Andy Murray

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Tenista Andy Murray
2015 Australian Open - Andy Murray 12 (cropped).jpg
Andy Murray no Aberto da Austrália 2015
País  Reino Unido
Residência Londres[1]
Data de nasc. 15 de maio de 1987 (28 anos)
Local de nasc. Dunblane, Escócia[1]
Altura 1,90m
Peso 84kg
Treinado por Amélie Mauresmo
Profissionalização 2005
Mão Destro (revés de duas mãos)
Prize money US$ 37 752 984 Fonte
Simples
Vitórias-Derrotas 517–157 (76,29%)
Títulos 32
Melhor ranking N° 2 (17 de agosto de 2009)
Ranking atual simples Nº 3 (06 de abril de 2015)
Resultados de Grand Slam
Open da Austrália F (2010, 2011, 2013, 2015)
Open da França SF (2011, 2014, 2015)
Wimbledon V (2013)
U.S. Open V (2012)
Torneios principais
Tour Finals SF (2008, 2010, 2012)
Duplas
Vitórias-Derrotas 56–60
Títulos 2
Melhor ranking N° 51 (17 de outubro de 2011)
Medalhas
Jogos Olímpicos
Ouro Londres 2012 Simples
Prata Londres 2012 Duplas mistas
Última atualização em: 06 de abril de 2015.

Andrew "Andy" Barron Murray, O.B.E. (Dunblane, 15 de maio de 1987) é um tenista profissional escocês, irmão do também tenista Jamie Murray.

Alcançou o top-10 do ranking mundial masculino da ATP pela primeira vez em 16 de abril de 2007, e foi número 2 do ranking mundial de simples entre 17 e 31 de agosto de 2009.

Venceu o Grand Slam do U.S. Open de 2012. E com essa conquista em Nova Iorque, quando derrotou Novak Djokovic em cinco sets na final, Murray tornou-se no primeiro britânico a vencer um dos "Grand Slam" desde 1936, quando Fred Perry venceu igualmente o U.S. Open. Este título faz dele o único britânico a se tornar campeão de um Grand Slam durante a Era Aberta.

Conquistou o Grand Slam de Wimbledon de 2013. E com essa conquista Murray se tornou o primeiro jogador britânico de simples a conquistar o título masculino deste Grand Slam desde Fred Perry em 1936, e o primeiro escocês a ganhar um título de simples em Wimbledon desde Harold Mahoney em 1896.

Além dos dois títulos de Grand Slam no seu currículo: U.S. Open em 2012 e Wimbledon em 2013. Andy Murray foi vice-campeão em outras seis finais de Grand Slam de simples: U.S. Open 2008, Australian Open 2010, 2011, 2013, 2015 e Wimbledon 2012, perdendo três delas para o suíço Roger Federer e três para o sérvio Novak Djokovic.

Nos Jogos Olímpicos de Londres em 2012, Murray derrotou Roger Federer em três sets para ganhar a medalha de ouro no individual masculino, tornando-se o primeiro campeão britânico em mais de 100 anos. Também ganhou a medalha de prata em duplas mistas.

Murray é o único tenista masculino a ganhar uma medalha de ouro olímpica e o Grand Slam do U.S. Open no mesmo ano. Também faz parte do chamado Big Four do Tênis (Os quatro melhores), ao lado de Roger Federer, Rafael Nadal e Novak Djokovic.

Andy Murray é o sexto maior campeão de torneios ATP World Tour Masters 1000 com dez conquistas, sendo dois Masters do Canadá, dois Masters de Cincinnati, dois Masters de Shanghai, dois Masters de Miami e dois Masters de Madrid.

Carreira[editar | editar código-fonte]

2005[editar | editar código-fonte]

Murray começou 2005 como Nº 407 no mundo e, em março, se tornou o mais jovem tenista britânico a jogar na Copa Davis na história. Murray se tornou profissional em abril e recebeu um wild card para o torneio de Barcelona, onde perdeu em três sets para Jan Hernych. Murray então alcançou as semi-finais do Aberto da França, no juvenil, onde perdeu em dois sets para Marin Cilic. Murray então recebeu um wild card para o torneio de Queen's, onde alcançou sua primeira vitória em um torneio da ATP, vencendo Santiago Ventura por 2 sets a 0. Depois de uma vitória na segunda rodada, jogou contra o ex-campeão do Aberto da Austrália Thomas Johansson na terceira rodada, perdendo em três sets. Depois de sua participação em Queen's, Murray recebeu um wild card para Wimbledon. Então Nº312 do mundo, Murray se tornou o primeiro escocês na era aberta à chegar a terceira rodada do torneio masculino de simples em Wimbledon. Na terceira rodada, Murray perdeu para David Nalbandian, que viria a ser finalista.[2]

Após Wimbledon, Murray perdeu na segunda rodada em Newport no Hall of Fame Tennis Championships, mas ganhou o evento nas quadras duras de Aptos e Binghamton, Nova York. Ele, então, participou de seu primeiro torneio de Master 1000, em Cincinnati, onde venceu Taylor Dent, antes de perder em três sets para o então Nº4 do mundo Marat Safin. Com uma entrada de wild card para o US Opene, Murray derrotou Andrei Pavel na primeira rodada, onde se recuperou após estar perdendo por 2 sets a 0 e vencer em 5 sets. Murray perdeu na segunda rodada para Arnaud Clément, novamente em 5 sets. Murray foi novamente selecionado para a Copa Davis, desta vez contra a Suíça. Ele foi escolhido para o jogo de abertura, perdendo em dois sets para Stanislas Wawrinka. Murray em seguida, fez sua primeira final de ATP, no Aberto da Tailândia, onde ele enfrentou o Nº1 do mundo Roger Federer. Murray perdeu em dois sets. Em 3 de outubro, Murray entrou pela primeira vez para o top-100. Em seu último torneio do ano, no ATP 250 da Basileia, Murray enfrentou o então Nº1 britânico Tim Henman na rodada de abertura. Murray derrotou em três sets, antes de fazer o mesmo com Tomas Berdych. Ele, então, foi derrotado na terceira rodada por Fernando González. Ele terminou o ano como Nº64 do mundo e foi escolhido pela BBC Sports como Personalidade do ano na Escócia.[3]

