Amina J. Mohammed

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Amina J. Mohammed
Nascimento 27 de junho de 1961
Gombe
Cidadania Nigéria
Alma mater
Ocupação política
Prêmios
Empregador Organização das Nações Unidas, Universidade Columbia
Religião Islão

Amina Jane Mohammed [1] (Liverpool, 27 de junho de 1961) é uma diplomata e política nigeriana que atua como a quinta Secretária-Geral Adjunta das Nações Unidas. Anteriormente, Mohammed foi Ministra do Ambiente da Nigéria de 2015 a 2016 [2], tendo tido um papel de relevo no processo da Agenda de Desenvolvimento Pós-2015, que levou à definição dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável.

Infância e educação[editar | editar código-fonte]

Amina Mohammed nasceu em 1961 em Liverpool, no Reino Unido[3], filha de um oficial veterinário nigeriano e de uma enfermeira britânica. Ela é a mais velha de cinco filhas.[4]

Mohammed frequentou a escola primária em Kaduna e em Maiduguri, bem como a Escola Buchan na Ilha de Man.[5] Em 989, também frequentou o Henley Management College.[6] Depois de terminar os estudos, regressou à Nigéria.[4]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Entre 1981 e 1991, Mohammed trabalhou na Archcon Nigeria, um gabinete de arquitectura, em associação com a Norman e Dawbarn, do Reino Unido.[7] Em 1991, fundou o Afri-Projects Consortium, do qual foi Diretora Executiva até 2001.[8]

De 2002 a 2005, Mohammed coordenou a Força-Tarefa sobre Género e Educação no âmbito do Projecto do Milénio, das Nações Unidas.[8]

Mais tarde, Mohammed posteriormente assumiu a posição de Asessora Especial Sérior do Presidente da Nigéria para os Objetivos de Desenvolvimento do Milénio (ODM). Em 2005, foi encarregada da coordenação dos fundos de alívio da dívida da Nigéria para a realização dos ODM. O seu mandato incluiu a concepção de um Fundo Virtual de Pobreza com abordagens inovadoras para a redução da pobreza, coordenação e monitorização do orçamento, bem como o aconselhamento sobre questões relacionadas com a pobreza, a reforma do setor público e o desenvolvimento sustentável.[8]

Mais tarde, Mohammed fundou o Center for Development Policy Solutions, da qual foi administradora, e também se tornou professora-adjunta do programa de Mestrado em Práticas de Desenvolvimento da Universidade de Columbia. Durante esse tempo, Mohammed fez parte de vários painéis e conselhos consultivos internacionais, incluindo o Painel de Alto Nível do Secretário-Geral das Nações Unidas sobre a Agenda de Desenvolvimento Pós-2015 e o Grupo Consultivo de Especialistas Independentes sobre a Revolução de Dados para o Desenvolvimento Sustentável. Ela também presidiu o Conselho Consultivo do Relatório de Monitorização Global da Educação (GME) da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO).[8]

A partir de 2012, Mohammed um elemento de relevo para a Agenda de Desenvolvimento Pós-2015, tendo servido como Conselheira Especial do Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, no planeamento do desenvolvimento pós-2015.[8][9] Nessa função, actuou como elo entre o Secretário-Geral, o seu Painel de Alto Nível de Pessoas Eminentes (HLP) e o Grupo de Trabalho Aberto da Assembleia Geral (OWG), entre outras partes interessadas.[10] A partir de 2014, também atuou no Grupo Consultivo de Especialistas Independentes do Secretário-Geral sobre a Revolução de Dados para o Desenvolvimento Sustentável. [11]

Ministra do Ambiente (2015-2017)[editar | editar código-fonte]

De 2015 a 2017, Mohammed foi Ministra Federal do Ambiente no gabinete do Presidente Muhammadu Buhari.[12] Durante esse tempo, foi representante da Nigéria no Comité Diretor de Reforma da União Africana (UA), presidido por Paul Kagame.[13] Mohammed renunciou ao Conselho Executivo Federal da Nigéria em 24 de fevereiro de 2017.[14]

Em 2017, durante o seu mandato como ministra do meio ambiente da Nigéria, Mohammed foi acusada de ter participado num esquema chinês para importar ilegalmente pau-rosa da Nigéria, espécie ameaçada de extinção.[15][16][17] O governo nigeriano negou as acusações.[18]

Secretária-Geral Adjunta das Nações Unidas[editar | editar código-fonte]

Em janeiro de 2017, o Secretário-Geral das Nações Unidas, António Guterres, anunciou a sua intenção de nomear Mohammed Secretária-Geral Adjunto das Nações Unidas.[19]

Em 19 de novembro de 2020, visitou o Hospital de Campo UN COVID-19 em Accra. Mohammed elogiou o Gana pelo sucesso do país na luta contra a pandemia COVID-19.[20]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Sua filha, Nadine Ibrahim, é realizadora de cinema. [21]

Outras atividades[editar | editar código-fonte]

