Amartya Sen

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Amartya Sen Medalha Nobel
Amartya Sen em 2010
Nascimento 3 de novembro de 1933 (84 anos)
Santiniketan, Índia britânica
Nacionalidade Indiano
Alma mater Universidade de Calcutá, Universidade de Cambridge
Prêmios Prémio Internacional Catalunha (1997)

Nobel prize medal.svg Nobel de Economia (1998), Bharat Ratna (1999)
Medalha Nacional de Humanidades (2011), Prêmio Johan Skytte (2017)

Campo(s) Economia

Amartya Kumar Sen (Santiniketan, 3 de novembro de 1933) é professor de economia e filosofia da cátedra Thomas W. Lamont na Universidade Harvard. Foi, até 2004, o Master of Trinity College, em Cambridge. Também é membro sénior da Harvard Society of Fellows. Anteriormente, foi professor de Economia na Universidade Jadavpur de Calcutá, na Escola de Economia de Delhi e na London School of Economics, e Drummond, assim como, Professor de Economia Política na Universidade de Oxford.[1]

Amartya Sen nasceu na Índia em 1933. Nasceu numa família ‘educada’ e ilustre. A sua vida académica começou na Escola de São Gregório (St. Gregory High School) em Dhaka. No entanto, após a partição da Índia em 1947, os seus pais mudaram-se para Bengala Ocidental. Sen fez o seu ensino posterior na Universidade Visva-Bharati, Índia, e na Presidency College (1951-1953), em Bengala, onde se formou em economia. Posteriormente mudou-se para Londres, onde se matriculou no Trinity College, em Cambridge, para prosseguir a sua vocação em economia, e foi na Universidade de Cambridge que completou o seu doutoramento (PhD) em economia em 1959. É professor em universidades reconhecidas mundialmente como Oxford, Harvard, Cambridge, Berkeley, Stanford, Cornell, MIT entre outras na Índia e nos Estados Unidos da América.[2]

Amartya Sen serviu como presidente da Sociedade Econométrica, da Associação Económica Americana em 1996 (sendo o primeiro presidente não-americano), da Associação Económica Indiana e da Associação Económica Internacional. Foi anteriormente Presidente Honorário da OXFAM (Oxford Committee for Famine Relief) e agora é Conselheiro Honorário da mesma.[3]

Tendo testemunhado a escassez de alimentos que atingiu Bengali em 1943,[4] que provocou a morte de quase 3 milhões de pessoas, Sen interessou-se em fazer reformas sociais para melhorar a condição em países subdesenvolvidos com as suas políticas socioeconómicas adaptáveis para abolir a escassez de alimentos. Além disso, também se esforçou muito para avançar o raciocínio construtivo e formas de melhorar a condição dos pobres ao mesmo tempo que trabalhou para o bem-estar das comunidades socialmente atrasadas. O seu trabalho lançou uma nova luz sobre os muitos problemas sociais do país, como a pobreza, a fome, o subdesenvolvimento humano, a desigualdade de género e o liberalismo político e trouxe reformas bem-sucedidas.[5]

O trabalho do filósofo Adam Smith foi uma motivação para Amartya Sen na área da teoria da escolha social tal como a teoria da justiça de John Rawls foi uma inspiração para o seu trabalho sobre a justiça social baseada em liberdades e capacidades individuais.[6]

Prémios/ Reconhecimentos[editar | editar código-fonte]

Os prémios que recebeu incluem:

  • O título de honra (Doctor Honoris Causa) pelo seu trabalho em mais de 70 universidades prestigiadas de países como Inglaterra, Países Baixos, Índia, EUA, Canada, França, Itália, Bélgica, Espanha, Portugal (Universidade de Coimbra), Suíça, Alemanha, Escócia, Bangladesh, Hong Kong, Japão, África do Sul, Turquia e Irlanda
  • O Bharat Ratna (Índia);
  • Comandante da Legião de Honra (França);
  • A Medalha Nacional de Humanidades (EUA);
  • Ordem do Mérito Cientifico (Brasil);
  • Companion of Honor (Reino Unido);
  • A Águia Asteca (México);
  • A Medalha de Edimburgo (Reino Unido);
  • O Prémio George Marshall (EUA);
  • A Medalha Eisenhower (EUA);
  • O Prémio Nobel de Economia (devido ao seu trabalho em economia do bem-estar em 1998);
  • O Prémio Humanista Internacional da International Humanist and Ethical Union (2002).
  • O prémio Lifetime Achievement Award da Comissão Económica e Social das Nações Unidas para a Ásia-Pacífico, uma organização com base em Bangkok[7]

Obras e artigos[editar | editar código-fonte]

Foi autor de mais de 20 livros importantes e reconhecidos por especialista e estudantes de todas as áreas. Todos eles contêm uma forte componente ‘humana’, isto é, Amartya Sen desenvolve temas que tentam ir para além da teoria. A sua visão das ciências como a economia só fazem sentido se poderem ser aplicáveis ao ‘mundo real’.[8] Alguns dos mais conhecidos são:

