André Dahmer

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
André Dahmer
Nome completo André Dahmer Pereira
Nascimento 14 de setembro de 1974 (45 anos)
Rio de Janeiro, RJ
Residência Rio de Janeiro
Nacionalidade Brasil brasileiro
Ocupação Desenhista, artista plástico e poeta
Principais trabalhos Malvados, Quadrinhos dos Anos 10, Rei Emir e Apóstolos)

André Dahmer Pereira (Rio de Janeiro, 14 de setembro de 1974) é um desenhista brasileiro. Autor das tiras dos Malvados, que normalmente não seguem uma linha cronológica, e têm como personagens dois seres indefinidos, que são costumeiramente comparados a girassóis,[1] tirando daí o apelido que têm, "As flores do mal".

As tirinhas são uma crítica politicamente incorreta aos costumes e prisões do dia-a-dia. Devido ao comportamento dos dois personagens, ficaram conhecidos como Malvadinho (o que mais sofre) e Malvadão (o dono de críticas muito ácidas).

Além dos Malvados, o cartunista é conhecido também por ter criado o personagem Emir Saad, um ditador sádico e egocêntrico, que controla seu reino (o fictício reino do Ziniguistão) na base da carnificina, da ditadura, das ameaças, da tortura e do humor negro; a série de tiras "Apóstolos, a série", uma narrativa da história de Jesus mas com várias críticas ao cristianismo e à Igreja católica, a série "Cidade do medo", tira sobre violência e mais recentemente, a série "Quadrinhos dos Anos 10", uma série de tiras em que mostra as contradições do mundo e da sociedade contemporânea. Entre um e outro de seus personagens e séries de tiras, o autor se coloca como personagem autobiográfico e satiriza suas próprias memórias e paranoias, em especial em relação às mulheres.

Suas criações já apareceram no Jornal do Brasil, no portal de internet G1,[1] no jornal O Globo,[2] na Folha de S. Paulo, nas revistas Sexy Premium, Piauí e Caros Amigos.[3]. E também foi usada no tema da redação do Enem de 2011[4].

Dahmer se define como agnóstico[5].

Livros publicados[editar | editar código-fonte]

Dahmer costuma mudar de editora de acordo com o escopo de seu projeto. Atualmente, diz estar produzindo dois livros para serem publicados pela Editora Barba Negra.

Editora Gênesis
Editora Desiderata
  • O livro negro de André Dahmer (2007).
  • Malvados (2008).
  • A cabeça é a ilha (2009).
Editora Flâneur
  • Ninguém Muda Ninguém (2011).
Editora Barba Negra
  • Rei Emir Saad: O monstro de Zazanov (2011).

Editora Lote 42

  • A Coragem do Primeiro Pássaro (2015).

Editora Scharcz

Ver também[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: André Dahmer
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre André Dahmer

Referências

  1. a b «André Dahmer se junta ao time de quadrinistas do G1». G1. 16 de outubro de 2007. Consultado em 20 de setembro de 2009 
  2. Absurdos contemporâneos compõem tiras de Dahmer em nova coletânea
  3. Pedro Ribeiro e Otávio Nagoya. «Entrevista - André Dahmer». Caros Amigos. Consultado em 30 de abril de 2012. Arquivado do original em 13 de abril de 2012 
  4. «'Não sei se tiraria dez', diz autor de quadrinho usado na redação do Enem». Consultado em 30 de abril de 2012 
  5. «Cópia arquivada». Consultado em 19 de junho de 2012. Arquivado do original em 3 de maio de 2011 
Ícone de esboço Este artigo sobre autor ou ilustrador de banda desenhada é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.