America Football Club

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
America
America FC.svg
Nome America Football Club
Alcunhas Mecão
Rubro
Diabo
Torcedor/Adepto Americano
Mascote Brasinha
Fundação 18 de setembro de 1904 (110 anos)
Estádio Estádio Giulite Coutinho
Capacidade 13.544 pessoas[1]
Presidente Brasil Léo Barros Almada
Treinador Brasil Ricardo Cruz
Patrocinador Brasil Viton 44
Material esportivo Brasil Nakal
Competição Rio de Janeiro Campeonato Carioca
Rio de Janeiro Copa Rio
Rio de Janeiro B 2015
Rio de Janeiro CR 2015
Campeão (acesso)
A disputar
Rio de Janeiro B 2014
Rio de Janeiro CR 2014
11º Colocado
6º Colocado
Rio de Janeiro B 2013
Rio de Janeiro CR 2013
3º Colocado
8º Colocado
Ranking nacional Baixa (17) 217º lugar, 53 pontos
Website America Football Club
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
editar

America Football Club é uma agremiação social e esportiva brasileira, com sede na cidade do Rio de Janeirocapital do estado do Rio de Janeiro. Fundado em 18 de setembro de 1904, o seu nome não tem acentuação, já que se adota a grafia em inglês.[2]

Entre as suas conquistas mais relevantes, destacam-se a conquista do Torneio dos Campeões em 1982, torneio organizado pela CBF que contava com os maiores clubes do Brasil, além dos 7 títulos do Campeonato Carioca.

O America já disputou mais de 4.400 partidas em sua história,[3] [4] servindo de fonte de inspiração para a criação de muitos outros "Américas", no Brasil e no exterior.[5]

No ranking do Campeonato Carioca, o America é o quinto colocado, qualquer que seja o parâmetro utilizado.

História[editar | editar código-fonte]

Sedes, campos e estádios[editar | editar código-fonte]

Sede social do America na rua Campo Sales. Foto de André Luiz Pereira Nunes
Estádio Wolney Braune, antigo campo do Andaraí. Ao fundo, Igreja Santo Antônio de Lisboa. Foto de André Luiz Pereira Nunes
Estádio Giulite Coutinho. Foto de André Luiz Pereira Nunes
Primeiros campos

As primeiras bolas foram chutadas em um terreno pertencente à Estrada de Ferro Rio D'Ouro, na Rua Pedro Alves, com o America se mudando logo após para a Rua São Francisco Xavier, 78, não sendo este ainda um campo apropriado para partidas oficiais. Inicialmente, o America mandou os seus jogos, na Rua Ferrer (em Bangu) e na Rua Guanabara (Laranjeiras).

Primeiras sedes

A primeira sede foi na Rua Pedro Alves número 83, no bairro da Saúde, no ano de 1904; a segunda, na mesma rua, no número 55, em 1905; a terceira, na Rua Felipe Camarão foi inaugurada em 1906; a quarta, na Rua São Francisco Xavier número 85-B, em 1907; a quinta na Rua do Passeio, 56/2º andar, em 1908. Posteriormente, na residência de Belfort Duarte, à Rua Torres Homem, 279, depois, à Rua Maria José (atual Rua Zamenhoff) número 63. Em 1911 o America se instalou definitivamente na Rua Campos Sales, número 98 (mais tarde renumerado para 118), no bairro da Tijuca.

Campos Sales

A sua sede definitiva veio com a incorporação do Haddock Lobo em 1911. O America se beneficiou da aquisição dos terrenos e integração dos atletas e associados deste clube, assim como aconteceu após a extinção do Riachuelo ainda em 1911, quando o America se reforçou ainda mais, tornando-se um dos grandes clubes do Rio de Janeiro. O primeiro jogo, como mandante, foi em 12 de outubro de 1911, com um empate de 1 a 1, com o CA Ypiranga de São Paulo - Tendo a partir daí um bom campo para disputar os seus jogos, construiu nele uma estrutura de estádio em 1952, quando foram inauguradas as novas instalações, com capacidade para 25.000 pessoas. Até sair do Estádio da Rua Campos Sales em 1962, o America conquistou os seus 7 títulos estaduais.

