Ana Paula Tavares

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Ana Paula Ribeiro Tavares)
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde abril de 2013). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Ana Paula Tavares
Nascimento
Lubango,  Angola
Género literário feminino

Ana Paula Ribeiro Tavares (Lubango, província da Huíla, Angola, 30 de Outubro de 1952) é uma historiadora e poetisa angolana.[1]

Iniciou o seu curso de história na Faculdade de Letras do Lubango (hoje ISCED, Instituto Superior de Ciências da Educação do Lubango), terminando-o em Lisboa. Em 1996 concluiu o Mestrado em Literaturas Africanas. Atualmente vive em Portugal, faz o Doutoramento em literatura e leciona na Universidade Católica de Lisboa. Sempre trabalhou na área da cultura, museologia, arqueologia e etnologia, património, animação cultural e ensino.

Tanto a prosa como a poesia de Ana Paula Tavares estão presentes em várias antologias publicadas em Portugal, no Brasil, em França, na Alemanha, em Espanha e na Suécia.

Influências[editar | editar código-fonte]

A escrita de Ana Paula Tavares sofreu influência de autores brasileiros, como Manuel Bandeira, Jorge Amado, Carlos Drummond de Andrade e João Cabral de Mello Neto, cujas obras chegavam a Angola por meio de viajantes. Segundo a poeta, não só a literatura, mas também a música brasileira influenciou sua escrita.

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Ritos de passagem (poesia). Luanda: UEA, 1985 [2ª ed. Lisboa: Caminho, 2007].
  • Sangue da buganvília: crônicas (prosa). Centro Cultural Português Praia-Mindelo, 1998.
  • O Lago da Lua (poesia). Lisboa: Caminho, 1999.
  • Dizes-me coisas amargas como os frutos (poesia). Lisboa: Caminho, 2001.
  • Ex- votos, 2003
  • A Cabeça de Salomé (prosa). Lisboa: Caminho, 2004.
  • Os olhos do homem que chorava no rio (romance), em coautoria com Manuel Jorge Marmelo. Lisboa: Caminho, 2005.
  • Manual Para Amantes Desesperados (poesia). Lisboa: Caminho, 2007.

Poemas[editar | editar código-fonte]

  • Mukai [2]
  • Canto de nascimento[3]
  • Não conheço nada do país do meu amado
  • Vieram muitos[4]
  • Tratem-me com a massa[5]
  • November without water[6]
  • A abóbora menina[7]
  • O mirangolo
  • Rapariga
  • Amargos como os frutos
  • Entre os lagos
  • História de amor da princesa Ozoro e do húngaro Ladislau Magyar
  • A manga
  • A mãe e a irmã
  • O cercado

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]