Anderson Silva

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde julho de 2016).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Anderson Silva
Anderson Silva.jpg
Informações
Nome
completo
Anderson da Silva
Nascimento 14 de abril de 1975 (41 anos)
São Paulo, São Paulo,
 Brasil
Nacionalidade  brasileiro
Outros nomes Spider (Aranha)
Residência Los Angeles, Califórnia,
 Estados Unidos
Cônjuge Dayane Silva
Filho(s) 5[1]
Altura 1,88 m[2]
Peso 84 kg
Divisão Peso-médio
Peso-meio-pesado
Envergadura 1,98 m
Modalidade Taekwondo
Muay Thai
Boxe
Brazilian Jiu-jitsu
Capoeira
Posição Southpaw
Luta por Curitiba, PR
 Brasil
Equipe Team Nogueira
Black House (MMA)
X Gym
Muay Thay College
Treinador Boxe: Luis Dórea e Josuel Distak
Jiu-Jitsu: Irmãos Nogueira, Sylvio Behring e Ramon Lemos

Preparador físico: Rogério Camões Muay Thai: Pedro Rizzo

Graduação      Grau Preto em Muay Thai
     Faixa Preta 5º Dan em Tae Kwon Do
     Faixa Preta 3º grau em BJJ
     Faixa Preta em Judo
     Corda Amarela em Capoeira
Período em
atividade
1997-presente (MMA)
Cartel profissional no boxe
Total 2
Vitórias 1
Por nocaute 1
Derrotas 1
Por nocaute 1
Cartel nas artes marciais mistas
Total 42
Vitórias 33
Por nocaute 20
Por finalização 6
Por decisão 7
Derrotas 8
Por nocaute 2
Por finalização 2
Por decisão 2
Por desqualificação 1
Sem resultado 1
Ligações externas
Página oficial:
spidersilva.com
Recorde de MMA no Sherdog

Anderson da Silva, mais conhecido como Anderson Silva ou Spider[3] (São Paulo, 14 de abril de 1975) é um lutador brasileiro de artes marciais mistas e ex-Campeão Peso Médio do UFC. Anderson conquistou 17 vitórias seguidas e 10 defesas de título consecutivas e é até hoje o dono da maior sequência de vitórias e de títulos defendidos do UFC, interrompida no dia 6 de julho de 2013, quando perdeu o cinturão Peso Médio do UFC para o Chris Weidman. "Spider" é considerado o melhor lutador da história pelo presidente do UFC, Dana White[4] e já venceu grandes nomes do MMA como Vítor Belfort, Dan Henderson e Rich Franklin. Spider esteve suspenso até 31 de janeiro de 2016 devido ao uso de anabolizantes.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido na cidade de São Paulo, mudou-se aos 4 anos para Curitiba, onde começou a treinar Taekwondo com 5 anos de idade[5][6], esporte no qual tornou-se faixa preta aos 18 anos de idade. No Muay Thai, Anderson foi o segundo faixa preta formado pelo Mestre Fábio Noguchi em Curitiba.[7] Ele também é faixa preta em jiu-jitsu dos irmãos Nogueira (Minotauro e Minotouro).[8]

A origem de seu apelido, Aranha, vem de um anuncio que o intitulou o aranha em virtude de uma fantasia do Homem-Aranha que ganhou quando criança.

Antes do Muay Thai, ele tentou ser jogador de futebol, tendo feito um teste para o Corinthians. Anderson chegou 40 minutos atrasado e perdeu o teste, mas foi convidado para treinar na academia de boxe do clube, sendo que o professor logo viu que ele possuía habilidade para luta.[9]

Carreira no MMA[editar | editar código-fonte]

A rigor, Anderson estreou em um torneio na cidade de Lençóis Paulista, em forma de GP, no qual teria de lutar uma semifinal antes da final. [carece de fontes?] Anderson foi o campeão desse GP, vencendo duas lutas. Depois fez várias lutas no Mecca, evento bem famoso naquela época. Suas boas exibições no Brasil lhe renderam uma chance de fazer várias lutas internacionais.

Shooto[editar | editar código-fonte]

Sua estreia no Shooto foi contra o japonês "Tetsuji Kato". Anderson venceu a luta por decisão unânime. Depois voltou para o Brasil e venceu mais uma luta no Mecca. Com seguidas vitórias no cartel, Anderson teve a primeira grande oportunidade de disputar um cinturão de um torneio de grande reconhecimento na época, o Shooto. Anderson lutou pelo cinturão dos pesos médios do evento, em 2001, contra o japonês Hayato Sakurai e venceu a luta por decisão unânime dos juízes. Anderson enfim conquistava o seu primeiro cinturão em um grande evento de MMA.

Pride e outros eventos[editar | editar código-fonte]

Em 2002, Silva passou a lutar no Pride. Em sua primeira luta, no dia 23 de junho de 2002, venceu o americano Alex Steibling por nocaute técnico no primeiro round. Nas suas próximas duas lutas, Anderson permaneceu invencível, vencendo por decisão unânime o japonês Alexander Otsuka e o canadense Carlos Newton, ex-campeão do UFC. Nessa luta, Silva ganhou com uma joelhada fenomenal, depois de Newton tentar golpeá-lo no primeiro round.

No Pride 28, Silva enfrentou o japonês Daiju Takase, que, considerando seu cartel até então de quatro vitórias e sete derrotas, credenciava a Anderson um certo favoritismo, pois vinha de nove vitórias seguidas. Porém, o japonês conseguiu uma queda logo no início na luta, e conseguiu manter no chão até finalizar o brasileiro com um triângulo, finalizando-o aos oito minutos.

Após a derrota para Takase, Anderson Silva lutou em outros eventos. No Conquista Fight 1, venceu o brasileiro Waldir dos Anjos por nocaute técnico. Em 2004, lutou no Gladiator FC: Day 2, onde enfrentou o lutador Jeremy Horn (ex-desafiante de cinturão do UFC). Anderson obteve uma vitória por decisão unânime.

Cage Rage e derrotas para Okami e Ryo Chonan[editar | editar código-fonte]

Após a derrota, Anderson continuou a lutar no Cage Rage, e em outros eventos. Silva fez sua estreia no Cage Rage em Londres, na Inglaterra, onde logo lutou pelo cinturão do evento. Em 11 de setembro de 2004, no Cage Rage 8, Anderson lutou e derrotou Lee Murray na disputa por decisão unânime dos jurados e conquistou o segundo cinturão de expressão da sua carreira, o cinturão de pesos-médios do Cage Rage.

