Saltar para o conteúdo

Ana Beatriz Nogueira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ana Beatriz Nogueira
Ana Beatriz Nogueira
Nogueira em 2011, nas gravações de A Vida da Gente. (Imagem: Globo).
Nome completo Ana Beatriz Soares Nogueira
Nascimento 22 de outubro de 1967 (56 anos)
Rio de Janeiro, GB
Nacionalidade brasileira
Estatura 1,70m
Ocupação
Período de atividade 1984—presente
Página oficial
http://www.anabeanogueira.com.br/

Ana Beatriz Soares Nogueira (Rio de Janeiro, 22 de outubro de 1967) é uma atriz e produtora brasileira. Artista profícua, foi laureada ao longo de sua carreira de quatro décadas com várias premiações, incluindo dois Prêmios Qualidade Brasil, um Molière e o festejado Urso de Prata do Festival de Berlim, além de ter recebido indicações para dois Prêmios Guarani e um Prêmio APTR.

Nogueira iniciou sua carreira no Teatro Amador ao lado de grandes nomes do teatro nacional. Sua estreia profissional foi em Ubu Rei (1984), no mesmo ano em que estreou na televisão na minissérie Santa Marta Fabril S.A., da extinta Rede Manchete.[1] No entanto, foi no cinema em 1987 que ela conseguiu sua primeira consagração artística ao interpretar a personagem principal em Vera, pelo qual ela foi amplamente elogiada, vencendo prêmios de melhor atriz em festivais pelo mundo, em especial o renomado Urso de Prata de Melhor Atriz no Festival Internacional de Cinema de Berlim.

No cinema, Nogueira ainda se destacou em muitas produções durante a década de 1990 e os anos 2000. Ela esteve em personagens importantes nos filmes Matou a Família e Foi ao Cinema (1991), pelo qual foi eleita Melhor Atriz Coadjuvante no Festival de Gramado; no drama jornalístico Jenipapo (1995) como a jornalista "Márcia"; na cinebiografia Villa-Lobos - Uma Vida de Paixão (2000), onde interpretou a pianista Lucília Guimarães e recebeu sua primeira indicação ao Prêmio Guarani de Melhor Atriz Coadjuvante; no suspense Querido Estranho (2002) como "Teresa"; e, na adaptação da obra de Nelson Rodrigues O Vestido (2004), pelo qual novamente foi indicada ao Prêmio Guarani de Melhor Atriz Coadjuvante.

Na televisão, se destacou nas telenovelas. Ela é lembrada por suas atuações em O Rei do Gado (1996), como a integrante do MST "Jacira", e Celebridade (2003), como a ambiciosa "Ana Paula", papel que lhe rendeu dois Prêmios Qualidade Brasil. Nos anos recentes, passou a ser requisitada para personagens mais marcantes em produções da TV Globo, onde se especializou, sobretudo, em interpretar mães possessivas e controladoras, e se tornou uma das atrizes mais populares da teledramaturgia. Entre os seus destaques, incluem-se Caminho das Índias (2009), A Vida da Gente (2011), Saramandaia (2013), Em Família (2014), Além do Tempo (2015), Rock Story (2016), Um Lugar ao Sol (2021) e Todas as Flores (2022).

Formação e início da vida artística

[editar | editar código-fonte]

Nascida no Rio de Janeiro em 22 de outubro de 1967, Ana Beatriz Nogueira começou a estudar atuação no curso do Teatro Amador, onde teve como professores os atores Maria Padilha e Miguel Falabella.[2] Durante a formação no curso, ampliou sua rede de contato no teatro e fez amigos, que a fez ingressar na carreira profissional. A estreia nos palcos aconteceu em 1984 no espetáculo infantil Ubu Rei, peça do escritor francês Alfred Jarry, dirigida e adaptada por Ricardo Kosovski, onde interpretou "Bugrelau".[3][4] No mesmo ano, Nogueira estreou na televisão na minissérie Santa Marta Fabril S.A., produzida pela extinta Rede Manchete, em uma pequena aparição.[5] Dois anos mais tarde, em 1986, foi aprovada em um teste para atuar em sua primeira novela, Mania de Querer, também na Rede Manchete.[6]

1987–91: Vera, Kananga do Japão e Felicidade

[editar | editar código-fonte]

“Sobre o sucesso do filme Vera, Ana Beatriz comentou: "- Eu não esperava ganhar esses prêmios todos a gente torcia para que gostassem do filme. Era um filme radical, avançado para a época, um tema delicado. Foi um sucesso. Em seguida veio o Collor, com o Plano Collor. Eu tinha vários convites para filmes, pouquíssimos saíram. O dinheiro foi confiscado. Eu fiquei muito concentrada em terminar meus estudos.".”

— Ana Beatriz Nogueira, em entrevista ao programa Antenados da Rádio Bandeirantes em 22/01/2023

Em 1986, aos dezenove anos de idade, fez sua estreia no cinema com o filme de drama biográfico Vera, baseado na autobiografia A Queda para o Alto, de Anderson Herzer, onde ela interpretou a protagonista-título. Na trama, que aborda um complexo drama existencial, Nogueira atuou como uma jovem órfã que passa a adolescência em um orfanato onde aos poucos passa a desenvolver uma personalidade masculina e luta para encontrar seu espaço no mundo. O filme foi lançado no Festival de Brasília e logo recebeu aclamação da crítica, sobretudo pela atuação da atriz. O reconhecimento de sua performance a consagrou pelos festivais de cinema no mundo, lhe rendendo prêmios, sendo o mais importante o Urso de Prata de melhor atriz pelo prestigiado Festival de Cinema de Berlim, na Alemanha.[7] Ela ainda foi laureada melhor atriz no Festival de Cinema de Locarno, na Suíça, e no Festival de Cinema de Nantes, na França, bem como também foi eleita a Melhor Atriz de Cinema pelo Prêmio Molière, um dos mais importantes da cultura nacional à época.[8] Naquele mesmo ano, ainda participou do curta-metragem Dama da Noite como Júlia.[9]