2006[editar | editar código-fonte]

Murray começou a temporada em Adelaide, vencendo seu jogo de abertura contra Paolo Lorenzi em três sets, antes de perder para Tomas Berdych. Depois de uma vitória na primeira rodada em Auckland, Murray perdeu três partidas seguidas, incluindo uma partida de primeira rodada no Aberto da Austrália. Murray acabou com a sequência negativa ao bater Mardy Fish em dois sets, quando disputava o torneio de San Jose, Califórnia, vindo a ganhar seu primeiro título de ATP, derrotando o então Nº11 do mundo Lleyton Hewitt na final.[4] A corrida para a final incluiu sua primeira vitória sobre um jogador top-ten, Andy Roddick, então Nº3 do mundo[5] , para chegar a sua segunda final de ATP. Murray chegou as quartas em Memphis, caindo para Soderling. Murray ganhou um total de três partidas entre o final de fevereiro e meados de junho, sendo derrotado na primeira fase do Aberto da França por Gael Monfils, em cinco sets. Após o Aberto da França, onde Murray se contundiu, revelou-se que seus ossos não estavam totalmente crescidos, fazendo com que ele sofresse de cólicas e problemas nas costas.

No Aberto de Nottingham, Murray perdeu para Andreas Seppi nas quartas de final. Ele avançou para a quarta rodada em Wimbledon antes de perder para o finalista do Aberto da Austrália Marcos Baghdatis. Murray chegou às semifinais do Hall of Fame Tennis Championships. Ele perdeu nas semifinais para Justin Gimelstob. Murray, então, ganhou uma partida na Copa Davis (mas perdeu em duplas), foi finalista no clássico Legg Mason Tennis, e em seguida, chegou a sua primeira semi-final de Masters Series, em Toronto na Copa Rogers. Murray perdeu para Richard Gasquet em dois sets. No ATP Masters Series em Cincinnati, Murray tornou-se apenas um dos dois jogadores, ao lado de Rafael Nadal, a vencer Roger Federer em 2006. Ele perdeu duas rodadas depois para Andy Roddick. Ele também chegou à quarta rodada do Aberto dos EUA, perdendo em quatro sets para Davydenko. Na Copa Davis, Murray venceu as duas partidas em simples, mas perdeu nas duplas. Na Ásia, perdeu para Henman, pela primeira vez em dois sets em Bangkok. Nos dois últimos eventos Masters em Madrid e Paris, Murray foi eliminado nos dois torneios na terceira rodada, encerrando a temporada, com derrotas para Novak Djokovic e Dominik Hrbaty.

2007[editar | editar código-fonte]

A temporada começou bem para Murray, chegando a final do Aberto do Qatar, perdendo para Ivan Ljubicic na final. Murray chegou à quarta rodada do Aberto da Austrália, onde perdeu uma partida de cinco sets contra o Nº2 do mundo Rafael Nadal.[6] Em seguida, defendeu com sucesso seu título em San Jose, derrotando Ivo Karlovic na final.[7] Murray então foi três vezes semi-finalista em Memphis, Indian Wells e Miami, perdendo uma vez para Andy Roddick e duas vezes para Novak Djokovic. Antes da temporada de saibro, Murray derrotou Raemon Sluiter na Copa Davis para ajudar a Grã-Bretanha a conquistar o empate. Murray perdeu na primeira rodada em Roma para Gilles Simon em três sets. Em sua primeira partida em Hamburgo, Murray estava vencendo por 5-1, quando bateu um forhand do fundo da quadra e machucou os tendões em seu pulso. Por causa desta lesão, Murray perdeu grande parte da temporada, incluindo o Aberto da França e Wimbledon.

Ele voltou na Rogers Cup no Canadá, mas perdeu para Fabio Fognini na segunda rodada. No Masters de Cincinnati, Murray bateu Marcos Baghdatis na primeira rodada, indo até a 4ª rodada. No Aberto dos EUA, Murray perdeu na terceira rodada para Hyung-Taik Lee em quatro sets. Depois de ganhar uma partida na Copa Davis contra a Croácia, Murray chegou à final em Metz, onde perdeu para Tommy Robredo. Murray foi eliminado precocemente em Moscou e Madri. Murray melhorou seu jogo e ganhou seu terceiro título de ATP em St.Petersburgo, batendo Fernando Verdasco na final. No final de 2007, em Paris, Murray foi eliminado nas quartas de final por Richard Gasquet. Com esse resultado, ele terminou o ano como 11º no mundo.

2008[editar | editar código-fonte]

Murray no US Open em 2008

Murray re-entrou no top-10 no início de 2008, após ganhar o título no Qatar ExxonMobil sobre Stanislas Wawrinka. Ele era o cabeça de chave Nº9 no Aberto da Austrália, mas foi derrotado pelo eventual vice-campeão Jo-Wilfried Tsonga na primeira rodada.[8] Murray venceu o Aberto de Marselha, França sobre Mario Ancic, mas perdeu o primeiro jogo em Roterdã. Em Dubai Murray perdeu nas quartas de finais contra Davydenko. Em Indian Wells, Murray perdeu na quarta rodada para Tommy Haas, e depois perdeu na primeira rodada para Mario Ancic, em Miami.