Em 2004, após ter conquistado o cinturão do Cage Rage, Silva retornou ao Pride para enfrentar Ryo Chonan. Apesar de levar enorme vantagem na luta, Anderson foi surpreendido com uma finalização sensacional do japonês. Chonan conseguiu finalizar Anderson Silva no terceiro assalto com uma chave de calcanhar voadora.

Depois de defender com sucesso duas vezes seu título no Cage Rage, respectivamente contra Jorge Rivera e Curtis Stout (ambos por decisão unânime), Anderson Silva lutou no Rumble on the Rock 8 contra Yushin Okami na primeira fase do torneio dos médios, no dia 20 de janeiro de 2006. Nesta luta, Anderson chutou o rosto de Okami em posição de guarda, que, pelas regras do evento, era proibido. O japonês poderia voltar à luta, mas prefiriu não continuar, o que resultou na desqualificação de Anderson Silva, e na consequente derrota do brasileiro.[10]

Após essa luta, Anderson lutou mais uma vez no Cage Rage, dessa vez contra o americano Tony Fryklund. Anderson logo dominou a luta e ganhou por nocaute (cotovelada) aos dois minutos do primeiro round. A luta foi pelo Cage Rage 16, no dia 22 de abril de 2006. Após essa luta, Anderson começou sua carreira no UFC.

Carreira no UFC[editar | editar código-fonte]

Em 2006, Silva passou a combater no Ultimate Fighting Championship no evento Ultimate Fight Night 5 nos Estados Unidos. No dia 28 de junho de 2006, sua estreia, saiu vitorioso sobre Chris Leben. Anderson nocauteou-o aos 49 segundos do primeiro round, a luta mais rápida de sua carreira.

Campeão dos pesos-médios[editar | editar código-fonte]

Depois da luta contra Leben, uma enquete no site do UFC foi feita para escolher quem seria o próximo oponente de Anderson. A maioria dos votos foi para o até então campeão dos pesos médios, Rich Franklin. Ao dia 14 de outubro de 2006, no UFC 64, Anderson Silva teve a oportunidade de disputar o cinturão da categoria de pesos médios no UFC, onde venceu no primeiro round de forma arrasadora. Essa luta é considerada como uma das melhores de sua carreira, pois Anderson mostrou fantásticos movimentos e golpes como joelhadas e chutes. Anderson prendeu Rich em seu clinch e desferiu vários golpes e aos três minutos e cinquenta e três segundos do primeiro round, Franklin esquivou-se de um dos socos de Anderson antes de cair no chão e decretar a vitória do brasileiro.[11] Ele foi o segundo oponente que derrotou Franklin, depois de Lyoto Machida.

Defesas do Cinturão[editar | editar código-fonte]

UFC 67: Silva vs Lutter[editar | editar código-fonte]

Em 3 de fevereiro de 2007, no UFC 67, Anderson estava programado para lutar contra o vencedor do reality show "The Ultimate Fighter 4" Travis Lutter. Essa seria sua primeira luta depois da sua conquista de cinturão contra Rich Franklin, em outubro de 2006. Contudo, o adversário se apresentou acima do limite do peso da categoria dos pesos médios (84 quilos) e a luta então não foi considerada como a principal. Anderson Silva, venceu o adversário prendendo-o com um triângulo, enquanto estava por baixo, no chão. No meio do segundo round.

UFC 73: Silva vs Marquardt[editar | editar código-fonte]

Na luta seguinte, no UFC 73, em 7 de julho de 2007, Anderson defendeu com sucesso seu título contra Nate Marquardt, vencendo por nocaute técnico em 4:50 do primeiro assalto.

UFC 77: Silva vs Franklin[editar | editar código-fonte]

Três meses depois, no dia 20 de outubro de 2007 no UFC 77, Anderson lutou uma revanche de defesa do título contra o americano Rich Franklin, lutador que havia perdido o título, em sua cidade natal, Cincinnati. Anderson defendeu seu cinturão ao derrotar Franklin por nocaute técnico no segundo round, onde surpreendeu todos ao mostrar suas habilidades de trocação e de se esquivar com as mãos abaixadas. Anderson ganhou o bônus de nocaute da noite.

UFC 82: Silva vs Henderson[editar | editar código-fonte]

No dia 1 de março de 2008, no UFC 82, Silva lutou contra o campeão dos pesos médios do Pride Fighting Championships, Dan Henderson, em uma disputa de unificação de títulos (títulos do UFC e Pride). Muitos pensaram que Henderson teria uma certa vantagem no chão, mas Anderson defendeu o seu título ao derrotar Henderson com um mata-leão no segundo assalto.[12] Essa foi uma surpresa porque Henderson havia completado as olimpíadas de 1992 e 1996 no estilo da luta greco-romana.

UFC Fight Night: Silva vs Irvin[editar | editar código-fonte]

Cerca de quatro meses depois, no "UFC Fight Night 4" em 19 de julho de 2008, Silva fez sua estreia nos meio-pesados contra James Irvin. Anderson venceu por nocaute no primeiro minuto do primeiro round, mostrando leveza, rapidez e agressividade, mesmo lutando numa nova categoria de peso. Anderson pegou a perna esquerda de Irvin com a sua mão esquerda e devolveu um soco direto que fez com que Irvin caísse no chão. Anderson finalizou a luta dando mais alguns socos em Irvin, que estava inconsciente.[13]

UFC 90: Silva vs Côté[editar | editar código-fonte]

Após a unificação dos títulos, em 25 de outubro de 2008 no UFC 90 em Chicago, Anderson Silva voltou a defender seu título dos médios, desta vez contra Patrick Côté. No terceiro assalto, Côté sentiu dores no joelho após desferir um chute. O árbitro Herb Dean declarou a luta encerrada pois Patrick Côté não poderia continuar a luta, e declarou vitória de Anderson Silva por nocaute técnico.[14]

Após a luta, Anderson foi criticado por parecer estar desviando contato de Côté.[15] O próprio presidente do UFC, Dana White, censurou a atitude de Anderson, falando "Eu não entendi as táticas de Silva... Esse não foi o Anderson Silva que eu estou acostumado a ver nos últimos dois anos."

