Amor Estranho Amor

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Amor Estranho Amor
Vera Fischer, Tarcísio Meira, Xuxa Meneghel, Mauro Mendonça e Íris Bruzzi no cartaz do filme.
 Brasil
1982 •  cor •  110 min 
Direção Walter Hugo Khouri
Produção Anibal Massaini Neto
Coprodução Cinearte Films
Produção executiva Walter Hugo Khouri
Elenco Vera Fischer
Tarcísio Meira
Xuxa
Marcelo Ribeiro
Mauro Mendonça
Otávio Augusto
Íris Bruzzi
Gênero drama
Cinematografia Antonio Meliande
Edição Eder Mazzini
Distribuição Embrafilme
Lançamento 1 de novembro de 1982 (1982-11-01)[1]
Idioma português

Amor Estranho Amor é um filme brasileiro de drama de 1982,[2] dirigido por Walter Hugo Khouri e estrelado por Vera Fischer, Tarcísio Meira, Xuxa, Mauro Mendonça, Íris Bruzzi e Marcelo Ribeiro.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Aos 12 anos Hugo (Marcelo Ribeiro) é enviado pela avó do interior de Santa Catarina para morar em São Paulo com sua mãe, Anna (Vera Fischer), que saiu da cidade natal muito jovem para tentar a vida na cidade grande e acabou se tornando prostituta no bordel de Laura (Íris Bruzzi), começando a ganhar algum dinheiro ao se tornar amante do poderoso médico Osmar (Tarcísio Meira). Sem ter com quem deixar o filho, ela permite que Hugo frequente os bastidores do bordel, onde começa a descobrir a adolescência e a própria sexualidade, se apaixonando por Tamara, uma ambiciosa prostituta de 16 anos que seduz o jovem para afrontar Anna, sua rival na clientela.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Produção[editar | editar código-fonte]

Em 1979, Walter Hugo Khouri apresentou o projeto do filme ao distribuidor Embrafilme.[3] Para o papel do jovem Hugo, o diretor escolheu Marcelo Ribeiro, de doze anos, que havia aparecido no ano anterior como ator coadjuvante no filme Eros, O Deus do Amor.

Recepção[editar | editar código-fonte]

Crítica[editar | editar código-fonte]

Kevin Thomas, um ex-escritor do Los Angeles Times, elogiou o filme afirmando que sua trama é semelhante aos filmes Murmur of the Heart e Pretty Baby do diretor francês Louis Malle, afirmando que Khouri compartilha o estilo discreto de Malle em contar uma história com conteúdo potencialmente explosivo, concluindo que "o resultado é uma experiência absorvente e reflexiva para adultos".[4]

Na crítica do site Filmes do Chico consta que "pelo fato de ter ficado associado à Xuxa interpretando uma das garotas de programa, o filme ganhou uma fama que não corresponde ao material que oferece. Como todo o cinema de Khouri, Amor, Estranho Amor tem muitas cenas de sexo, muita nudez gratuita, mas, pondo os pingos nos is, trata-se de um bom filme."[5]

Xuxa[editar | editar código-fonte]

O filme causou polêmica devido à participação da apresentadora de programas infantis Xuxa em seu elenco.

Amor Estranho Amor causou polêmica devido à participação de Xuxa Meneghel no elenco. Em uma entrevista, Xuxa explicou que tinha entre 17 e 19 anos quando o filme foi feito.[6] Em outra entrevista, Xuxa comenta que o filme foi feito em 1979.[7] Na trama do filme, a personagem de Xuxa tem relações sexuais com um garoto de 12 anos, interpretado pelo ator Marcelo Ribeiro.[8]

Após Xuxa entrar com uma ação na Justiça, em 1991, alegando que a comercialização do filme em home video não fazia parte do contrato de Xuxa com o estúdio,[9] uma decisão do então juiz de primeiro grau Luiz Fux proibiu a comercialização de Amor Estranho Amor.[10] Através de um acordo judicial, a apresentadora pagava US$ 60 mil (o equivalente a cerca de R$ 300 mil) por ano ao estúdio que produziu o longa, a Cinearte Films, para impedir que o filme estivesse em circulação.[11][9] No entanto, cerca de 4 mil cópias do filme em VHS chegaram a ser vendidas antes dessa decisão. Sendo assim, muitas cópias piratas em mídias físicas e na internet continuaram circulando, aumentando o interesse entre pessoas que não conheciam a obra.[12]

Apesar da proibição no Brasil, o filme foi lançado em DVD nos Estados Unidos em 2005 e pode ser adquirido por qualquer brasileiro em sites estrangeiros por importação. A produtora estadunidense não vendeu os direitos a Xuxa, que chegou a entrar com ação judicial nos Estados Unidos em 1993, mas perdeu. Em 2006, Marcelo Ribeiro foi encontrado com 39 anos e deu várias entrevistas, tendo também publicado um livro de como tudo aconteceu na época, incluindo conversas nos bastidores com a atriz.[13]