Nas quadras de saibro de Monte Carlo, Murray venceu Novak Djokovic na terceira rodada, e depois teve duas saídas precoces em Barcelona e Roma. Em Hamburgo, depois de duas vitórias fáceis, Murray perdeu para Rafael Nadal, enquanto em Roland Garros, foi derrotado por Nicolás Almagro em quatro sets na terceira rodada. Em Queen's, Murray foi forçado a se retirar nas quartas-de-final contra Andy Roddick, após se lesionar, mas Wimbledon alcançou as quartas-de-final pela primeira vez. Murray disputou uma partida emocionante de cinco sets contra Richard Gasquet na quarta rodada, antes de perder para o No.2 do mundo Rafael Nadal. Na Rogers Cup, Murray perdeu para Nadal na semi-final, mas em Cincinnati ganhou seu primeiro Masters 1000, ao derrotar Djokovic após dois tie-breakers. Nas Olimpíadas, Murray foi eliminado na primeira rodada por Yen-Hsun Lu. O Aberto dos EUA foi um grande torneio para Murray. Ele se tornou o primeiro britânico desde Greg Rusedski, em 1997, a chegar a uma final se Slam, quando venceu Nadal nas semifinais após uma batalha de quatro sets, vencendo-o pela primeira vez, em uma partida afetada pela chuva, que durou dois dias. Na final perdeu para Roger Federer.[9]

Depois de duas vitórias na Copa Davis, Murray venceu seu segundo Masters 1000, em Madrid, derrotando Federer na semifinal e Gilles Simon na final. Murray ganhou seu quinto título no ano no Aberto de São Petersburgo, mas perdeu para David Nalbandian nas quartas-de-final no Masters de Paris. Esta foi a primeira derrota de Murray no circuito da ATP em três meses. Agora, Nº4 do mundo, Murray se classificou pela primeira vez para a Masters Cup. Ele jogou bem na derrota contra Federer, e perdeu para Davydenko nas semi-finais. Murray terminou 2008 como Nº4 do mundo.

2009[editar | editar código-fonte]

Murray disputou as quartas de finais em Roland Garros

Murray abriu a temporada 2009 com uma bem sucedida defesa de seu título no Aberto do Qatar, em Doha, derrotando Andy Roddick em dois sets. No Aberto da Austrália, Murray chegou à quarta rodada, perdendo para Fernando Verdasco. Murray venceu seu décimo título da carreira em Roterdã, derrotando o então Nº1 do mundo Rafael Nadal em três sets.[10] Murray foi para Dubai, mas retirou-se antes das quartas de final com uma re-ocorrência de um vírus que afetou ele no Aberto da Austrália. O vírus fez Murray perder uma partida na Copa Davis, em Glasgow. Murray perdeu a final de Indian Wells para Rafael Nadal, mas ganhou uma semana mais tarde o Master de Miami sobre Novak Djokovic.

Nos preparativos para o Aberto da França, Murray perdeu para Nadal a semifinal em Monte Carlo, e na segunda rodada do Masters de Roma. Ele alcançou as quartas de final no Masters de Madri, perdendo para Del Potro. Durante esse tempo, Murray alcançou seu maior ranking e o maior de um britânico na era aberta, quando se tornou o então Nº3 do mundo em 11 de maio de 2009.[11] Murray chegou às quartas de final do Aberto Francês 2009, mas foi derrotado por Fernando González em quatro sets.

Murray venceu pela primeira vez na grama de Queen's e tornou-se o primeiro vencedor britânico do torneio desde 1938. Derrotando o americano James Blake. Em Wimbledon, contra Stanislas Wawrinka na quarta rodada, foi o primeiro jogo a ser jogado inteiramente em teto retrátil. Murray perdeu nas semifinais para Andy Roddick, alcançando seu melhor resultado no torneio até o momento. Murray voltou à ação em Montreal, derrotando Del Potro em três sets para levar o título. Após esta vitória, ele ultrapassou Nadal no ranking, se tornando Nº2 do mundo até o início do Aberto dos EUA.[12] Murray seguiu para o Masters de Cincinnati, onde perdeu para Federer. No Aberto dos EUA, Murray foi prejudicado por uma lesão no pulso, perdendo para Cilic. Murray venceu seus dois jogos de simples, e perdeu em duplas na Copa Davis contra a Polônia, mas foi forçado a parar por seis semanas após uma lesão no pulso.

Em novembro, Murray venceu o Torneio de Valência, mas foi eliminado na segunda rodada do Masters de Paris. Para encerrar a temporada, Murray foi para o World Tour Finals, em Londres, sendo eliminado na fase de grupos.

2010[editar | editar código-fonte]

Murray e Laura Robson representaram a Grã-Bretanha na Copa Hopman. A dupla avançou para a final, onde foram batidos pela Espanha. No Aberto da Austrália, Murray bateu Nadal e Cilic antes de perder na final para o Nº.1 do mundo Roger Federer.[13] Em Indian Wells, Murray chegou às quartas de final, perdendo para Robin Soderling em dois sets. No Masters de Monte-Carlo, Murray sofreu uma derrota na primeira rodada para Philipp Kohlschreiber. Ele também entrou na competição de duplas com Ross Hutchins, mas perdeu para o Irmãos Bryan. Murray chegou à terceira rodada no Masters de Roma, e as quartas de final no Masters de Madri, perdendo as duas vezes para David Ferrer.

Murray na Quartas de Final do Aberto da Austrália contra Rafael Nadal

Depois de jogar uma exibição, Murray começou o Aberto da França com três vitórias difíceis, antes de perder para Tomas Berdych na quarta rodada. Em Londres, Murray avançou para a terceira rodada, onde enfrentou Mardy Fish. No último set com um 3-3 (Murray tinha acabado de voltar de 3-0), o jogo foi interrompido por falta de luz, deixando Murray fumegando. Voltando no dia seguinte, Murray sofreu a segunda derrota pra Fish no ano. Em Wimbledon, Murray avançou para as semi-finais, perdendo para Rafael Nadal.[14] Em 27 de julho de 2010, Andy Murray rompeu com seu treinador Maclagan, Murray o substituiu por Alex Corretja.