UFC 97: Silva vs Leites[editar | editar código-fonte]

No dia 18 de abril de 2009, no UFC 97, Anderson lutou e venceu Thales Leites por decisão unânime, defendendo seu cinturão e obtendo sua nona vitória consecutiva no UFC, recorde do evento. Thales Leites foi o único homem até então na história do UFC a lutar com Anderson Silva nos cinco rounds seguidos até a decisão dos juízes. A multidão vaiou várias vezes o desempenho sem brilho de Anderson, sua expressão entediada e suas tentativas frustradas de incitar o seu adversário na luta. No quarto e quinto assalto, Anderson chegou a dançar e baixar a guarda, golpeando o adversário sem que houvesse retaliação.[16] Após a luta, Dana White afirmou que estava "envergonhado" pela performance de Anderson, mas que ainda acreditava que ele era o melhor lutador peso por peso do mundo.

UFC 101: Silva vs Griffin[editar | editar código-fonte]

No UFC 101, Silva mais uma vez lutou nos meio-pesados, desta vez contra o ex-campeão da categoria Forrest Griffin. Griffin foi derrubado três vezes no primeiro assalto. Após o terceiro knockdown, Forrest sinalizou que ele estava acabado, e Silva foi declarado vencedor por nocaute. Essa é considerada uma das melhores lutas de sua carreira,[17] e ganhou o prêmio de "Beatdown of the Year" pela Sherdog.

Depois de derrotar Griffin, uma repórter do Yahoo! Sports alegou que o empresário de Anderson, Ed Soares, tinha confirmado que Anderson iria abandonar a categoria de pesos médios para passar para a de meio-pesado. Entretanto, o próprio Soares e um trabalhador do UFC negaram essa conversação: Anderson não iria abandonar seu título somente para lutar exclusivamente na categoria de meio-pesado.

UFC 112: Silva vs Maia[editar | editar código-fonte]

Demian Maia substituiu Vitor Belfort no UFC 112 Em Abu Dhabi. Anderson venceu Demian por decisão unânime dos juízes. A luta foi criticada mundialmente pelo desleixo de Anderson durante a luta e pelo fato de não ter nocauteado o adversário.[18] Anderson chegou a ser advertido pelo juiz por sua conduta, e no quinto round a plateia começou a apoiar Demian Maia, que parecia ser o único lutador que estava com vontade de partir para cima. O presidente do UFC Dana White disse que se sentia envergonhado e decepcionado com a apresentação de Anderson, após casar essa luta em um dos maiores evento de UFC da história, economicamente falando e principalmente por ter sido o evento de estréia em Abu Dhabi, onde se esperava um show e não uma luta daquela como evento principal.[19] Imediatamente depois da luta, Anderson desculpou-se.

UFC 117: Silva vs Sonnen[editar | editar código-fonte]

Anderson enfrentou Chael Sonnen no UFC 117, no dia 7 de agosto de 2010. No primeiro round, Sonnen atordoou Anderson com um soco depois de levá-lo para baixo e dominar na posição, desferindo vários golpes. Os próximos três rounds seguiram em um estilo similar, com Anderson indo para o chão cedo e Sonnen o controlando no chão. No quinto round, Anderson caiu depois de ser atingido por um gancho de esquerda de Sonnen. Com cerca de dois minutos restantes, Anderson conseguiu um Armlock após aplicar um triângulo de perna, forçando Sonnen a desistir aos três minutos e dez segundos do round 5.[20]

Anderson foi golpeado mais vezes nessa luta do que em toda sua carreira inteira. De acordo com um banco de dados do CompuStrike, em todas suas lutas no UFC, Anderson foi golpeado 208 vezes. Somente nessa luta, Sonnen golpeou-o um total de 289 vezes.[21] Depois da luta, foi revelado que Sonnen teria ganho numa decisão de juízes. Todos os três juízes marcaram Sonnen como o ganhador de todos os quatro rounds.

Nesta luta, Anderson afirmou ter lutado com a costela trincada, contra as recomendações de seu médico. Durante o primeiro round, Sonnen quebrou sua costela e Anderson ficou fora dos ringues até 2011 por causa dessa contusão. Após a luta Sonnen testou positivo para substâncias dopamtez. Pelo doping, White anunciou que Sonnen só teria sua revanche depois de ganhar duas lutas seguidas, o que aconteceria em 2012.

UFC 126: Silva vs Belfort[editar | editar código-fonte]

Sendo assim, Silva defendeu e manteve o cinturão dos médios no UFC 126, que aconteceu no dia 6 de fevereiro de 2011, em Las Vegas, onde ele lutou contra o compatriota Vítor Belfort. A luta durou pouco menos de quatro minutos. Nos dois primeiros minutos, Vitor e Anderson estavam estudando-se, e após isso eles começaram a trocação direta. Aos três minutos e vinte e cinco segundos, Belfort foi nocauteado por um forte chute frontal no rosto disparado por Silva, antes de alguns socos.[22] Nessa luta, Silva ganhou o bônus de nocaute da noite e posteriormente nocaute do ano.

UFC 134: Silva vs Okami[editar | editar código-fonte]

Na cidade do Rio de Janeiro, no UFC 134, dia 27 de agosto de 2011, Anderson Silva defendeu seu título, desta vez contra Yushin Okami. Essa foi uma revanche entre os dois lutadores, uma vez que Okami foi o último lutador a vencer Anderson Silva. No segundo round, Anderson derrubou Okami duas vezes. Na segunda vez, Anderson golpeou o adversário e o nocauteou aos dois minutos e quatro segundos, defendendo assim seu título pela nona vez e vencendo sua décima quarta luta no UFC.[23]

UFC 148: Silva vs Sonnen 2[editar | editar código-fonte]

Anderson Silva e Chael Sonnen se enfrentaram no UFC 148 no dia 7 de julho de 2012.

