Ambulância

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Ambulâncias)
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde outubro de 2012).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde outubro de 2012). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
A Estrela da Vida, símbolo usado nas ambulâncias de emergência de diversos países para significar os 6 estágios do socorro pré-hospitalar

Ambulância, resgate ou automaca é uma viatura devidamente adaptada para o serviço do Corpo de Bombeiros, com capacidade de transportar guarnição e equipamentos necessários para o atendimento a ocorrências de atendimento pré-hospitalar, tais como transporte de pessoa ferida, vítima de disparo de arma de fogo, parturiente e outros traumas, do, ou para o local de tratamento.

Em alguns locais, existe uma forma modificada de ambulância usada apenas para o transporte rápido de uma equipa médica a um local de uma ocorrência, não sendo usada para transporte de pacientes. Nestes casos, um paciente que necessite de ser transportado para o hospital sê-lo-á, numa outra ambulância com essa capacidade.

Um helicóptero usado como ambulância na Áustria

O termo "ambulância" vem da palavra latina "ambulare", que significa "movimentar". Até à Segunda Guerra Mundial, a palavra era também usada para designar os postos de socorro militares de campanha. Actualmente, o termo está geralmente associado aos veículos automóveis onde é administrada assistência médica de emergência a pacientes com doença ou ferimentos graves. Estes veículos estão normalmente equipados com luzes rotativas e sirenes de aviso, destinados a facilitar a sua deslocação rápida através do trânsito.

As ambulâncias de emergência, em diversos países, são identificadas pelo sinal Estrela da Vida. Este sinal, com origem nos serviços de emergência médica dos Estados Unidos e, actualmente, adoptado por muitos outros, representa os seis estágios do tratamento médico pré-hospitalar.

Ao invés da Estrela da Vida, as ambulâncias militares são identificadas pela Cruz Vermelha. Este símbolo protege-as de ataques à luz das leis internacionais da guerra.

Mercedes-Benz Sprinter utilizado como ambulância do Governo Federal do Brasil, SAMU 192.

Além das ambulâncias de emergência existem outros tipos, as mais comuns sendo as ambulâncias de transporte de doentes. Estes veículos servem apenas para transportar doentes, em situações não-urgentes, para locais de tratamento. Normalmente não estão equipadas com equipamento de suporte à vida e, muitas vezes nem sequer com luzes rotativas e sirenes.

A maioria dos veículos utilizados como ambulância são do tipo furgão. No entanto existem também ambulâncias baseadas em camiões, autocarros, comboios, aeronaves e embarcações.

Tipos funcionais[editar | editar código-fonte]

As ambulâncias podem ser divididas pelos seguintes tipos de função:

  1. Ambulâncias de socorro - são o tipo mais comum de ambulâncias de emergência, sendo normalmente um veículo com capacidade para uma única maca, guarnecido com tripulação e equipamento capazes de aplicarem medidas de suporte básico de vida, destinadas à estabilização e transporte de doentes que necessitem de assistência durante o transporte;
  2. Ambulâncias de cuidados intensivos - são um tipo mais avançado de ambulâncias de emergência. São guarnecidos com uma tripulação e equipamento capazes de aplicarem medidas de suporte avançado de vida. A tripulação inclui sempre um médico;
Um barco ambulância em Veneza
  1. Ambulâncias de transporte de doentes acamados - veículos de transporte de doentes acamados ou em cadeiras de rodas, em situações não urgentes em que não precisem de assistência médica especial;
  2. Ambulâncias de transporte múltiplo - veículos de transporte de doentes que possam viajar normalmente sentados, sem necessidade de assistência médica especial;
  3. Veículos de socorro médico - veículos de intervenção médica guarnecidos com uma tripulação e equipamento capazes de aplicar medidas de suporte avançado de vida, mas sem capacidade de transportar a vítima. Da sua tripulação faz sempre parte um médico e, normalmente, um enfermeiro.
Bicicleta de socorro médico no Reino Unido

Veículos utilizados como ambulância[editar | editar código-fonte]

As ambulâncias podem basear-se em muitos tipos de veículos. As condições de emergência podem levar, inclusive à adaptação imporvisada de veículos como ambulâncias.

