Alvinópolis

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Alvinópolis
  Município do Brasil  
Hino
Gentílico alvinopolense[1]
Localização
Localização de Alvinópolis em Minas Gerais
Localização de Alvinópolis em Minas Gerais
Alvinópolis está localizado em: Brasil
Alvinópolis
Localização de Alvinópolis no Brasil
Mapa de Alvinópolis
Coordenadas 20° 06' 25" S 43° 02' 56" O
País Brasil
Unidade federativa Minas Gerais
Região intermediária[2] Juiz de Fora
Região imediata[2] Ponte Nova
Municípios limítrofes Barra Longa, Catas Altas, Dom Silvério, Mariana, Rio Piracicaba, Santa Bárbara e São Domingos do Prata
Distância até a capital 162 km
História
Fundação 5 de fevereiro de 1891 (128 anos)[3]
Administração
Distritos
Prefeito(a) João Batista Matheus de Moraes (PTB, 2017 – 2020)
Características geográficas
Área total [1] 599,443 km²
População total (estimativa IBGE/2019) [1] 15 203 hab.
Densidade 25,36 hab./km²
Clima tropical de altitude (Cwa)
Altitude 620 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
CEP 35950-000 a 35959-999[5]
Indicadores
IDH (PNUD/2010) [6] 0,676 médio
PIB (IBGE/2016) [7] R$ 268 755,37 mil
PIB per capita (IBGE/2016) R$ 17 217,97
Outras informações
Padroeiro(a) Nossa Senhora do Rosário[8]
www.alvinopolis.mg.gov.br (Prefeitura)
www.camaraalvinopolis.mg.gov.br (Câmara)

Alvinópolis é um município brasileiro no estado de Minas Gerais, Região Sudeste do país. Sua população estimada em 2019 era de 15 203 habitantes.[1]

História[editar | editar código-fonte]

O seu povoamento teve início nas últimas décadas do século XVII, quando o sertanista Paulo Moreira da Silva encontrou ouro no rio Gualaxo do Norte e a procura de novas terras encontrou as margens do Rio do Peixe solo de alta fertilidade. A partir daí iniciou-se o povoamento do lugar, e nesse período a economia era exclusivamente agrícola e destinada ao abastecimento das cidades mineradoras de Mariana e Ouro Preto. Em 1745, uma capela foi erigida a pedido de Paulo Moreira em sua fazenda, em homenagem a Nossa Senhora do Rosário, e curada por provisão de 20 de julho de 1754. Em 5 de fevereiro de 1891, é emancipada. A cidade durante o final do século XIX recebeu número expressivo de imigrantes italianos provenientes em sua maoioria do norte da Itália. Sendo assim, a cidade possui numerosos italo-descendentes e esse fato se torna evidente nos sobrenomes familiares e lugares publicos. Devido sua localização e importância nas rotas dos antigos tropeiros, o município está incluído no roteiro turístico da Estrada Real. O topônimo Alvinópolis foi uma homenagem ao ilustre mineiro Cesário Alvim, ex-governador do estado.

Geografia[editar | editar código-fonte]

De acordo com a divisão regional vigente desde 2017, instituída pelo IBGE,[9] o município pertence às Regiões Geográficas Intermediária de Juiz de Fora e Imediata de Ponte Nova.[2] Até então, com a vigência das divisões em microrregiões e mesorregiões, fazia parte da microrregião de Itabira, que por sua vez estava incluída na mesorregião Metropolitana de Belo Horizonte.[10]

Subdivisões[editar | editar código-fonte]

Os Distritos de Alvinópolis são a sua Sede, Fonseca, Barretos de Alvinópolis e Major Ezequiel. O município é composto por mais de 20 comunidades rurais, dentre elas: Zamparina, Cata Preta, Mostarda, Mumbaça, dentre outros.

Topografia e Geologia[editar | editar código-fonte]

O relevo de Alvinópolis é predominantemente montanhoso. O município encontra-se situado na região brasileira denominada "Mares de Morros". O relevo é caracterizado como 10% plano, 20% ondulado e 70% montanhoso.

