Alta taxa de quadros

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Alta taxa de quadros normalmente abreviado para HFR, é um formato de filme com velocidade mais rápida que a padrão, de 24 quadros por segundos (fps).[1]

História[editar | editar código-fonte]

No inicio da história do cinema, não havia nenhum padrão de números de quadros por segundo estabelecidos. Isto tem a ver com o uso de câmeras manuais, ou seja, com manivelas, ao invés de motores automáticos, do qual gerava taxas de quadros variável, gerado pela impossibilidade de manter manualmente uma velocidade perfeitamente uniformizada no movimento da manivela da câmera. Após a introdução de um som tecnologicamente acoplada a imagem, em oposição a um filme mudo, 24fps tornou-se a velocidade padrão de captação e projeção de filmes.[2]

Alguns formatos de filme têm experimentado taxas de quadro mais elevadas do que o padrão de 24 fps. As características de Cinerama originais da década de 1950 correram a 26 fps.[3] Primeiras câmeras da empresa Todd-AO, foram usadas para gravações do filme Oklahoma! (1955) e Around the World in 80 Days (1956), que foram filmados e projetadas em 30 fps — "tecnologia revolucionadora" na época.[4]

O Hobbit[editar | editar código-fonte]

A trilogia O Hobbit, toda dirigida por Peter Jackson, que começa com o filme An Unexpected Journey lançado em dezembro de 2012, tem usado uma velocidade de gravação e projeção de 48 quadros por segundo, tornando-se o primeiro filme com grande lançamento com esse tipo de resolução e número de quadro, mais alta que o padrão do mercado.[5] A maioria do lançamento do filme, no entanto, foi convertida e projetado em 24 fps.[6]

Outros cineastas que pretendem usar o formato de alta taxa de quadro incluem James Cameron em sequências de Avatar[7] e Andy Serkis em sua adaptação de Animal Farm, originalmente feito por George Orwell.[8]

Referências

  1. Jonathan D. Machado (21 de julho de 2011). «O que são Frames por Segundo?». Tecmundo. Consultado em 25 de fevereiro de 2013 
  2. Kevin Brownlow (publicado em 1980, mas salvado em 2011). «Silent Films - What Was the Right Speed?». CinemaWeb. Consultado em 25 de fevereiro de 2013  Verifique data em: |data= (ajuda)
  3. «Before We Get Started». Cinerama. Consultado em 25 de fevereiro de 2013 
  4. «Is Born, Dies, and is Resurrected - Happy Days, The Big Trail - And So It Is With» (em inglês). WidesCreen Museum. Consultado em 25 de fevereiro de 2013 
  5. Carolyn Giardina (7 de novembro de 2012). «Showeast 2012: Major Exhibitors Sign for High Frame-Rate 'Hobbit' Despite Format Challenges». The Hollywood Reporter. Consultado em 25 de fevereiro de 2013 
  6. Maurício Grego (14 de dezembro de 2012). «´O Hobbit´ inaugura nova tecnologia de filmes a 48 fps». Info, Abril. Consultado em 25 de fevereiro de 2013 
  7. Érico Borgo (20 de setembro de 2011). «James Cameron fala sobre a tecnologia que pretende utilizar». Omelete. Consultado em 25 de fevereiro de 2013 
  8. Carolyn Giardina (19 de outubro de 2012). «Andy Serkis to Direct Adaptation of 'Animal Farm» (em inglês). The Hollywood Reporter. Consultado em 25 de fevereiro de 2013 
Ícone de esboço Este artigo sobre cinema é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.