  1. Furgão - uma ambulância típica baseia-se num automóvel com carroçaria do tipo furgão, normalmente assente num chassis standard. Na América do Norte são comuns as ambulâncias baseadas em veículos com uma caixa grande, chamados de "mod" (modulares);
  2. Carro / Todo-o-terreno - usados quer como veículos de socorro médico, transportando apenas a equipamento e o equipamento de socorro, quer, mais raramente, como transporte de doentes que possam viajar sentados. Alguns carros/ todo-o-terreno podem transportar uma maca;
  3. Motocicleta - em algumas áreas urbanas as motocicletas são utilizadas como veículo de socorro médico, pela sua capacidade de deslocamento rápido através de trânsito congestionado. Em alguns locais da África são utilizadas motos com side-car ou pequenos trailers para transportar pacientes. Normalmente são tripuladas por um médico, enfermeiro ou paramédico e tranportam algum equipamento de suporte avançado de vida;
  4. Bicicleta - usado em alguns países, do mesmo modo que as motocicletas, mas normalmente em zonas exclusivamente pedestres;
  5. Motoquatro/ triclo motorizado - usados do mesmo modo que as motocicletas em eventos ao ar livre e em zonas de difícil acesso a outros veículos motorizados;
Viatura de socorro médico do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) de Portugal
  1. Carro de Golf - usado em determinados eventos, normalmente desportivos, como veículo de socorro médico e para transporte de pacientes em maca;
  2. Helicóptero - usado para o socorro e o transporte de vítimas em locais inacessíveis por outros meios, ou em situações em que a rapidez é essencial;
  3. Avião - usado tanto para a prestação de cuidados médicos em locais vastos e remotos ou para o transporte de pacientes através de longas distências;
  4. Barco - usado como ambulância em ilhas ou outros locais acessíveis por água;
  5. Navio - usado como hospital móvel, normalmente pelas forças armadas em locais de guerra ou de catástrofe, onde não existam instalações hospitais disponíveis em número suficiente. Podem também ser considerados ambulância pois, além de prestarem cuidados de saúde aos pacientes, também os transportam.

Projecto e construção[editar | editar código-fonte]

O projecto de ambulância deverá ter em conta as condições locais e a infraestrutura disponível. Estradas bem mantidas são necessárias para as ambulâncias normais poderem chegar ao local do incidente e transportar o paciente para o hospital. Em locais onde essas estradas não existem as ambulâncias terão de ser baseadas em veículos todo o terreno. Também é necessária a disponibilidade de combustível e de instalações apropriadas para a manutenção do veículo.

Veículo de resgate

As ambulâncias normalmente têm dois fabricantes. O primeiro é responsável pelo fabrico do veículo base. O segundo é responsável por adaptar o veículo base com equipamento especializado de modo a transformá-lo numa ambulância.

Tipicamente as modernas ambulâncias são propulsadas por um motor de combustão interna, a gasolina ou gasóleo.

Ambulâncias militares[editar | editar código-fonte]

Ambulância militar americana Dodge WC da Segunda Guerra Mundial

Ambulâncias militares incluem as regulares ambulâncias, mas camufladas. Helicópteros são frequentemente utilizados como ambulâncias aéreas, visto que são extremamente eficazes para evacuar feridos.

Devido ao elevado perigo em campos de batalha, são colocadas armaduras nas ambulâncias militares, ou são baseadas em veículos blindados. Como as leis da guerra não autorizam que armas sejam colocadas em ambulâncias, as ambulâncias baseadas em veículos blindados são desarmadas e pintadas com uma cruz vermelha ou outras marcas aceites.