Estádio Wolney Braune

Com o dinheiro da venda do médio volante Amaro para a Juventus de Turim em 1961, o America comprou o campo do Andarahy FC por 60 milhões de cruzeiros e o Estádio de Campos Sales foi demolido para se transformar em sede social. O Wolney Braune passaria a ser o estádio do clube até 1993, quando foi vendido para uma empresa que construiu um shopping no local. Tinha capacidade para 5.000 pessoas.

Estádio Giulite Coutinho

O America inaugurou em 23 de janeiro de 2000, na vitória de 3 a 1 sobre a seleção carioca o seu novo estádio, homenageando com o seu nome o seu ex-dirigente, Giulite Coutinho, na localidade de Edson Passos, no município de Mesquita, Baixada Fluminense, mantendo a sua sede social na Rua Campos Sales, no bairro da Tijuca, na cidade do Rio de Janeiro. Tem hoje, capacidade para 13.000 pessoas, podendo ser ampliado, e foi uma das subsedes do futebol, em 2011, dos Jogos Mundiais Militares.

Estádio[editar | editar código-fonte]

Hino[editar | editar código-fonte]

Em 1915 foi composto o primeiro hino do America por Freire Júnior, com letra de Luiz França; em 1922 foi criada a segunda versão por Freire Júnior, até se chegar a versão criada pelo compositor americano Lamartine Babo, em 1947:[6]

Letra e Música: Lamartine Babo

Hei de torcer, torcer, torcer...

Hei de torcer até morrer, morrer, morrer...

Pois a torcida americana é toda assim

A começar por mim

A cor do pavilhão

É a cor do nosso coração!

Em nossos dias de emoção

Toda torcida cantará esta canção!

Trá-lá-lá-lá-lá-lá!

Trá-lá-lá-lá-lá-lá!

Trá-lá-lá-lá-lá-lá!

Campeões de 13, 16 e 22,

Trá-lá-lá!

Temos muitas glórias,

E surgirão outras depois,

Trá-lá-lá!

Campeões com a pelota nos pés,

Fabricamos,

Aos montes,

Aos dez!

Nós ainda queremos muito mais,

America, unido, vencerás!

Títulos[editar | editar código-fonte]

Nacional
Competição Títulos Temporadas
TrofeuCopaDosCampeoesCBF.svg Torneio dos Campeões 1 1982
Regionais
Competição Títulos Temporadas
CBF - Taça Brasil.svg Taça Brasil - Zona Sul 1 1961
Trophy(transp).png Taça Ioduran 1 1916
Rio-SãoPaulo.png Taça dos Campeões Estaduais Rio-São Paulo 1 1936
Estaduais
Competição Títulos Temporadas
Rio de Janeiro Campeonato Carioca 7 1913, 1916, 1922, 1928, 1931, 1935 e 1960
Rio de Janeiro Torneio Extra 2 1938 e 1952
Rio de Janeiro Torneio Relâmpago 1 1945
Rio de Janeiro Taça Guanabara 1 1974
Rio de Janeiro Taça Rio 1 1982
Rio de Janeiro Terceiro Turno 1 1955
Rio de Janeiro Taça Jayme de Carvalho 1 1976
Rio de Janeiro Torneio Início 1 1949
Rio de Janeiro Troféu João Ellis Filho 1 2010
Rio de Janeiro Campeonato Carioca - Série B 2 2009 e 2015
Rio de Janeiro Torneio Extra Capital 1 2013
Outros títulos estaduais (restritivos)
Competição Títulos Temporadas
Rio de Janeiro Taça Disciplina 6 1947, 1949, 1965, 1969, 1970 e 1983
Rio de Janeiro Taça Eficiência 1 1936
Rio de Janeiro Torneio Ary Barroso 1 1965 (equipes mistas)
Total
America FC.svg Títulos regulares e restritivos 31 1 título nacional, 3 títulos regionais e 27 títulos estaduais
Torneios internacionais
Torneios nacionais
  • Espírito Santo (estado) Torneio Quadrangular Presidente Costa e Silva: 1968
  • Bahia Torneio Luís Viana Filho: 1968
Categorias de base

*Invicto.

