Ana Cañas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ana Cañas
Ana Cañas na Turnê Tô na Vida
Informação geral
Nascimento 14 de setembro de 1980 (36 anos)
Local de nascimento São Paulo, SP
 Brasil
Gênero(s) MPB, rock, pop, contemporânea
Instrumento(s) Voz, Violão e Guitarra
Gravadora(s) Guela Records, Som Livre
Afiliação(ões) Nando Reis, Arnaldo Antunes
Influência(s) Billie Holiday, Rita Lee, Led Zeppelin, Gal Costa
Página oficial anacanas.com.br

Ana Cañas (São Paulo, 14 de setembro de 1980) é uma cantora e compositora brasileira[1].

Biografia[editar | editar código-fonte]

Ana Cañas é uma cantora e compositora brasileira formada em Arte Cênicas pela ECA / USP.

Estreou em 2007 no cenário musical brasileiro com o lançamento do álbum Amor e Caos (Sony Music), que traz as primeiras composicões autorais de Ana e uma versão para a canção "Coração Vagabundo", de Caetano Veloso, que integrou a trilha sonora da novela Beleza Pura, da Rede Globo. O álbum de estréia foi muito elogiado pela crítica especializada, considerando Ana a grande revelação musical do ano. Em 2008, participou da edição do programa Som Brasil Cazuza, exibido pela mesma emissora e concorreu ao Prêmio Multishow 2008, na categoria 'Revelação".

Em 2009, lança o segundo disco de estúdio, intitulado Hein? (Sony Music), que contém parcerias com Arnaldo Antunes e a participação de Gilberto Gil ao violão . A canção "Esconderijo", de autoria da própria Ana, alcançou projeção nacional ao integrar a trilha sonorada novela de Manoel Carlos, Viver a Vida.

"Esconderijo" também foi eleita pela revista Rolling Stone uma das melhores músicas do ano e ganhou clipe em película dirigido por Selton Mello.

Ainda em 2009, Ana grava, a convite do cantor e compositor Nando Reis, a música "Pra Você Guardei O Amor" - dueto que se tornou um grande hit nacional.

Em 2012, Ana retorna ao estúdio e lança o disco Volta[2] (o primeiro pela gravadora Som Livre). O álbum contém versões para "Rock And Roll" do Led Zeppelin e as músicas autorais "Será Que Você me Ama?" e "Urubu Rei", entre outras. Posteriormente, o disco "Volta" transformou-se no show "Coração Inevitável" e contou com a direção e iluminação de Ney Matogrosso. O show foi registrado e lançado em DVD em 2013.

Em 2015 Ana Cañas lança seu quarto álbum de estúdio e o primeiro totalmente autoral, "Tô na Vida" e no dia 6 de julho de 2015 foi lançado o single homônimo do disco[3] e ganhou clipe dirigido pela própria Ana em parceria com Philippe Noguchi. Em entrevista, Ana revelou que o disco "Tô na Vida" nasceu do desejo de equiparar o som do disco com a energia dos shows e das performances ao vivo. É um disco mais roqueiro, gravado ao vivo, de maneira orgância e foi mixado por Mario Caldato.

Em 2016 a cantora faz a sua estréia nacional nos cinemas, ao participar do longametragem "Amores Urbanos" da diretora Vera Egito (com quem Ana já havia trabalhado anteriormente no clipe de "Urubu Rei" e no DVD "Coração Inevitável"). No filme, Ana interpreta a homossexual Duda, que têm problemas de assumir publicamente o relacionamento com a namorada[4]. O filme foi exibido em diversos festivais internacionais e ganhou elogios da imprensa especializada.

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns de estúdio[editar | editar código-fonte]

Ano CDs
2007 Amor e Caos
2009 Hein?
2012 Volta
2015 Tô na Vida

Álbuns ao vivo[editar | editar código-fonte]

Ano CDs
2013 Coração Inevitável

Álbuns de vídeo[editar | editar código-fonte]

Ano DVDs
2013 Coração Inevitável

Videografia[editar | editar código-fonte]

Clipes
Ano Título Diretor
2008 Devolve, Moço Fred Ouro Preto e Carina Zaratin
2009 Esconderijo Selton Mello[5]
2010 Luz Antiga Fleavio Rossi e Lucas Martins
2011 L'amour Tripolli[6]
2012 Será Que Você Me Ama? Ana Cañas, Daniel Lima e Flávio Rossi[6]
2013 Urubu Rei Vera Egito[7]
Te ver Feliz Ana Cañas[8]
2015 Tô na Vida Ana Cañas e Philippe Noguchi[9]
Cinema
Ano Título Personagem Diretor
2016 Amores Urbanos Eduarda Vera Egito[10]

Referências

  1. «Ana Cañas». Dicionário Cravo Albin. Consultado em 26/09/2016. 
  2. «Ana Cañas: Volta». Território da Música. 16 de julho de 2012. Consultado em 6 de agosto de 2015. 
  3. «Exclusivo: Ana Cañas divulga clipe para a balada “Tô Na Vida”». Rolling Stone Brasil. 7 de junho de 2015. Consultado em 8 de junho de 2015. 
  4. Fortuna, Maria (13 de março de 2016). «Ana Cañas, sobre drama de novo papel: 'Se eu fosse gay, assumiria numa boa'». O Globo. Consultado em 15 de março de 2016. 
  5. «Selton Mello dirige clipe da paulistana Ana Cañas». clic RBS. 29 de julho de 2009. Consultado em 13 de novembro de 2015. 
  6. a b «Clipe: Ana Cañas – Será que você me ama?». MOVE. 13 de junho de 2012. Consultado em 30 de julho 2015. 
  7. «Ana Cañas exonera os próprios fantasmas em clipe de “Urubu Rei”». Rolling Stone. Consultado em 30 de julho 2015. 
  8. «Ana Cañas lança novo clipe, assista "Te Ver Feliz"». Bota Pra Tocar!. 15 de dezembro de 2013. Consultado em 30 de julho 2015. 
  9. «Exclusivo: Ana Cañas divulga clipe para a balada “Tô Na Vida”». Rolling Stone. 7 de julho de 2015. Consultado em 30 de julho 2015. 
  10. «‘Amores Urbanos’: Filme da diretora Vera Egito será lançado no Brasil em abril». Almanaque da Cultura. 18 de janeiro de 2016. Consultado em 15 de março de 2016. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma cantora é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.