No ano de 1988, fez uma participação na minissérie O Pagador de Promessas, no papel de Alícia[10], e voltou aos palcos atuando em duas peças: Maroquinhas Fru Fru, protagonizando no personagem principal ("Maroquinhas Fru-Fru")[11][12], e Flor do Milênio, novamente como protagonista ao lado de Fernando Eiras e Isabel Tereza.[13] Em seguida, voltou a assinar contrato com a Rede Manchete após dois anos para atuar na novela Kananga do Japão, onde interpretou "Alzira", irmã da protagonista "Dora" (Christiane Torloni), a qual faz parte de uma família falida com a quebra da Bolsa de Valores de Nova Iorque, década de 1930.[14] Em 1990, fez uma participação no filme Stelinha, filme protagonizado por Esther Góes que conta a história de uma cantora em decadência após fazer muito sucesso. No longa, ela interpretou "Marta".[15] Naquele mesmo ano, também fez o curta-metragem Meu Vizinho Comprou um Carro.[16]

Em 1991, Ana assinou contrato com a TV Globo novamente, emissora onde ela viria a trabalhar por muitos anos em papéis que a consagraram como uma das atrizes mais populares do Brasil. De volta à emissora global, ela atuou na minissérie O Sorriso do Lagarto, onde interpretou "Evangelina".[17] Na trama de suspense, a personagem dela era uma das mulheres escolhidas para serem realizadas inseminações artificiais criadas pelo médico "Dr. Lúcio Nemésio" (José Lewgoy), o qual pretendia criar uma sub-raça de seres híbridos, com características humanas e de lagartos.[18] Ainda naquele ano, no segundo semestre, estreou nas telenovelas da emissora como "Selma" em Felicidade, de Manoel Carlos.[19] Na trama, sua personagem é filha de "João" (Sebastião Vasconcelos) e "Rosália" (Regina Dourado), sendo uma jovem que sonha em casar mas não consegue um pretendente por ser considerada "feia" e "sem graça".[19] Também no mesmo ano, fez sua quinta participação no cinema, no filme Matou a Família e Foi ao Cinema, que lhe rendeu o prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante no Festival de Gramado.[20][21]

1992–99: As Noivas de Copacabana, O Rei do Gado e Anjo Mau

[editar | editar código-fonte]

Em 1992, deu vida a um de seus personagens mais marcantes, "Fátima" na minissérie As Noivas de Copacabana, que contava a história de um assassino em série de noivas. Na trama, ela é uma das vítimas de "Donato Menezes" (Miguel Falabella), uma mulher simples e filha de um pregador evangélico.[22] Em seguida, em 1993, foi destaque no espetáculo Othello, A Sombra de uma Dúvida.[23] Em 1994, atuou em uma montagem de O Homem sem Qualidades, uma leitura da obra-prima do escritor austríaco Robert Musil, ao lado de Betty Gofman, Daniel Dantas, Lucélia Santos e Silvia Buarque.[24] No ano seguinte, foi convidada para atuar no filme Jenipapo (1995), da cineasta Monique Gardenberg, um drama que aborda conflitos éticos de um jornalista norte-americano ao investigar um caso brasileiro, onde ela interpretou a jornalista "Márcia".[25] No mesmo ano, fez participações no seriado Você Decide nos episódios "Veneno Ambiente" e "O Jogador".[26]

No ano de 1996, foi escalada para viver "Jacira Pereira" na telenovela O Rei do Gado, um de seus primeiros grandes sucessos na televisão.[27] Na trama, impulsionada pelos movimentos de reforma agrária no país, ela deu vida a uma integrante do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), que lutava ao lado do marido, "Regino Pereira" (Jackson Antunes), por um pedaço de terreno para produzir e morar.[28] Também participou da segunda temporada de Malhação como "Beth". Em 1997, interpretou "Ana" no curta-metragem Dois na Chuva[29] e foi escalada para uma participação na novela Anjo Mau, como "Eduarda", que entra na trama para competir em um rali com "Luís Carlos" (Márcio Garcia) e acaba tendo envolvimento amoroso com "Ciro" (Raul Gazolla).[30]

Entre 1998 e 1999, esteve em cartaz no teatro com a peça Três Irmãs, uma adaptação de Bia Lessa que trazia Renata Sorrah, Deborah Evelyn e Lorena da Silva como três irmãs que sonhavam em voltar para Moscou, na Rússia, mas têm seus planos atrapalhados por uma série de fatores, incluindo a chegada de "Natasha", personagem de Ana Beatriz Nogueira, no convívio da família.[31] Com o fim da temporada teatral, ela recebeu convite para voltar à televisão na telenovela Andando nas Nuvens em uma participação especial como "Marta".[32]

2000–07: Villa-Lobos, Celebridade, A Casa das Sete Mulheres e Essas Mulheres

[editar | editar código-fonte]

No início do novo milênio, em 2000, Nogueira voltou ao cinema na cinebiografia Villa-Lobos - Uma Vida de Paixão, que conta a história de vida de Heitor Villa-Lobos, o mais importante compositor do Brasil e da América Latina. Na trama, interpretou a amargurada Lucília Guimarães, pianista e professora de música que foi casada com Villa-Lobos, interpretado por Antônio Fagundes na obra.[33] A performance da atriz conquistou elogios da crítica especializada e lhe rendeu indicação prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante no Prêmio Guarani de Cinema, o mais importante da crítica cinematográfica nacional.[34] Nesse ano, ela também viria a conquistar elogio da crítica no teatro por interpretar Satã em Macário, espetáculo produzido por Caio Blat e Preta Gil, e com direção de Otávio Muller. Na peça, ela interpretou um dos três traços de personalidades de Álvares de Azevedo, um dos expoentes do Romantismo do século XIX.[35] Em 2001, fez participação especial em Copacabana, filme de Carla Camuratti. [36]

Em 2001, foi convidada para mais uma participação especial em novelas, dessa vez em Estrela-Guia. Ainda nesse ano, foi escalada para a peça A Memória da Água, como "Catarina", fazendo parte do trio de protagonistas composto ainda por Andrea Beltrão e Eliane Giardini, numa trama em que conta a história de três irmãs que se reencontram após a morte da mãe.[37] O espetáculo ficou em cartaz até 2002.[38] Ainda em 2002, ela desempenhou papéis em três filmes: a cinebiografia da atriz Odete Lara, Lara, o documentário Poeta de Sete Faces e do drama Querido Estranho.[39][40][41] Também em 2002, escreveu e dirigiu o curta-metragem Furos no Sofá.

