Andreas Samaris

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Andreas Samaris
Andreas Samaris
Samaris no Benfica em 2016.
Informações pessoais
Nome completo Andreas Samaris - Deus Grego
Data de nasc. 13 de junho de 1989 (29 anos)
Local de nasc. Patras, Grécia Grécia
Nacionalidade Grécia Grega
Altura 1,89 m
Informações profissionais
Clube atual Portugal Benfica
Número 22
Posição Meia
Clubes profissionais2
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
2006–2009
2009–2013
2013–2014
2014–
Grécia Panachaiki
Grécia Panionios
Grécia Olympiakos
Portugal Benfica
00038 0000(3)
00074 0000(6)
00038 0000(4)
000144 0000(3)
Seleção nacional3
2007
2013–
Grécia Grécia Sub-17
Grécia Grécia
00001 0000(3)
00033 0000(1)


2 Partidas e gols totais pelo
clube, atualizados até 3 de abril de 2016.
3 Partidas e gols da seleção nacional estão atualizados
até 18 de novembro de 2018.

Andreas Samaris (Grego: Ανδρέας Σάμαρης) - Deus Grego - nasceu a 13 de Junho de 1989 na cidade de Patras. É um futebolista Grego que atua como trinco (volante). Atualmente, joga pelo Benfica.

Foi convocado para defender a Grécia na Copa do Mundo FIFA de 2014.[1]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Começou a sua carreira profissional em 2006, no Panachaiki, depois de passar dez anos na formação do PAO Patras, Assinou pelo Panionos em 2010 e chegou ao Olympiacos em 2013, onde foi campeão e uma das figuras-chave. Actualmente é peça preciosa no meio campo defensivo do Sport Lisboa e Benfica.

Panachaiki[editar | editar código-fonte]

Com 17 anos, Samaris assinou o primeiro contrato profissional, com o Panachaiki, da terceira divisão grega. Era considerado uma das maiores promessas e tudo correu bem nas primeiras 2 épocas, mas na altura de renovar contrato, e por não concordar com os termos, foi colocado de parte pela equipa técnica. Acabou por rescindir por mútuo acordo, em 2009, com o presidente da equipa, um dos mais famosos advogados gregos, a acusar Samaris de lesionar intencionalmente os colegas por não ser opção do treinador, algo que acabou por não ser confirmado.

Panionios[editar | editar código-fonte]

No início de 2010, assinou pelo Panionios, da primeira divisão, depois de uma semana de testes.

Benfica[editar | editar código-fonte]

Chegou ao Clube da Luz na época 2014/15 pela quantia de 9 Milhões de Euros. Apesar da desconfiança inicial, Samaris afirmou-se como titular absoluto do conjunto treinado por Jorge Jesus, que viria a conquistar a Liga Nos, a Taca da Liga e a Supertaça.

2015/16[editar | editar código-fonte]

Com a chegada de Rui Vitoria, o grego parecia começar a perder espaço na posição de Trinco. As constantes lesões do sérvio Ljubomir Fejsa devolveram-lhe espaço, fazendo dupla no meio campo com o jovem Renato Sanches. Marcou seu primeiro golo pelo Benfica a 29 de Agosto de 2015, frente ao Moreirense, numa vitoria por 3-2. Voltaria a marcar, de livre, no dia 1 de Abril de 2016, numa vitoria de 5-1 frente ao Sporting de Braga. Acabou por ter um papel importante numa equipa que conquistou a Liga Nos e a Taca da Liga.

2016/17:

A enorme preponderancia de Ljubomir Fejsa no esquema de Rui Vitoria fez com que o grego fosse sempre uma solucao de recurso, embora continuasse a ser sempre um favorito dos fas, pelo profissionalismo e empenho demonstrado(comecou a falar fluentemente portugues). Embora realizasse somente 32 Jogos(0 Golos), esteve presente(como titular) no duplo confronto com o Porto e ante o Borussia Dortmund, na pesada derrota que ditou o afastamento do Benfica da Champions League.No dia 23 de Maio, foi castigado por 4 jogos na sequencia de um soco a Diego Ivo. Adicionou mais 3 titulos ao seu palmares pessoal.

Como Joga[editar | editar código-fonte]

No Inicio de sua carreira, era mais frequente vê-lo a actuar como Médio Interior ou ate Médio Ofensivo mas, após a sua chegada ao Benfica apostou nele actuando como Trinco. Jogador de posse, sabe construir jogo, embora não seja exímio no passe longo e impõe o físico(1.89m) com naturalidade. Chegou a ser utilizado por Rui Vitoria como Defesa Central, numa hora em que o conjunto encarnado possuía muitos lesionados no seu quadro de jogadores. Remata bem, principalmente na sequência de livres, mas tem no Jogo Aéreo(Ofensivo e Defensivo) um ponto a melhorar.

Vida Pessoal[editar | editar código-fonte]

A mãe fez de tudo para que ele não fosse jogador de Futebol. Samaris jogou em clubes desde os 7 anos, fazendo toda a formação na equipa onde o seu pai tinha jogado como guarda-redes. Durante esse tempo, a mãe não concordava que fosse esse o futuro do filho e foi bastante disciplinadora no que toca aos estudos, só se mostrando realmente conformada com a escolha do filho quando este marcou um golo pela seleção da Grécia, que dedicou à mãe, com a imprensa grega a especular que terá sido uma espécie de vingança, mas que o jogador negou.

O seu maior sonho a nível profissional é atingir o mesmo estatuto nacional e internacional de Katsouranis, a sua maior referência no futebol. Ao longo da sua carreira, Andreas Samaris viveu o mesmo problema que Katsouranis, com vários treinadores a arranjarem-lhe novas posições em campo, desde trinco a médio ofensivo, passando pelo miolo ou pelas laterais. Isso acabou por fazer de Samaris um jogador polivalente, mas com preferência como trinco para observar melhor o terreno quando tem a bola. Segundo o próprio, identifica muito essas funções com as de Katsouranis, que considera ser um orgulho para o país, e gostaria de atingir o mesmo nível do antigo internacional grego.

Em 2012, antes de assinar pelo Olympiacos, Samaris ganhava pouco mais de 1000€ mensais no Panionios. Um contrato de 20 000€ por ano, numa altura em que a Grécia já estava imensamente mergulhada numa terrível crise financeira, acabou por ser uma excelente almofada, como o próprio jogador confirmou, embora sofresse bastante com os salários em atraso e só tenha ultrapassado dificuldades financeiras quando começou a jogar pelo campeão grego. Um ano depois, estava na selecção e assinava contrato com o Benfica.

Enviou pacotes com computadores para uma instituição psiquiátrica infantil na Grécia. Em Abril deste ano leu que uma instituição da sua cidade não estava a receber do governo grego apoio informático e decidiu enviar toda a tecnologia necessária para o funcionamento informático do centro. Depois de falar com a sua mãe, que estava em contacto com o director do centro, enviou um pacote surpresa para as instalações do centro e colocou ponto final num problema que durava quase há um ano, e que impedia as crianças de desenvolver aptidões informáticas. [2]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Olympiakos[editar | editar código-fonte]

Benfica[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Terra.com.br. «Grécia divulga lista definitiva para a Copa do Mundo». Consultado em 19 de maio de 2014 
  2. «Blasting News. Cinco curiosidades inéditas sobre Andreas Samaris». 2 junho 2015. Consultado em 18 junho 2015 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]