**Torneio Extra Carlos Martins da Rocha.

Futebol Feminino

Temporadas[editar | editar código-fonte]

Participações[editar | editar código-fonte]

Participações em 2015
Competição Temporadas Melhor campanha Estreia Última P Aumento R Baixa
Rio de Janeiro Campeonato Carioca 103 Campeão (7 vezes) 1908 2011 2
Taça Guanabara 43 Campeão (1974) 1965 2011
Taça Rio 24 Campeão (1982) 1978 2011
Série B do Carioca 5 Campeão (2009 e 2015) 1906 2015 2
Brasil Campeonato Brasileiro 19 3º colocado (1961) 1961 1988 1
Série B 5 19º colocado (1982) 1981 2000 1
Série C 11 12º colocado (2007) 1990 2007
Série D 1 21º colocado (2010) 2010 2010
Copa do Brasil 3 2ª Fase (2007) 2004 2007

Últimas dez temporadas[editar | editar código-fonte]

America Football Club
Ano Campeonato Brasileiro Copa do Brasil Campeonato Carioca Copa Rio
Div. Pos. J V E D GP GC Fase Máxima Div. Taça GB Taça Rio Pos. Pos.
2006 C 60º 6 1 2 3 4 7 A F SF
2007 C 12º 18 7 4 7 27 29 2F A SF 1F 4F
2008 Não classificado A 1F 1F 15º 3F
2009 Não classificado B
2010 D 21º 6 3 1 2 11 12 A 1F 1F 3F
2011 Não classificado A 1F 1F 16º 2F
2012 Não classificado B 13º 1F
2013 Não classificado B 2F
2014 Não classificado B 11º 2F
2015 Não classificado B A/d


Legenda:
     Campeão
     Vice-campeão
     Eliminado na semifinal
     Classificado à Copa Libertadores da América
     Classificado à Copa Sul-Americana
     Classificado à Copa do Brasil
     Rebaixamento
     Acesso

O America em jogos internacionais[editar | editar código-fonte]

O America disputou até hoje pelo menos 158 jogos contra clubes, combinados ou seleções estrangeiras, com 78 vitórias, 35 empates e 45 derrotas, 205 gols a favor e 103 contra, números estes que não incluem partidas contra clubes brasileiros válidos por competições internacionais ou realizados no exterior contra eles.[7] O último amistoso internacional não integrou este cômputo, foi o amistoso entre o America e o campeão da Copa da China, Shandong Luneng Taishan, disputado em 27 de janeiro de 2013, registrando-se como resultado final o empate em 2 a 2.

Rubros na seleção brasileira[editar | editar código-fonte]

O America teve cinquenta e sete jogadores convocados até hoje nas diversas categorias da Seleção Brasileira, sendo trinta e dois deles apenas na seleção principal com noventa e quatro participações em competições oficiais ou amistosas,[8] tendo cedido três destes jogadores para representar o Brasil em Copas do Mundo, sendo que na Copa do Mundo de 1930 foram dois (Joel e Hermógenes) e na Copa do Mundo de 1938 um (Britto). Entre tantos convocados, talvez o mais conhecido de todos seja Jorginho, lateral-direito revelado pelo America e onde ele jogava quando foi campeão mundial de juniores em 1983 e que posteriormente se tornaria campeão da Copa do Mundo de 1994, vindo mais tarde a iniciar sua carreira de treinador neste seu clube do coração.

