Alto de Pinheiros (bairro de São Paulo)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Alto de Pinheiros
Vista do distrito.
Bairro de São Paulo Bandeira da cidade de São Paulo.svg
Área: 7,49 km² [1]
Fundação: 1925
Imigração predominante: Líbano
Distrito: Alto de Pinheiros
Subprefeitura: Pinheiros
Região Administrativa: Oeste

Alto de Pinheiros é um bairro nobre localizado na Zona Oeste da cidade de São Paulo (Brasil), capital do estado brasileiro homônimo. Faz parte do distrito do Alto de Pinheiros, pertencente à subprefeitura de Pinheiros, e ao qual dá nome.[2], é considerado desde 1880 um distrito paulistano, que dentro dele se insere os bairros Vila Madalena, Vila Ida, e Vila Beatriz, estes três nomes foram dados em homenagem as três filhas do primeiro loteador da região.[3][4]Sabe-se que dentro do distrito acoplam-se cerca de onze bairros.[5]

História[editar | editar código-fonte]

No século XVIII, Marquês de Pombal expulsa os jesuítas da Colônia, e em 1850 suas terras foram divididas e leiloadas, dando origem a propriedades particulares, chácaras do Barão, Freguesia da Bela Vista, Chácara Boa Vista, Água Branca, Bela Veneza e Sítio do Buraco.[6]

Em 1913 essas terras foram adquiridas pela Companhia City of São Paulo Improvements and Freehold Land Companhy Ltd., ou Cia. City, companhia que introduziu o planejamento e loteamento de bairros segundo modelo inglês, quando em virtude de enchentes no rio Pinheiros já estavam desocupadas.[1][3]

Arborização do bairro-jardim.

O bairro surgiu de um loteamento iniciado em 1925 pela Cia. City, a mesma empresa que implantou os bairros Jardim América e Pacaembu. Em virtude das obras de retificação do rio Pinheiros somente no ano de 1937 foi recomeçado o urbanismo do bairro.[1][3]

Caracterizado por apresentar os traços arquitetônicos do inglês Berry Parker, arquiteto que deixou o Brasil em 1919, deixando para a companhia City estudos de como preservar e dar continuidade aos aspectos da região, deixando assim suas características no Alto de pinheiros, Pacaembu, entre outras regiões[3], o bairro possui uma praça central com rotatória, esta por sua vez distribui largas avenidas em suas diagonais.[1][3] O Alto de Pinheiros possui muitas áreas verdes desde suas calçadas até as praças.[7], sendo um bairro-jardim.

Ocupado predominantemente pelas classes média-alta e alta da sociedade paulistana, abriga o consulado ganês.[8] [9] Um de seus bairros mais conhecidos é a Vila Madalena.[3]. Localizam-se no Alto de Pinheiros, o parque Vila Lobos, o Beco do Batman, e a Praça do Pôr do Sol, além de diversos museus, bares e restaurantes.[10].

Vila Beatriz[editar | editar código-fonte]

O bairro de Vila Beatriz, localizado no distrito, expandido e urbanizado no ano de 1954, quando Alto de Pinheiros já estava praticamente com seu arruamento completo, a esquina da Vila Beatriz com a Leão Coroado-Vila Madalena era inexistente pois ainda não havia sido arruada. Há uma canalização no Córrego das Corujas que faz com que haja uma divisão entre os bairros Vila Beatriz e Vila Madalena. O bairro, antes nomeado de Sitio do Rio Verde, está localizado no lado oeste do córrego.[11]

Vila Madalena[editar | editar código-fonte]

Bairro nobre da zona oeste de São Paulo, localizado no distrito Alto de Pinheiros. Nasceu em 1910 como Vila dos Farrapos, ano em que a empresa Light começou a construir uma linha e uma estação de bondes no local. Com isso vários trabalhadores começaram a se instalar na região e isso levou ao crescimento do bairro, que logo foi loteado. Entre 1920 e 1930, o bairro se desenvolveu, e em 1928, a energia elétrica foi inaugurada, trazendo melhores condições de moradia e em meio a isso um grande número de imigrantes portugueses.