  • Parceria Global para Dados de Desenvolvimento Sustentável, Membro do Conselho de Administração (desde 2017) [22]
  • ActionAid, Projeto Internacional de Direito à Educação, Membro do Conselho Consultivo
  • Programa de Desenvolvimento Global da Fundação Bill & Melinda Gates, Membro do Conselho Consultivo
  • Hewlett Foundation, membro do Conselho de Administração
  • Centro de Pesquisa para o Desenvolvimento Internacional, Membro do Conselho de Governadores
  • Instituto de Informação Científica e Técnica da China (ISTIC), Membro do Conselho Consultivo

Reconhecimento[editar | editar código-fonte]

  • Ordem da República Federal da Nigéria (2006)
  • Hall da Fama das Mulheres Nigerianas (2007)
  • Prêmio Notre Dame da Família Ford para o Desenvolvimento Internacional e Solidariedade (2015) [23]
  • Prémio Diplomata do Ano (2017) [24]
  • Título de chefia Sarraounia do Níger (2018), pelos Reis daquele país [25]
  • BBC 100 Women (2018) por seu trabalho como secretária-geral adjunta das Nações Unidas [26]
  • Prémio Cidadão Global, galardão de Líder Mundial 2019 [27]

Referências

  1. «UN Framework Convention on Climate Change - Participants» (PDF). United Nations. 2 de maio de 2017. Consultado em 24 de novembro de 2020 
  2. Oak TV. «Amina J. Mohammed resumes at the Federal Ministry of Environment as Minister». oak.tv. Consultado em 24 de novembro de 2020 
  3. «Sustainable Development Solutions Network | Amina Mohammed». unsdsn.org. Consultado em 24 de novembro de 2020. Cópia arquivada em 15 de dezembro de 2016 
  4. a b Mark Seddon (26 de Maio de 2017). «'Why is she here?': the Nigerian herder's daughter who became UN deputy chief». United Kingdom: The Guardian. Consultado em 24 de novembro de 2020 
  5. Hester Lacey (December 7, 2017), Amina J Mohammed on Nigeria, leadership and the UN Financial Times.
  6. Federal Ministry of Environment Arquivado em 2019-10-30 no Wayback Machine. Federal Government of Nigeria.
  7. «Nigeria: MDGs and Amina Az-Zubair's Footprint 24-November-2011». Allafrica.com. 24 de novembro de 2011 
  8. a b c d e Secretary-General Appoints Amina J. Mohammed of Nigeria as Special Adviser on Post-2015 Development Planning United Nations, press release of June 7, 2012.
  9. Kaye Wiggins (June 2, 2015), UN sets sights on sustainable development goals Financial Times.
  10. ProsperCSIS (23 de julho de 2014). «Amina Mohammed, Special Adviser to the UN Secretary-General on Post-2015 Development Planning». Consultado em 24 de novembro de 2020 
  11. Independent Expert Advisory Group Members The UN Secretary General's Independent Expert Advisory Group on a Data Revolution for Sustainable Development.
  12. Amina J. Mohammed, Deputy Secretary-General United Nations.
  13. AU Reforms Advisory Committee União Africana.
  14. Oak Tv. «Amina J. Mohammed's emotional speech as she steps down as Nigeria's Environment Minister». oak.tv. Oak TV. Consultado em 27 de fevereiro de 2017 
  15. «U.N.'s No. 2, Amina Mohammad, accused in Chinese scam». Japan Times. 10 de novembro de 2017. Consultado em 24 de novembro de 2020 
  16. «UN's number two accused in Chinese scam to import Nigerian rosewood». 9 de novembro de 2017. Consultado em 24 de novembro de 2020. Cópia arquivada em 23 de abril de 2019 
  17. «New Allegations Challenge the Environment Record of Top U.N. Official». 9 de novembro de 2017. Consultado em 24 de novembro de 2020 
  18. «Rosewood Export: UN's Amina Mohammed did no wrong, Nigerian govt says». 12 de novembro de 2017. Consultado em 24 de novembro de 2020 
  19. Secretary-General Announces Intention to Appoint Amina J. Mohammed of Nigeria Deputy Secretary-General United Nations, press release of January 3, 2017.
  20. «Deputy UN boss tours UN COVID-19 field hospital». www.ghanaweb.com (em inglês). 19 de novembro de 2020. Consultado em 20 de novembro de 2020 
  21. Okoro, Enuma (4 de março de 2017). «Nadine Ibrahim: I want to tell stories that can change the world». Guardian Woman. Guardian Newspapers. Consultado em 24 de outubro de 2020 
  22. Board of Directors Global Partnership for Sustainable Development Data.
  23. Amina Mohammed to Receive Ford Family Notre Dame Award University of Notre Dame, press release of November 4, 2015.
  24. Shelbie Bostedt (November 13, 2017), Diplomat of the Year Honoree Amina J. Mohammed Discusses Future of United Nations Foreign Policy.
  25. Waweru, Nduta (8 de julho de 2018). «Deputy Secretary-General of the U.N. Amina J. Mohammed crowned Queen in Niger». Face2FaceAfrica. Consultado em 24 de novembro de 2020 
  26. «BBC 100 Women 2018: Who is on the list?» (em inglês). 19 de novembro de 2018. Consultado em 20 de abril de 2019 
  27. https://www.globalcitizen.org/en/content/amina-mohammed-world-leader-global-citizen-prize/

Links Externos[editar | editar código-fonte]