Altair B. Oliveira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Altair Bento de Oliveira, mais conhecido como T'Ògún, babalorixá do Candomblé, iniciado em 3 de outubro de 1966 pelo babalorixá Carlos Gonzaga (Carlos de Obalúwàiyé), em Duque de Caxias, Rio de Janeiro, teve sua saída de Orúko em 22 de outubro de 1966 na nação Kétu.

Além de babalorixá, é pesquisador e estudioso da cultura Afro-brasileira, Cultura Negra Yorùbá, de suas linguagens e costumes.

Livros[editar | editar código-fonte]

  • Cantando para os Orixás, Rio de Janeiro, Editora Pallas, 1993, 1997, complementado por 15 fitas cassete com cerca de 15 horas de gravação com todas as cantigas do livro, gravadas em edição artesanal independente; ISBN 853470306X
  • Elégùn, Rio de Janeiro, Editora Pallas, 1995 - a iniciação no Candomblé (Feitura de Ìyàwó, Ogán e Ekéjì) com 4 fitas cassete; ISBN 8534702837
  • Àsèsé - o reinício da vida, versando sobre os rituais fúnebres segundo as tradições Yorùbá e do Candomblé Afro-brasileiro.

Ministrou no segundo semestre de 94 e nos dois semestres de 95, o primeiro curso de introdução à língua Yorùbá na Universidade Estadual do Rio de Janeiro-UERJ.

Veja também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre candomblé é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.