Murray com o troféu do Masters 1000 do Canadá de 2010

No início da temporada de quadra dura nos EUA, Murray chegou à final em Los Angeles, mas perdeu contra Sam Querrey em três sets. Esta foi sua primeira derrota para Querrey em cinco jogos na carreira. No Canadá, Murray se tornou o primeiro jogador desde Andre Agassi em 1995 a defender o Master Canadense. Murray derrotou Nadal e depois Federer na final, em dois sets, para acabar com sua seca de oito meses sem título. No Masters de Cincinnati, Murray primeiro reclamou da velocidade da quadra, e, em seguida, em uma partida de quartas de final com Fish, Murray se queixou de que os organizadores se recusaram a colocar o jogo no final do dia. Com temperaturas atingindo 33°C à sombra, Murray venceu o primeiro set, mas começou a se sentir mal. O médico foi chamado para a quadra. Murray admitiu após o jogo que considerou se aposentar. Ele perdeu o segundo set, mas forçou um set desempate, antes de Fish o vencer. Depois de perder para Stanislas Wawrinka na terceira rodada do Aberto dos EUA, perguntas sobre condicionamento físico de Murray surgiram.


Seu próximo evento foi o Aberto da China, em Pequim, onde Murray chegou às quartas de final, perdendo para Ivan Ljubicic. Murray, então, ganhou o Master de Xangai sobre Roger Federer em dois sets. Ele não perdeu um set sequer durante todo o torneio. Murray voltou à Espanha para defender seu título no Aberto de Valência, mas perdeu na segunda rodada para Juan Mónaco. No entanto, em duplas, Murray e seu irmão Jamie Murray foram para a final, onde derrotaram Mahesh Bhupathi e Max Mirnyi. A vitória era o primeiro título de Murray em duplas e a segunda vez que ele tinha alcançado uma final com seu irmão. Murray chegou às quartas de final no BNP Paribas Masters, perdendo para Gael Monfils em três sets. Combinado com a sua eliminação e o título de Soderling, Murray caiu uma posição no ranking. No ATP Tour finals em Londres, Murray venceu 2 de seus 3 jogos na fase de grupos, antes de enfrentar Nadal na semifinal. Eles lutaram por mais de três horas, antes de Murray perder para o espanhol, terminando assim sua temporada.[15]

2011[editar | editar código-fonte]

Andy Murray e seu irmão Jamie Murray no Aberto do Japão

Murray e sua colega britânica Laura Robson perderam na Copa Hopman 2011. Em seguida, Murray, junto com outras estrelas como Roger Federer, Rafael Nadal e Novak Djokovic, participaram de um evento para ajudar a arrecadar dinheiro para as vítimas das enchentes em Queensland.

Quinto cabeça de chave no Aberto da Austrália, Murray encontrou o ex-campeão Novak Djokovic na final, sendo derrotado em três sets. Murray fez um retorno rápido, participando em Roterdã. Ele foi derrotado por Marcos Baghdatis na primeira rodada. Murray chegou às semi-finais do torneio de duplas com seu irmão Jamie. Murray perdeu nas primeiras rodadas nos eventos Masters Series de Indian Wells e Miami. Murray voltou no Masters de Monte-Carlo, mas perdeu para Nadal nas semifinais.[16] Murray sofreu uma lesão no cotovelo antes do jogo e posteriormente foi retirado do Aberto de Barcelona devido à lesão. Murray perdeu na terceira rodada do Aberto de Madrid, mas chegou às semifinais do Masters de Roma, onde perdeu para Novak Djokovic. No Aberto da França, Murray venceu duas partidas difíceis antes de perder sua primeira semifinal em Roland Garros, contra Rafael Nadal.

Em Queen's, Murray derrotou Jo-Wilfried Tsonga para ganhar seu segundo título. Em Wimbledon, Murray perdeu na semifinal para Nadal, apesar de ter vencido o primeiro set. No jogo da Copa Davis entre Grã-Bretanha e Luxemburgo, Murray liderou a equipe britânica para a vitória. Murray tentou defender o título na Rogers Cup, mas perdeu na segunda rodada para o Sul Africano Kevin Anderson. No entanto, na semana seguinte, ele ganhou Open Western & Southern, batendo Novak Djokovic. No Aberto dos EUA 2011, Murray perdeu na semi-final para Rafael Nadal em quatro sets.

Murray venceu facilmente o Aberto da Tailândia, e na semana seguinte ganhou seu terceiro título no Japão. Seu adversário na final foi Rafael Nadal, vencendo pela primeira vez no ano em três sets. Murray, então, ganhou nas duplas, com seu irmão Jamie Murray, tornando-se a primeira pessoa na temporada de 2011 a vencer em simples e em duplas o mesmo torneio. Murray então defendeu com sucesso seu título em Xangai, com uma vitória sobre David Ferrer na final. No ATP World Tour Finals, Murray perdeu para David Ferrer e se retirou do torneio após a derrota. Murray terminou o ano como Nº.4 do mundo, atrás Novak Djokovic, Rafael Nadal e Roger Federer.

2012[editar | editar código-fonte]

Com Ivan Lendl como seu novo treinador,[17] Murray começou a temporada jogando o torneio de Brisbane. Ele superou um início lento em suas duas primeiras partidas para conquistar seu 22º título ao vencer Alexandr Dolgopolov na final. Em duplas, ele perdeu nas quartas de final contra Jurgen Melzer e Philipp Petzschner em um jogo apertado. Depois de uma partida de exibição, Murray chegou às semifinais do Aberto da Austrália, onde foi derrotado por Novak Djokovic em uma partida de 4 horas e 50 minutos.