Em 2003, atuou na minissérie histórica A Casa das Sete Mulheres, como a mãe "Rosa Moreira", papel que lhe rendeu uma indicação de Melhor Atriz Coadjuvante no Prêmio Qualidade Brasil - RJ.[42] Seu próximo papel em telenovelas seria talvez um dos mais importantes em toda sua carreira na televisão até então. "Ana Paula Diniz" na novela Celebridade (2003), uma mulher falsa e invejosa, irmã da protagonista "Maria Clara Diniz" (Malu Mader), a qual ela explora o quanto pode.[43][44] A performance como a ambiciosa lhe rendeu os prêmios de Melhor Atriz Coadjuvante no Prêmio Qualidade Brasil, em ambas edições da premiação em São Paulo e no Rio de Janeiro.[45] Em 2004, encarnou na aeromoça-chefe "Ânia" na série Sob Nova Direção, no episódio "O Pavor Está no Ar".[46]

Ainda em 2004, atuou no filme de drama O Diabo a Quatro, como "Andréa".[47] Também em 2004 estreou nos cinemas o filme O Vestido, lançado inicialmente em 2003 no Festival de Cinema Latino-Americano de Huelva. Protagonizado por Ana Beatriz e Gabriela Duarte, o filme é livremente inspirado no poema "Caso do Vestido", de Carlos Drummond de Andrade de 1945.[48] A performance dela foi elogiada pela crítica novamente, lhe rendendo sua segunda indicação de Melhor Atriz Coadjuvante no Prêmio Guarani de Cinema.[49] Ela ainda protagonizou a peça Mais Uma Vez Amor ao lado de Marcos Palmeira, com apresentação em Portugal.[50]

Em 2005, assinou contrato com a RecordTV para interpretar Leocádia na telenovela Essas Mulheres.[51] Na trama, ela interpretou a mãe de "Mila" (Miriam Freeland), uma das três protagonistas da trama, com quem tem sérios problemas.[52] Por esse trabalho, ela recebeu uma indicação de melhor atriz coadjuvante no Prêmio Contigo! de TV.[53] No ano seguinte, atuou em Bicho do Mato como "Lili", sendo sua última aparição na emissora.[54] Em 2006, fez sua última aparição nas telonas do cinema em Mulheres do Brasil.[55] No mesmo ano, mais uma peça Leitor Por Horas. Em 2007, trabalhou no espetáculo Fala Baixo Senão Eu Grito, onde esteve como atriz e produtora.[56]

2008–14: Ciranda de Pedra, Caminho das Índias, A Vida da Gente e Em Família

[editar | editar código-fonte]

Em 2008, voltou à TV Globo iniciando uma sequência prolífica de diversos personagens importantes em telenovelas, especializando-se em interpretar mães problemáticas com situações conflituosas com seus filhos.[57] No remake de Ciranda de Pedra (2008), interpretou a vilã "Frau Herta".[58][59] No ano seguinte, em Caminho das Índias, mudou seu visual para interpretar a ambiciosa "Ilana", par romântico de "César" (Antônio Calloni).[60] Durante as gravações da novela, a atriz revelou que começou a ter os primeiros sintomas de esclerose múltipla, doença que mantém controlada com medicamentos e que não a impede de trabalhar.[61]

Em 2010, interpretou cinco personagens ao mesmo tempo no espetáculo Tudo que eu queria te Dizer.[62][63] Entre as apresentações da peça, ela atuou na primeira etapa da novela Insensato Coração, como "Clarice Cortez", uma mulher que tem sua vida transformada após descobrir as traições de seu marido "Horácio Cortez" (Herson Capri). A personagem sai da trama após a descoberta da traição, mas a rápida passagem da atriz pela produção lhe rendeu muitos elogios e a indicação ao Prêmio Quem de Melhor Atriz de Televisão.[64] Após esse trabalho, viajou o país com o espetáculo Tudo que eu queria te Dizer.[64]

Em 2011, recebeu o convite para um de seus personagens mais marcantes na televisão. "Eva", uma das protagonistas da novela A Vida da Gente, uma mãe narcisista que tem graves conflitos com as filhas "Ana" (Fernanda Vasconcellos) e "Manuela" (Marjorie Estiano).[65] O papel é descrito como um dos melhores trabalhos da atriz na televisão. Segundo o jornalista Sergio Santos do TV História, ela "conseguiu driblar todas as armadilhas do papel e soube usar o primoroso texto de Lícia Manzo da melhor forma" e "entendeu a humanidade de um tipo que apresenta muito mais o lado ruim do que o bom".[66]

Em 2012, interpretou a socialite "Rachel" em Salve Jorge, personagem que acaba sendo morta pela vilã "Lívia Marine" (Cláudia Raia) no meio da trama.[67][68] Antes mesmo de terminar a participação em Salve Jorge, já tinha personagem definido no remake de Saramandaia (2013), onde interpretou a escandalosa Maria Aparadeira, personagem de Eloísa Mafalda na primeira versão da novela.[69][70] Em 2014, interpretou a controladora "Selma" na novela Em Família, mãe do vilão "Laerte" (Gabriel Braga Nunes) que sofre de senilidade precoce. Ela se inspirou em sua tia para compor a personagem, que à época tinha 73 anos e portava a doença de sua personagem há muito tempo.[71] Também em 2014, protagonizou o espetáculo Uma Relação Pornográfica, recebendo aclamação da crítica e indicação a vários prêmios.[72]

2015–19: Além do Tempo, Rock Story e O Sétimo Guardião

[editar | editar código-fonte]

Em 2015, estrelou o monólogo Um Pai (Puzzle) como "Sibylle Lacan", ficando em cartaz por três temporadas até 2017.[73] Também nesse ano, fez uma rápida aparição em Babilônia como a esposa de "Carlos Alberto" (Herson Capri) e deu vida a "Emília", um dos personagens centrais da novela Além do Tempo. Esse último trabalho tornou-se um dos principais de sua carreira. Na trama, com temática espírita, ela deu vida a uma mulher amargurada que traz conflitos de uma vida passada com sua mãe, "Vitória" (Irene Ravache), e sua filha, "Livia" (Alinne Moraes).[74][75]

