Saltar para o conteúdo

Amazon Alexa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
 Nota: Para a subsidiária da Amazon, veja Alexa Internet.
Alexa
Desenvolvedor Amazon
Plataforma iOS
Android
Amazon Echo
Fire OS
Linux
Windows
Lançamento 6 de novembro de 2014 (9 anos)
Idioma(s) Alemão, Árabe, Espanhol, Francês, Hindi, Inglês, Italiano, Japonês e Português.[1]
Sistema operacional iOS 14.0 ou posterior[2][3]
Android 8.0 ou posterior[4][3]
Fire OS 7.0 ou posterior[3]
Estado do desenvolvimento Ativo
Tamanho 404 MB (iOS)[2]
56 MB (Android)[4]
Página oficial alexa.amazon.com

A Amazon Alexa, também conhecida como Alexa, é uma assistente virtual desenvolvida pela Amazon, utilizada pela primeira vez como sistema embarcado nos alto-falantes inteligentes Amazon Echo criados pelo Amazon Lab126. Ela é capaz de interagir com voz, reproduzir música, fazer listas de afazeres, definir alarmes, transmitir podcasts, reproduzir audiolivros e fornecer informações sobre o tempo, trânsito, esportes e outras informações em tempo real, como notícias, além de controlar sistemas e aparelhos inteligentes e conectados.[5] O software também está disponível para aparelhos celulares e computadores.

Os usuários são capazes de ampliar as capacidades do Alexa instalando "habilidades" (funcionalidade adicional desenvolvida por fornecedores terceirizados, em outras configurações mais comumente chamadas de aplicativos), tais como programas meteorológicos e recursos de áudio.

Em novembro de 2018, a Amazon tinha mais de 10.000 funcionários trabalhando no Alexa e produtos relacionados.[6] Em janeiro de 2019, a equipe de dispositivos da Amazon anunciou que havia vendido mais de 100 milhões de dispositivos habilitados para o Alexa.[6]

Em novembro de 2014, a Amazon anunciou a Alexa junto com o aparelho Amazon Echo.[7][8]

O nome Alexa vem de Alexandria, local que na época abrigava "todo" conhecimento da humanidade. E também devido ao fato da consoante "x" ser fácil de ser detectada com alta precisão pelo aparelho.[9]

Controvérsias

[editar | editar código-fonte]

De acordo com fontes ligadas à empresa, funcionários da Amazon ouvem trechos das gravações de voz realizadas pela Alexa e encaminhadas para a nuvem. A posição oficial da empresa é de que ela emprega funcionários terceirizados e efetivos para ouvir pequenos trechos de gravações dos usuários. A ação de salvar trechos das gravações dos usuários, segundo ela, possibilita o aprimoramento dos recursos de aprendizado de máquina e o melhoramento do serviço.[10] A mesma alegação também é feita contra outras empresas de tecnologia.[11]

Em abril de 2022, em uma transmissão realizada pela Escola Superior do Ministério Público de São Paulo, representante de uma das fornecedoras de softwares de vigilância para o governo Brasileiro afirmou: “ora, para que eu acione e fale ‘Alexa, faça isso, faça aquilo, toque música’, ela ouve o que se passa naquele ambiente”, o que, segundo ele, possibilitaria que os aparelhos embarcados com este serviço se transformassem em uma solução de "escuta ativa". Na ocasião, ele também nomeou a ação de "investigação 360" a partir do uso de dispositivos de internet das coisas presentes nas residências dos utilizadores. A Amazon, por outro lado, ratifica que a Alexa só grava o que o usuário fala quando é dita a palavra de ativação.[12]

Referências

  1. «Develop Skills in Multiple Languages | Alexa Skills Kit». Amazon (Alexa) (em inglês). Consultado em 9 de junho de 2023 
  2. a b «‎Amazon Alexa». App Store. Consultado em 9 de junho de 2023 
  3. a b c «Alexa App OS and Software Version Compatibility». Amazon Customer Service (em inglês). Consultado em 9 de junho de 2023 
  4. a b «Amazon Alexa – Apps no Google Play». Google Play. Consultado em 9 de junho de 2023 
  5. «Amazon lança caixa de som inteligente que responde a comandos de voz». O Globo. 6 de Novembro de 2014. Consultado em 18 de Agosto de 2017 
  6. a b Al-Heeti, Abrar (4 de janeiro de 2019). «Amazon has sold more than 100 million Alexa devices». CNET (em inglês). CBS Interactive. Consultado em 5 de janeiro de 2019 
  7. Darrell Etherington (6 de Novembro de 2014). «Amazon Echo Is A $199 Connected Speaker Packing An Always-On Siri-Style Assistant» (em inglês). TechCrunch. Consultado em 18 de Agosto de 2017 
  8. Silva, Rafael (6 de Novembro de 2014). «Amazon anuncia Echo, uma torre-assistente virtual para ajudar em casa». Tecnoblog. Consultado em 17 de Agosto de 2017 
  9. «Amazon engineers had one good reason and one geeky reason for choosing the name Alexa». Business Insider (em inglês) 
  10. «Amazon está ouvindo conversas entre usuários e Alexa, diz agência». Canaltech. 11 de abril de 2019. Consultado em 2 de julho de 2022 
  11. «Cuidado: seus dispositivos ouvem, gravam e arquivam o que você fala». Época Negócios. Consultado em 2 de julho de 2022 
  12. Fern; DiasFern, o AmenoTatiana; Ameno, o; de 2022, Tatiana Dias18 de Abril; 10h00. «Alexa é 'solução de escuta ativa', diz vendedor de softwares de espionagem». The Intercept Brasil. Consultado em 2 de julho de 2022 

Ligações externas

[editar | editar código-fonte]
Ícone de esboço Este artigo sobre Tecnologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.