O clima pré-luta foi marcado por diversas provocações desrespeitosas por parte do americano, conhecido pelas suas provocações. No começo da luta, Sonnen foi para o ataque e conseguiu o que queria. Derrubou Anderson Silva em poucos segundos e tomou controle do combate. No fim, ele passou a guarda do “Aranha” e encaixou golpes, mas sem machucar o campeão. Quando parecia que a história da luta seria igual a da última vez, Anderson deu um show. O brasileiro não caiu nas novas investidas do adversário e ainda derrubou o rival com uma esquiva. Quando Sonnen estava sentado na grade, Silva encaixou bela joelhada e depois finalizou o oponente com uma série de socos. No pós luta, Anderson desabafou;

“Não tenho nada contra ele. Ele desrespeitou meu país, mas tudo bem. Isso é um esporte”, afirmou Anderson antes de levar Sonnen para o meio do octógono. “Vamos mostrar que no Brasil todo mundo é educado. Vamos aplaudi-lo. Se você quiser fazer um churrasco lá em casa, está convidado. Minha mulher vai fazer para a gente”, completou em tom de ironia. [24]

UFC Rio III: Silva vs Bonnar[editar | editar código-fonte]

Anderson substituiu José Aldo na luta principal do UFC 153 numa luta contra Stephan Bonnar, na noite do dia 14 de outubro de 2012. A luta aconteceu na categoria dos meio-pesados (até 93kg). Anderson derrotou Bonnar com um nocaute técnicos aos quatro minutos do primeiro round. Demonstrando calma, Anderson nocauteou Bonnar depois de uma joelhada perfeita no plexo. Nessa luta, Anderson de uma certa forma provocou o adversário. Durante a luta, Bonnar tentou colocar Anderson ao chão, mas Anderson acabou ficando na grade. Depois que ele desvencilhou de Bonnar, ele permaneceu encostado à grade, fazendo com que o adversário ficasse sem reações[25].

Pouco tempo depois, comprovou-se que Bonnar havia lutado esta luta sobre efeito de anabolizantes. Em entrevista, Bonnar confirmou que realmente lutou dopado.

Derrota e perda do cinturão - UFC 162: Silva vs. Weidman[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Silva vs. Weidman

Depois do campeão Anderson Silva recusar e menosprezar o duelo contra Weidman algumas vezes, criticando a falta de experiência do americano[27], o UFC finalmente marcou o duelo para Julho de 2013.

As declarações antes do duelo chamaram mais atenção pelo fato de vários lutadores do UFC apostarem no americano.[28] A declaração mais forte veio do campeão dos meio-médios, Georges St. Pierre. Na ocasião GSP afirmou que "Ele (Weidman) iria finalizar o Anderson Silva, e que a luta não seria muito longa.”[29]

Após 17 vitórias seguidas e 10 defesas de título consecutivas, Anderson Silva foi nocauteado pela primeira vez na carreira, ao perder o cinturão para Chris Weidman no UFC 162, que aconteceu no dia 6 de julho de 2013. Anderson foi derrubado e castigado no primeiro round, e quase foi pego em uma chave de pé. Ainda no fim do primeiro round, Anderson provocava seu adversário com excessivas fintas, esquivas e diálogos com seu adversário. No segundo round, Anderson continuou com as provocações, inclusive com típica guarda baixa, e até fingiu estar tonto, porém errou em uma esquiva na sequencia e foi acertado por um cruzado de esquerda do americano. Na entrevista após a luta, Anderson anunciou que estava abrindo mão de lutas pelo cinturão e deixou uma aposentadoria em aberto[30][31]:

Após o evento, Dana White respondeu:

Na semana seguinte, o presidente do UFC, Dana White, confirmou uma revanche de Anderson contra Weidman para dezembro de 2013, classificando como "A maior luta da história do UFC".[32]

A semana seguinte à luta foi tomada por polêmicas. Em um video gravado dois dias antes da luta entre Anderson e Chris Weidman, o brasileiro afirmou que a luta perfeita seria com uma vitória do americano.[33]

Nova derrota e grave lesão - UFC 168: Silva vs. Weidman II[editar | editar código-fonte]

No dia 12 de julho de 2013 Silva confirmou a revanche para o UFC 168, no dia 28 de dezembro de 2013.[34]

Anderson foi totalmente dominado no primeiro round pelo americano, que encaixava mais golpes e era mais contundente durante os 5 primeiros minutos[35] Após alguns momentos do segundo assalto, ao tentar um chute baixo lateral, característico de sua principal modalidade, o Muay Thai, Anderson quebrou a perna e perdeu a luta por estar impossibilitado de continuar e Chris Weidman venceu pela segunda vez[36].

Novo contrato[editar | editar código-fonte]

Antes mesmo de retornar ao octógono após a fratura na perna, Anderson Silva renovou seu contrato com o UFC. O lutador brasileiro espantou os rumores de aposentadoria e renovou seu acordo por um longo período. O novo contrato é de 15 lutas.

Retorno ao UFC - Anderson vs. Nick Diaz[editar | editar código-fonte]

No dia 29 de julho, o UFC anunciou que Anderson Silva lutaria dia 31 de janeiro de 2015, em Las Vegas, diante do meio-médio Nick Diaz. Nick estava afastado dos octógonos desde o UFC 158, quando perdeu a disputa do cinturão dos meio-médios para Georges St-Pierre. Essa foi a primeira luta de Nick no peso médio. Em uma luta morna, o grande destaque foi a atuação provocativa do lutador americano. Diaz chegou até mesmo a deitar no octógono durante suas provocações [37]

Anderson havia vencido por decisão unânime, mas o resultado foi alterado para No Contest (Sem resultado), devido a reprovação dos 2 atletas no exame de antidoping.[38]

Doping[editar | editar código-fonte]

Anderson Silva foi flagrado no exame antidoping após metabólitos de drostanolona e androsterona serem encontrados em seu exame de sangue, realizado pela Comissão Atlética de Nevada (NSAC) no dia 9 de janeiro de 2015, portanto dias antes da luta contra Nick Diaz, no UFC 183. O resultado do teste foi revelado em 3 de fevereiro de 2015, e o UFC confirmou a informação através de um comunicado oficial.[39]

O segundo resultado do exame antidoping feito por Anderson Silva no dia 31 de janeiro, data da sua vitória sobre Nick Diaz no UFC 183, novamente testou positivo para as substâncias proibidas. [40]

Anderson pediu três vezes adiamento para o julgamento sobre seu caso de doping, e a audiência para caso foi marcada para o dia 13 de agosto.[41]

Anderson assumiu o uso de doping para a luta contra Nick Diaz, no UFC 183. A defesa do brasileiro, no entanto, afirmou que isso aconteceu porque um dos suplementos utilizados pelo lutador estava contaminado. Ele explicou, mais exatamente, que tomou um medicamento para melhora de desempenho sexual dado por um amigo que trouxe da Tailândia.