O bairro é conhecido por sua boemia, desde o ano de 1970, em que os estudantes optavam por residirem nesta região. E no ano de 1980 o bairro passou a ser constituído por diversos bares e casas noturnas, como é conhecido atualmente.[12]

Em 1999, a Cia. do Metro instalou a Estação Vila Madalena, estação de metrô integrada com a Linha Verde.[13]

Além da atmosfera boêmia, o bairro também tem muitas opções culturais como a Livraria da Vila e o Beco do Batman, uma via estreita de paralelepípedos, onde os muros dos dois lados da rua são repletos de coloridos grafites, sendo considerado um ponto turístico da cidade.[14]

Parque Villa Lobos[editar | editar código-fonte]

Antes de 1989 a região onde está localizado o parque Villa-Lobos destoava do bairro do Alto de Pinheiros. Para oeste estava localizado um depósito de lixo, na outra extremidade vizinha ao atual Shopping Villa-Lobos, era depósito do material dragado do Rio Pinheiros, e para completar, na porção central estava um depósito de materiais da construção civil.[15] Os primeiros estudos para a viabilização de um parque aconteceu para comemorar o centenário de Heitor Villa-Lobos em 1987. Os moradores reagiram de forma positiva a construção e uso daquela área, e em 1989 a ideia do parque começou a ganhar corpo. Foram removidas as família e muito entulho que dominavam o local. O parque foi entregue em 1994 e pronto para o lazer. Em 2004 sua administração passa para a Secretária do Meio Ambiente do Estado de São Paulo. No final do mesmo ano foram iniciadas as intervenções emergenciais para solucionar problemas emergenciais para solucionar problemas de manutenção existentes no local. Começaram também projetos de expansão do parque, adequados a legislação atual e ao terreno, com base no projeto original.[16]

Moradores e ex-moradores[editar | editar código-fonte]

Transportes[editar | editar código-fonte]

As estações de metrô mais próximas para Alto de Pinheiros são a Estação Pinheiros (faz conexão com a Estação Pinheiros da linha 9-Esmeralda na CPTM), Estação Fradique Coutinho e a Estação Faria Lima, todas elas sendo linha 4-Amarela.[19]

Eventos[editar | editar código-fonte]

Feira de Arte da Vila Madalena[editar | editar código-fonte]

A Feira de Arte da Vila Madalena é um evento que ocorre anualmente no mês de agosto, desde 1977, organizado pelo Centro Cultural Vila Madalena. Recebe mais de cem mil visitantes e ocupa cerca de seis quarteirões entre as ruas Fradique Coutinho, Wisard, Fidalga, Purpurina e Aspiculeta, na Vila Madalena. A feira é composta de aproximadamente quinhentos estandes de artesanato, cinco palcos musicais, diversos estandes de comida e atrações para diferentes gostos, e alcança seu principal objetivo de ocupar o espaço público com diferentes atrações e artistas, difundir iniciativas culturais e promover oportunidades aos pequenos produtores.[20][21]

Referências

  1. a b c d PDMAS-SP 2016-2016
  2. «Pesquise seu distrito». Prefeitura de São Paulo. 26 de setembro de 2005. Consultado em 22 de junho de 2009. 
  3. a b c d e f «Alto de Pinheiros | São Paulo Bairros». www.spbairros.com.br. Consultado em 28 de abril de 2017. 
  4. «Vila Beatriz» 
  5. «Alto de Pinheiros». Wikipédia, a enciclopédia livre. 2 de julho de 2016 
  6. http://www.saap.org.br/niveis.asp?nv=0401
  7. «Alto de Pinheiros» 
  8. Consulados
  9. Consulados Internacionais
  10. «Parque em Alto de Pinheiros - São Paulo, SP». Kekanto. Consultado em 28 de abril de 2017. 
  11. «História do Vale do Corujas» 
  12. «Vila Madalena». Wikipédia, a enciclopédia livre. 23 de março de 2016 
  13. «Histórico - Portal da Prefeitura da Cidade de São Paulo». www.prefeitura.sp.gov.br. Consultado em 29 de abril de 2017. 
  14. «Vila Madalena». www.cidadedesaopaulo.com. Consultado em 29 de abril de 2017. 
  15. http://www.saopauloinfoco.com.br/parque-villa-lobos/
  16. Parque Villa Lobos
  17. a b «Serra e Mercadante: um dia com os candidatos a governador do estado». Veja. 20 Set 2006. Consultado em 19 de agosto de 2009. 
  18. Plínio diz que ´PV partiu para baixaria´
  19. «Estação Pinheiros – ViaQuatro 4-Amarela - Metrô São Paulo». www.metro.sp.gov.br. Consultado em 1 de maio de 2017. 
  20. «34ª Feira da Vila Madalena acontece neste domingo (21) | Da Redação | VEJA SÃO PAULO». 17 de agosto de 2011 
  21. «Site da Vila Madalena». www.vilamadalena.com.br. Consultado em 30 de abril de 2017.