Em 2016, foi escalada para a novela das sete Rock Story, interpretando a cômica "Dona Néia", personagem com estilo de atuação diferente do últimos personagens de carga dramática em sua carreira.[76] Na trama, ela é uma suburbana que enriquece após o sucesso musical do filho "Léo Régis" (Rafael Vitti).[77] Em 2016, retornou na peça Tudo que Eu Queria Te Dizer com os cinco papéis, encerrando este decênio nos espetáculos Mordidas (2018), Um Dia a Menos (2019) e Relâmpago Cifrado (2019).[78][79][80] Em 2018, esteve no elenco de Malhação: Vidas Brasileiras como a rica "Isadora Mantovani" mas logo em seguida deixou a produção para atuar na novela das nove O Sétimo Guardião, onde interpretou uma das guardiãs da fonte que protege a fictícia cidade da trama, "Ondina Aballo".[81][82]

2020–presente: Um Lugar ao Sol, Todas as Flores e trabalhos recentes

[editar | editar código-fonte]

Em 2021, Ana Beatriz voltou às novela em Um Lugar ao Sol como a fútil e egoísta "Elenice". Na trama, ela interpreta a mãe adotiva de "Renato" (Cauã Reymond), que sempre foi complacente com as atitudes erradas do filho rebelde. Em dezembro de 2021, a atriz cancelou uma peça no Teatro dos Quatro, na zona sul do Rio de Janeiro, em protesto contra Sergio Moro. No mesmo dia da peça, seria realizado um evento pró Sérgio Moro, o teatro negou qualquer relação direta com o evento, já que o espaço foi alugado.[83]

Em 2022, foi escalada para o elenco da novela Todas as Flores, novela de João Emanuel Carneiro exibida pelo Globoplay, onde interpretou "Guiomar", dona de uma empresa milionária da moda que é traída pelo marido "Humberto" (Fábio Assunção) com a amiga "Zoé" (Regina Casé).[84] Em 2023, voltou aos palcos encenando o monólogo Um Dia a Menos., baseada em um dos últimos contos de Clarice Lispector que conta a vida da solitária "Margarida". [85]

Ano Título Personagem Notas
1984 Santa Marta Fabril S.A.[86] Fabiana Lopes
1986 Mania de Querer Teca
1988 O Pagador de Promessas Alícia
1989 Kananga do Japão Alzira
1991 O Sorriso do Lagarto Evangelina
Felicidade Selma
1992 As Noivas de Copacabana Fátima Reis
1995 Você Decide Episódio: "Veneno Ambiente"
Episódio: "O Jogador"
1996 O Rei do Gado Jacira
1997 Anjo Mau Maria Eduarda Rezende Medeiros (Duda)
1999 Andando nas Nuvens Marta
2001 Estrela-Guia Esperança
2003 A Casa das Sete Mulheres Dona Rosa
Celebridade Ana Paula Diniz Moutinho
2004 Sob Nova Direção Comissária Ania Episódio: "O Pavor Está no Ar"
2005 Essas Mulheres Leocádia Duarte
2006 Bicho do Mato Lili Sampaio
2008 Ciranda de Pedra Frau Herta
2009 Caminho das Índias Ilana Gallo Goulart
2011 Insensato Coração Clarice Cortez[87][88] Episódios: "19 de fevereiro–28 de abril"
A Vida da Gente Eva Fonseca[89]
2012 Salve Jorge Rachel Flores Galvão
2013 Saramandaia Maria Aparecida Moreira (Maria Aparadeira)
2014 Em Família Selma Proença Fernandes[90][91]
2015 Babilônia Esposa de Carlos Alberto[92] Episódio: "12 de maio"
Além do Tempo Emília Diffiori
Emília Beraldini[93][94]
2016 Rock Story Aldinéia da Conceição (Néia)[95]
2018 Malhação: Vidas Brasileiras Isadora Mantovani[96] Episódios: "7 de março–26 de junho"
O Sétimo Guardião Ondina Aballo[97]
2021 Um Lugar ao Sol Elenice Muniz Meirelles[98]
2022 Todas as Flores Guiomar Martínez[99] Episódios: "1–14"
2024 Mania de Você Moema [100]
Ano Título Personagem Nota
1987 Vera Vera / Bauer[101]
Dama da Noite Júlia[102] Curta-metragem
1990 Stelinha
Meu Vizinho Comprou um Carro Jornalista[103] Curta-metragem
1991 Matou a Família e Foi ao Cinema Esposa jovem
1995 Jenipapo Márcia
1997 Dois na Chuva Ana[104] Curta-metragem
2000 Villa-Lobos - Uma Vida de Paixão Lucília
2001 Copacabana Salete (jovem)
2002 Lara Marta
Poeta de Sete Faces
Querido Estranho Teresa
2004 O Diabo a Quatro Andréa
O Vestido Angela
2006 Mulheres do Brasil Mãe de Ana
Ano Título Personagem
1984 Ubu Rei Bugrelau[105]
1988 Maroquinhas Fru-Fru[106]
Flor do Milênio[106]
1993 Othello, A Sombra de uma Dúvida[107]
1994 O Homem sem Qualidades[24]
1998–99 As Três Irmãs Natasha[108]
2000 Macário Satã[109]
2001–02 A Memória da Água Catarina
2004 Mais uma Vez Amor Lia[110]
2006 Leitor Por Horas Moça Cega[111]
2007 Fala Baixo Senão Eu Grito Atriz e Produtora[112]
2010–12 Tudo que eu queria te Dizer Cinco papéis[62]
2014 Uma Relação Pornográfica Mulher[113]
2015–17 Um Pai (Puzzle) Sibylle Lacan / Ela mesma[114]
2016 Tudo que eu queria te Dizer Cinco papéis[115]
2018 Mordidas Zulma
2019 Um Dia a Menos Margarida
2019 Relâmpago Cifrado Médica A
2024 Sra. Klein Melanie Klein[116]

Outros projetos

[editar | editar código-fonte]
Ano Título Papel Nota
2002 Furos no Sofá Direção e Autora Curta-metragem[117]
2009 Pelo Sabor do Gesto - Em Cena Direção Show
2017 Cinco Tiros em John Lennon Direção Peça de Teatro[118]
2018 Extravios Direção e Autoria Show[119]

