Amintore Fanfani

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Amintore Fanfani
Amintore Fanfani 1983-04-14.jpg
Amintore Fanfani
Primeiro-ministro da Itália
Período 1º - 18 de Janeiro de 1954
até 8 de Fevereiro de 1954

2º - 1 de Julho de 1958
até 15 de Fevereiro de 1959
3º - 26 de Julho de 1960
até 21 de Fevereiro de 1962
4º - 21 de Fevereiro de 1962
até 21 de Junho de 1963
5º - 1 de Dezembro de 1982
até 4 de Agosto de 1983
6º - 17 de Abril de 1987
até 28 de Julho de 1987

Antecessor 1º - Giuseppe Pella

2º - Adone Zoli
3º - Fernando Tambroni
4º - Amintore Fanfani
5º - Giovanni Spadolini
6º - Bettino Craxi

Sucessor 1º - Mario Scelba

2º - Antonio Segni
3º - Amintore Fanfani
4º - Giovanni Leone
5º - Bettino Craxi
6º - Giovanni Goria

Dados pessoais
Nascimento 6 de fevereiro de 1908
Pieve Santo Stefano, Toscana
Morte 20 de novembro de 1999 (91 anos)
Roma, Lácio
Nacionalidade italiano
Alma mater Universidade Católica do Sagrado Coração
Cônjuge Biancarosa Provasoli (1939–1968)
Maria Pia Tavazzani (1975–1999)
Filhos 7
Partido Partido Nacional Fascista (até 1943)
Partido Popular Italiano (1943–1994)
Democracia Cristã (1994–1999)
Ocupação Político, economista

Amintore Fanfani (Pieve Santo Stefano, 6 de Fevereiro de 1908Roma, 20 de Novembro de 1999)[1][2] foi um político e estadista italiano que atuou como 32º primeiro-ministro da Itália por cinco mandatos separados. Ele foi um dos políticos italianos mais conhecidos após a Segunda Guerra Mundial e uma figura histórica da facção de esquerda da Democracia Cristã.[3] Ele também é considerado um dos fundadores da moderna centro-esquerda italiana.[4]

Começando como um protegido de Alcide De Gasperi, Fanfani alcançou o posto de gabinete ainda jovem e ocupou todos os principais cargos do Estado ao longo de uma carreira política de quarenta anos. Na política externa, foi um dos maiores defensores da integração europeia e estreitou relações com o mundo árabe.[5] Na política interna, ele era conhecido por sua cooperação com o Partido Socialista Italiano, que trouxe para uma aliança que renovou radicalmente o país, graças a inúmeras reformas, incluindo a nacionalização da Enel, a extensão da escolaridade obrigatória e a introdução da um sistema tributário mais progressivo.

Fanfani ocupou vários cargos ministeriais, incluindo Ministro do Interior, Ministro das Relações Exteriores, Ministro do Trabalho, Ministro da Agricultura e Ministro do Orçamento e Planejamento Econômico. Também foi presidente do Senado italiano por três mandatos entre 1968 e 1987. Foi nomeado senador vitalício em 1972. Seis anos depois, após a renúncia de Giovanni Leone, assumiu provisoriamente as funções de Presidente da República como presidente do Câmara Alta do Parlamento, até a eleição de Sandro Pertini. No entanto, apesar de sua longa experiência política e prestígio pessoal, Fanfani nunca conseguiu ser eleito chefe de estado.

Fanfani e o líder liberal de longa data Giovanni Giolitti ainda detêm o recorde de ser os únicos estadistas a terem servido como primeiro-ministro da Itália em cinco períodos não consecutivos de mandato. Ele às vezes era apelidado de "Cavallo di Razza" ("Cavalo de raça pura"), graças à sua habilidade política inata; no entanto, seus detratores simplesmente o chamaram de "Pônei",[6] devido ao seu pequeno tamanho.[7]

Recebeu o Doutoramento Honoris Causa da Universidade de Coimbra em 1982.

Referências

  1. Franzosi, The Puzzle of Strikes, PA202 p. 202
  2. Luciano Radi, La Dc da De Gasperi a Fanfani, Soveria Manelli, Rubbettino, 2005.
  3. «Fanfani, Amintore nell'Enciclopedia Treccani». www.treccani.it (em italiano). Consultado em 5 de fevereiro de 2021 
  4. Franzosi, Roberto (23 de novembro de 2006). The Puzzle of Strikes: Class and State Strategies in Postwar Italy (em inglês). [S.l.]: Cambridge University Press 
  5. «"La politica mediterranea dell'Italia. Il governo italiano e la Democrazia Cristiana di fronte al mondo arabo negli anni del centro-sinistra (1963-1972) – Officina Della Storia» (em italiano). Consultado em 5 de fevereiro de 2021 
  6. «la Repubblica/politica: Ebbe tutte le cariche gli sfuggi' solo il Quirinale». www.repubblica.it. Consultado em 5 de fevereiro de 2021 
  7. «Amintore Fanfani». www.battifolle.it. Consultado em 5 de fevereiro de 2021 

Precedido por
Giuseppe Pella
Primeiros-ministro da Itália
1954
Sucedido por
Mario Scelba
Precedido por
Adone Zoli
Primeiros-ministro da Itália
1958 - 1959
Sucedido por
Antonio Segni
Precedido por
Fernando Tambroni
Primeiros-ministro da Itália
1960 - 1963
Sucedido por
Giovanni Leone
Precedido por
Giovanni Spadolini
Primeiros-ministro da Itália
1982 - 1983
Sucedido por
Bettino Craxi
Precedido por
Bettino Craxi
Primeiros-ministro da Itália
1987
Sucedido por
Giovanni Goria
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Amintore Fanfani