  • Poverty and Famines, Oxford: Oxford University Press, 1981
  • On Ethics and Economics, New Delhi: Oxford University Press, 1987
  • Commodities and Capabilities, New Delhi: Oxford University Press, 1987
  • Hunger and Public Action, New Delhi: Oxford University Press, 1989 (with Jean Dreze)
  • Inequality Reexamined, Oxford: Oxford University Press, 1992
  • On Economic Inequality, Expanded Edition, Oxford: Clarendon Press, 1997
  • Development as Freedom, Oxford: Oxford University Press, 1999
  • India: Development and Participation, New Delhi: Oxford University Press, 2002 (with Jean Dreze)
  • The Argumentative Indian, London: Penguin, 2005
  • Identity and Violence, New York: W. W. Norton & Company, 2006
  • Idea of Justice, Harvard University Press, 2009[9]

Escreveu quase 400 artigos sobre temas como teoria da escolha social, economia de bem-estar, desenvolvimento económico, escassez e fome, filosofia ética, moral, legal e social, entre outros.

Disciplinas[editar | editar código-fonte]

As disciplinas que leciona transportam também temas sempre de índole social, assim como um foco em países como a Índia, onde nasceu.

  • 2010 - Escolha social e economia do bem-estar
  • 2011 - Índia moderna e a Ásia do Sul, Adam Smith: filosofia e economia política
  • 2012 - Índia moderna e a Ásia do Sul, Teoria da escolha social
  • 2013 - Fundações da justiça e Raciocínio através de modelos
  • 2014 - Saúde e justiça social
  • 2015 - Teoria da escolha social, Saúde, Desigualdade e desenvolvimento
  • 2016 - Democracia e direitos humanos, Saúde, Desigualdade e desenvolvimento[10]

Ideias Principais do Autor[editar | editar código-fonte]

O foco da pesquisa de Amartya Sen foca-se na forma como os valores dos indivíduos podem ser considerados na tomada de decisão coletiva e como o bem-estar e a pobreza podem ser medidos.

Tendo testemunhado a grande fome que atingiu Bengali em 1943, Sen dedicou-se e desenvolveu as suas próprias ideias sobre este mesmo tema, a fome. Essencialmente, os seus esforços decorrem do seu interesse em questões de distribuição e, em particular, de membros mais pobres da sociedade. Os estudos de Amartya Sen incluíram a fome para criar uma compreensão mais profunda das razões económicas por trás da fome e da pobreza, a justiça, a desigualdade social, a ética e o desenvolvimento.

Sen dedicou-se também bastante ao tema da liberdade humana. Importante será de referir que, para o autor, a liberdade não tem apenas a ver com os direitos teóricos, mas significa ter acesso e oportunidade às coisas a que damos importância, como por exemplo o ‘simples’ ato de escolha. Para Sen, a expansão e aumento da liberdade é essencial ao desenvolvimento, isto é, o desenvolvimento não deve ser apenas medido através da economia. É relevante apontar que o trabalho do autor no tema da liberdade e desenvolvimento foi bastante influente, tendo ganho o Prémio Nobel da Economia em 1998.[11]

A sua pesquisa tem variado sobre a teoria de escolha social, teoria económica, ética e filosofia política, economia de bem-estar, teoria de medição, teoria de decisão, economia de desenvolvimento, saúde pública, ideia de justiça e estudos de género. Amartya Sen trabalhou, também, nos conceitos de justiça social e racionalidade, dois dos outros temas principais do livro “A Ideia de Justiça”.[12]


Referências

  1. https://www.nobelprize.org/nobel_prizes/economic-sciences/laureates/1998/sen-facts.html
  2. https://www.nobelprize.org/nobel_prizes/economic-sciences/laureates/1998/sen-bio.html
  3. https://politicsofpoverty.oxfamamerica.org/2013/07/geeky-gladiators-in-combat-about-the-future-of-india/
  4. BIRD-POLLAN, Stefan (2009); Book Reviews; Public Reason; pág. 103
  5. https://www.britannica.com/biography/Amartya-Sen
  6. SEN, Amartya; A Ideia de Justiça; tradução Ricardo Doninelli Mendes e Denise Bottmann Editora Schwarcz Ltda.; 2009
  7. Curriculum Vitae: http://scholar.harvard.edu/files/sen/files/cv_sen_amartya_jan2013_0.pdf
  8. "Everybody knew that there is a poverty line. But it was left to Sen to show how to measure the extent to which an individual drops below that line." - Deepak Nayaar, professor na Universidade Jawaharlal Nehru e antigo aluno de Amartya Sen.
  9. https://scholar.harvard.edu/sen/biocv
  10. https://scholar.harvard.edu/sen/classes
  11. https://news.harvard.edu/gazette/story/1998/10/amartya-k-sen-wins-1998-nobel-prize-in-economics/
  12. https://www.nobelprize.org/nobel_prizes/economic-sciences/laureates/1998/sen-facts.html

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Robert Carhart Merton e Myron Scholes
Prémio de Ciências Económicas em Memória de Alfred Nobel
1998
Sucedido por
Robert Mundell


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Amartya Sen