Prêmios e indicações

[editar | editar código-fonte]
Ano Prêmio Categoria Nomeações Resultado
1986 Festival de Cinema de Brasília[120] Melhor Atriz
Vera
Venceu
1987 Festival Internacional de Cinema de Berlim Melhor Atriz Venceu
Festival de Nantes Melhor Atriz (Júri Oficial) Venceu
Melhor Atriz (Júri Popular) Venceu
Prêmio Molière do Cinema Brasileiro Melhor Atriz Venceu
Festival do Locarno Melhor Atriz (Prêmio Especial do Júri) Venceu
1991 Festival de Cinema de Gramado Melhor Atriz Coadjuvante
Matou a Família e Foi ao Cinema
Venceu
2001 Prêmio Guarani de Cinema Brasileiro Melhor Atriz Coadjuvante
Villa-Lobos - Uma Vida de Paixão
Indicado
2002 Festival Goiânia Mostra Curtas[121] Melhor Direção
Furos no Sofá
Venceu
2003 Prêmio Arte Qualidade Brasil RJ Melhor Atriz Coadjuvante
A Casa das Sete Mulheres
Indicado
2004 Prêmio Globo de Melhores do Ano Melhor Atriz Coadjuvante
Celebridade
Indicado
Prêmio Arte Qualidade Brasil RJ[120] Melhor Atriz Coadjuvante Venceu
Prêmio Arte Qualidade Brasil SP Venceu
2005 Prêmio Guarani de Cinema Brasileiro Melhor Atriz Coadjuvante
O Vestido
Indicado
2006 Prêmio Contigo! de TV[53] Melhor Atriz Coadjuvante
Essas Mulheres
Indicada
2009 Prêmio Contigo! de TV[122] Melhor Atriz de Novela
Ciranda de Pedra
Indicada
Prêmio Arte Qualidade Brasil[123] Melhor Atriz Coadjuvante
Caminho das Índias
Indicado
Prêmio Extra de Televisão[124] Melhor Atriz Coadjuvante Indicado
2011 Prêmio Quem de Televisão Melhor Atriz
Insensato Coração
Indicado
2014 Prêmio Questão de Crítica[125] Melhor Atriz
Uma Relação Pornográfica
Indicado
Prêmio Cesgranrio de Teatro[126] Melhor Atriz Indicado
Prêmio FITA - Festival Internacional de Teatro[127] Melhor Atriz Indicado
2015 Prêmio Extra de Televisão[128] Melhor Atriz Coadjuvante
Além do Tempo
Indicado
Prêmio Cesgranrio de Teatro[129] Melhor Atriz
Um Pai (Puzzle)
Indicado
2016 Prêmio APTR de Teatro[130] Melhor Atriz Indicado
2017 Troféu UOL TV e Famosos[131] Melhor Atriz
Rock Story
Indicado
2019 Prêmio Cesgranrio de Teatro[132] Melhor Atriz
Relâmpago Cifrado
Indicado
Prêmio Botequim Cultural de Teatro[133] Melhor Atriz de Drama/ Comédia Indicado
2020 Veja Rio - Cariocas do Ano[134] Teatro
Teatro Já
Venceu
Prêmio Faz Diferença - O Globo[135] Segundo Caderno/ Audiovisual Indicada
2022 Prêmio APTR[136] Categoria Especial
Teatro Sem Bolso
Venceu
2024 Prêmio APTR de Teatro[137] Melhor Atriz em Papel Protagonista
Sra. Klein
Pendente

