Amphicoelias

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde outubro de 2009). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Searchtool.svg
Esta página foi marcada para revisão, devido a incoerências e/ou dados de confiabilidade duvidosa (desde outubro de 2009). Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a coerência e o rigor deste artigo.
Como ler uma infocaixa de taxonomiaAmphicoelias
Ocorrência: Jurássico Superior
150 Ma
Amphicoelias altus
Amphicoelias altus
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Clado: Dinosauria
Subordem: Sauropodomorpha
Clado: Sauropoda
Clado: Flagellicaudata
Família: Diplodocidae
Género: Amphicoelias
Cope, 1878
Espécie-tipo
Amphicoelias altus
Cope, 1878

Amphicoelias, cujo nome significa "dupla cavidade", foi um gênero de dinossauros saurópodes que viveram durante o período Jurássico há aproximadamente 150 milhões de anos no Colorado, Estados Unidos, que inclui uma espécie: Amphicoelias altus. Outra espécie, A. fragillimus, foi incluída neste género no passado, mas foi posteriormente movida para seu próprio género, Maraapunisaurus.[1]

Descrição[editar | editar código-fonte]

O Amphicoelias altus possuía uma dentição homodonte, tendo dentes com um formato semelhante ao de um cilindro fino. Várias características originalmente consideradas como exclusivas deste gênero posteriormente foram também descobertas em diplodocos, aumentando a possibilidade de que ambos sejam sinônimos.[2][3]

Além das semelhanças físicas com o diplodoco, o tamanho do A. altus era semelhante ao do Diplodocus carnegii: cerca de 25 metros de comprimento.[4]

Descoberta[editar | editar código-fonte]

Amphicoelias altus foi nomeado por Edward Drinker Cope em 1877, embora a descoberta só tenha sido publicada no ano seguinte. A descoberta inicial incluía um púbis e um fêmur.[5] Em 1921,  Henry Fairfield Osborn e Charles Craig Mook encontraram mais ossos: uma escápula, um coracoide, uma ulna e um dente.

Referências

  1. «Maraapunisaurus fragillimus, N.G. (formerly Amphicoelias fragillimus), a basal Rebbachisaurid from the Morrison Formation (Upper Jurassic) of Colorado». Geology of the Intermountain West (em inglês). 5 (9). 19 de outubro de 2018. ISSN 2380-7601 
  2. Carpenter, K. (2006). "Biggest of the big: a critical re-evaluation of the mega-sauropod Amphicoelias fragillimus." In Foster, J.R. and Lucas, S.G., eds., 2006, Paleontology and Geology of the Upper Jurassic Morrison Formation. New Mexico Museum of Natural History and Science Bulletin 36: 131–138.
  3. Pepper, www.prehistoric-wildlife.com, Darren. «Amphicoelias». www.prehistoric-wildlife.com. Consultado em 27 de outubro de 2018 
  4. Paul, G.S. (1994a). "Big sauropods — really, really big sauropods." The Dinosaur Report, The Dinosaur Society, Fall, p. 12–13.
  5. Cope, E.D. (1878a). "On the Vertebrata of the Dakota Epoch of Colorado". Proceedings of the American Philosophical Society. 17: 233–247.
Ícone de esboço Este artigo sobre dinossauros é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.