Androcônia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Nas asas dianteiras desta borboleta Argynnis paphia estão localizados os órgãos de androcônia, como ranhuras nas asas.[1]
Fotografias mostrando parte das asas de uma fêmea (à esquerda) e de um macho (à direita) de Danaus plexippus (borboleta-monarca), mostrando o órgão de androcônia masculino em destaque.

Androcônia (português brasileiro) ou Androcónia (português europeu)[2][3] (podendo receber as definições inglesas de scent brushes -escovas de perfume-, hair pencils -pincéis de cabelo-, ou coremata -tubos infláveis, como órgãos; cujo significado em língua grega é espanador de penas)[4][5][6][7] é a denominação dada à presença de estruturas de caráter sexual localizadas no corpo e principalmente nas asas anteriores e posteriores de insetos machos da ordem Lepidoptera (borboletas e mariposas, ou traças), cuja função seja a de dispersão de perfume, nomeado feromônio, para a atração de fêmeas para a cópula. Estas estruturas podem assumir uma área de modificação de escamas, associadas a estruturas glandulares, nas asas, que acabam recebendo o termo de escamas androconiais; na forma de riscas ou manchas escuras, ligeiramente levantadas e, muitas vezes, tendo uma aparência farinácea; ou podendo assumir a forma de tufos, franjas ou dobras.[1][8][9][10][11][12]

A androcônia também pode assumir a forma de órgãos dispersores na ponta do abdômen de fêmeas de borboletas Battus, Parides, Troides, Ornithoptera e Heliconius e também em machos e fêmeas de certas famílias de mariposas, ou traças, como Saturniidae, Lasiocampidae, Crambidae, Erebidae e Lymantridae.[8][11][13][14] Na maioria dos táxons a aparência desses órgãos correlaciona-se mal com sua relação taxonômica e provavelmente não há outra estrutura, em insetos, que mostre tanta heterogeneidade na forma ou que seja tão efêmera em aparência como a androcônia dos Lepidoptera.[7] Os coremata da extremidade do abdome de algumas mariposas macho, como Chionarctia nivea[15] e Creatonotos gangis[4], chegam a ser grandes para suas dimensões. Ao entrar em contato com uma fêmea receptiva, eles se esvaziam e o pênis se infla.[5]

Referências

  1. a b «Androconia» (em inglês). Amateur Entomologists' Society (AES). 1 páginas. Consultado em 5 de março de 2018 
  2. Casagrande, Mirna M. (2002). «Naropini Stichel, taxonomia e imaturos (Lepidoptera, Nymphalidae, Brassolinae)» (PDF). Revista Brasileira de Zoologia. 19 (2). (SciELO). p. 482. 569 páginas. Consultado em 8 de março de 2018. Androcônia (Figs 21-23) na face ventral da asa anterior sobre a metade de 2A, de aspecto oval e tamanho uniforme em todas as espécies da tribo. 
  3. A acentuação da palavra pode tratar-se de pesquisa primária, visto não se ter encontrado exemplo em português de Portugal.
  4. a b c Crew, Bec (6 de novembro de 2017). «This incredible moth is one of Australia's strangest insects» (em inglês). Australian Geographic. 1 páginas. Consultado em 5 de março de 2018. Arquivado do original em 5 de março de 2018 
  5. a b Pearson, Gwen (17 de dezembro de 2012). «Inflatable Moth Butt Featherdusters» (em inglês). Wired. 1 páginas. Consultado em 9 de março de 2018 
  6. Birch, M. C.; Poppy, G. M.; Baker, T. C. (1990). «Scents and Eversible Scent Structures of Male Moths» (em inglês). Annual Review of Entomology 35. 1 páginas. Consultado em 5 de março de 2018 
  7. a b ROITBERG, Bernard D.; ISMAN, Murray B. (1992). Insect Chemical Ecology. An Evolutionary Approach (em inglês). Great Britain: Springer Science & Business Media - Google Books. p. 289. 360 páginas. ISBN 0-412-01871-3. Consultado em 5 de março de 2018 
  8. a b Hoskins, Adrian. «Butterfly Anatomy» (em inglês). Learn about butterflies. 1 páginas. Consultado em 5 de março de 2018 
  9. «Definition of androconium» (em inglês). Merriam-Webster. 1 páginas. Consultado em 5 de março de 2018 
  10. «Androconial Scale» (em inglês). Encyclopedia.com. 1 páginas. Consultado em 5 de março de 2018 
  11. a b CAPINERA, John L. (2008). Encyclopedia of Entomology (em inglês). Leipzig: Springer Science & Business Media - Google Books. p. 585. 4346 páginas. ISBN 978-1-4020-6242-1. Consultado em 8 de março de 2018 
  12. SMART, Paul (1975). The Illustrated Encyclopaedia of the Butterfly World, In Colour. Over 2.000 species reproduced life size (em inglês). London: Salamander Books Ltd. p. 23. 274 páginas. ISBN 0-86101-101-5 
  13. itchydogimages (13 de abril de 2012). «Female Flower-tail or Cucumber Moth (Diaphania indica, Crambidae (em inglês). Flickr. 1 páginas. Consultado em 5 de março de 2018 
  14. «Androconial Organs in Arctiine Moth» (em inglês). Forstzoologie und Entomologie - Albert Ludwigs Universität Freiburg. 1 páginas. Consultado em 5 de março de 2018 
  15. Grenoble, Ryan (17 de dezembro de 2013). «This Is How A Moth Picks Up Ladies, And It's Terrifying» (em inglês). The Huffington Post. 1 páginas. Consultado em 5 de março de 2018 
  16. SMART, Paul (Op. cit., p.68-69.).