No primeiro jogo da Seleção Brasileira em 21 de julho de 1914 contra o Exeter City Football Club, o americano Osman fez o segundo gol da Seleção na vitória por 2 a 0, no Estádio de Laranjeiras.

Talvez o maior momento do America na Seleção Brasileira, tenha sido em 1956, quando os jogadores Édson, Hélio, Canário, Leônidas, Romeiro e Ferreira foram convocados para as disputas da Taça Osvaldo Cruz, diante do Paraguai (Brasil 5 a 2, com Leônidas marcando e os seis em campo), da Taça Atlântico contra o Uruguai (Brasil 2 a 0, com Canário marcando e cinco americanos em campo) e Argentina (0 a 0 em Buenos Aires com quatro americanos em campo) e nos amistosos contra a Itália, quando Ferreira e Canário marcaram os gols brasileiros com quatro americanos em campo e nos dois amistosos contra a Seleção Tchecoslovaca de Futebol, primeiro no Rio de Janeiro quando três americanos estavam em campo na derrota por 1 a 0 (Edson, Canário e Leônidas da Selva), como no segundo em em São Paulo, quando dois americanos jogaram na vitória brasileira por 4 a 1 (Édson e Canário).

Na última oportunidade, dois jogadores do clube foram convocados para o elenco que conquistou o Torneio do Bicentenário dos Estados Unidos, em 1976: Flecha e Orlando Lelé.

Maiores artilheiros[editar | editar código-fonte]

Jogadores Notáveis[editar | editar código-fonte]

Edu Coimbra, maior ídolo americano. Foto de André Luiz Pereira Nunes

Elenco atual[editar | editar código-fonte]

Profissional
Atualizado em 24 de Março de 2015.[10]
  • Fonte: Site oficial do clube America Football Club


Goleiros
Jogador
Brasil Luís Henrique
Brasil Felipe
Brasil Sérgio
Defensores
Jogador Pos.
Brasil Fábio Braz Z
Brasil Kazu Z
Brasil Rafael Henriques Z
Brasil Rodrigo Fabiano Z
Brasil Vagner Eugênio Z
Brasil Wagner Diniz LD
Brasil Wander LD
Brasil Marlon LE
Brasil Enric LE
Meio-campistas
Jogador Pos.
Brasil Lucien V
Brasil Ramon V
Brasil Muniz V
Brasil Taércio V
Brasil Castro Júnior V
Brasil Steve V
Brasil Abedi M
Brasil Darlan M
Brasil Léo Rocha M
Brasil Accioli M
Atacantes
Jogador
Brasil Somália
Brasil Jean
Brasil Paulo Pedra
Brasil Fábio Saci
Brasil Marcelinho
Brasil Russo
Comissão técnica
Nome Pos.
Brasil Ricardo Cruz T
Legenda
  • Capitão : Capitão

A torcida do America[editar | editar código-fonte]

Em pesquisa de torcidas realizadas em 1954, o America contava com 6% da torcida carioca, em 1971 com 3%. Pesquisas mais recentes (Gallup 1993, PLACAR nº 1.189 de 2001 e IBPS 2007, esta última divulgada pelo jornal O GLOBO, em 20 de janeiro de 2008), apontaram o America com cerca de 1% da torcida do Rio de Janeiro, o que somaria algo em torno de 160.000 torcedores somente neste estado, enquanto a pesquisa LANCE IBOPE 2010 apurou um percentual de 0,5% da torcida estadual, com uma margem de erro de 1,2%, o que pode indicar que a torcida rubra poderia ser de até 1,7% do Estado do Rio de Janeiro, com o percentual de 1% encontrado em pesquisas mais recentes, contido dentro desta margem.

Considerando que o America tem torcida, assim como os demais clubes cariocas, em locais como o Espírito Santo, Zona da Mata Mineira, Santa Catarina e Distrito Federal, para não falar de outras regiões onde existe maior diversificação de torcedores, é possível supor que o America tenha mais de 200.000 torcedores, mesmo após passar alguns anos afastado do cenário nacional.[11] Na cidade do Rio de Janeiro, tradicionalmente a torcida rubra se concentra na região conhecida como Grande Tijuca, onde o clube tem sede e onde também se localizavam os seus estádios anteriores.