A Comissão Atlética de Nevada não acreditou em suas explicações e decidiu punir o lutador com suspensão de um ano a contar do dia da luta, 31 de janeiro. Além disso, Anderson Silva foi multado em 30% da bolsa de US$ 600 mil (US$ 180 mil) e perdeu o bônus de US$ 200 mil pela vitória, em uma multa de cerca de R$ 1,3 milhão, e ainda terá que pagar os custos com advogados e com a investigação. Para voltar a lutar, o brasileiro terá que apresentar um teste negativo antes do próximo combate.

O brasileiro, ex-campeão dos médios, foi considerado réu primário e pegou a pena máxima de acordo com a antiga lei, que é de um ano de suspensão a contar do dia do combate. Além disso, o resultado da luta contra Nick Diaz foi alterada para "No Contest" (sem resultado).

Durante o anúncio de sua posição, a comissária Pat Lundval afirmou que Anderson teve a intenção de falsificar o questionário e disse não ter acreditado que o brasileiro tenha demonstrado qualquer remorso por ter ingerido uma substância proibida.

Já o comissário Anthony Marnell disse achar que a defesa de Anderson Silva não disse a verdade e que sente que houve a intenção de utilizar algum produto para voltar da lesão que Spider sofreu.[42]

Novo retorno ao UFC - Anderson vs Bisping[editar | editar código-fonte]

Depois de cumprir a punição de 1 ano pelo doping, Anderson lutou contra Michael Bisping no UFC Fight Night: Silva vs. Bisping no dia 27 de fevereiro, em Londres. Anderson perdeu por decisão unânime. Durante o terceiro round, Michael Bisping reclamou que seu protetor bucal teria saído durante a luta. O árbitro Herb Dean demorou para tomar uma atitude e pegou o protetor bucal do chão. Durante a reclamação de Bisping, Anderson uma joelhada no inglês no mesmo momento do gongo. Anderson se queixou muito, e após sair derrotado disse que haviam tirado sua vitória. [43]

Anderson era esperado para enfrentar Uriah Hall no UFC 198, no entanto, um problema na vesícula o tirou do card a 4 dias do evento.

UFC 200 - Substituindo Jones contra Cormier[editar | editar código-fonte]

No dia 7 de julho de 2016, dia em que Jon Jones foi removido do evento principal pela política antidoping, Anderson Silva se ofereceu com 2 dias de antecedência e substituiu Jones na luta contra Cormier no UFC 200, em uma luta de 3 rounds. Anderson foi dominado no solo durante a luta e perdeu por decisão unânime (triplo 30-26).[44]

Boatos e polêmicas sobre as Olímpiadas[editar | editar código-fonte]

Anderson iniciou sua carreira no mundo das lutas no Taekwondo. Em meio as polêmicas do Doping, em abril de 2015, Anderson manifestou seu desejo de disputar os Jogos Olímpicos do Rio-2016. [45]

Depois de várias afirmações sobre a participação do Anderson nas Olímpiadas, o seu empresário, Jorge Guimarães desmentiu a participação do atleta.[46]

A Confederação Brasileira de Taekwondo (CBTKD) mostrou descontentamento com a declaração do Jorge Joinha Guimarães. O presidente Carlos Fernandes disse ter sido surpreendido com a notícia, menos de dois meses depois de o Spider anunciar que participaria da seletiva. O dirigente afirmou que a entidade vem tentando contato com o lutador há semanas, e não tem obtido resposta.[47]

Em 29 de Dezembro de 2015, Spider, durante uma conferência telefônica para divulgar seu retorno ao UFC, disse que disputar as olimpiadas era um sonho que ele tinha, mas que esta noticia acabou gerando muita polemicas, e nao era esse seu desejo.[48]

Lutas no Boxe[editar | editar código-fonte]

Anderson Silva fez sua estréia no boxe no dia 22 de maio de 1998 contra Osmar Luiz Teixeira, sendo derrotado no 2o round por decisão técnica do juíz.[49]

Na biografia de Anderson Silva, publicada em 2012, este combate em União da Vitória não é mencionado.[49]

Sua segunda luta no Boxe profissional aconteceu no dia 06 de agosto de 2005, enfrentando o campeão baiano, Júlio Cesar (evento Minotauro Fights II). Anderson venceu o combate por nocaute, no segundo round, com uma sequência de socos.[50]

Além destas 2 lutas, no Minotauro Fights I ele foi o árbitro principal do evento.[51]

Cartel no Boxe[editar | editar código-fonte]

Resultado Cartel Oponente Metodo Data Round Tempo Local Evento Nota
xVitória 1–1 Brasil Júlio Cesar KO 6 de agosto de 2005 1 Brasil Antonio Balbino Gymnasyum, Salvador, Bahia, Brazil Minotauro Fights II
xDerrota 0-1 Brasil Osmar Luiz Teixeira TKO 22 de maio de 1998 2 (6) Brasil Ginásio Isael Pastuch União da Vitória-PR, Brazil Estréia no Boxe profissional

Luta no Muay Thai[editar | editar código-fonte]

Em 2003, Anderson fez sua única luta profissional no esporte. Ele venceu o brasileiro Tadeu San Martino, no evento Storm Muay Thai Brasil.[52][53]

Cartel no Muay Thai[editar | editar código-fonte]

Res. Cartel Oponente Método Evento Data Round Tempo Local Notas Ref.
xVitória 1-0 Brasil Tadeu San Martino KO (nocaute) STORM Muay Thai Brasil 12 de abril de 2003 1 2:57 Curitiba, Paraná Brasil [52][53]

Filme[editar | editar código-fonte]

Em 2011, foi lançado um documentário chamado "Como Água", que conta toda a preparação do lutador para ganhar o cinturão do UFC. O filme foi premiado no Tribeca Film Festival como Melhor Direção.[54]

