And Then There Were None

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para a adaptação cinematográfica de 1965, veja Ten Little Indians (filme de 1965). Para outros significados, veja And Then There Were None (desambiguação).
Ten Little Niggers
Convite para a Morte /
As Dez Figuras Negras
 (PT)
O Caso dos Dez Negrinhos /
O Vingador Invisível /
E Não Sobrou Nenhum
 (BR)
Autor(es) Agatha Christie
Idioma inglês
País  Reino Unido
Gênero Romance policial
Editora Collins Crime Club
Lançamento 6 de novembro de 1939
Páginas 256 (1ª edição, capa dura)
Edição portuguesa
Tradução Baptista de Carvalho; Isabel Alves
Editora Livros do Brasil; Edições Asa
Lançamento 1948; 2003
ISBN ISBN 972-41-3287-0
Edição brasileira
Tradução Leonel Vallandro
Editora Abril Cultural
Lançamento 1976
Cronologia
Murder Is Easy
The Regatta Mystery and Other Stories

And Then There Were None é um romance de mistério da escritora iglesa Agatha Christie, descrito por ela como o livro mais difícil de escrever.[1] Foi publicado pela primeira vez no Reino Unido pelo Collins Crime Club a 6 novembro 1939, como Ten Little Niggers,[2] provindo da canção de menestrel Ten Little Indians, que serve como um ponto de enredo maior.[3][4]

A edição dos EUA foi lançada em janeiro 1940 com o título And Then There Were None, que provém das últimas cinco palavras da canção.[5] Todas as reimpressões e adaptações americanas sucessivas usam esse título, exceto os livros de bolso de Pocket Books publicados entre 1964 e 1986, que aparecem sob o título Ten Little Indians.

O livro é o mistério melhor vendido do mundo, e com mais de 100 milhões de cópias vendidas é um dos livros melhor vendidos de todos os tempos. Publications International lista o romance como o sexto título melhor vendido.[6]

No Brasil foi publicado como O Caso dos Dez Negrinhos é atualmente como E Não Sobrou Nenhum,[7] e em Portugal foi publicado como Convite para a Morte em 1948, e As Dez Figuras Negras em 2003.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Oito pessoas, aparentemente sem conexão entre si, se dirigem à intrigante "Ilha do Soldado", na costa de Devon, após serem convidadas por correspondência por alguém chamado U. N.(Ulick Norman) Owen e sua esposa, sob diferentes pretextos. Nenhum deles se lembra de conhecer tais pessoas, porém a atração de serem convidados para um lugar tão badalado pela mídia é mais forte que a desconfiança.

Ao chegarem lá, os oito convidados(Vera Claythorne, Anthony Marston, John MacArthur, Lawrence Wargrave, Edward Armstrong, Emily Brent, William Blore e Philip Lombard) são recepcionados por um casal de empregados, marido e mulher, os Rogers, que foram contratados como mordomo e copeira da mansão situada na ilha, que de outro modo, é deserta. Eles contam que seus patrões, por motivos pessoais, atrasaram-se, e que os convidados terão de esperar um pouco pela sua chegada.

Mais tarde, na noite do mesmo dia, quando os hóspedes terminam o jantar, uma voz misteriosa vinda de um gramofone colocado junto à parede de uma sala contígua faz sérias acusações contra os dez (os oito convidados e o casal Rogers). Amedrontados e indignados com o que acabaram de ouvir, os convidados tentam conseguir dos Rogers informações sobre o casal de anfitriões, mas eles admitem sequer conhecê-los e terem sido contratados por carta, exatamente como os outros oito foram atraídos até lá. Todos decidem que a melhor coisa a fazer é fugir do local pela manhã. O grande problema é que a única forma de locomoção é um barco que vem do continente, mas que pelo fato do mar estar agitado, não consegue chegar até a ilha.

Isolados e incapazes de sair de lá, seus destinos passam a seguir, precisamente ou em parte, o que diz um poema sinistro emoldurado nos quartos da mansão, uma cantiga infantil que narra a sequência de mortes de dez soldadinhos...

O poema[editar | editar código-fonte]

Dez negrinhos vão jantar enquanto não chove;
Um deles se engasgou, e então ficaram nove.
Nove negrinhos sem dormir: não é biscoito!
Um deles cai no sono, então ficaram oito;
Oito negrinhos vão a Devon em charrete;
Um deles quis ficar, então ficaram sete.
Sete negrinhos vão rachar lenha, mas eis
Que um deles se corta, então ficaram seis;
Seis negrinhos de uma colmeia fazem brinco;
A abelha picou um, e então ficaram cinco,
Cinco negrinhos vão ao fórum, a tomar os ares;
Um deles foi julgado, então ficaram dois pares.
Quatro negrinhos vão ao mar; a um tragou de vez
O arenque defumado, e então ficaram três.
Três negrinhos passeando no zoológico. E depois?
O urso abraçou um, e então ficaram dois.
Dois negrinhos brincando no sol, sem medo algum;
Um deles se queimou, e então ficou só um.
Um negrinho está sozinho, é só um;
Ele se enforcou, e não sobrará nenhum.

Adaptações para o cinema e televisão[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «And Then There Were None». Agatha Christie Limited. Consultado em 3 de julho de 2018 
  2. «Review of Ten Little Indian Boys». The Observer. 5 de novembro de 1939. p. 6 
  3. Peers, Chris; Spurrier, Ralph; Sturgeon, Jamie (1999). Collins Crime Club: a checklist of the first editions 2nd ed. London, UK: Dragonby Press. p. 15. ISBN 1-871122-13-9 
  4. Pendergast, Bruce (2004). Everyman's Guide to the Mysteries of Agatha Christie. Victoria, British Columbia: Trafford Publishing. p. 393. ISBN 1-4120-2304-1 
  5. «American Tribute to Agatha Christie: The Classic Years 1940–1944». J S Marcum. Maio de 2004. Consultado em 16 de outubro de 2018 
  6. Davies, Helen; Dorfman, Marjorie; Fons, Mary; Hawkins, Deborah; Hintz, Martin; Lundgren, Linnea; Priess, David; Clark Robinson, Julia; Seaburn, Paul; Stevens, Heidi; Theunissen, Steve (14 de setembro de 2007). «21 Best-Selling Books of All Time». Editors of Publications International, Ltd. Consultado em 25 de março de 2009. Cópia arquivada em 7 de april de 2009  Parâmetro desconhecido |url-status= ignorado (ajuda); Verifique data em: |arquivodata= (ajuda)
  7. Livraria Cultura