Saltar para o conteúdo

Andaraí

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
 Nota: Para outros significados, veja Andaraí (desambiguação).
Andaraí
  Município do Brasil  
Praça Aureliano Gondim (2022)
Praça Aureliano Gondim (2022)
Praça Aureliano Gondim (2022)
Símbolos
Bandeira de Andaraí
Bandeira
Brasão de armas de Andaraí
Brasão de armas
Hino
Gentílico andaraiense
Localização
Localização de Andaraí na Bahia
Localização de Andaraí na Bahia
Localização de Andaraí na Bahia
Andaraí está localizado em: Brasil
Andaraí
Localização de Andaraí no Brasil
Mapa
Mapa de Andaraí
Coordenadas 12° 48' 25" S 41° 19' 51" O
País Brasil
Unidade federativa Bahia
Municípios limítrofes Lajedinho, Lençóis, Mucugê, Ibicoara, Itaetê, Nova Redenção e Ibiquera
Distância até a capital 306 km
História
Fundação 19 de maio de 1891 (133 anos)
Administração
Distritos
Prefeito(a) Wilson Paes Cardoso[1] (PSB, 2020–2024)
Vereadores 9
Características geográficas
Área total [3] 1 590,316 km²
População total (Censo de 2022) [4] 13 080 hab.
 • Posição (BA: 281º· (NE: 954°· (BR: 2502º) (2022)[5]
Densidade 8,2 hab./km²
Clima Clima tropical com estação seca (As)[2]
Altitude 440 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
CEP 46830-000
Indicadores
IDH (PNUD/2010[6]) 0,555 baixo
 • Posição BA: 353º
Gini (2003) 041
PIB (IBGE/2020[7]) R$ 117 331 85 mil
 • Posição BA: 290º
PIB per capita (IBGE/2020 [7]) R$ 8,934,80
Sítio www.andarai.ba.gov.br (Prefeitura)
www.andarai.ba.gov.br (Câmara)

Andaraí é um município do estado da Bahia, no Brasil. Sua população, conforme o Censo 2022 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, é de 13 080 habitantes.[8]

É a terra natal e o cenário de vários romances do escritor Herberto Sales.

A região de Andaraí teve como primeiros habitantes os indígenas cariris, cuja presença pode ser atestada pelas pinturas rupestres no município. Ao longo do período colonial, a eles se juntaram escravos fugitivos, que fundaram quilombos na região, como os de Orobó, Tupins e Andaraí, registrados pelo fazendeiro local Rodrigo de Souza Coutinho em 1796.[9]

A descoberta de jazidas de diamante em Andaraí ocorreu em 1845 ou 1846, pelo capitão José de Figueiredo e sua família, oriundos de Santa Isabel do Paraguaçu (atual Mucugê). Com isso, chegaram à região um grande número de pessoas ávidas pelo minério, vindas de Minas Gerais e localidades próximas mais antigas, como Bom Jesus do Rio de Contas (atual Piatã), Minas do Rio de Contas (atual Rio de Contas) e Caetité. No garimpo mais conhecido, ativo e de melhor qualidade da região, se formou a povoação de Andaraí, o qual foi crescendo e, com isso, chegaram o comércio e indústrias de transformação.[10]

A Lei provincial nº 1.811, de 11 de junho de 1878, elevou Andaraí à categoria de freguesia, subordinada à vila de São João do Paraguaçu (atual Mucugê). Posteriormente, a Resolução provincial nº 2.444, de 19 de maio de 1884, desmembrou de Santa Isabel do Paraguaçu as freguesias de Andaraí e Xique-Xique (atual Igatu, criada quatro dias antes) para compor o território da nova vila de Andaraí, a qual foi instalada em 14 de julho de 1885. Por meio de Ato Estadual de 28 de abril de 1891, foi concedida a Andaraí foros de cidade.[10]

Durante a República Velha, em Andaraí destaca-se a figura de Aureliano Gondim, o coronel mais famoso, temido e respeitado do município, uma das inspirações do escritor andaraiense Herberto Sales ao escrever o romance Cascalho.[9]

Após o fim do Ciclo do Diamante, a economia andaraiense passou a ser baseada no cultivo do café e na mineração em pequena escala.[9]

Em 1961, o distrito de Itaetê, criado em 1927, foi desmembrado de Andaraí e elevado à categoria de município.[10][11]

Na década de 1970, o garimpo mecanizado foi introduzido em Andaraí, trazendo grandes danos à natureza, como assoreamento e contaminação dos rios, poluição e desmatamento, o que levou à sua proibição em 1996.[9]

Andaraí está localizada na Chapada Diamantina, a 414 km de Salvador, e sua sede municipal está a uma altitude de 440 m. Faz divisa com os municípios de Mucugê, Lençóis, Lajedinho, Ibiquera, Itaetê, Ibicoara e Nova Redenção.[12]

Personalidades

[editar | editar código-fonte]

Bibliografia local

[editar | editar código-fonte]
  • Gonçalo de Athayde Pereira (1937). Memória Histórica e Descriptiva do Município de Andarahy. [S.l.]: Secretaria Municipal de Educação de Salvador. 89 páginas 

Referências

  1. «Candidatos a vereador Andaraí-BA». Uol. Consultado em 22 de julho de 2023 
  2. https://sai.io.org.br/ba/andarai/site/dadosmunicipais
  3. IBGE (1 de janeiro de 2023). «Área territorial oficial». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (R.PR-1/01). Consultado em 22 de junho de 2023 
  4. «Cidades e Estados». IBGE. 28 de junho de 2023. Consultado em 19 de outubro de 2023 
  5. «População de Andaraí (BA) é de 13.080 pessoas, aponta o Censo do IBGE». g1. Consultado em 19 de outubro de 2023 
  6. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 25 de agosto de 2013 
  7. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios - 2010 à 2016». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 1 de maio de 2019 
  8. «POPULAÇÃO». cidades.ibge.gov.br. Consultado em 22 de julho de 2023 
  9. a b c d «História». Prefeitura de Andaraí. Consultado em 26 de janeiro de 2024 
  10. a b c Enciclopédia dos Municípios Brasileiros (PDF). 20. Rio de Janeiro: IBGE. 1958. p. 33 
  11. «Itaeté (BA) - histórico». IBGE Cidades. Consultado em 27 de janeiro de 2024 
  12. «Andaraí (BA) - histórico». IBGE Cidades. Consultado em 27 de janeiro de 2024