Lista de unidades federativas do Brasil por alfabetização

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Mapa dos estados brasileiros por taxa de alfabetização segundo o Censo de 2010 do IBGE.
  95-100%
  90-94,9%
  85-89,9%
  80-84,9%
  75-79,9%
Mapa das regiões brasileiras por taxa de alfabetização segundo o Censo de 2010 do IBGE.
  95-100%
  90-94,9%
  85-89,9%
  80-84,9%
  75-79,9%

Esta é a lista de unidades federativas do Brasil por taxa de alfabetização, índice que representa a porcentagem de pessoas acima de dez anos de idade que têm capacidade de ler e escrever dentre a população de um determinado lugar, neste caso as unidades federativas do país.[1]

O Brasil é uma república federativa formada pela união de 26 estados federados, além do Distrito Federal. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2010 a taxa de alfabetização do país era de 90,98%.[1] A unidade federativa com o maior índice é o Distrito Federal, onde 96,74% da população é alfabetizada, seguido por Santa Catarina (96,14%) e São Paulo (95,91%). Já as menores taxas são as de Alagoas (77,48%), Piauí (78,86%) e Paraíba (79,80%).[1] Entre as grandes regiões, o Sul se destaca positivamente como a região com o maior percentual de pessoas alfabetizadas, calculado em 95,26% de sua população.[1] Em contrapartida, aparece a Região Nordeste com o menor índice: apenas 82,35% de sua população era alfabetizada em 2010.[1]

O analfabetismo está presente em escala relevante no país desde o período colonial, quando as poucas escolas existentes eram restritas a filhos de famílias ricas. Atualmente, um dos principais fatores para a baixa taxa de alfabetização é a falta de incentivo para que a população analfabeta procure auxílio, o que acaba afetando outros índices como a taxa de desemprego e a renda.[2][3][4]

Unidades federativas do Brasil por taxa de alfabetização[editar | editar código-fonte]

Classificação por unidade da federação[editar | editar código-fonte]

Posição Estado Taxa de
Alfabetização
2010 (%)
País comparável
1  Distrito Federal 96,74%  Bósnia e Herzegovina
2  Santa Catarina 96,14% Granada
3  São Paulo 95,91%  China
4  Rio de Janeiro 95,90%  China
5  Rio Grande do Sul 95,75%  Bahamas
6  Paraná 94,22%  Tailândia
7  Mato Grosso do Sul 92,95%  México
8  Goiás 92,68%  Colômbia
9  Espírito Santo 92,48%  Malta
10  Minas Gerais 92,34%  Malta
11  Mato Grosso 92,17% Indonésia
12  Amapá 92,11% Indonésia
13  Rondônia 92,06% Indonésia
14  Amazonas 90,40% Suriname
15  Roraima 90,30%  Vietnã
16 Pará Pará 88,76%  Turquia
17  Tocantins 88,11% Dominica
18  Acre 84,81% Arábia Saudita
19 Bahia Bahia 84,60% Arábia Saudita
20  Pernambuco 83,26%  Síria
21  Sergipe 83,02% Botswana
22  Ceará 82,81% Botswana
23  Rio Grande do Norte 82,61%  Irã
24  Maranhão 80,69% República do Congo
25  Paraíba 79,80% Suazilândia
26  Piauí 78,86%  Vanuatu
27  Alagoas 77,48%  Tunísia

Classificação por região[editar | editar código-fonte]

Posição Região Taxa de
Alfabetização
2010 (%)
País comparável
1 Região Sul 95,26%  Venezuela
2 Região Sudeste 94,89%  Portugal
3 Região Centro-Oeste 93,36% Filipinas
4 Região Norte 89,40% São Vicente e Granadinas
5 Região Nordeste 82,35%  Irã

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2010). «Tabela 8.2 - Taxa de alfabetização das pessoas de 10 anos ou mais de idade, por cor ou raça, segundo as Grandes Regiões, Unidades da Federação e Regiões Metropolitanas - 2010». Consultado em 2 de maio de 2011. 
  2. Linite Adma de Oliveira (30 de maio de 2000). «Analfabetismo: causas e conseqüências». Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG). Arquivado desde o original em 20 de abril de 2013. Consultado em 20 de abril de 2013. 
  3. Aline Naoe (24 de fevereiro de 2012). «Analfabetismo no Brasil evidencia desigualdades sociais históricas». Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Arquivado desde o original em 20 de abril de 2013. Consultado em 20 de abril de 2013. 
  4. Marcos Afonso de Oliveira (17 de maio de 2009). «O analfabetismo no Brasil e suas causas». União Geral de Trabalhadores (UGT). Arquivado desde o original em 20 de abril de 2013. Consultado em 20 de abril de 2013. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]