Aminoglutetimida

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Aminoglutetimida
Star of life caution.svg Aviso médico
Nome IUPAC (sistemática)
 ?
Identificadores
CAS  ?
ATC  ?
PubChem 2145
DrugBank APRD00592
Informação química
Fórmula molecular C13H16N2O2 
Massa molar  ?
Farmacocinética
Biodisponibilidade  ?
Metabolismo  ?
Meia-vida  ?
Excreção  ?
Considerações terapêuticas
Administração  ?
DL50  ?

Aminoglutetimida é uma fármaco que inibe a esteroidogênese sendo indicado para o tratamento da Síndrome de Cushing reduzindo o nível do cortisol no organismo. Também é utilizadano tratamento do câncer ósseo doloroso,[1] entre outras indicações.

O princípio de ação farmacológico atua na inibição da conversão de colesterol em pregnenolona. Através desse mecanismo inibe a secreção de estrógeno, aldosterona e cortisol.[2]

Esportes[editar | editar código-fonte]

A aminoglutetimida consta da lista de fármacos proibidos nos esportes.[3] É, contudo, utilizado por alguns fisiculturistas devido às suas propriedades antiestrógenas, atenuando o inchaço e a feminização do corpo masculino, como a distribuição da gordura corporal e mesmo a ginecomastia, sintomas secundários frequentes no uso de esteróides anabolizantes, incluída a testosterona.

Efeitos colaterais[editar | editar código-fonte]

É frequentemente associada a efeitos colaterais como febre, exantema maculopapular e fenômenos neurológicos (sonolência, tontura), limitando substancialmente o seu emprego. Pode também reduzir e concentração de iodo da tireóide, podendo levar a um quadro de hipotireoidismo.[2]

Referências

  1. «Manual Merk». Consultado em 27 de dezembro de 2007 
  2. a b Bernardo Liberman (Aug. 2003). «Papel da terapia medicamentosa na síndrome de Cushing». Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia. 47 (4). Consultado em 27 de dezembro de 2007  Verifique data em: |data= (ajuda)
  3. «The 2007 Prohibited List - International Standard» (PDF). The World Anti-Doping Code. 16 de setembro de 2006