Amiraldismo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Amiraldismo ou Amyraldismo, é uma corrente teológica baseada no pensamento do teólogo francês Moise Amyraut e defendida por John Cameron.[1]

Consiste na crença em 4 dos Cinco pontos do Calvinismo (Depravação Total, Eleição Incondicional, Irresistível graça e Perseverança dos santos). Todavia, a doutrina se diferencia por rejeitar a Expiação Limitada.

É a crença de que Deus decretou a expiação de Cristo , antes de seu decreto de eleição, para todos os seres humanos, se eles acreditarem. Posteriormente, Ele elegeu aqueles a quem Ele dará fé em Cristo, visto que ninguém acreditaria por si próprio e, assim, preservaria a doutrina calvinista da eleição incondicional . A eficácia da expiação permanece limitada àqueles que acreditam.[2]

Essa doutrina recebeu o nome de seu formulador Moise Amyraut e ainda é vista como uma variedade de calvinismo, na medida em que mantém a particularidade da graça soberana na aplicação da expiação. No entanto, detratores como BB Warfield o chamaram de "uma forma inconsistente e, portanto, instável de calvinismo". [3][4]

Referências

  1. «Amiraldismo». Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  2. Chales Hodge. «Teologia Sistemática. Volume II». Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  3. «Monergismo: Amyraldimo» (PDF). Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  4. D. Crisp de Oliver (2014). «Calvinismo desviante: ampliando a teologia reformada». Consultado em 17 de fevereiro de 2020