Além de personagem de documentário, Anderson tem dois créditos como ator na carreira nos filmes “Jogo Mortal” e “Hell’s Chain” Também fez participação no filme Até que a Sorte nos Separe 2, além de, recentemente, fazer uma dublagem no filme Minhocas.[55]

Em 2015 estreia e assina como co-produtor do "Spider Life Show", um reality show online desenvolvido pela Agência Macro e dirigido por Pablo São Thiago que mostra os bastidores de sua vida com a família, treinos, negócios e lazer.[56][57] No entanto o reality foi descontinuado depois que o atleta foi flagrado no doping. [58]

Cartel no MMA[editar | editar código-fonte]

Res. Cartel Oponente Método Evento Data Round Tempo Local Notas
Derrota 33-8 (1) Estados Unidos Daniel Cormier Decisão (unânime) UFC 200: Tate vs. Nunes 09/07/2016 3 5:00 Estados Unidos Las Vegas, Nevada Luta na categoria Meio-Pesado. (93 kg)
Derrota 33-7 (1) Reino Unido Michael Bisping Decisão (unânime) UFC Fight Night: Silva vs. Bisping 27/02/2016 5 5:00 Inglaterra Londres Luta da Noite.
NC 33-6 (1) Estados Unidos Nick Diaz Sem Resultado UFC 183: Silva vs. Diaz 31/01/2015 5 5:00 Estados Unidos Las Vegas Silva testou positivo para Androsterona e Drostanolona.
Derrota 33-6 Estados Unidos Chris Weidman Nocaute Técnico (lesão) UFC 168: Weidman vs. Silva II 28/12/2013 2 1:16 Estados Unidos Las Vegas, Nevada Pelo Cinturão Peso Médio do UFC;Silva fraturou a tíbia.
Derrota 33-5 Estados Unidos Chris Weidman KO (soco) UFC 162: Silva vs. Weidman 06/07/2013 2 1:18 Estados Unidos Las Vegas, Nevada Perdeu o Cinturão Peso Médio do UFC.
Vitória 33-4 Estados Unidos Stephan Bonnar TKO (joelhada e socos) UFC 153: Silva vs. Bonnar 13/10/2012 1 4:39 Brasil Rio de Janeiro Luta na categoria Meio-Pesado (93 kg).
Vitória 32-4 Estados Unidos Chael Sonnen TKO (joelhada e socos) UFC 148: Silva vs. Sonnen II 07/07/2012 2 1:55 Estados Unidos Las Vegas, Nevada Defendeu o Cinturão Peso Médio do UFC; Nocaute da Noite.

Quebrou o recorde de mais bónus recebidos no UFC.

