André Nunes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita fontes confiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto. (desde outubro de 2011) Ajude a melhorar esta biografia providenciando mais fontes confiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes confiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
André Nunes
Nome completo André Filipe Vitorino Maximiano Nunes
Nascimento 26 de abril de 1979 (39 anos)
Nacionalidade português
Ocupação Ator
IMDb: (inglês)

André Filipe Vitorino Maximiano Nunes[1] (26 de abril de 1979) é um actor português. Concluiu o curso profissional da ACT - Escola de actores para cinema e televisão em 2002 e desde então tem trabalhado em cinema, televisão e teatro, tendo-se popularizado com a personagem Gil na telenovela Ilha dos Amores.

Em 2011 mudou-se para a SIC.[2]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Cinema[editar | editar código-fonte]

Teatro[editar | editar código-fonte]

  • Danças a um Deus Pagão de Brian Friel encenação de José Peixoto - Tradução de Paulo Eduardo Carvalho (2015)
  • "Conto de Natal a partir de Charles Dickens" encenação Jorge Gomes Ribeiro (2015)
  • "Em baixo e em cima a propósito de Beckett" encenação de Jorge Gomes Ribeiro (2015)
  • "Secreta ideia original de Nuno Machado" Encenação de Nuno Machado, André Nunes e Nádia Santos
  • “O marido vai à caça” encenação de Maria João Luís (2011)
  • "As obras completas de William Shakespeare (em 97 minutos)” encenação de Juvenal Garcês (2010)-(2014)
  • "A Maluquinha de Arroios”, de André Brun, encenação de Maria João Luís (2010)
  • "Raparigas” texto de Neil LaBute, encenação de Almeno Gonçalves (2009)
  • "Dia do pai” encenação de Almeno Gonçalves (2008/09)
  • “Felizmente há luar” encenação de Hélder Costa (2006)
  • “Os renascentistas” encenação de Hélder Costa (actor substituto) (2005/06)
  • “A princesa do amor de sal” encenação de Rita Lello (peça infantil) (2005)
  • “O mistério da camioneta fantasma” encenação de Hélder Costa (2005)
  • “Mater” encenação de João D’Ávila (teatro da barraca) (2005)
  • “Pedras rolantes” encenação de António Pires (actor substituto) (2004)
  • “Lendas do Mar” encenação de Manuel Mendes (companhia teatral do Chiado/teatro estúdio Mário Viegas) (2004)
  • “Bobo e a sua mulher esta noite na pancomédia” encenação de João Lourenço (teatro nacional S. João e teatro aberto) (2004/03)

Referências

  1. Entrevista ao Talking Skins
  2. A Televisão.com.br (03 de Março de 2011). «André Nunes fala sobre a proposta da SIC». Consultado em 03 de Maio de 2012.  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)
  3. Sic (15 de Abril de 2011). «Os talentos do actor André Nunes». Consultado em 03de Maio de 2012.  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]