A altitude máxima de 1141 m encontra-se na Serra do Pinho, na divisa com os municípios de Catas Altas e Santa Bárbara.

A região oeste do município que compreende a área entorno do Distrito de Fonseca pertence ao Quadrilátero Ferrífero, uma das regiões de maior expressividade na produção de diversos minerais do Brasil. Encontra-se nessa mesma região a Bacia Fonseca, essa bacia representa uma importante área geológica e paleontológica brasileira, pois possui um exemplo típico de sedimentos terciários do Brasil, devido aos seus depósitos de canga e linhíticos, além da descoberta no local de importantes espécies fósseis das famílias de angiospermas, sendo algumas dessas exclusivas do lugar.

Clima[editar | editar código-fonte]

Gráfico climático para Alvinópolis
JFMAMJJASOND
 
 
198
 
28
18
 
 
150
 
30
18
 
 
122
 
28
17
 
 
51
 
26
16
 
 
30
 
24
12
 
 
20
 
24
11
 
 
23
 
23
10
 
 
18
 
24
11
 
 
53
 
25
13
 
 
112
 
26
16
 
 
206
 
27
17
 
 
244
 
27
18
Temperaturas em °CPrecipitações em mm

Por apresentar altitude acima dos 500m, o clima de Alvinópolis é definido como Tropical de Altitude. Os verões são amemos e chuvosos e no inverno as chuvas se tornam mais escassas e são registradas as menores temperaturas do ano. A temperatura média anual é: 20,1 C, a média máxima anual: 26,5 C, a média mínima anual: 15,9 C. Nos últimos anos, o município tem enfrentado problemas recorrentes de inundações e deslizamentos de encostas provocados por chuvas fortes e constantes que ocorrem principalmente de outubro a dezembro, isso afeta diretamente a qualidade de vida da população. Esse problema está diretamente relacionado as condições de relevo e climáticas da região e acima de tudo a falta de um planejamento urbano mais elaborado que evite a ocupação de encostas e os leitos de rios. Alvinópolis é incluído constantemente na lista de municípios de Minas Gerais em estado de emergência ou calamidade pública devido as chuvas de verão.

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

O município pertence a Bacia do Rio Doce. Os principais rios são: Rio Piracicaba, Rio do Peixe, Rio Sem Peixe e o Ribeirão do Turvo (esse afluente do Rio Piracicaba).

Vegetação[editar | editar código-fonte]

A vegetação predominante no município é a Mata Atlântica, que encontra-se apenas vestígios nos topos e nas áreas mais íngremes de morros. Isso se deve ao processo predatório que ocorre desde o início do povoamento do município para ceder espaço a áreas de plantio agrícola e criação de gado e até os dias atuais, vem sofrendo perda expressiva de área, principalmente para o reflorestamento de eucaliptos. Observa-se por todo o município, o não cumprimento das APPs (Área de Preservação Permanente) e com isso ocorre um processo erosivo de encostas e morros, assim como destruição de nascentes e assoreamento intenso dos leitos de rios. Deve-se com isso, haver por parte dos seus governantes, medidas mais efetivas para minimizar esse cenário de degradação.

Outro tipo de vegetação existente no município é o Cerrado que se encontra em regiões mais arenosas, principalmente na Bacia Fonseca e seu cenário de degradação é semelhante a Mata Atlântica.

Economia[editar | editar código-fonte]

A economia do município é basicamente agroindustrial, destacando-se a centenária Companhia Fabril Mascarenhas que emprega mais de 400 alvinopolenses produzindo tecidos variados, sendo umas das fábricas mais tradicionais na produção de Chita do Brasil. Outro grande empregador no município é a Prefeitura Municipal, com mais de 500 servidores. Por fim, destaca-se a agropecuária, que emprega mais de 2000 famílias no município, seja na produção de leite, gado de corte, eucalipto, entre outros. O município é integrante da Associação dos Municípios do Médio Piracicaba (AMEPI).

O Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDH-M) de Alvinópolis é considerado médio pelo Programa das Nações Unidas. Seu valor é de 0,676, estando na 379º posição no estado de Minas Gerais (em 845 municípios); e na posição 2524° entre os municípios de todo o Brasil. A cidade possui a maioria dos indicadores médios. Sendo considerado baixo para educação (0,577), médio para saúde (0,651) e alto para expectativa de vida (0,822). Houve piora no índice de IDH-M em relação ao último levantamento de 2000, no qual o município perdeu colocações em relação aos demais municípios brasileiros em que estava na posição 2484, sendo seu valor era de IDH-M 0,727, assim como perdeu posições para municípios da região como Catas Altas e Dom Silvério.

Distribuição do PIB por Setor:

Setor Valor(milhões) Percentual
Agropecuária 9,401 8,3%
Indústria 33,753 29,8%
Serviços 70,219 61,9%
PIB Total 113,373 100%

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Transportes[editar | editar código-fonte]

Principal rodovia e a única pavimentada. Liga a sede do município as cidades de Dom Silvério, João Monlevade e também a BR-381.

Faz conexão Via Dom Silvério a cidade de Ponte Nova, BR-356 e a BR-262.

Não se encontra pavimentada e serve de acesso ao distrito de Fonseca pelos municípios de Catas Altas e Barra Longa e para MG-129.

As demais vias do município são todas não pavimentadas e encontram-se em maior parte em estado crítico principalmente durante os períodos chuvosos.

Distâncias aproximadas as principais capitais (km):

Cidades próximas (km):

Comunicação[editar | editar código-fonte]

O município conta com cobertura de telefonia móvel (Vivo, TIM, Oi, Claro), assim como provedores regionais de internet.

Saúde[editar | editar código-fonte]

Alvinópolis possui um hospital: Hospital Nossa Senhora de Loudes, que realiza atendimentos pelo SUS ou por planos de saúde particulares. Esse hospital atende principalmente emergências ou simples internações. As principais especialidades médicas ou atendimentos mais complexos são realizados em Ponte Nova ou Belo Horizonte. O município conta com várias unidades do Programa de Saúde da Família (PSF), que têm fornecido um atendimento mais efetivo a população.

Número de estabelecimentos de saúde por setor:

Setor Número de Estabelecimentos Percentual
Municipal 9 81,8%
Privado 2 18,2%

Educação[editar | editar código-fonte]

O município conta com a seguinte distribuição de ensino:

Série Número de Estabelecimentos Percentual
Ensino Fundamental 15 71,4%
Pré-Escola 4 19%
Ensino Médio 2 9,5%

Distribuição do número de matrículas por série:

Série Número de Matrículas Percentual
Ensino Fundamental 2567 69%
Pré-Escola 426 11,5%
Ensino Médio 725 19,5%

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). «Alvinópolis». Consultado em 5 de dezembro de 2019. Cópia arquivada em 5 de dezembro de 2019 
  2. a b c Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Base de dados por municípios das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias do Brasil». Consultado em 10 de fevereiro de 2018 
  3. Enciclopédia dos Municípios Brasileiros (2007). «Alvinópolis - Histórico» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 5 de dezembro de 2019. Cópia arquivada (PDF) em 5 de dezembro de 2019 
  4. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (9 de setembro de 2013). «Alvinópolis - Unidades territoriais do nível Distrito». Consultado em 5 de dezembro de 2019. Cópia arquivada em 5 de dezembro de 2019 
  5. Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. «Busca Faixa CEP». Consultado em 1 de fevereiro de 2019 
  6. Atlas do Desenvolvimento Humano (29 de julho de 2013). «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Consultado em 5 de dezembro de 2019. Arquivado do original (PDF) em 8 de julho de 2014 
  7. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2016). «Produto Interno Bruto dos Municípios - 2016». Consultado em 5 de dezembro de 2019. Cópia arquivada em 5 de dezembro de 2019 
  8. Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (SENAC). «Lista por santos padroeiros» (PDF). Descubra Minas. p. 11. Consultado em 14 de setembro de 2017. Cópia arquivada (PDF) em 14 de setembro de 2017 
  9. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Divisão Regional do Brasil». Consultado em 5 de dezembro de 2019. Cópia arquivada em 5 de dezembro de 2019 
  10. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2016). «Divisão Territorial Brasileira 2016». Consultado em 5 de dezembro de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Minas Gerais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.