No Campeonato Brasileiro a média de público pagante histórica do America, é de cerca de 6.500 torcedores (jogos com mando de campo), conforme informou a revista PLACAR nº 1.250, em 2002.

Torcidas organizadas:

  • Sangue Jovem
  • Inferno Rubro
  • Sampaio Rubro
  • Planalto Rubro (Brasília/DF)
  • Leões da Baixada
  • ManguáSangue
  • Fiel Rubro

Personalidades[editar | editar código-fonte]

Treinadores
Torcedores ilustres

Arnaldo Niskier, escritor e educador

Clássicos do America[editar | editar código-fonte]

Para o America, são clássicos as partidas contra Flamengo, Fluminense, Vasco, Botafogo, clubes com os quais decidiu vários campeonatos cariocas e outros torneios, e contra o Bangu, clube que tenta ser a quinta força do futebol carioca, posto dominado pelo America em todos os rankings estaduais e nacionais, com o qual faz confrontos muito acirrados.[12]

Maiores clássicos por número de jogos
  1. America versus Flamengo: 301 jogos, 84 vitórias americanas (27,90%)
  2. America versus Fluminense: 294 jogos, 77 vitórias americanas (26,19%)
  3. America versus Bangu: 277 jogos, 107 vitórias americanas (38,63%)
  4. America versus Botafogo: 273 jogos, 82 vitórias americanas (30,03%)
  5. America versus Vasco: 265 jogos, 61 vitórias americanas (23,01%)
Maiores clássicos por antiguidade
  1. America versus Bangu: America 1 a 5 Bangu, 6 de agosto de 1905
  2. America versus Botafogo: America 7 a 1 Botafogo, 22 de março de 1908
  3. America versus Fluminense: America 1 a 2 Fluminense, 19 de julho de 1908
  4. America versus Flamengo: America 3 a 6 Flamengo, 19 de maio de 1912
  5. America versus Vasco: America 5 a 1 Vasco, 14 de março de 1920

Maiores goleadas[editar | editar código-fonte]

  1. America 11 a 2 Botafogo, 3 de novembro de 1929[13]
  2. America 10 a 1 Haddock Lobo, 16 de outubro de 1910
  3. America 10 a 2 Olaria, 24 de maio de 1947
  4. America 9 a 0 Bangu, 4 de setembro de 1910
  5. America 9 a 1 Americano do Rio de Janeiro, 3 de maio de 1913
  6. America 8 a 0 Rio Cricket, 30 de maio de 1915
  7. America 8 a 0 Andaraí, 19 de dezembro de 1937
  8. America 8 a 1 Portuguesa-RJ, 18 de outubro de 1936
  9. America 8 a 1 Bonsucesso, 25 de janeiro de 1938
  10. America 8 a 1 Serra Macaense, 10 de abril de 2013
Maiores goleadas em Campeonatos Brasileiros da Primeira Divisão
  1. America 6 x 1 Mixto-MT, 22 de novembro de 1979[14]
  2. America 5 a 1 Colorado-PR, 30 de abril de 1983
  3. America 4 a 0 Bahia-BA, 8 de outubro de 1969
  4. America 4 a 0 São Paulo-SP, 26 de novembro de 1969
  5. America 4 a 0 Rio Branco-ES, 4 de março de 1983

Maiores públicos[editar | editar código-fonte]

