Andrea Mandorlini

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Andrea Mandorlini
Andrea Mandorlini
Mandorlini em 2015.
Informações pessoais
Nome completo Andrea Mandorlini
Data de nasc. 17 de julho de 1960 (58 anos)
Local de nasc. Ravenna, Itália
Altura 1,79 m
Informações profissionais
Equipa atual Itália Cremonese
Posição Treinador (Ex-zagueiro/meio-campista)
Clubes de juventude
1970–1978 Itália Ravenna
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1978–1980
1980–1981
1981–1984
1984–1991
1991–1993
Itália Torino
Itália Atalanta
Itália Ascoli
Itália Internazionale
Itália Udinese
27 (0)
34 (1)
73 (5)
180 (9)
42 (2)
Seleção nacional
1980 Flag of Italy.svg Itália Sub-21 1 (0)
Times/Equipas que treinou
1993–1994
1994–1998
1998–1999
1999–2002
2002–2003
2003–2004
2006
2006–2007
2007
2008–2009
2009–2010
2010–2015
2017
2018–
Itália Manzanese
Itália Ravenna (auxiliar-técnico)
Itália Triestina
Itália Spezia
Itália Vicenza
Itália Atalanta
Itália Bologna
Itália Padova
Itália Siena
Itália Sassuolo
Romênia CFR Cluj
Itália Hellas Verona
Itália Genoa
Itália Cremonese








13
45
33
216
6

Andrea Mandorlini (Ravenna, 17 de julho de 1960) é um ex-futebolista e treinador de futebol italiano que atuava como zagueiro ou meio-campista.[1] Atualmente comanda a Cremonese.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Em sua carreira como jogador, iniciada em 1978 no Torino (embora sua estreia oficial fosse em 1979), Mandorlini passou também por Atalanta e Ascoli até 1984, quando foi contratado pela Internazionale, onde viveu sua melhor fase. Destacou-se, principalmente, na temporada 1988-89, onde a equipe treinada por Giovanni Trapattoni obteve a maior pontuação na história da Série A quando as vitórias valiam 2 pontos na época - 58 no total, além de ser um dos líderes de uma defesa que sofreu apenas 19 gols.

Nas temporadas de 1989-90 e 1990-91, perdeu espaço para os jovens Sergio Battistini e Massimo Paganin, embora continuasse importante no elenco nerazzurro e participasse da maioria dos jogos na campanha que deu o título da Copa da UEFA (atual Liga Europa). Depois de 180 jogos e 9 gols, saiu da Inter e assinou com a Udinese, onde permaneceu por 2 temporadas. Chegou a jogar com o argentino Roberto Sensini, um dos principais zagueiros do futebol italiano na década de 1990 e início da década seguinte, antes de se aposentar em 1993, aos 32 anos de idade.

Carreira como técnico[editar | editar código-fonte]

Pouco depois de encerrar a carreira, Mandorlini virou técnico do Manzanese, equipe amadora da província de Údine, porém não teve um bom desempenho. Ainda em 1993, virou auxiliar-técnico do Ravenna, pelo qual deu os primeiros passos no futebol. Voltaria a ser treinador em 1998, comandando a Triestina.

Ele ainda treinou Spezia, Vicenza, Atalanta, Bologna, Padova, Siena, Sassuolo[2] e CFR Cluj[3] (primeiro clube não-italiano em que trabalhou e onde venceu o Campeonato Romeno, a Copa nacional e a Supercopa) até 2010, quando voltaria ao país natal para comandar o Hellas Verona. Em 5 temporadas e meia, levou a equipe da Lega Pro Prima Divisione para a primeira divisão, que não disputava desde 2002, mas terminaria demitido em novembro de 2015 após uma sequência de maus resultados.[4] Desde então, Mandorlini permaneceu o ano de 2016 sem treinar nenhum time. Voltaria à ativa em fevereiro de 2017, substituindo o croata Ivan Jurić no Genoa. Sua passagem pelos Grifoni durou apenas 6 jogos.

Em abril de 2018, foi contratado para o lugar de Attilio Tesser na Cremonese.[5]

Seleção[editar | editar código-fonte]

Mesmo vivendo boa fase na Internazionale, nunca foi convocado para defender a Seleção Italiana principal, tendo jogado apenas 1 vez pela equipe Sub-21, em 1980.

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Seus filhos, Matteo e Davide, também são jogadores de futebol - o primeiro (nascido em 1988) foi revelado pelo Parma em 2006, atuando em um jogo; Davide (o mais velho, nascido em 1983), assim como seu pai, iniciou a carreira no Ravenna em 2001 e teve passagem razoável pelo Perugia entre 2005 e 2007.

Referências

  1. Arthur Barcelos. «Andrea Mandorlini, o líbero da grande Inter de Trapattoni». Calciopédia. Consultado em 7 de junho de 2018 
  2. «Andrea Mandorlini è il nuovo allenatore del Sassuolo Calcio» (em italiano). US Sassuolo Calcio. 7 de julho de 2008. Consultado em 7 de julho de 2008. Arquivado do original em 22 de julho de 2010 
  3. «Bun venit, Andrea Mandorlini!» (em romeno). CFR Cluj. 15 de novembro de 2009. Consultado em 16 de novembro de 2009. Arquivado do original em 19 de novembro de 2009 
  4. «Verona, esonerato Mandorlini. In arrivo Corini» (em italiano). Corriere dello Sport – Stadio. 30 de novembro de 2015. Consultado em 1 de dezembro de 2015 
  5. «ANDREA MANDORLINI NUOVO TECNICO DELLA PRIMA SQUADRA» (em italiano). Cremonese. 24 de abril de 2018