Em Dubai, Murray derrotou Novak Djokovic nas semi-finais, mas perdeu na final para Roger Federer. Depois de uma derrota precoce no BNP Paribas, Murray fez a final do Masters de Miami, perdendo para Novak Djokovic. Em seguida, Murray perdeu nas quartas em Monte Carlo e no Aberto de Barcelona, ​​e na terceira rodada no Aberto da Itália. Murray lutou durante todo o Aberto da França e nas quartas de final, ele foi eliminado por David Ferrer.

Murray após o ouro Olímpico em Londres 2012

Murray perdeu na rodada de abertura no torneio de Queen's para o Nº65 do mundo, Nicolas Mahut. Em Wimbledon, Murray fez sua melhor campanha no torneio, Murray bateu Jo-Wilfried Tsonga na semi-final em quatro sets para se tornar o primeiro jogador britânico a chegar à final de Wimbledon desde Bunny Austin, em 1938. Na final ele enfrentou Roger Federer, mas depois de vencer o primeiro set, perdeu a partida em quatro sets. [18]

Murray foi para os Jogos Olímpicos de Londres 2012, disputando em simples, duplas e duplas mistas. Ele fez uma parceria de seu irmão Jamie Murray nas duplas e foi derrotado na primeira rodada pela dupla da Áustria (Jürgen Melzer e Alexander Peya) em três sets. Em duplas mistas, Murray foi o companheiro de Laura Robson. Eles foram até a final, onde perderam para os bielorrussos cabeças de chave Nº.1 (Victoria Azarenka e Max Mirnyi) em três sets, ficando com a medalha de prata. Em simples, Murray perdeu apenas um set em seu caminho até a final, onde enfrentou Federer, derrotando-o em três sets.[19] Ao ganhar a medalha de ouro olímpica, Murray se tornou o primeiro britânico a ganhar a medalha de ouro no tênis em simples desde Josias Ritchie, em 1908.

Murray se afastou no início da Rogers Cup, devido a uma lesão no joelho, e sofreu uma derrota terceira rodada para Jeremy Chardy no Masters de Cincinnati em dois sets. Em seguida, ele competiu no Aberto dos EUA. Ele venceu Alex Bogomolov e Ivan Dodig em três sets, antes de enfrentar Feliciano Lopez, vencendo o espanhol em 4 sets em um jogo duro, onde Murray teve que vencer três tie-break. Na quarta rodada, ele derrotou o canadense Milos Raonic e depois nas quartas de final, venceu Marin Cilic. Nas semifinais, derrotou Tomas Berdych, após um jogo muito disputado, que durou quase quatro horas, para chegar a sua segunda final de Grand Slam consecutiva. Na grande final Murray derrotou o sérvio Novak Djokovic em cinco sets, tornando-se o primeiro britânico a vencer uma final de Grand Slam desde Fred Perry em 1936,[20] e o primeiro jogador escocês a ganhar uma final de Grand Slam desde que Harold Mahony, em 1896. A vitória serviria para Murray bater vários recordes: que envolveu um 12-10 no primeiro set, e fazendo de Murray o primeiro homem a ganhar uma medalha de ouro olímpica e o Aberto dos EUA no mesmo ano, e empatou com a final do Aberto dos EUA 1988 (em que o treinador de Murray, Ivan Lendl competiu) como a mais longa final da história do torneio.[21]

Em seu primeiro torneio após o Aberto dos EUA, Murray chegou às semifinais do Aberto do Japão, entrando no torneio como atual campeão, porém foi derrotado por Milos Raonic em três sets, 3-6, 7-6 (7-5), 6-7 (4-7). Nas duplas, Murray e seu irmão Jamie, foram eliminados nas quartas de final por Leander Paes e Radek Stepanek. No penúltimo Masters 1000 do ano, em Xangai. Murray avançou direto para a segunda rodada. O primeiro jogo de Murray estava previsto para ser jogado contra Florian Mayer, no entanto, ele teve de sair devido a lesão, dando a Murray a vaga na terceira rodada. Depois de enfrentar Alexandr Dolgopolov na terceira rodada, a quem venceu em dois sets, 6-2, 6-2, ele então venceu Radek Stepanek nas quartas de final. Murray enfrentou Roger Federer na semifinal, a quem derrotou em dois sets 6-4, 6-4 para se classificar para sua segunda final consecutiva contra Novak Djokovic. Na final, Murray venceu o primeiro set por 7-5. No segundo set, Murray obteve 5 vezes a chance de vencer o jogo, mas acabou desperdiçando todas elas, perdendo para Novak Djokovic por 6-7 (11-13). No terceiro set, Murray foi derrotado por 6-3, perdendo pela primeira vez o Shanghai Masters.

Depois que Rafael Nadal anunciou que não jogaria o Masters de Paris e o ATP Finals, Murray oficialmente se tornou nº 3 do mundo, depois de quatro anos, terminando a temporada como nº 4. Murray foi nomeado como Oficial da Ordem do Império Britânico (OBE) em 2013, por seus serviços prestados ao tênis.