Referências

  1. «Ana Beatriz Nogueira». Pró-TV. Consultado em 29 de agosto de 2020 
  2. «Quem - Ana Beatriz Nogueira». Quem. Consultado em 29 de agosto de 2020 
  3. «1984 - Ubu Rei». Centro Brasileiro Teatro para a Infância e Juventude (em inglês). 13 de setembro de 2017. Consultado em 7 de março de 2023 
  4. «Ubu Rei - 1984». O Tablado. Consultado em 29 de agosto de 2020. Cópia arquivada em 8 de junho de 2016 
  5. Xavier, Nilson. «Santa Marta Fabril S.A.». Teledramaturgia. Consultado em 28 de agosto de 2020 
  6. Xavier, Nilson. «Mania de Querer». Teledramaturgia. Consultado em 28 de agosto de 2020 
  7. Globo, Acervo-Jornal O. «Em sua estreia no cinema, Ana Beatriz Nogueira conquista o Urso de Prata». Acervo. Consultado em 7 de março de 2023 
  8. «Filmografia - Vera». Cinemateca brasileira. Consultado em 28 de agosto de 2020 
  9. «Damas da Noite». Cine Luz. Consultado em 28 de agosto de 2020 
  10. Xavier, Nilson. «O Pagador de Promessas». Teledramaturgia. Consultado em 28 de agosto de 2020 
  11. «1988 - Maroquinhas Fru-Fru». Centro Brasileiro Teatro para a Infância e Juventude (em inglês). 18 de dezembro de 2017. Consultado em 7 de março de 2023 
  12. «Maroquinhas Fru-Fru». Enciclopédia Itáu Cultural. Consultado em 29 de agosto de 2020 
  13. «FLOR do Milênio. São Paulo: Itaú Cultural, 2023.». ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileira. Consultado em 7 de março de 2023 
  14. Xavier, Nilson. «Kananga do Japão». Teledramaturgia. Consultado em 28 de agosto de 2020 
  15. «Filmografia - Stelinha». Cinemateca brasileira. Consultado em 28 de agosto de 2020 
  16. «Filmografia - Meu Vizinho Comprou um Carro». Cinemateca brasileira. Consultado em 28 de agosto de 2020 
  17. Xavier, Nilson. «O Sorriso do Lagarto». Teledramaturgia. Consultado em 28 de agosto de 2020 
  18. «O Sorriso do Lagarto». memoriaglobo. Consultado em 7 de março de 2023 
  19. a b «Personagens - Felicidade». Memória Globo. Consultado em 28 de agosto de 2020 
  20. Disner, Elton. «1991». 50° Festival de Cinema de Gramado. Consultado em 7 de março de 2023 
  21. «Filmografia - Matou a Família e Foi ao Cinema». Consultado em 28 de agosto de 2020 
  22. Trigo, Mariana (7 de julho de 2012). «'As Noivas de Copacabana' completa 20 anos de estreia». Terra. Consultado em 28 de agosto de 2020 
  23. «Othello - A Sombra de uma Dúvida». Todo Teatro Carioca. Jornal do Brasil. 4 de novembro de 2016. Consultado em 29 de agosto de 2020 
  24. a b «Bia Lessa monta 'Homem sem Qualidades'». Biblioteca Folha. 1 de junho de 1994. Consultado em 27 de março de 2017 
  25. «Filmografia - Jenipapo». Cinemateca brasileira. Consultado em 28 de agosto de 2020 
  26. Xavier, Nilson. «Você Decide». Teledramaturgia. Consultado em 28 de agosto de 2020 
  27. Guerini, Elaine (20 de outubro de 1996). «Ana Beatriz faz sem-terra séria». Folha de S.Paulo. Consultado em 28 de agosto de 2020 
  28. FARAD, DANIEL (9 de janeiro de 2023). «Senador Caxias, MST e PT: Por que O Rei do Gado é ainda mais atual em 2023?». Notícias da TV. Consultado em 7 de março de 2023 
  29. «Dois na Chuva». Portal Curtas. Consultado em 28 de agosto de 2020 
  30. «Folha de S.Paulo - Novela: "Anjo Mau" ganha novos personagens - 11/01/98». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 7 de março de 2023 
  31. Sucursal do Rio (9 de outubro de 1998). «"As Três irmãs" retrata cotidiano». Folha de S.Paulo. Consultado em 29 de agosto de 2020 
  32. Xavier, Nilson. «Andando nas Nuvens». Teledramaturgia. Consultado em 28 de agosto de 2020 
  33. «Bom para ouvir». ISTOÉ Independente. 19 de abril de 2000. Consultado em 28 de agosto de 2020 
  34. «6° Prêmio Guarani :: Premiados de 2000». Papo de Cinema. Consultado em 7 de março de 2023 
  35. «Folha Online - Ilustrada - Caio Blat leva "Macário" para o palco a partir desta quinta em SP - 14/09/2000». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 7 de março de 2023 
  36. «Filmografia - Copacabana». Cinemateca brasileira. Consultado em 28 de agosto de 2020 
  37. «Folha de S.Paulo - "A Memória da Água" investiga narrativa - 06/04/2001». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 7 de março de 2023 
  38. «"A Memória da Água" leva ao palco conflitos femininos». O Estado de S.Paulo. 10 de janeiro de 2002. Consultado em 29 de agosto de 2020 
  39. «Lara». Canal Curta!. Consultado em 28 de agosto de 2020 
  40. Camargo, Maria Silvia (6 de novembro de 2002). «Poeta de Sete Faces». Consultado em 28 de agosto de 2020 
  41. Couto, José Geraldo (14 de agosto de 2002). «Crítica: "Querido Estranho" é uma sessão de terapia familiar». Folha de S.Paulo. Consultado em 28 de agosto de 2020 
  42. «Saiba como foi o último capítulo de A Casa das Sete Mulheres». Terra. 9 de abril de 2003. Consultado em 28 de agosto de 2020 
  43. Xavier, Nilson. «Celebridade». Teledramaturgia. Consultado em 28 de agosto de 2020 
  44. «Personagens». memoriaglobo. Consultado em 7 de março de 2023 
  45. «Celebridade». Memória Globo. Consultado em 29 de agosto de 2020. A fonte menciona o prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante pelo Prêmio Arte Qualidade Brasil 
  46. Dantas, Luiza (14 de outubro de 2004). «Nas alturas». Correio Braziliense. Consultado em 28 de agosto de 2020 
  47. Hessel, Marcelo (14 de julho de 2005). «O Diabo a Quatro». Omelete. Consultado em 28 de agosto de 2020 
  48. «Sessão Brasil tem Gabriela Duarte em O Vestido, nesta segunda, dia 21». Rede Globo filmes. 21 de março de 2011. Consultado em 28 de agosto de 2020 
  49. «10° Prêmio Guarani :: Premiados de 2004». Consultado em 30 de agosto de 2021 
  50. «Marcos Palmeira e Ana Beatriz Nogueira se apresentam em Portugal - 19/10/2004 - UOL Últimas Notícias». noticias.uol.com.br. Consultado em 7 de março de 2023 
  51. Xavier, Nilson. «Essas Mulheres». Teledramaturgia. Consultado em 28 de agosto de 2020 
