Amoroso

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Amoroso
Informações pessoais
Nome completo Márcio Amoroso dos Santos
Data de nasc. 5 de julho de 1974 (46 anos)
Local de nasc. Brasília (DF), Brasil
Nacionalidade brasileiro
Altura 1,80 m
destro
Informações profissionais
Período em atividade 1988–2010 (22 anos)
Clube atual Aposentado
Posição Atacante
Clubes de juventude
1988–1992 Guarani
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
1992–1995
1992–1993
1996
1996–1999
1999–2001
2001–2004
2004–2005
2005
2006
2006–2007
2007
2008
2009–2010
Guarani
Verdy Kawasaki (emp.)
Flamengo (emp.)
Udinese
Parma
Borussia Dortmund
Málaga
São Paulo
Milan
Corinthians
Grêmio
Aris Salônica
Guarani
0039 000(28)
0019 000(16)
0022 0000(6)
0103 000(42)
0052 000(18)
0089 000(43)
0029 0000(5)
0026 000(18)
0004 0000(1)
0023 0000(4)
0006 0000(0)
0036 000(10)
0023 0000(4)
Seleção nacional
1995–2003 Brasil 0020 000(10)

Márcio Amoroso dos Santos mais conhecido apenas como Amoroso (Brasília, 5 de julho de 1974), é um empresário e ex-futebolista brasileiro que atuava como atacante.

É sobrinho de José Amoroso Filho, centroavante que brilhou no Botafogo e Fluminense das décadas de 50 e 60, herdando do tio famoso o apelido que levaria durante toda a sua carreira.[1]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Início[editar | editar código-fonte]

Revelado nas categorias de base do Minas Tênis Clube em Brasília, com passagem pelo ASSEF e descoberto pelo Guarani de Campinas, o Bugre, tinha apenas dezoito anos quando foi emprestado ao Verdy Kawasaki, do Japão. Lá, conquistou o título da temporada inaugural da J-League e, em seguida, retornou para o Guarani.[2][3]

Sua estreia como profissional no Brasil aconteceu no Campeonato Brasileiro de 1994, no dia 14 de agosto, quando o Guarani bateu o Cruzeiro por 2 a 0.[4] Ainda no brasileiro, Amoroso e Luizão formaram uma excepcional dupla de ataque, impulsionando o, inicialmente, despretensioso time do Guarani até as semifinais.[5]

A derrota para o Palmeiras e a eliminação nas semifinais, contudo, não apagaram a brilhante campanha do Guarani, visto que a excelente performance de Amoroso acabou consagrada pela conquista da artilharia do campeonato, dividida com Túlio Maravilha, bem como pelo recebimento do prêmio de melhor jogador daquele Brasileiro.[5]

Flamengo[editar | editar código-fonte]

Do Guarani, Amoroso seguiu para o Flamengo, onde permaneceu por somente três meses.[6][7]

Udinese[editar | editar código-fonte]

Em seguida assinou contrato com a Udinese, time italiano da Serie A.[8] Inicialmente, dividiu as atenções com Oliver Bierhoff, artilheiro em 1998, entretanto, após a saída do alemão do clube, o próprio Amoroso acabou se transformando no artilheiro do Campeonato Italiano na temporada 1998–99, com 22 gols.[9]

Parma[editar | editar código-fonte]

Em alta, transferiu-se para o Parma após uma contratação milionária.[10] Infelizmente, para os diretores do Parma, Amoroso passou dois anos no clube se recuperando de uma grave contusão e, desta forma, marcou somente onze gols em trinta e nove partidas disputadas, não repetindo a performance que havia tido na Udinese.[11][12]

Borussia Dortmund[editar | editar código-fonte]

Em 2001, trocou o futebol italiano pelo alemão, quando acertou sua transferência para o Borussia Dortmund.[13] De clube novo, voltou a brilhar, tornando-se campeão e artilheiro do Campeonato Alemão de 2002.[13][14]

Málaga[editar | editar código-fonte]

Nos dois anos seguintes, porém, tornou a ter uma queda de rendimento e, assim sendo, acabou sendo negociado com o Málaga, da Espanha.[15][16] Ficou uma temporada no futebol espanhol, onde não conseguiu se destacar.[17]

São Paulo[editar | editar código-fonte]

Em junho de 2005, após receber propostas do futebol mexicano, espanhol decidiu voltar para o Brasil e transferiu-se para o São Paulo.[17][18]