2013[editar | editar código-fonte]

Murray começou a temporada de 2013, conquistando o torneio de Brisbane, derrotando ʽGrigor Dimitrovʼ na final em dois sets. Tentando conquistar seu segundo Major, começou o Aberto da Austrália com uma vitória sobre o holandês Robin Haase. Em seguida, derrotou João Sousa, seu parceiro de treino Ričardas Berankis e o francês Gilles Simon. Nas quartas de final, venceu Jérémy Chardy, sendo qualificado para a semifinal contra Roger Federer. Depois de trocar sets, Murray acabou prevalecendo em 5 sets, sendo essa, sua primeira vitória em Grand Slam sobre Federer. Murray se classificou para sua terceira final de Major seguida, e segunda consecutiva contra Novak Djokovic. Depois de levar o primeiro set em um tiebreak, Murray acabou sendo derrotado em quatro sets. No BNP Paribas Open em Indian Wells, Murray perdeu na fase de quartas de final para Juan Martín del Potro em três sets. No Masters de Miami, Murray venceu seus primeiros quatro jogos sem perder nenhum set, superando Richard Gasquet nas semifinais. Murray enfrentou David Ferrer na final. Depois de perder o primeiro set, e com um match point contra em 5-6, o escocês levou a partida em um desempate no terceiro set para conquistar seu segundo título no Masters de Miami, e ultrapassar Roger Federer no segundo lugar no ranking, pondo fim a quase uma década em que Federer ou Nadal estavam nos dois primeiros lugares do ranking. Murray brevemente caiu para o número 3 do mundo, depois de uma derrota na terceira rodada em Monte-Carlo para Stanislas Wawrinka, mas recuperou o número 2 no ranking, após Federer não defender seu título no Mutua Madrid Open.

Murray com o troféu do Torneio de Wimbledon

Em 15 de maio de 2013, no Masters de Roma, Murray se retirou do circuito devido a uma lesão no quadril durante sua segunda partida contra Marcel Granollers. Murray ainda iria se retirar do torneio de Roland Garros, citando a lesão nas costas. Depois de uma pausa de quatro semanas devido a lesão, Murray fez seu retorno no Aegon Championships. Após uma chuva que atrasou o primeiro dia de partidas, Murray teve que completar sua partida de segunda rodada contra Nicolas Mahut, e seu jogo subsequente contra Marinko Matosevic no mesmo dia, os quais ele ganhou em dois sets. Depois de vencer Benjamin Becker nas quartas de final, Murray enfrentou seu primeiro oponente top 10 desde que perdeu para Tomas Berdych em Madrid, enfrentando Jo-Wilfried Tsonga nas semifinais. Depois de perder primeiro set para o francês, Murray finalmente elevou seu nível de jogo e venceu os dois sets seguintes. Na final contra Marin Cilic, Murray novamente perdeu o 1º set, mas venceu o 2º e 3º sets para conquistar seu terceiro título em Queen's.

Em Wimbledon, Murray enfrentou Benjamin Becker e Yen-Hsun Lu, respectivamente, derrotando ambos em três sets. Na terceira rodada contra Tommy Robredo, Murray venceu o espanhol em sets diretos, marcando um confronto contra Mikhail Youzhny nas oitavas de final. Nas quartas de final, Murray venceu Fernando Verdasco em 5 sets. Na semifinal, Murray enfrentou Jerzy Janowicz e venceu em 4 sets. Na final, Murray enfrentou Novak Djokovic. Apesar de o sérvio ser o favorito para ganhar o título, Murray venceu Djokovic em sets diretos, para se tornar o primeiro jogador britânico de simples conquistar o título masculino desde Fred Perry em 1936, e o primeiro Escocês a ganhar um título de simples em Wimbledon desde Harold Mahoney em 1896.

No U.S. Open, Murray entrou em um torneio de Grand Slam como o atual campeão pela primeira vez, vencendo Michael Llodra na primeira rodada. Depois conquistou vitórias sobre Leonardo Mayer, Florian Mayer e Denis Istomin, alcançando as quartas de final do torneio. Murray enfrentou Stanislas Wawrinka, e perdeu em três sets.

Murray ingressou na equipe da Grã-Bretanha na Copa Davis para os playoffs do grupo mundial contra a Croácia, onde jogou em dois jogos de simples e nas duplas. Depois de derrotar Borna Ćorić em três sets, Murray juntou-se com Colin Fleming para derrotar Ivan Dodig e seu companheiro nas duplas, dando uma vantagem de 2-1 para os britânicos. Murray então selou o retorno da Grã-Bretanha para o Grupo Mundial ao derrotar Dodig em três sets.

Depois da Copa Davis, Murray interrompeu sua temporada para se submeter a uma cirurgia, a fim de resolver os problemas nas costas que lhe tinha causado problemas desde o inicio da temporada anterior. Após a conclusão da temporada de 2013, Murray foi eleito a Personalidade do Ano pela BBC Sport.

2014[editar | editar código-fonte]

Murray começou sua temporada no ATP de Doha no Qatar. Na primeira rodada, ele derrotou Mousa Edson Zayed em sets diretos em 37 minutos, mas foi derrotado em três sets por Florian Mayer na segunda rodada.

O último jogo de Andy Murray antes do Aberto da Austrália não foi muito animador para o britânico. No torneio de exibição de Kooyong, ele perdeu para o australiano Lleyton Hewitt em dois tiebreaks, parciais de 7/6 (7-1) e 7/6 (7-4).

Em seguida, jogou o Grand Slam do Aberto da Austrália de 2014, onde teve um começo forte, despachando o primeiro oponente em menos de 90 minutos. Em seguida ele derrotou Feliciano Lopez e Vincent Millot. Na quarta rodada, Murray bateu Stephane Robert em quatro sets. Mas apesar de salvar dois match points, ele foi eliminado nas quartas de final pelo suíço Roger Federer por 3 sets a 1. As parciais foram de 6/3, 6/4 e 6/7 (6) e 6/3. Como resultado de perder antes da final, Murray caiu para o número 6 do mundo, caindo fora do top 5 pela primeira vez desde 2008.

Ele em seguida foi jogar nos EUA para competir pela primeira rodada da Copa Davis, ajudando a Grã-Bretanha a chegar a sua primeira quartas de final de Copa Davis desde 1986.

Próximo torneio de Murray foi o ATP de Roterdã na Holanda, porém perdeu para o croata Marin Čilić em dois sets nas quartas de final.

Sua competição seguinte foi o ATP de Acapulco, e foi eliminado do torneio com uma derrota na semifinal para Grigor Dimitrov.