  52. «Conheça os personagens de Essas Mulheres». R7.com. 20 de julho de 2018. Consultado em 7 de março de 2023 
  53. a b «Record concorre em 12 categorias, em premiação». O Fuxico. Consultado em 9 de junho de 2018 
  54. «Conheça os personagens de Bicho do Mato». R7 Bicho do Mato. Consultado em 28 de agosto de 2020 
  55. Fuks, Érico (9 de março de 2006). «Mulheres do Brasil». Omelete. Consultado em 28 de agosto de 2020 
  56. «Fala Baixo Senão Eu Grito». Enciclopédia Itaú Cultural. Consultado em 29 de agosto de 2020 
  57. «Ana Beatriz Nogueira sobre ser uma mãe equilibrada em Todas as Flores: 'Alguém que não faço há algum tempo'». gshow. Consultado em 7 de março de 2023 
  58. Leitão, Gustavo (26 de maio de 2008). «Ana Beatriz Nogueira volta a viver uma vilã com a governanta de 'Ciranda de pedra'». Extra. Consultado em 28 de agosto de 2020 
  59. «Final Ciranda de Pedra: Natércio mata Frau Herta e vai preso». NaTelinha. Consultado em 7 de março de 2023 
  60. «Caminho das Índias – Diário de Produção » Ilana». Consultado em 7 de março de 2023 
  61. «Ana Beatriz Nogueira revela que sofre de esclerose múltipla: 'Achei que era o fim'». Notícias da TV. 4 de fevereiro de 2018. Cópia arquivada em 4 de fevereiro de 2018 
  62. a b «turnê popular do espetáculo TUDO QUE EU QUERIA TE DIZER, com a atriz Ana Beatriz Nogueira». Teatro Sesi. 19 de maio de 2012. Consultado em 27 de março de 2017 
  63. «Atriz Ana Beatriz Nogueira apresenta comédia romântica no Teatro Sesi». Teatro Sesi. 19 de maio de 2012. Consultado em 29 de agosto de 2020 
  64. a b «Ana Beatriz Nogueira dá adeus a Clarice». Insensato Coração. Consultado em 7 de março de 2023 
  65. «'Eva é uma vilã das boas', afirma Ana Beatriz Nogueira sobre a mãe obsessiva que interpreta em 'A vida da gente'». Extra Online. Consultado em 7 de março de 2023 
  66. Santos, Sergio (1 de julho de 2021). «Mãe narcisista de A Vida da Gente foi o melhor papel de Ana Beatriz Nogueira na TV». TV História. Consultado em 7 de março de 2023 
  67. «Mais uma vítima! Rachel é assassinada por Lívia com injeção letal». Salve Jorge. Consultado em 7 de março de 2023 
  68. Santiago, Anna Luiza (7 de março de 2013). «Ana Beatriz Nogueira vai deixar 'Salve Jorge': personagem morrerá». Patrícia Kogut. Consultado em 28 de agosto de 2020 
  69. «Ana Beatriz Nogueira já tem papel definido em "Saramandaia"». Quem. Consultado em 7 de março de 2023 
  70. Ricco, Flávio (20 de março de 2013). «Ana Beatriz Nogueira sai de "Salve Jorge" para papel de parteira em "Saramandaia"». UOL TV e Famosos. Consultado em 28 de agosto de 2020 
  71. «"Em Família": Ana Beatriz Nogueira fala em quem se inspirou para papel». NaTelinha. 27 de abril de 2014. Consultado em 28 de agosto de 2020 
  72. Teixeira, Rafael (17 de outubro de 2014). «Uma relação pornográfica aborda os relacionamentos». Veja Rio. Consultado em 29 de agosto de 2020 
  73. Reis, Luiz Felipe (21 de fevereiro de 2015). «Ana Beatriz Nogueira estreia o solo 'Um pai (puzzle)', no CCBB». O Globo. Consultado em 29 de agosto de 2020 
  74. «Ana Beatriz Nogueira interpreta Emília em Além do Tempo | personagem». gshow. Consultado em 7 de março de 2023 
  75. «Alinne Moraes dança com Ana Beatriz Nogueira em camarim». Vogue. 29 de novembro de 2019. Consultado em 29 de agosto de 2020 
  76. Bittencourt, Carla (5 de junho de 2017). «Ana Beatriz Nogueira comemora Néia, de 'Rocky Story': 'Diversão'». Extra. Telinha. Consultado em 28 de agosto de 2020 
  77. «Nilson Xavier - Ana Beatriz Nogueira é o maior destaque em "Rock Story"». tvefamosos.uol.com.br. Consultado em 7 de março de 2023 
  78. Júdice, Fábio (7 de abril de 2018). «Zélia Duncan, Regina Braga, Luciana Braga e Ana Beatriz Nogueira estreiam neste sábado (7) a peça 'Mordidas'». G1. Consultado em 29 de agosto de 2020 
  79. Nunes, Leandro (5 de maio de 2016). «Ana Beatriz Nogueira encarna relatos femininos em nova peça». O Estado de S.Paulo. Consultado em 29 de agosto de 2020 
  80. Cunha, Gustavo (7 de setembro de 2019). «'Um dia a menos', peça com Ana Beatriz Nogueira, faz adaptação de conto de Clarice Lispector». O Globo. Consultado em 29 de agosto de 2020 
  81. «Ana Beatriz Nogueira deixa "Malhação" e recebe homenagem de autora e diretora». NaTelinha. 2 de junho de 2018. Consultado em 28 de junho de 2020 
  82. Ricco, Flávio (18 de abril de 2019). «Ana Beatriz Nogueira se despede de "O Sétimo Guardião" na próxima semana». UOL TV e Famosos. Consultado em 28 de agosto de 2020 
  83. Sergio Moro x atriz da Globo: Ana Beatriz Nogueira cancela peça em teatro em protesto a evento (vídeo). Brasil: UOL (YouTube). Consultado em 10 de dezembro de 2021 
  84. «Ana Beatriz Nogueira fala da cura do câncer - Patrícia Kogut, O Globo». Patrícia Kogut. Consultado em 7 de março de 2023 
  85. «Ana Beatriz Nogueira fala sobre vida discreta: "Paparazzo fica deprimido"». www.band.uol.com.br. Consultado em 7 de março de 2023 
  86. Redação Contigo!. «Teledramaturgia - Santa Marta Fabril». Teledramaturgia. Consultado em 11 de janeiro de 2011 
  87. Redação Contigo! (2010). «Clarice Cortez - Quem é Quem - Insensato Coração». Contigo!. Abril.com. Consultado em 11 de janeiro de 2011 [ligação inativa]
  88. «Ana Beatriz Nogueira». IMDb. Consultado em 20 de janeiro de 2022 
  89. Redação Rede Globo (26 de agosto de 2011). «A Vida da Gente: Direto da Argentina, Ana Beatriz Nogueira apresenta Eva». Globo.com 
  90. Patrícia Kogut (15 de agosto de 2013). «Ana Beatriz Nogueira fará próxima novela de Maneco». O Globo. Consultado em 16 de junho de 2014 
  91. Natália Boere (25 de agosto de 2013). «Ana Beatriz Nogueira será mãe de Gabriel Braga Nunes em próxima novela das 21h, de Manoel Carlos». Extra. Consultado em 16 de junho de 2014 
  92. «'Babilônia' reutiliza cena de acidente de carro exibida em 'Insensato Coração'» 