Objetivo[editar | editar código-fonte]

Esse veículo tem objetivo de aplicar medidas de suporte básico de vida, estabilizar e transportar com velocidade e segurança pacientes vítimas de traumas. Diferente do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) e de outras ambulâncias, esse veículo não faz atendimento de ocorrências de casos clínicos, pois não tem, na guarnição, enfermeiros e médicos, a não ser em alguns estados como São Paulo em que o SAMU é integrado ao Corpo de Bombeiros.

Condutor[editar | editar código-fonte]

Para se conduzir o veículo de resgate é necessário Carteira Nacional de Habilitação (CNH), compativel com o veículo, e Curso de Condutores de Veículos de Emergência.[1]

Guarnição[editar | editar código-fonte]

Interior do veículo de resgate do corpo de bombeiros do Espírito Santo.

É formada normalmente uma equipe com três militares, sendo os cargos e funções divididos desta maneira:

  • Motorista: Levar o veículo, equipamentos e guarnição com rapidez e segurança até o local da ocorrência; estacionar em local seguro; sinalizar a via; isolar o local; se necessário for atuar na ocorrência.
  • Chefe de guarnição/socorrista 1: decidir ações a serem tomadas; verificar os riscos; socorrer o paciente.
  • Socorrista 2: pegar os materiais; socorrer o paciente.

Sirene e giroflex[editar | editar código-fonte]

Veículos de emergência em geral só podem trafegar com giroflex e sirenes ligadas em atendimento a ocorrências. A Ambulância também possui um rádio este rádio serve tanto para chamar mais Ambulâncias como para pedir auxilio a o corpo de bombeiros em caso de incendio como força policial para casos onde existe um indivíduo armado no lugar.

Capacidade[editar | editar código-fonte]

Em geral, veículos deste tipo só suportam um paciente corretamente imobilizado com prancha rígida. Existem mais um ou dois lugares para pacientes com traumas menores que podem ser transportados sentados.

Material[editar | editar código-fonte]

Os materiais que são utilizados em um veículo de resgate podem variar muito de uma região para outra. Em alguns estados do Brasil, por exemplo, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência está integrado com o Corpo de Bombeiros, então possui materiais para manobras mais incisivas, pois possui médicos em sua guarnição.

Nas guarnições compostas unicamente por militares, tem-se, como carga da viatura, estes equipamentos:
1 2 3
Equipamentos para transporte:
  • Prancha rígida
  • Maca
  • Maca portátil (dobrável)

Equipamentos para estabilização:

  • KED adulto
  • KED infantil
  • Colar cervical
  • Tala de fêmur com alongador
  • Tala de perna
  • Tala de braço
  • Tala de antebraço
  • Tala de joelho
  • Tala moldável

Equipamentos para medição e aferição:

  • Esfigmomanômetro digital
  • Esfigmomanômetro analógico
  • Estestoscópio
  • Oxímetro de pulso
Equipamentos para ressucitação:
  • Desfibrilador
  • Ambú adulto
  • Ambú infantil
  • Cânulas de Guedel (0,1,2)

Equipamentos de segurança e proteção:

  • Luvas descartáveis
  • Luvas de proteção
  • Máscaras descartáveis
  • Óculos de proteção
  • Colete refletivo
  • Capacete
  • Lanterna
  • Cones
  • Bastão isolante
  • Luvas de borracha (isolante)




Utilizáveis:
  • Kit parto
  • Soro fisiológico
  • Álcool
  • Água oxigenada
  • Gase
  • Compressa cirúrgica
  • Compressa (rolo)
  • Atadura
  • Fita crepe
  • Esparadrapo

Outros:

  • Manual Abiquim
  • Tesoura
  • Tesoura ponta romba
  • Serra sabre
  • Cordas



Referências

  1. Código de Transito Brasileiro – Lei n° 9.503, de 23 de Setembro de 1997

Recomendações Técnicas para Bases VMER

Ver também[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Imagens e media no Commons