Vitória 31-4 Japão Yushin Okami TKO (socos) UFC 134: Silva vs. Okami 27/08/2011 2 3:01 Brasil Rio de Janeiro Defendeu o Cinturão Peso Médio do UFC.
Vitória 30-4 Brasil Vitor Belfort KO (chute frontal) UFC 126: Silva vs Belfort 06/02/2011 1 3:29 Estados Unidos Las Vegas, Nevada Defendeu o Cinturão Peso Médio do UFC; Nocaute da Noite e do Ano(2011).
Vitória 29-4 Estados Unidos Chael Sonnen Finalização (triângulo com chave de braço) UFC 117: Silva vs. Sonnen 07/08/2010 5 2:35 Estados Unidos Oakland, Califórnia Defendeu o Cinturão Peso Médio do UFC; Luta da Noite; Finalização da Noite; Luta do Ano(2010);
Vitória 28-4 Brasil Demian Maia Decisão (unânime) UFC 112: Invincible 10/04/2010 5 5:00 =Emirados Árabes Unidos Abu Dhabi Defendeu o Cinturão Peso Médio do UFC. Quebrou o recorde de defesas de um cinturão no UFC.
Vitória 27-4 Estados Unidos Forrest Griffin KO (soco) UFC 101: Declaration 09/08/2009 1 3:23 Estados Unidos Philadelphia, Pennsylvania Luta na categoria Meio-Pesado (93 kg); Luta e Nocaute da Noite.
Vitória 26-4 Brasil Thales Leites Decisão (unânime) UFC 97: Redemption 18/04/2009 5 5:00 Canadá Montreal, Quebec Defendeu o Cinturão Peso Médio do UFC.
Vitória 25-4 Canadá Patrick Côté Nocaute Técnico (lesão) UFC 90: Silva vs. Côté 25/10/2008 3 0:39 Estados Unidos Rosemont, Illinois Defendeu o Cinturão Peso Médio do UFC.
Vitória 24-4 Estados Unidos James Irvin KO (socos) UFC Fight Night: Silva vs Irvin 19/07/2008 1 1:01 Estados Unidos Las Vegas, Nevada Estreia nos Meios-Pesados (93 kg).
Vitória 23-4 Estados Unidos Dan Henderson Finalização (mata leão) UFC 82: Pride of a Champion 01/03/2008 2 4:52 Estados Unidos Columbus, Ohio Defendeu e unificou o Cinturão Peso Médio do UFC e Cinturão Meio Médio do Pride; Luta e Finalização da Noite;
Vitória 22-4 Estados Unidos Rich Franklin TKO (joelhadas) UFC 77: Hostile Territory 20/10/2007 2 1:07 Estados Unidos Cincinnati, Ohio, EUA Defendeu o Cinturão Peso Médio do UFC; Nocaute da Noite..
Vitória 21-4 Estados Unidos Nate Marquardt TKO (socos) UFC 73: Stacked 07/07/2007 1 4:50 Estados Unidos Sacramento, Califórnia Defendeu o Cinturão Peso Médio do UFC; Nocaute da Noite.
Vitória 20-4 Estados Unidos Travis Lutter Finalização (triângulo e cotoveladas) UFC 67: All or Nothing 03/02/2007 2 2:11 Estados Unidos Las Vegas, Nevada Luta não válida pelo cinturão (Lutter não bateu o peso).
Vitória 19-4 Estados Unidos Rich Franklin KO (joelhadas) UFC 64: Unstoppable 14/10/2006 1 3:57 Estados Unidos Las Vegas, Nevada Ganhou o Cinturão Peso Médio do UFC; Nocaute da Noite.
Vitória 18-4 Estados Unidos Chris Leben KO (joelhada) UFC Ultimate Fight Night 5 28/06/2006 1 0:49 Estados Unidos Las Vegas, Nevada Nocaute da Noite.
Vitória 17-4 Estados Unidos Tony Fryklund KO (cotovelada invertida) Cage Rage 16: Critical Condition 22/04/2006 1 2:02 Reino Unido Londres Defendeu o Cinturão Peso-Médio do Cage Rage
Derrota 16-4 Japão Yushin Okami Desqualificação (chute ilegal) Rumble on the Rock 8 20/01/2006 1 2:33 Estados Unidos Honolulu, Havaí Anderson foi desclassificado por aplicar uma pedalada ilegal
Vitória 16-3 Estados Unidos Curtis Stout KO (socos) Cage Rage 14: Punishment 03/12/2005 1 4:59 Reino Unido Londres Defendeu o Cinturão Peso-Médio do Cage Rage
Vitória 15-3 Estados Unidos Jorge Rivera TKO (joelhadas e socos) Cage Rage 11: Face Off 30/04/2005 2 3:53 Reino Unido Londres Defendeu o Cinturão Peso-Médio do Cage Rage
Derrota 14-3 Japão Ryo Chonan Finalização (chave de calcanhar voadora) Pride Shockwave 2004 31/12/2004 3 3:08 Japão Saitama
Vitória 14-2 Reino Unido Lee Murray Decisão (unânime) Cage Rage 8: Knights of the Octagon 11/09/2004 3 5:00 Reino Unido Londres Ganhou o Cinturão Peso-Médio do Cage Rage
Vitória 13-2 Estados Unidos Jeremy Horn Decisão (unânime) Gladiator FC: Day 2 27/06/2004 3 5:00 Coreia do Sul Seul
Vitória 12-2 Brasil Waldir dos Anjos TKO (intervenção do córner) Conquista Fight 1 20/12/2003 1 5:00 Brasil Vitória da Conquista, Bahia
Derrota 11-2 Japão Daiju Takase Finalização (triângulo) Pride 26: Bad to the Bone 08/06/2003 1 8:33 Japão Yokohama
Vitória 11-1 Canadá Carlos Newton KO (joelhada voadora e socos) Pride 25: Body Blow 16/03/2003 1 6:27 Japão Yokohama
Vitória 10-1 Japão Alexander Otsuka Decisão (unânime) Pride 22: Beasts From The East 2 29/09/2002 3 5:00 Japão Nagoya
Vitória 9-1 Estados Unidos Alex Stiebling TKO (intervenção do médico) Pride 21: Demolition 23/06/2002 1 1:23 Japão Saitama
Vitória 8-1 Brasil Roan Carneiro Finalização (socos) Mecca: World Vale Tudo 6 31/01/2002 1 5:42 Brasil Curitiba, Paraná
Vitória 7-1 Japão Hayato Sakurai Decisão (unânime) Shooto: To The Top 7 26/08/2001 3 5:00 Japão Osaka Ganhou o Cinturão dos Médios do Shooto (até 76 kg)
Vitória 6-1 Brasil Israel Albuquerque TKO (socos) Mecca: World Vale Tudo 5 09/6/2001 1 6:17 Brasil Curitiba, Paraná
Vitória 5-1 Japão Tetsuji Kato Decisão (unânime) Shooto: To The Top 2 02/03/2001 3 5:00 Japão Tóquio
Vitória 4-1 Brasil Claudionor Fontinelle TKO (chutes e joelhadas) Mecca: World Vale Tudo 4 16/12/2000 1 4:35 Brasil Curitiba, Paraná
Vitória 3-1 Brasil José Barreto TKO (socos e chute na cabeça) Mecca: World Vale Tudo 2 12/08/2000 1 1:06 Brasil Curitiba, Paraná
Derrota 2-1 Brasil Luiz Azeredo Decisão (unânime) Mecca: World Vale Tudo 1 27/05/2000 2 10:00 Brasil Curitiba, Paraná Perdeu a final do Mecca: World Vale Tudo 1
Vitória 2-0 Brasil Fabrício Camões TKO (chutes) Brazilian Freestyle Circuit 1 25/06/1997 1 25:14 Brasil Campo Grande, Mato Grosso do Sul[59]
Vitória 1-0 Brasil PinheiroRaimundo Pinheiro Finalização (mata-leão) Brazilian Freestyle Circuit 1 25/06/1997 1 1:53 Brasil Campo Grande, Mato Grosso do Sul[59]