Em 2007, aproveitando de sua popularidade momentânea, Marcelo atuou em um filme pornográfico. Em 2007, Marcelo Ribeiro, então com 40 anos, dá entrevista onde comenta a polêmica do filme.[14] Em 2014, Xuxa perdeu ação judicial que interpôs contra a Google para que ela crie um filtro de forma a eliminar resultados referentes ao filme em seu buscador.[15][16] Xuxa entrou com recurso contra tal decisão, porém teve, em 2017, o recurso negado pelo ministro do Supremo Tribunal Federal, Celso de Mello.[11]

Em outubro de 2018, o acordo de Xuxa com o estúdio que impedia a exibição ou comercialização do filme prescreveu e não foi renovado.[17][9] No final de 2020, após oferta do produtor Aníbal Massaíni Neto, o filme teve os direitos de exibição vendidos ao canal de TV por assinatura Canal Brasil, que o exibiu pela primeira vez na televisão na madrugada de 12 de fevereiro de 2021. A emissora do Grupo Globo transmitia uma série de filmes do diretor, na Mostra Walter Hugo Khouri. Até então, o longa jamais foi exibido na televisão aberta ou fechada no Brasil.[11]

Premiações[editar | editar código-fonte]

Por sua atuação, Vera Fischer ganhou dois prêmios de Melhor Atriz no Festival de Cinema de Brasília[18] e no Prêmio Air France de Cinema, em 1982.[19] Xuxa também ganhou um prêmio de revelação mirim no Prêmio Air France de Cinema.[20]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Amor Estranho Amor». Cinemateca Brasileira. Consultado em 15 de outubro de 2016 
  2. Folha de S. Paulo - 2 de maio de 1982 - Caderno Ilustrada - pág. 1
  3. «FILMOGRAFIA - AMOR ESTRANHO AMOR». bases.cinemateca.gov.br. 14 de junho de 1985. Consultado em 15 de outubro de 2016 
  4. «'Love': Sensitive And Absorbing» (em inglês). Los Angeles Times. 14 de junho de 1985. ISSN 0458-3035. Consultado em 15 de outubro de 2016 
  5. «Amor, Estranho Amor». filmesdochico.uol.com.br. 27 de março de 2013. Consultado em 15 de outubro de 2016. Arquivado do original em 19 de outubro de 2016 
  6. «Xuxa fala abertamente sobre Amor Estranho Amor e revistas em que posou nua». Youtube. Consultado em 15 de dezembro de 2017 
  7. «Xuxa Fala Sobre o Filme "Amor Estranho Amor" - 1990». Youtube. Consultado em 15 de dezembro de 2017 
  8. Campos, Jesse. «Xuxa Precisa Chorar». Bragança Jornal. Consultado em 15 de dezembro de 2017 
  9. a b c «Produtor comemora exibição de 'Amor estranho amor': 'Com essa alforria, ele volta a ter vida'». O Globo. 11 de fevereiro de 2021. Consultado em 19 de fevereiro de 2021 
  10. Pagi, Dennis; Andrade, Vinícius (4 de novembro de 2020). «Amor Estranho Amor: Saiba onde assistir ao filme polêmico de Xuxa online». Notícias da TV. Consultado em 8 de novembro de 2020 
  11. a b c Pellegrini, Aline (10 de fevereiro de 2021). «A exibição de 'Amor Estranho Amor' na TV, 4 décadas depois». Nexo Jornal. Consultado em 19 de fevereiro de 2021 
  12. Elizabeth Orsini (21 de Agosto de 1990). «O vídeo polêmico de Xuxa». Jornal do Brasil. Consultado em 27 de maio de 2015 
  13. «Após 25 anos, "menino" que fez filme erótico com Xuxa prepara livro; leia entrevista». Folha de S.Paulo. 17 de julho de 2007. Consultado em 8 de novembro de 2020 
  14. folha.com - http://www1.folha.uol.com.br/folha/ilustrada/ult90u312675.shtml
  15. Arthur Eduardo Magalhaes Ferreira (10 de dezembro de 2014). «Sentença» (PDF). TJ-RJ. Consultado em 12 de dezembro de 2014 
  16. «Google pode manter buscas que liguem Xuxa a filme erótico, decide ministro». Folha de S.Paulo. 26 de setembro de 2014. Consultado em 19 de fevereiro de 2021 
  17. «Amor Estranho Amor: Produtor de drama erótico com Xuxa trava batalha para levar o filme à televisão e ao streaming». AdoroCinema. Consultado em 19 de fevereiro de 2021 
  18. imdb.com/ Awards for Amor Estranho Amor
  19. http://www.adorocinema.com/filmes/filme-177516/curiosidades/
  20. «Cópia arquivada». Consultado em 18 de dezembro de 2014. Arquivado do original em 18 de dezembro de 2014 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]