Atuando novamente ao lado de Luizão, Amoroso fez boas partidas pelo São Paulo e acabou sendo decisivo nas conquistas da Copa Libertadores da América e do Mundial de Clubes da FIFA, ambos em 2005.[19][20][21]

Milan[editar | editar código-fonte]

Em janeiro de 2006, após firmar um contrato de dezoito meses com o Milan, retornou à Europa para substituir Christian Vieri, que havia deixado o Rossoneri para ir jogar no Monaco, da França.[22][23] No entanto, Amoroso não conseguiu conquistar um espaço no elenco do Milan e, tendo ficado como o quarto atacante do time, participou de apenas quatro partidas e marcou somente um gol.[24]

Corinthians[editar | editar código-fonte]

Desta forma, em setembro de 2006, tanto o Milan quanto Amoroso concordaram em rescindir o contrato.[25] Imediatamente após sua saída do clube italiano, Amoroso acertou sua transferência para o Corinthians, que atravessava por grave crise no Campeonato Brasileiro.[26] Sua ida ao rival do São Paulo chateou boa parte dos torcedores são-paulinos.[27][28]

Envolvido no clima pesado do clube, não teve um bom rendimento, deixando a equipe após seis meses de pouco futebol.[29] Com problemas com o técnico Emerson Leão, atuou em vinte e três partidas.[30]

Grêmio[editar | editar código-fonte]

Amoroso, em seguida, assinou com o Grêmio até o final de 2007.[31] Porém, tal qual como acontecera no Milan e Corinthians, o jogador voltou a rescindir seu contrato antes do previsto.[32][30] No Grêmio, ele fez apenas 11 jogos e não marcou gols.[30]

Aris Salônica[editar | editar código-fonte]

Em janeiro de 2008, se transferiu para o clube grego Aris Salônica, mas acabou não ficando por muito tempo.[33][34]

Retorno ao Guarani[editar | editar código-fonte]

Após dezesseis anos, Amoroso voltou ao Guarani em dezembro de 2008, para a disputa do Campeonato Paulista de 2009.[35]

Pós-aposentadoria[editar | editar código-fonte]

Para a disputa da Copa das Confederações, Amoroso foi convidado pela Bandeirantes para comentar alguns jogos.

Em 2012, jogou o campeonato paulista de Showbol pelo Guarani, dividindo as atenções do time com os craques Djalminha e Luizão.[36]

Em 2016, o atacante ex-São Paulo, Guarani e Seleção Brasileira, entre outros, fechou uma parceria com o Boca Raton, dos Estados Unidos, que disputa a APSL (American Premier Soccer League), equivalente à quarta divisão em relação ao poderio financeiro, para disputar alguns jogos nesta temporada e depois virar um embaixador do clube pelo mundo.[37]

Atualmente dedica-se a carreira de empresário, sendo dono de uma empreiteira.[38][39]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Guarani
Verdy Kawasaki
Flamengo
Parma
Borussia Dortmund
São Paulo
Grêmio

Boca Raton FC

Seleção Brasileira

Outras conquistas[editar | editar código-fonte]

Flamengo
Málaga

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

Artilharias[editar | editar código-fonte]

