanceiros2015
  2. «RESULTADOS DO 4T18 E 2018» (PDF). Site da Alpargatas. 14 de maio de 2018. Consultado em 5 de Agosto de 2016 
  3. «Após aquisição de Argentina, SP Alpargatas investirá em modernização». UOL. 28 de outubro de 2008. Consultado em 7 de março de 2016 
  4. «Depois de 53 anos, Alpargatas adota novo logotipo | EXAME.com - Negócios, economia, tecnologia e carreira». exame.abril.com.br. Consultado em 31 de março de 2017 
  5. «Alpargatas vende Topper e Rainha para grupo liderado por Wizard». Folha de S.Paulo 
  6. «Camargo Corrêa vende fabricante da Havaianas por R$ 2,7 bi à dona da JBS - 23/11/2015 - Mercado - Folha de S.Paulo». Folha de S.Paulo. Consultado em 23 de novembro de 2015 
  7. a b c Fernando Scheller (12 de Julho de 2017). «Grupo J&F fecha venda da Alpargatas por R$ 3,5 bilhões». Estadão. Consultado em 12 de Julho de 2017 
  8. a b Reuters (12 de Julho de 2017). «Grupo J&F fecha venda da Alpargatas por R$ 3,5 bilhões». Veja. Consultado em 12 de Julho de 2017 
  9. Redação. «Cade aprova venda da Alpargatas do grupo J&F para donos do Itaú». G1 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]