Alter-Real

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde maio de 2016)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
Alter-Real
Alter-Real
Nome em inglês Alter-Real
Origem  Portugal
Temperamento Dócil
Uso Cavalo de esporte e de Tourada
Influências Cavalo Andaluz
Altura 1,52–1,62 m

O cavalo Alter-real, inicialmente desenvolvido na coudelaria Alter-Real em Alter do Chão, no Alentejo, é uma estirpe do cavalo lusitano.

É um cavalo muito dócil,elegante e inteligente, A sua pelagem padrão é geralmente castanho e a sua altura varia de 1,52 a 1,62 m.

História[editar | editar código-fonte]

O Cavalo Alter-real teve sua origem em Portugal no começo da Coudelaria Alter-Real (Haras) fundado pelo Rei Dom João V , no início do século XVIII, quando trezentas éguas Andaluzas das mais finas linhagens foram trazidas de Jerez de la Fronteira, na Espanha, para a Corte Portuguesa.

Inicialmente chamado de Alter-do-chão mas depois seu nome foi mudado para Alter-Real é descendente dos Cavalos Andaluzes trazidos da Espanha . Entre 1809 e 1810, a raça foi ameaçada durante as invasões napoleônicas, quando as tropas francesas do General Junot roubaram os melhores exemplares da raça:Cruzamentos com Puro-Sangue Inglês e Árabe enfraqueceram a raça, havendo grande perda de seu caráter racial restando 12 éguas Zapatas puras da raça; Que foram salvos da extinção através da importação de três Garanhões Andaluzes em 1992 direto de Jerez.de la Fronteira na Espanha.No Final do século XX, foram tomadas medidas para devolver ao Alter-Real suas antigas características e o seu melhor uso no mundo atual, além da sua preservação.

Hoje a reprodução do Alter-Real é controlada pelo Ministério da Agricultura Português e a sua utilidade é na Equitação e Adestramento e participou na Formação do Cavalo Mangalarga e do Mangalarga Marchador no começo do séc XIX .

Literatura[editar | editar código-fonte]

  • Bennett, Deb (1998). Conquerors: The Roots of New World Horsemanship (1st ed.). Solvang, CA: Amigo Publications Inc. ISBN 0-9658533-0-6.
  • Bongianni, Maurizio (editor) (1988). Simon & Schuster's Guide to Horses and Ponies. New York, NY: Simon & Schuster, Inc.. ISBN 0671660683.
  • Draper, Judith (1998). The book of horses and horse care: an encyclopedia of horses, and a comprehensive guide to horse and pony care. Barnes & Noble. ISBN 0760707146.
  • Dutson, Judith (2005). Storey's Illustrated Guide to 96 Horse Breeds of North America. Storey Publishing. ISBN 1580176135.
  • Edwards, Elwyn Hartley (1994). The Encyclopedia of the Horse (1st American ed.). New York, NY: Dorling Kindersley. ISBN 1564586146.
  • Hendricks, Bonnie (2007). International Encyclopedia of Horse Breeds. University of Oklahoma Press. ISBN 9780806138848.
  • Loch, Sylvia (1986). The Royal Horse of Europe: The Story of the Andalusian and Lusitano. London: J. A. Allen. ISBN 0851314228.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Alter-Real
Ícone de esboço Este artigo sobre cavalos, integrado no Projeto Mamíferos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.