Guarani
Udinese
Borussia Dortmund
São Paulo

Verdy Kawasaki

Referências

  1. Cauê Rademaker (18 de setembro de 2007). «A um mês da aposentadoria, 'tio' Amoroso quer sobrinho no Flu». UOL. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  2. «Ídolo do Guarani, Amoroso lança sua própria linha de vinhos na Itália». Futebol Interior. 6 de maio de 2020. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  3. Hélder Guimarães (30 de março de 1999). «Japoneses elegem a 'cria' Amoroso o melhor do jogo». Folha de Londrina. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  4. «GUARANI 2 X 0 Cruzeiro». Jogos do Guarani. 14 de agosto de 1994. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  5. a b Felipe Zito (26 de novembro de 2016). «Título do Palmeiras em 1994 teve "chocolate" e provocação ao rival». GloboEsporte.com. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  6. «Amoroso fala sobre sua breve passagem pelo Flamengo: "Foi muito feliz"». Coluna do Fla. 14 de novembro de 2018. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  7. «Amoroso fala sobre sua breve passagem pelo Flamengo: "Foi muito feliz"». Flamengo RJ. 14 de novembro de 2018. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  8. Paes, Lucas (7 de maio de 2020). «A boa passagem de Amoroso pela Udinese». Consultado em 29 de agosto de 2020 
  9. Tufano Silva. «Amoroso - Que fim levou?». Terceiro Tempo. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  10. Sílvio Barsetti (1 de junho de 1999). «Amoroso já fala como jogador do Parma». Folha de Londrina. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  11. «Parabéns, Amoroso! Ex-atacante ganha homenagem no Borussia Dortmund e Parma». GloboEsporte.com. 5 de julho de 2018. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  12. Rodrigo Antonelli (13 de agosto de 2009). «Amoroso, um dos grandes artilheiros da Serie A nos anos 90». Calciopédia. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  13. a b Leandro Stein (5 de maio de 2017). «A épica conquista do Borussia Dortmund na Bundesliga 2001/02, recontada por Amoroso». Trivela. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  14. «Borussia e Amoroso vão se separar». Deutsche Welle. 31 de março de 2004. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  15. «Amoroso acerta com o Malaga, da Espanha». UOL. 19 de agosto de 2004. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  16. «Técnico do Málaga elogia Amoroso». GloboEsporte.com. 4 de outubro de 2004. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  17. a b «Amoroso anuncia sua saída do Málaga». NSC Total. 8 de junho de 2005. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  18. Marcius Azevedo (17 de junho de 2005). «São Paulo contrata Amoroso para a disputa da Libertadores». UOL. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  19. Paulo Vinícius Coelho (15 de maio de 2020). «PVC em Casa relembra título do São Paulo na Libertadores 2005 com show de Amoroso e Luizão; assista». GloboEsporte.com. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  20. Murilo Borges (18 de dezembro de 2012). «Sete anos do tri: Amoroso relembra título mundial e saída do São Paulo». GloboEsporte.com. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  21. Murilo Borges (29 de junho de 2020). «Exclusivo: Amoroso detalha 'olho no olho' com Autuori e revela que 3 rivais poderiam ter evitado sua chegada ao Morumbi». ESPN.com.br. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  22. Toni Assis (11 de janeiro de 2006). «Folha de S.Paulo - Futebol: Amoroso frustra São Paulo e tenta fechar com o Milan - 11/01/2006». Folha de S.Paulo. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  23. «Milan finalmente oficializa a contratação de Amoroso». Gazeta Digital. 14 de janeiro de 2006. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  24. Fernando Mello (15 de novembro de 2006). «Amoroso: Gafes e baixo rendimento no Timão». GloboEsporte.com. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  25. «Amoroso diz que não retorna ao São Paulo». O Globo. 17 de abril de 2006. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  26. «Corinthians cai para lanterna do Brasileirão 2006». UOL. 23 de julho de 2006. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  27. «Amoroso fala e leva troco são-paulino». Folha de S.Paulo. 7 de setembro de 2006. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  28. «Amoroso retorna ao Timão com a língua afiada». Agora São Paulo. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  29. «Corinthians rescinde o contrato do atacante Amoroso». O Globo. 30 de março de 2007. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  30. a b c «Grêmio anuncia dispensa do atacante Amoroso». Estadão. 6 de agosto de 2007. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  31. «Grêmio confirma contratação do atacante Amoroso». UOL. 11 de abril de 2007. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  32. Filipe Duarte (26 de maio de 2020). «Estrelas que não deram certo no Grêmio: Amoroso». GaúchaZH. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  33. «Nada de Brasil: Amoroso fecha com Aris Salónica, da Grécia - Jogada - Diário do Nordeste». Diário do Nordeste. 16 de janeiro de 2008. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  34. Zé Gonzalez (21 de janeiro de 2008). «Recepção na Grécia emociona Amoroso». GloboEsporte.com. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  35. «Guarani confirma volta de Amoroso para 2009». UOL. 29 de dezembro de 2008. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  36. Murilo Borges (5 de março de 2012). «Guarani reúne trio Amoroso, Luizão e Djalminha em Paulista de Showbol». GloboEsporte.com. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  37. Murilo Borges (30 de junho de 2016). «Ex-aposentado: Amoroso volta à ativa para experiência no futebol dos EUA». GloboEsporte.com. Consultado em 18 de abril de 2020 
  38. «Após se aposentar, Amoroso se dá bem na construção civil». Os Donos da Bola. 10 de fevereiro de 2015. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  39. Renan Prates (10 de janeiro de 2012). «Amoroso curte vida de construtor e "só come, bebe e dorme" após aposentadoria». UOL. Consultado em 7 de setembro de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]