Amar Shonar Bangla

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
আমার সোনার বাংলা (Amar Shonar Bangla)
Português:  Meu dourado Bangladesh

Hino Nacional de  Bangladesh
Letra Rabindranath Tagore, 1906
Composição Rabindranath Tagore
Adotado 1972

"Amar Shonar Bangla" é o hino nacional de Bangladesh. Foi escrito e composto pelo poeta Rabindranath Tagore em 1906, quando era uma colônia britânica, num tempo de grande inquietação nacional. e foi adotado pelo governo provisório em 1971 e adotado oficialmente 13 de janeiro de 1972, depois da independência. De acordo com a Constituição, as dez primeiras linhas do poema de Rabindranath Tagore são oficiais.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

A palavra shonar significa, literalmente, "pertencente ao ouro", sendo que "shona" quer dizer ouro e "-ar" é um sufixo possessivo. O termo é usado afetivamente com o sentido de "querido" ou amado". Na canção, no entanto, pode-se interpretar que as palavras "shonar Bangla" ou expressam a preciosidade de Bengala ou se referem à cor dos campos de arroz antes da colheita.

História[editar | editar código-fonte]

Rabindranath Tagore, o compositor da música.

The song was written in 1905 during the first partition of Bengal, when the ruling British Empire had an undivided province of Bengal Presidency split into two parts; the decision was announced on 19 July by the then-Viceroy of India Lord Curzon, taking effect on 16 October.

A letra da canção foi escrita em 1905, durante a primeira partição de Bengala, numa época em que o Império Britânico separou em duas partes a então indivisa Presidência de Bengala; a decisão foi anunciada no dia 19 de julho pelo então vice-rei da Índia George Curzon e entrou em vigor em 16 de outubro. Afirma-se que essa partição, que dividia comunidades de acordo com sua religião –Bengala Oriental e Assam tinham maioria muçulmana enquanto Bengala Ocidental tinha maioria hindu– enfraqueceu o movimento nacional da Índia contra o imperialismo britânico e que teve motivações políticas. Canções como essa tinham como objetivo reavivar o espírito unificado de Bengala e despertar no público um sentimento contrário à divisão político-religiosa. As letras foram publicadas pela primeira vez nos jornais locais "Bongodorshon" and "Baul", simultaneamente, em 1905. A canção, junto à notação musical (conhecida como swaralipi em bengalês), apareceu pela primeira vez no periódico musical "Shongeet Biggnan Probeshika" no mesmo mês e ano. Indira Devi, sobrinha de Tagore, escreveu a notação musical ouvindo-a do próprio Tagore (era costume que Tagore cantasse e alguém transcrevesse as notações fisicamente).

Letra[editar | editar código-fonte]

Bengalês Bengalês
(transliterado)
Tradução
আমার সোনার বাংলা
Amar Shonar Bangla


আমার সোনার বাংলা, আমি তোমায় ভালোবাসি ।
চিরদিন তোমার আকাশ, তোমার বাতাস, আমার প্রাণে বাজায় বাঁশি ॥
ও মা, ফাগুনে তোর আমের বনে ঘ্রাণে পাগল করে,
মরি হায়, হায় রে—
ও মা, অঘ্রানে তোর ভরা ক্ষেতে আমি কী দেখেছি মধুর হাসি ॥

কী শোভা, কী ছায়া গো, কী স্নেহ, কী মায়া গো—
কী আঁচল বিছায়েছ বটের মূলে, নদীর কূলে কূলে ।
মা, তোর মুখের বাণী আমার কানে লাগে সুধার মতো,
মরি হায়, হায় রে—
মা, তোর বদনখানি মলিন হলে, ও মা, আমি নয়নজলে ভাসি ॥


Amar shonar Bangla, ami tomay bhalobashi/
Chirodin tomar akash, tomar batash, amar prane bajay bãshi.
O ma, phagune tor amer bone ghrane pagol kôre,
Mori hay, hay re—
O ma, Ôghrane tor bhôra khete ami ki dekhechhi modhur hashi.

Ki shobha, ki chhaya go, ki sneho, ki maya go—
Ki ãchol bichhayechho bôţer mule, nodir kule kule/
Ma, tor mukher bani amar kane lage shudhar môto,
Mori hay, hay re—
Ma, tor bôdonkhani molin hole, o ma, ami nôyonjôle bhashi.

Tomar ei khêlaghôre shishukal kaţile re,
Tomari dhulamaţi ôngge makhi dhonno jibôn mani/
Tui din phurale shondhakale ki dip jalish ghôre,
Mori hay, hay re—
Tôkhon khêladhula shôkol phele, o ma, tomar kole chhuţe ashi.

Dhenu-chôra tomar maţhe, pare jabar kheyaghaţe,
Shara din pakhi-đaka chhayay-đhaka tomar pollibaţe,
Tomar dhane-bhôra anginate jibôner din kaţe
Mori hay, hay re—
O ma, amar je bhai tara shôbai, o ma, tomar rakhal tomar chashi.

O ma, tor chôronete dilem ei matha pete—
De go tor payer dhula, she je amar mathar manik hôbe/
O ma, goriber dhôn ja achhe tai dibo chôrontôle,
Mori hay, hay re—
Ami pôrer ghôre kinbo na ar, ma, tor bhushon bole gôlar phãshi.

Bengala dourada minha, eu te amo.
Teus céus e ares afinaram meu coração para sempre, como uma flauta
Ó, mãe! O aroma do pomar de mangas na primavera leva-me à loucura,
Ah, que emoção!
Ó, mãe! Ao fim do outono vê-se os sorrisos por todos os campos maduros de arroz.

Que beleza, que tons, que afeição, que ternura!
Que lençol estendeste aos pés das figueiras e ao longo das margens de todos os rios
Ó, mãe minha, palavras dos teus lábios são como néctar aos meus ouvidos.
Ah, que emoção!
Se a tristeza, ó mãe, lança trevas à tua face, meus olhos enchem-se de lágrimas!

Passando minha infância no teu parque
Tua terra e solo borraram todo meu corpo, mas considero-me privilegiado
A lâmpada de maravilha que acendes ao anoitecer
Ah, que emoção!
Eu paro de brincar e corro de volta ao teu colo, ó mãe!

No pasto das vacas, na pontinha que atravessa o riacho,
Trilhas assombradas do vilarejo, serenas com o cantar dos pássaros,
O alpendre aberto com arroz empilhado, minha vida segue.
Ah, que emoção!
Todos os teus pastores e fazendeiros são irmãos meus.

Desta vez ofereço minha cabeça embaixo dos teus pés,
Abençoa-me com tua poeira e serei obrigado a reverenciá-la
Oferecer-te-ei qualquer migalha que tiver em casa
Ah, que emoção!
Não será problema comprar-te, de outros, uma corda disfarçada de coroa.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]