Aluvião

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa (desde fevereiro de 2008). Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Considere utilizar {{revisão-sobre}} para associar este artigo com um WikiProjeto e colocar uma explicação mais detalhada na discussão.
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde Fevereiro de 2008).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Secção de uma aluvião no Alasca

A aluvião é um depósito de sedimentos clásticos (areia, cascalho e/ou lama) formado por um sistema fluvial no leito e nas margens da drenagem, incluindo as planícies de inundação e as áreas deltaicas, com material mais fino extravasado dos canais nas cheias. Sedimentos clásticos depositados em zonas estuarinas e, para alguns autores (ex.gr. AGI), sedimentos terrígenos trabalhados diretamente por ondas nas zonas costeiras marinhas ou lacustrinas também são considerados aluviões.

Os depósitos aluviais são muito retrabalhados e mutáveis devido à erosão fluvial. Depositados durante as secas ou nos locais de remansos quando cai a energia da corrente do rio, vão ser, em seguida, erodidos pela força da água da cheia ou pela mudança do curso do rio. Estruturas de estratificação cruzada de canal cut and fill são formadas assim.

Normalmente são depósitos clásticos mal classificados e mal selecionados, de cascalho, areias e lamas, podendo ocorrer depósitos de blocos maiores, às vezes bem arredondados nas regiões elevadas das cabeceiras com maior energia fluvial.

Apresentam maior desenvolvimento nas planícies de inundação, com lamas (silte e argilas) por extensas áreas, e em sopés de montanhas como leques aluviais, com depósitos comuns de fanglomerados e areias associados que atingem boa expressão areal e grandes espessuras. Os depósitos aluvionares, normalmente muito férteis para a agricultura, tem sido fator da maior importância para o desenvolvimento das sociedades humanas.

Aluvião como inundação[editar | editar código-fonte]

Aluvião pode ser sinónimo de inundação, e de facto as duas palavras são atualmente usadas com o mesmo significado. Todavia, o termo "aluvião" refere-se exclusivamente a um evento meteorológico, enquanto inundação se aplica facilmente a qualquer aporte de água, mesmo de origem antrópica, e nem sempre com um sentido catastrófico.

As aluviões podem ser catastróficas, causadas por condições atmosféricas que provocam chuvas torrenciais durante períodos de tempo longos. São feonómenos particularmente devastadores e perigosos para pessoas, animais e bens, fazendo parte da lista de calamidades naturais..

A nível cultural, o mito do dilúvio universal é talvez relativo a uma antiga aluvião catastrófica da qual ficaram registos na tradição oral e escrita.

Uma aluvião é um evento imprevisível a longo prazo, embora possa antecipar-se a curtíssimo prazo quando se conhece o comportamento das massas de água (por exemplo, nos países sujeitos a monções e ciclones.

Uma aluvião transporta grandes quantidades de solo e detritos conduzidos pela força das correntes, provocando danos e dificultando os socorros. Não é raro que, nos territórios montanhosos, seja acompanhada de deslizamentos de terras, que podem provocar desvios dos cursos de água.

Dois exemplos de tragédias ocorridas devido a aluviões muito intensos ocorreram na ilha da Madeira em 1803 (ver aluvião na ilha da Madeira em 1803) e em 20 de fevereiro de 2010 (ver aluvião na ilha da Madeira em 2010).

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Aluvião