Referências

  1. «Ícone - Anderson Silva». Maxim Brasil. Consultado em 18/10/2010. 
  2. «Perfil». ufc.com. Consultado em 8 de agosto de 2012. 
  3. «UFC: Silva vs. Irvin result from the NSAC» (PDF). Boxing.NV.gov. Consultado em April 13, 2011. 
  4. «Anderson Silva proclamado como o "melhor de todos os tempos"» (em inglês). 
  5. Ary Cunha (19/04/2010). «Anderson abre o jogo: 'Chamei o Demian de playboy, sim'». O Globo. Consultado em 04/09/2011. 
  6. Anderson Silva - Brasileiro do Ano no Esporte
  7. Marlon do Valle. «Faixas pretas do Mestre Noguchi». Revista 1° Round n° 4. Consultado em 04/09/2011. 
  8. Carlos Eduardo Ozório (08/08/2010). «Exclusivo: Anderson comenta a batalha contra Sonnen». GracieMag. Consultado em 18/10/2010. 
  9. http://ego.globo.com/Gente/Noticias/0,,MUL1672213-9798,00-A+VOZ+E+FINA+MESMO+SEMPRE+TIVE+PROBLEMA+COM+ISSO+DIZ+ANDERSON+SILVA.html
  10. Caju Freitas (15/06/2009). «ANDERSON SILVA vs. YUSHIN OKAMI». Consultado em 04/09/2011. 
  11. «Anderson Silva é o novo campeão do UFC». Globoesporte.com. 15/10/2006. Consultado em 04/09/2011. 
  12. «Anderson Silva finaliza Henderson e mantém cinturão do UFC». Tatame. 02/03/2008. Consultado em 04/09/2011. 
  13. Guilherme Cruz (20/07/2008). «Anderson atropela James Irvin». Tatame. Consultado em 04/09/2011. 
  14. «Rival se machuca e Anderson Silva mantém cinturão do UFC». Gazeta do Povo. 26/10/2008. Consultado em 04/09/2011. 
  15. «Você viu Anderson Silva?» (em inglês). 26/10/2008. 
  16. «Sob vaias, Anderson Silva vence luta morna e mantém cinturão do UFC». UOL Esporte. 19/04/2009. Consultado em 04/09/2011. 
  17. «Anderson Silva dá show, nocauteia Griffin e volta a brilhar no UFC 101». UOL Esporte. 09/08/2009. Consultado em 04/09/2011. 
  18. «Sob vaias, Anderson Silva exagera na dança para quebrar recorde no UFC». UOL Esporte. Consultado em 17/04/2010. 
  19. «UFC 112: Dana White detona Anderson Silva e se diz envergonhado». Abril.com. 11/04/2010. Consultado em 17/04/2010. 
  20. «UFC: Anderson Silva vence Chael Sonnen e mantém título dos pesos médios». O Globo. 08/08/2010. Consultado em 04/09/2011. 
  21. «Anderson Silva vs Chael Sonnen II? É uma possibilidade, mas Dana White não revela.» (em inglês). 
  22. Luiz Filipe Barboza (06/02/2011). «UFC: Anderson Silva venceu Vítor Belfort por nocaute no primeiro assalto». O Globo. Consultado em 04/09/2011. 
  23. «Anderson Silva nocauteia Yushin Okami». Veja. 28/08/2011. Consultado em 04/09/2011. 
  24. http://esporte.ig.com.br/lutas/ufc/2012-07-08/anderson-silva-arrasa-sonnen-com-nocaute-e-convida-rival-para-churrasco.html
  25. ibahia.com/ Com joelhada certeira, Anderson Silva derrota Bonnar no UFC Rio III
  26. [1] Stephan Bonnar assume doping contra Anderson Silva no UFC Rio 3: “Fiz merda”
  27. http://sportv.globo.com/site/combate/noticia/2013/02/anderson-silva-menospreza-luta-com-weidman-e-um-garoto-uma-crianca.html
  28. http://www.superlutas.com.br/noticias/16682/dana-white-revela-que-lutadores-apostam-em-weidman-contra-anderson-silva
  29. http://www.estadao.com.br/noticias/esportes,georges-st-pierre-aposta-em-weidman-contra-anderson-silva-no-ufc-162,1007310,0.htm
  30. «Spider abre mão da revanche e deixa aposentadoria em aberto: ‘Talvez’». 
  31. «Weidman luta sério, faz o impossível e vence Anderson Silva por nocaute». 
  32. «Anderson Silva deve ter revanche em 2014». 
  33. «Anderson Silva prevê derrota contra Weidman e até narra luta em entrevista antes de combate». 
  34. «Anderson Silva confirma revanche em 2013». 
  35. http://m.espn.com.br/noticia/378870_antes-de-lesao-anderson-era-dominado-por-weidman-veja-numeros
  36. Adriano Albuquerque, Evelyn Rodrigues e Ivan Raupp (29/12/2013). «Anderson sofre fratura chocante em chute, e Weidman mantém cinturão». Canal Combate. Consultado em 29 de dezembro de 2013. 
  37. http://espn.uol.com.br/noticia/480606_nick-diaz-so-provoca-ate-deita-no-chao-e-ainda-diz-achar-que-venceu-todos-os-rounds
  38. http://esportes.terra.com.br/lutas/mma/a-silva-tera-vitoria-anulada-e-luta-ficara-sem-resultado,72366116a3e5b410VgnVCM20000099cceb0aRCRD.html
  39. http://sportv.globo.com/site/combate/noticia/2015/02/rascunho-ultimate.html
  40. http://sportv.globo.com/site/combate/noticia/2015/02/anderson-silva-e-pego-novamente-no-antidoping-agora-apos-o-ufc-183.html
  41. http://www.superlutas.com.br/noticias/31678/anderson-silva-pede-por-novo-adiamento-e-audiencia-para-caso-de-doping-sera-em-agosto
  42. http://esporte.uol.com.br/mma/ultimas-noticias/2015/08/13/anderson-silva-admite-ter-usado-suplemento-contaminado.htm
  43. http://espn.uol.com.br/noticia/581072_anderson-silva-contesta-derrota-para-bisping-e-igual-no-brasil-corrupcao-total
  44. http://veja.abril.com.br/noticia/esporte/anderson-silva-nao-resiste-a-forca-de-cormier-e-e-derrotado-no-ufc-200
  45. a b globoesporte.globo.com/ Anderson Silva volta a citar vontade de disputar Jogos Olímpicos: "Sonho"
  46. http://sportv.globo.com/site/combate/noticia/2015/06/anderson-silva-nao-vai-participar-das-olimpiadas-garante-empresario.html
  47. globoesporte.globo.com/
  48. espn.uol.com.br/ Anderson Silva tenta explicar desistência de Olimpíada: "polêmicas e propósitos diferentes"
  49. a b c espn.uol.com.br/ Único nocaute sofrido por Anderson Silva é envolto em mistérios e polêmica 14 anos depois
  50. a b tatame.com.br/ Anderson estréia no Boxe com nocaute
  51. tatame.com.br/ Anderson estréia no Boxe profissional
  52. a b parana-online.com.br/ STORM Muay Thai Brasil de 2003
  53. a b pridefc.com/
  54. Documentário Como Água, que conta a trajetória de Anderson Silva, é ganhador de Prêmio em festival de Robert de Niro
  55. Anderson Silva vai fazer filme com Steven Seagal
  56. VEJA (13/01/2015). «UFC: Anderson Silva estreia reality show sobre sua vida». Agência Macro. Consultado em 13/01/2015. 
  57. Agência Macro. «Spider Life Show». 
  58. http://espn.uol.com.br/noticia/480606_nick-diaz-so-provoca-ate-deita-no-chao-e-ainda-diz-achar-que-venceu-todos-os-rounds
  59. a b «Anderson Silva tira foto do baú para relembrar primeira luta: 'Tinha 75 kg'». SporTV.com. 6 de janeiro de 2013. Consultado em 11 de fevereiro de 2013. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por:
Estados Unidos Rich Franklin
campeão do peso-médio do UFC
14 de outubro de 2006 – 6 de julho de 2013
Sucedido por:
Estados Unidos Chris Weidman