André Fufuca

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
André Fufuca
André Fufuca
Deputado federal pelo Maranhão
Período 1 de fevereiro de 2015
até atualidade
Deputado estadual pelo Maranhão
Período 1 de fevereiro de 2011
até 1 de fevereiro de 2015
Vice-presidente da Câmara dos Deputados
Período 2 de fevereiro de 2017
até 31 de janeiro de 2019[1]
Antecessor Fernando Giacobo
Sucessor Luciano Bivar
Dados pessoais
Nascimento 27 de agosto de 1989 (30 anos)
Santa Inês, MA
Progenitores Mãe: Francisca Carvalho Ribeiro
Pai: Fufuca Dantas
Partido PSDB (2010–2011)
PSD (2011–2013)
PEN (2013–2016)
PP (2016–presente)
Profissão Médico

André Luiz de Carvalho Ribeiro, mais conhecido como André Fufuca ou Fufuquinha (Santa Inês, 27 de agosto de 1989) é um médico e político brasileiro. André Fufuca é filho do atual prefeito de Alto Alegre do Pindaré, Fufuca Dantas.[2]

Carreira política[editar | editar código-fonte]

Deputado estadual (2011-2015)[editar | editar código-fonte]

Eleito em 2010 com apenas 21 anos pelo PSDB, enquanto ainda cursava medicina, André Fufuca se tornou naquele ano o deputado estadual mais jovem do Brasil.[3][4]

Durante o mandato de deputado estadual, André Fufuca presidiu a Comissão de Assuntos Municipais e Desenvolvimento Regional (em que ganhou notoriedade pela defesa do municipalismo) e Comissão de Saúde.

Deputado federal (2015-2019)[editar | editar código-fonte]

Em 2014, André Fufuca se elegeu deputado federal pelo PEN[5], obtendo 56.879 votos.[6] Já no primeiro ano de mandato, assumiu a relatoria da CPI da Máfia das Órteses e Próteses no Brasil.[7]

No segundo ano de mandato, tornou-se o mais jovem coordenador de bancada da história do Brasil. Em 06 de maio de 2015, votou a favor do texto-base da MP 665, que endurecia as regras de seguro-desemprego e abono salarial.[8]

Em 17 de abril de 2016, votou a favor da abertura do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. Em 14 de junho de 2016, apoiou o Deputado Eduardo Cunha votando contra a sua cassação no comitê de ética da Câmara dos Deputados.[9]


Posteriormente, votou a favor da PEC do Teto dos Gastos Públicos.[10] Em abril de 2017 votou a favor da Reforma Trabalhista.[10] [11]

Em 2 de fevereiro de 2017, foi eleito 2º vice-presidente da Câmara dos Deputados.[1] Em 28 de agosto de 2017, Fufuca comandou a Câmara porque o presidente Michel Temer viajou para a China e, durante o período da visita oficial do então presidente ao país asiático, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia exerceu a Presidência da República interinamente. Caberia, inicialmente, ao primeiro-vice-presidente da Câmara, Fábio Ramalho, assumir o comando da Casa, mas o peemedebista viajou com Temer. Por isso, Fufuca assumiu o cargo em caráter provisório.[12][13]

Em agosto de 2017 votou contra o processo em que se pedia abertura de investigação do então Presidente Michel Temer, ajudando a arquivar a denúncia do Ministério Público Federal.[10][14]

Referências

  1. a b «Mesa Diretora da Câmara terá apenas uma mulher; veja composição». UOL. 2 de fevereiro de 2017. Consultado em 3 de fevereiro de 2017 
  2. Minas, Estado de (29 de agosto de 2017). «Conheça Fufuca, o deputado que vai comandar a Câmara». Estado de Minas 
  3. «Conheça Fufuca, deputado que comandará a Câmara na ausência de Maia». Poder360. 27 de agosto de 2017 
  4. «'Menudo' do Maranhão, André Fufuca ganhou projeção na Câmara sob proteção de Cunha». O Globo. 29 de agosto de 2017 
  5. 24/7, Brasil (28 de agosto de 2017). «Com Maia substituindo Temer, Câmara será presidida por André Fufuca». jornal 
  6. Minas, Estado de (29 de agosto de 2017). «Conheça Fufuca, o deputado que vai comandar a Câmara». Estado de Minas 
  7. «CPI da Máfia das Próteses aprova relatório final com propostas para coibir fraudes». Portal da Câmara dos Deputados. Consultado em 29 de agosto de 2017 
  8. «Saiba como se posicionou cada deputado na votação de MP do ajuste». Política. 7 de maio de 2015 
  9. «Por 11 a 9, Conselho de Ética aprova parecer pela cassação de Cunha». Política. 14 de junho de 2016. Consultado em 14 de junho de 2016 
  10. a b c G1 (2 de agosto de 2017). «Veja como deputados votaram no impeachment de Dilma, na PEC 241, na reforma trabalhista e na denúncia contra Temer». Consultado em 11 de outubro de 2017 
  11. Redação (27 de abril de 2017). «Reforma trabalhista: como votaram os deputados». Consultado em 18 de setembro de 2017 
  12. «André Fufuca assume Câmara nesta terça e defende votação da reforma política». G1 
  13. «Com viagem de Temer à China, André Fufuca herda o comando da Câmara». Folha de S.Paulo 
  14. Carta Capital (3 de agosto de 2017). «Como votou cada deputado sobre a denúncia contra Temer». Consultado em 18 de setembro de 2017