Amazonas Energia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Amazonas Energia
Razão social Amazonas Energia S/A
sociedade anônima
Slogan Juntos avançamos
Atividade Energia Elétrica
Fundação 1895 (124 anos)
Sede Brasil Manaus, AM
Proprietário(s) Consórcio Oliveira/Atem
Pessoas-chave Tarcísio Estefano Rosa
(presidente atual)
Valor de mercado Aumento US$ (2008)
Lucro Aumento US$ (2007)
Faturamento Aumento US$ (2007)
Website oficial www.amazonasenergia.com

A Amazonas Energia é uma empresa de distribuição de energia, pertencente ao Consórcio Oliveira/Atem, com concessão para todo o estado do Amazonas. Até meados de 2019 era subsidiária da Eletrobras.

Centrais Elétricas de Manaus[editar | editar código-fonte]

Suas origens remontam a 1895, quando foi fundada Manaus Eletric Lighting Company, incorporada pelo governo do Estado do Amazonas em 1898. Em 1908 foi arrendada pelo Engenheiro Antônio Lavandaira que repassou para The Manaos Tramways and Light Company em 1918. Em 1950 volta às mãos do governo estadual com o nome de Centrais Elétricas de Manaus, sendo que em 1962 a Eletrobras, recém criada, passa ser a maior acionista. Em 1980 passa às mãos da Eletronorte. Em 1997 a Eletronorte cria a Manaus Energia S.A. como sua subsidiária integral.

Companhia Energética do Amazonas[editar | editar código-fonte]

A Companhia Energética do Amazonas - CEAM foi uma empresa estadual, que gerava e distribuía a energia para o interior do Estado (antiga Centrais Elétricas do Amazonas - CELETRAMAZON).

Eletrobras Distribuição Amazonas[editar | editar código-fonte]

Em 2008 a Manaus Energia incorpora a Companhia Energética do Amazonas, passa o controle acionário para holding Eletrobras, mudando o nome para Amazonas Distribuidora de Energia S.A.

Após sucessivos exercícios com resultados negativos, a empresa foi mantida como estatal, sendo autorizada sua desestatização em 2015 durante o segundo mandato da então presidente Dilma Roussef, ocorrendo seu leilão somente ao final de 2018 após vários adiamentos.

Amazonas Energia[editar | editar código-fonte]

A empresa foi arrematada pelo consórcio formado pela Oliveira Energia, empresa que opera nos Sistemas Isolados na Região Norte, e a distribuidora de petróleo Atem. O leilão foi realizado no dia 10 de dezembro de 2018 na sede da B3, antiga BM&FBovespa, em São Paulo.

A proposta vencedora previu um índice combinado de flexibilização tarifária e outorga de zero, ou seja, sem deságio na tarifa. O consórcio, único a apresentar uma proposta, deverá ainda fazer um aporte inicial de R$ 491,4 milhões, além de pagar os R$ 50 mil pelas ações definidas em edital pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). A empresa assumirá ainda a dívida de R$ 2,1 bilhões da empresa.

A compra foi questionada pela Go Power & Air, empresa que atua no segmento de aluguel de geradores de energia no Amazonas e que também presta serviços à distribuidora privatizada. A Go Power & Air entrou como terceiro interessado no caso e alegou risco de verticalização do mercado no Estado, pois a Oliveira Energia, um dos novos controladores da distribuidora, poderia privilegiar o aluguel de seus próprios equipamentos.

Contudo, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou, sem restrições, a compra da Amazonas Energia pelo Consórcio Oliveira Energia/Atem, conforme despacho publicado no Diário Oficial da União (DOU) do dia 18 de fevereiro de 2019.

O processo de compra foi concluído em 10 de abril de 2019, em 15 de abril o Consórcio assume a concessão.

Usina Hidrelétrica[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Predefinição:Consórcio Oliveira Energia / Atem