Em Indian Wells Masters, Murray bateu em suas duas primeiras partidas a Lukáš Rosol e Jiří Veselý respectivamente, mas a seguir contra o canadense Milos Raonic perdeu em três sets.

Em março, Murray deixou de ser treinado por Ivan Lendl, que tinha sido amplamente elogiado por ajuda-lo a alcançar seu objetivo de ganhar títulos de Grand Slam.

No Miami Masters de 2014, Murray derrotou Matthew Ebden, Feliciano Lopez e Jo-Wilfried Tsonga, mas perdeu para Novak Đoković nas quartas.

Nas quartas de final da Copa Davis contra a Itália, ele venceu Andreas Seppi, depois uniu-se com Colin Fleming para ganhar nas duplas, mas em sua partida final, foi surpreendido por Fabio Fognini em sets diretos, o que levou a Grã-Bretanha para o jogo final decisivo. No entanto, neste jogo, seu compatriota, James Ward foi derrotado por Andreas Seppi, também em dois sets, e a Grã-Bretanha ficou fora da Copa Davis.

Murray em seguida competiu no Madrid Masters e, após sua vitória de abertura, sobre Nicolas Almagro, dedicou a vitória a Elena Baltacha. Ele então perdeu para Santiago Giraldo na rodada seguinte.

Murray, em seguida, chegou as quartas de final do Roma Masters, onde perdeu para o então número um do mundo Rafael Nadal em um jogo apertado.

No Grand Slam de Roland-Garros, Murray derrotou Andrey Golubev e Marinko Matosevic. Ele seguiu com uma vitória sobre Fernando Verdasco e depois teve outra vitória sobre o francês Gael Monfils nas quartas de final. No entanto, posteriormente perdeu para Rafael Nadal em sets diretos na semifinal. Após perder na semifinal de Roland-Garros para o espanhol Rafael Nadal, Murray apresentou a ex-tenista Amelie Mauresmo como sua nova treinadora, em um 'momento histórico para o tênis mundial', pois seria a primeira mulher a treinar um tenista masculino Top.

Em setembro ganhou seu primeiro título em simples desde a histórica conquista de Wimbledon em 2013. O escocês conquistou o 29° título em simples na carreira ao vencer o experiente espanhol Tommy Robredo na final do ATP 250 de Shenzhen, por 5-7, 7-6 (11-9) e 6-1.

No mês de outubro, Andy Murray regressou à elite do tênis mundial. O escocês, então com 27 anos, que viveu uma temporada complicada, confirmou a sua reentrada no top 10 do ranking mundial após a conquista do seu segundo título do ano, em Viena, ao bater o espanhol David Ferrer na final do ATP 250 de Viena na Áustria. Esse que foi o 30° título em simples na carreira do escocês.

Ainda em outubro, o tenista escocês Andy Murray, então 10º colocado do ranking mundial, conquistou o título do ATP 500 de Valência, na Espanha, ao bater na final o anfitrião Tommy Robredo, depois de salvar cinco "match points". Com isso, Murray ganhou o terceiro título da temporada e o segundo consecutivo, após ATP 250 de ATP 250 de Viena. Ele perdeu o primeiro "set" por 6-3, mas respondeu com dois triunfos por 7-6, com 9-7 e 10-8 nos respetivos "tie-breaks", repetindo o triunfo de 2009.

Significante finais[editar | editar código-fonte]

Grand Slam finais[editar | editar código-fonte]

Simples: 8 (2 títulos, 6 vices)[editar | editar código-fonte]

Resultado Ano Campeonato Piso Oponente Placar
Vice 2008 US Open Duro Suíça Roger Federer 2–6, 5–7, 2–6
Vice 2010 Australian Open Duro Suíça Roger Federer 3–6, 4–6, 6–7(11–13)
Vice 2011 Australian Open (2) Duro Sérvia Novak Djokovic 4–6, 2–6, 3–6
Vice 2012 Wimbledon Grama Suíça Roger Federer 6–4, 5–7, 3–6, 4–6
Campeão 2012 US Open Duro Sérvia Novak Djokovic 7–6(12–10), 7–5, 2–6, 3–6, 6–2
Vice 2013 Australian Open (3) Duro Sérvia Novak Djokovic 7–6(7–2), 6–7(3–7), 3–6, 2–6
Campeão 2013 Wimbledon Grama Sérvia Novak Djokovic 6–4, 7–5, 6–4
Vice 2015 Australian Open (4) Duro Sérvia Novak Djokovic 6–7(5–7), 7–6(7–4), 3–6, 0–6

Masters 1000 finais[editar | editar código-fonte]

Simples: 14 (10 títulos, 4 vices)[editar | editar código-fonte]

Andy Murray ganhou o primeiro masters em Cincinnati
Resultado Ano Campeonato Piso Oponente Placar
Campeão 2008 Cincinnati Masters Duro Sérvia Novak Djokovic 7–6(7–4), 7–6(7–5)
Campeão 2008 Madrid Open Duro (i) França Gilles Simon 6–4, 7–6(8–6)
Vice 2009 Indian Wells Masters Duro Espanha Rafael Nadal 1–6, 2–6
Campeão 2009 Miami Masters Duro Sérvia Novak Djokovic 6–2, 7–5
Campeão 2009 Canadian Open Duro Argentina Juan Martín del Potro 6–7(4–7), 7–6(7–3), 6–1
Campeão 2010 Canadian Open (2) Duro Suíça Roger Federer 7–5, 7–5
Campeão 2010 Shanghai Masters Duro Suíça Roger Federer 6–3, 6–2
Campeão 2011 Cincinnati Masters (2) Duro Sérvia Novak Djokovic 6–4, 3–0 ret.
Campeão 2011 Shanghai Masters (2) Duro Espanha David Ferrer 7–5, 6–4
Vice 2012 Miami Masters Duro Sérvia Novak Djokovic 1–6, 6–7(4–7)
Vice 2012 Shanghai Masters Duro Sérvia Novak Djokovic 7–5, 6–7(11–13), 3–6
Campeão 2013 Miami Masters (2) Duro Espanha David Ferrer 2–6, 6–4, 7–6(7–1)
Vice 2015 Miami Masters (2) Duro Sérvia Novak Djokovic 6–7(3–7), 6–4, 0–6
Campeão 2015 Madrid Open (2) Saibro Espanha Rafael Nadal 6–3, 6–2