  93. Lígia Mesquita; Victoria Azevedo (6 de maio de 2015). «Trama das 18h terá romance que ressurge após 150 anos». Folha de S. Paulo. Outro Canal. Consultado em 13 de maio de 2015 
  94. Regina Rito (27 de maio de 2015). «'Sete Vidas': Miguel Larga mulher e filho novamente». O Dia. Consultado em 27 de maio de 2015. Veja o subtítulo Mulher pobre sofre com ira de Condessa. 
  95. http://noticiasdetv.com/2016/10/14/ana-beatriz-nogueira-e-neia-na-novela-rock-story-nova-das-19h/
  96. http://noticiasdetv.com/2018/03/02/ana-beatriz-nogueira-e-isadora-em-malhacao-vidas-brasileiras-que-estreia-dia-7
  97. Fernando Berenguel (23 de março de 2018). «Escalada para O Sétimo Guardião, Ana Beatriz Nogueira afirma sobre Aguinaldo Silva: "Eu queria fazer uma novela deste homem"». Observatório da Televisão. Consultado em 20 de maio de 2018 
  98. Marcelle Carvalho (28 de setembro de 2021). «'Um Lugar ao Sol': Ana Beatriz Nogueira tem relação tensa com Cauã Reymond». UOL. Consultado em 16 de outubro de 2021 
  99. Juliana Dracz (17 de junho de 2022). «Ana Beatriz Nogueira dá detalhes de sua personagem em 'Todas as Flores', novela do Globoplay». Observatório da TV. Consultado em 30 de junho de 2022 
  100. Pavão, Filipe (30 de maio de 2024). «Amigas ou inimigas? Agatha Moreira e Gabz travam embate em 'Mania de Você'». Uol. Consultado em 3 de junho de 2024 
  101. Cinemateca Brasileira, Vera [em linha]
  102. «Damas da Noite - Cineluz». Cine Luz. 1987. Consultado em 27 de março de 2017 
  103. «Meu Vizinho Comprou um Carro. Curta-metragem de Marcus Vinícius Cezar». Cinemateca. 1990. Consultado em 27 de março de 2017 
  104. «Dois na Chuva. Curta-metragem de Miguel Przewodowski com Ana Beatriz Nogueira». Curta Agora. 1997. Consultado em 27 de março de 2017 
  105. «UBU REI – 1984 - O Tablado». O Tabaldo. 1984. Consultado em 25 de março de 2017 
  106. a b «ana beatriz nogueira - Encilopedia Itau». Enciclopedia Itau. Consultado em 28 de março de 2017 
  107. «othello - a sombra de uma dúvida - Todo Teatro Carioca -». Todo Teatro Carioca. 1993. Consultado em 27 de março de 2017 
  108. «Folha de S.Paulo - "As Três irmãs" retrata cotidiano». Folha de S.Paulo. 9 de outubro de 1998. Consultado em 27 de março de 2017 
  109. «Caio Blat leva "Macário" para o palco». Folha Online. 14 de setembro de 2000. Consultado em 27 de março de 2017 
  110. «Marcos Palmeira e Ana Beatriz Nogueira se apresentam em Portugal». Bol. 19 de outubro de 2004. Consultado em 27 de março de 2017 
  111. «Folha de S.Paulo - Teatro/Crítica: "Leitor por Horas" é imperdível». Folha de S.Paulo. 16 de maio de 2006. Consultado em 27 de março de 2017 
  112. «Fale Baixo Senão Eu Grito». Consultado em 10 de junho de 2013 
  113. «Uma Relação Pornográfica aborda os relacionamentos». VEJA Rio. 17 de outubro de 2014. Consultado em 27 de março de 2017 
  114. «Ana Beatriz Nogueira estreia o solo 'Um pai (puzzle)', no CCBB». O Globo. 21 de fevereiro de 2015. Consultado em 27 de março de 2017 
  115. «Ana Beatriz Nogueira encarna relatos femininos em nova peça». Cultura Estadão. 2016. Consultado em 27 de março de 2017 
  116. «Peça sobre Melanie Klein reestreia em São Paulo | Na Plateia». VEJA SÃO PAULO. Consultado em 16 de junho de 2024 
  117. «40ª Mostra Internacional de Cinema - Filme - Furos No Sofá». 40ª Mostra Internacional de Cinema. 2002. Consultado em 27 de março de 2017 
  118. «40ª Mostra Internacional de Cinema - Filme - Furos No Sofá». Jornal da Manhã regional. Consultado em 7 de janeiro de 2020 
  119. «Em "EXTRAVIOS" , Leila, sob a direção da atriz Ana Beatriz Nogueira». G1. Consultado em 7 de janeiro de 2020 
  120. a b «ana beatriz nogueira - Mapa Filmes». Mapa Filmes. Consultado em 28 de março de 2017 
  121. «2002 - Goiânia Mostra Curtas». Goiânia Mostra Curtas. 2002. Consultado em 27 de março de 2017 
  122. «11º Prêmio Contigo! - Indicados». Contigo!. Consultado em 15 de outubro de 2013. Arquivado do original em 21 de outubro de 2012 
  123. «Categoria Televisão - 2009 - Prêmio Arte Qualidade Brasil». Prêmio Qualidade Brasil. 2009. Consultado em 27 de março de 2017 
  124. «Are baba, "Caminho das Índias" é a grande vencedora do Prêmio Extra». Uol. 2 de dezembro de 2009. Consultado em 27 de março de 2017 
  125. «Indicados do 2° semestre de 2014 ao 4° Prêmio Questão de Crítica». Prêmio Questão de Crítica. 8 de fevereiro de 2015. Consultado em 27 de março de 2017 
  126. «Veja lista de indicados do 2º semestre do Prêmio Cesgranrio». Da Gaveta. 11 de dezembro de 2014. Consultado em 27 de março de 2017 
  127. «A lista de indicados do Prêmio FITA foi divulgada». Teatro em Cena. 4 de dezembro de 2014. Consultado em 27 de março de 2017 
  128. «Elizabeth Jhin comemora indicação de 'Além do tempo' ao Prêmio Extra». Extra. 18 de outubro de 2015. Consultado em 27 de março de 2017 
  129. «Kiss Me Kate leva três dos doze troféus do Prêmio Cesgranrio de Teatro». Isabele Benito. 19 de janeiro de 2016. Consultado em 27 de março de 2017 
  130. «Os finalistas do Prêmio APTR». Folias Teatrais. 23 de janeiro de 2016. Consultado em 27 de março de 2017 
  131. Troféu UOL: qual a melhor atriz de 2017?
  132. «Prêmio Cesgranrio de Teatro 2019 – Indicados». Cesgranrio. Consultado em 9 de janeiro de 2020 
  133. «8º Premio Botequim Cultural De Teatro – Indicados Do 2º Semestre». Botequim Cultural. Consultado em 9 de janeiro de 2020 
  134. «Ana Beatriz Nogueira é a carioca do ano na categoria teatro». Veja Rio. Consultado em 28 de fevereiro de 2021 
  135. «Prêmio Faz Diferença: Segundo Caderno/Audiovisual». O Globo. Consultado em 1 de agosto de 2021 
  136. «Confira a lista de vencedores do 16º Prêmio APTR de Teatro». Estadão. 13 de junho de 2022. Consultado em 13 de junho de 2022 
  137. «APTR: veja a lista completa dos indicados na 18ª edição da premiação de teatro». O Globo. 18 de janeiro de 2024. Consultado em 18 de janeiro de 2024 

Ligações externas

[editar | editar código-fonte]