  • Exceto quando informados os públicos presente e pagante, os demais referem-se aos públicos pagantes.[15]
  1. America 1 a 4 Flamengo, 147.661, 4 de abril de 1956 (139.599 pagantes);
  2. America 0 a 2 Fluminense, 141.689, 9 de junho de 1968 (120.178 pagantes,rodada dupla);
  3. America 1 a 2 Vasco, 121.765, 28 de janeiro de 1951 (104.775 pagantes);
  4. America 2 a 0 Bangu, 106.515, 31 de maio de 1970 (rodada tripla);
  5. America 1 a 0 Flamengo, 104.532, 25 de abril de 1976;
  6. America 5 a 1 Flamengo, 102.002, 1º de abril de 1956 (94.516 pagantes);
  7. America 2 a 1 Bonsucesso, 101.363, 25 de julho de 1973 (rodada dupla);
  8. America 2 a 0 Fluminense, 100.635, 17 de março de 1956 (92.736 pagantes);
  9. America 2 a 1 Fluminense, 98.099, 18 de dezembro de 1960;
  10. America 1 a 0 Fluminense, 97.681, 22 de setembro de 1974;
  11. America 0 a 1 Fluminense, 96.035, 27 de abril de 1975;
  12. America 2 a 2 Botafogo, 94.735, 10 de agosto de 1969 (rodada dupla);
  13. America 4 a 2 Benfica, 94.642, 3 de julho de 1955 (87.686 pagantes) ;
  14. America 1 a 1 Flamengo, 93.393, 18 de maio de 1969 (rodada dupla).
Maiores públicos em Campeonatos Brasileiros da Primeira Divisão
  • Partidas disputadas no Estádio do Maracanã
  1. America 0 a 3 Flamengo, 55.452, 8 de abril de 1984
  2. America 1 a 1 São Paulo, 50.502, 18 de fevereiro de 1987
  3. America 1 a 1 Flamengo, 48.124, 6 de novembro de 1977
  4. America 1 a 3 Vasco, 47.164, 27 de fevereiro de 1982
  5. America 1 a 3 Santa Cruz, 46.115, 8 de novembro de 1975
  6. America 1 a 0 Fluminense, 41.768, 30 de novembro de 1975
  7. America 0 a 1 Vasco, 40.150, 23 de fevereiro de 1980
  8. America 0 a 1 Flamengo, 38.712, 17 de outubro de 1976
  9. America 2 a 1 Botafogo, 38.679, 26 de março de 1983
  10. America 0 a 0 Botafogo, 36.580, 18 de março de 1984

Rankings[editar | editar código-fonte]

Ranking da CBF[editar | editar código-fonte]

Ranking atualizado em dezembro de 2014

  • Posição: 217º
  • Pontuação: 53 pontos[16]

Ranking criado pela Confederação Brasileira de Futebol para pontuar clubes do Brasil, que considera os últimos 5 anos.[17]

Ranking Histórico da Revista PLACAR[editar | editar código-fonte]

  • Posição: 28º
  • Pontuação: 42 pontos
  • Obs. A revista PLACAR, incorretamente, não considera o Torneio dos Campeões, torneio oficial da CBD, para efeito de pontuação, embora reconheça para este fim outros torneios semelhantes a este.

Ranking PLACAR de mérito do Campeonato Brasileiro[editar | editar código-fonte]

  • Posição: 29º
  • Pontuação: 10 pontos

Ranking PLACAR de pontos do Campeonato Brasileiro[editar | editar código-fonte]

  • Posição: 28º
  • Pontuação: 243 pontos

Publicações[editar | editar código-fonte]

  • O America na História da Cidade, por Orlando Cunha e Terezinha de Castro.
  • Cronologia de uma Odisséa (História do America), por Orlando Cunha.
  • Campos Sales 118, por Orlando Cunha e Fernando Valle.
  • Hei de torcer até morrer, por José Rezende.
  • Antologia lírica de um sentimento obstinado, Vários Autores.
  • America, Paixão Imortal, por Marcelino Rodriguez.
  • Tijucamérica, por José Trajano

DVDs

  • Paixão Rubra
  • America - História e Glórias
  • O Renascer da Tradição Rubra
  • Heróis do Andaraí

CDs

  • Sou Louco por Ti America, idealizado por Jorge do Batuke.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]