Duplas: 1 (1 vice)[editar | editar código-fonte]

Resultado Ano Campeonato Piso Parceiro Oponente Placar
Vice 2013 Canadian Open Duro Reino Unido Colin Fleming Áustria Alexander Peya
Brasil Bruno Soares
4–6, 6–7(4–7)

Olimpíadas[editar | editar código-fonte]

Simples: 1 (1 ouro)[editar | editar código-fonte]

Resultado Ano Campeonato Piso Oponente Placar
Ouro 2012 Londres Grama Suíça Roger Federer 6–2, 6–1, 6–4

Duplas Mistas: 1 (1 prata)[editar | editar código-fonte]

Resultado Ano Campeonato Piso Parceira Oponentes Placar
Prata 2012 Londres Grama Reino Unido Laura Robson Bielorrússia Victoria Azarenka
Bielorrússia Max Mirnyi
6–2, 3–6, [8–10]

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

  • Para evitar confusões e contagem dupla, essa tabela é posta em dia somente após o final de um torneio ou da participação do jogador no torneio.
  • Estatísticas atualizadas até a derrota para Novak Djokovic no Masters de Miami 2015.
  • Até 2008 Hamburg Masters, a partir de 2009 Shanghai Masters.
Torneio 2015 2014 2013 2012 2011 2010 2009 2008 2007 2006 2005 Carreira
Grand Slam
Aberto da Austrália F QF F SF F F 4R 1R 4R 1R A 0
Roland-Garros SF A QF SF 4R QF 3R A 1R A 0
Wimbledon QF V F SF SF SF QF A 4R 3R 1
U.S. Open QF QF V SF 3R 4R F 3R 4R 2R 1
Vitórias-Derrotas 6-1 17-4 17-2 22-3 21-4 16-4 15-4 12-4 5-2 6-4 3-2 140-34
ATP World Tour Finals
ATP World Tour Finals RR A SF RR SF RR SF NC NC NC 0
ATP Masters 1000
Indian Wells Masters SF 4R QF 2R 2R QF F 4R SF 2R A 0
Miami Masters F QF V F 2R 2R V 2R SF 1R A 2
Monte Carlo Masters A A 3R QF SF 2R SF 3R A 1R A 0
Rome Masters QF 2R 3R SF 3R 2R 2R 1R 1R A 0
Madrid Masters 3R QF A 3R QF QF V 3R 3R A 1
Hamburg Masters 3R 1R 2R A 0
Canada Masters QF 4R 3R 2R V V SF 2R SF A 2
Cincinnati Masters QF QF 3R V QF SF V 1R QF 2R 2
Shanghai Masters 3R A F V V A 2
Paris Masters QF A 3R QF QF 3R QF QF 3R A 0
Vitórias-Derrotas 9-2 15-8 15-6 12-7 18-7 20-7 25-6 22-7 13-8 12-9 1-1 162-68
Ranking de final de ano 6 4 3 4 4 4 4 11 17 62 NDA
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Andy Murray

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b Profile, Sítio oficial de Andy Murray.
  2. "Brave Murray falls to Nalbandian" (em inglês). Visitado em 05 de outubro de 2012.
  3. BBC Scotland audiences serve ace result for Andrew Murray in Sports Personality poll (em inglês). Visitado em 05 de outubro de 2012.
  4. "Magic Murray claims maiden title" (em inglês). Visitado em 05 de outubro de 2012.
  5. "Murray stuns Roddick in San Jose" (em inglês). Visitado em 05 de outubro de 2012.
  6. "Valiant Murray succumbs to Nadal" (em inglês). Visitado em 05 de outubro de 2012.
  7. "Murray fights back to keep title" (em inglês). Visitado em 05 de outubro de 2012.
  8. "Andy Murray knocked out of Australian Open" (em inglês). Visitado em 05 de outubro de 2012.
  9. "Superb Federer ends Murray dream" (em inglês). Visitado em 05 de outubro de 2012.
  10. "Murray v Nadal as it happened" (em inglês). Visitado em 05 de outubro de 2012.
  11. "Murray to move third in rankings" (em inglês). Visitado em 05 de outubro de 2012.
  12. ATP confirma ascensão de Murray. Nadal ainda pode ser cabeça 2 do US Open.
  13. "2010 Australian open results" (em inglês). Visitado em 05 de outubro de 2012.
  14. "Nadal ends Murray's dream" (em inglês). Visitado em 05 de outubro de 2012.
  15. "Nadal battles past gritty Murray" (em inglês). Visitado em 05 de outubro de 2012.
  16. "Majestic Nadal holds off Murray" (em inglês). Visitado em 05 de outubro de 2012.
  17. "Andy Murray appoints Ivan Lendl as his new coach" (em inglês). Visitado em 05 de outubro de 2012.
  18. "Federer Wins 7th Wimbledon" (em inglês). Visitado em 05 de outubro de 2012.
  19. "Andy Murray wins men's singles Olympics tennis gold" (em inglês). Visitado em 05 de outubro de 2012.
  20. "Novak Djokovic sets up Andy Murray US Open final" (em inglês). Visitado em 05 de outubro de 2012.
  21. "Murray's Open win a fist on multiple fronts - Stats & Info Blog" (em inglês). Visitado em 05 de outubro de 2012.