Ana Maria Bahiana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ana Maria Bahiana
Nome completo Ana Maria Pereira Bahiana
Nascimento 1950
Rio de Janeiro, Brasil
Residência Los Angeles
Nacionalidade Brasil brasileira
Ocupação jornalista, escritora

Ana Maria Pereira Bahiana (Rio de Janeiro, 1950) é uma jornalista e escritora brasileira.[1]

Especializada em jornalismo cultural, em mais de três décadas de atuação profissional a jornalista carioca já trabalhou em diferentes mídias – jornal, revista, TV, rádio e Internet – escrevendo principalmente sobre cinema e música. Foi secretária da redação e crítica musical da primeira edição brasileira da revista Rolling Stone, em 1972. Trabalhou nos principais jornais brasileiros – O Estado de S. Paulo, Folha de S. Paulo, O Globo e Jornal do Brasil. Na imprensa internacional, atuou em publicações da França, EUA e Austrália e foi editora e chefe de redação da revista Screen International.[2] Na TV, foi correspondente internacional em Los Angeles do canal Telecine, da Globosat e da Rede Globo. Foi critica do programa Just Seen It, dedicado ao cinema, da rede pública norte-americana PBS [2] e, até 2013,teve um blog na UOL, onde escrevia sobre cultura.[3]

Ana Maria e Paoula Abou-Jaoude são as únicas brasileiras membros da Associação de Correspondentes Estrangeiros de Hollywood, responsável pela premiação anual dos Globos de Ouro.[4] Ana Maria atualmente atua como editora adjunta do site oficial da Associação, goldenglobes.com

Com seis livros publicados desde 1998, em 2006 foi responsável pela produção, roteiro e argumento do seu primeiro longa-metragem – 1972 – com direção de José Emílio Rondeau. Vivendo em Los Angeles desde 1987 em 2014 esteve no Brasil para o lançamento de seu livro Almanaque 1964, em que cada capítulo cobre um mês do ano do Golpe de Estado no Brasil.[2]

Ana Maria colabora atualmente com a edição digital da revista Exame, tem uma coluna mensal no blog da Companhia das Letras e trabalha na pesquisa e roteiro do documentário LA+Rio, que será dirigido por Pedro Kos.

Livros publicados[editar | editar código-fonte]

  • Almanaque 1964 (Editora Companhia das Letras, 2014)
  • Vida Modelo, biografia autorizada de John Casablancas, (Editora Objetiva, 2008)
  • Almanaque anos 70 (Ediouro, 2006)
  • Nada será como antes: MPB anos 70 - 30 anos depois (Editora Senac Rio, 2006, 390 p.) - Google Books
  • Jimi Hendrix: domador de raios (Editora Pazulin, 2006)
  • América de A a Z (Editora Objetiva, 1994)
  • A luz da lente (Editora Globo, 1998)
  • Jimi Hendrix: domador de raios (Editora Brasiliense, 1981)
  • Nada será como antes: MPB anos 70 (Editora Civilização Brasileira, 1980, 261 p.) - Google Books
  • Anos 70: MPB, compilação de ensaios, Funarte, Rio de Janeiro, 1979.

Referências

  1. Stroud, Sean (2008). The Defence of Tradition in Brazilian Popular Music: Politics, Culture and the Creation of Música Popular Brasileira (em inglés). [S.l.]: Ashgate Publishing, Ltd. 254 páginas. ISBN 978-075-468-356-8 
  2. a b c «Almanaque 1964». Consultado em 26 de março de 2014 
  3. «Ana Maria Bahiana». UOL. Consultado em 26 de março de 2014 
  4. «Members». Hollywood Foreign Press Association. Consultado em 26 de março de 2014 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) jornalista é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Ana Maria Bahiana