Lista de imperatrizes do Brasil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Esta é uma lista das imperatrizes do Brasil, título concedido à esposa do monarca soberano do país durante o regime monárquico brasileiro (1822–1889). Apesar de não possuir atribuições constitucionais, o cargo pode exercer influência significativa sobre o marido, além de constituir a mãe dos herdeiros ao trono.

Três imperatrizes ascenderam ao cargo: Maria Leopoldina, Arquiduquesa da Áustria (1822–1826) foi a esposa de D. Pedro I, quinta dos doze filhos de Francisco I da Áustria e Maria Teresa da Sicília, tendo exercido a regência do Império na ausência de seu marido e tido considerável influência política à época da independência do Brasil; Amélia, Princesa de Leuchtenberg (1829–1831), quarta filha de Eugênio de Beauharnais e Augusta da Baviera, foi a segunda esposa de D. Pedro I, quando este tornou-se viúvo da primeira imperatriz; e Teresa Cristina, Princesa das Duas Sicílias (1843–1889), esposa de D. Pedro II, décima segunda filha de Francisco I das Duas Sicílias e Maria Isabel de Bourbon, destituída de seu cargo e banida do país, junto a seu marido, quando da proclamação da República do Brasil.

Pelo Tratado do Rio de Janeiro, firmado entre Portugal e Brasil em 1825, que colocou termos à Guerra da independência do Brasil, reconhecia-se a autonomia deste, mas reservava-se o título de Imperador Titular do Brasil ao rei D. João VI.[1][2] Por conseguinte, seu cônjuge, D. Carlota Joaquina de Bourbon, tornou-se a Imperatriz Titular do Brasil. Uma vez que o cargo era vitalício, com a morte do marido, sete meses depois, é extinto o título de D. Carlota.

Imperatrizes do Brasil[editar | editar código-fonte]

Nome Retrato Brasão Nascimento Casamento(s)
Filhos legítimos
Morte Casa por nascimento Ref
Maria Leopoldina da Áustria
12 de outubro de 1822

11 de dezembro de 1826
29- Imperatriz rainha D. Leopoldina.jpg Coat of Arms of Maria Leopoldina of Austria, Empress of Brazil.svg 22 de janeiro de 1797
Palácio de Schönbrunn

Filha de Francisco I da Áustria
e Maria Teresa da Sicília
Pedro I
6 de novembro de 1817

7 filhos
11 de dezembro de 1826
Palácio Imperial de São Cristóvão
aos 29 anos
Habsburgo-Lorena [3][4]
Amélia de Leuchtenberg
2 de agosto de 1829

7 de abril de 1831
Anônimo - D. Amélia, duquesa de Bragança.JPG Armoiries d'Amélie de Beauharnais2.svg 31 de julho de 1812
Milão

Filha de Eugênio de Beauharnais
e Augusta da Baviera
Pedro I
2 de agosto de 1829

1 filho
26 de janeiro de 1873
Lisboa
aos 60 anos
Beauharnais [5][4]
Teresa Cristina de Bourbon-Duas Sicílias
30 de maio de 1843

15 de novembro de 1889
Victor Meirelles - Dona Tereza Cristina.jpg Brasão de S.M a Imperatriz D. Teresa Cristina.png 14 de março de 1822
Nápoles

Filha de Francisco I das Duas Sicílias
e Maria Isabel de Bourbon
Pedro II
30 de maio de 1843

4 filhos
28 de dezembro de 1889
Porto
aos 67 anos
Bourbon-Duas Sicílias [6][7]

Imperatriz titular do Brasil[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Brasil Império

Pelo Tratado do Rio de Janeiro, firmado entre Portugal e Brasil em 1825, que colocou termos à guerra da independência do Brasil, reconhecia-se a autonomia do antigo reino, mas reservava-se o título de imperador titular do Brasil a D. João VI. Por conseguinte, seu cônjuge, D. Carlota Joaquina de Bourbon, tornou-se a imperatriz titular do Brasil. Com a morte do marido, sete meses depois, D. Carlota perde o título tanto do trono português quanto do brasileiro, tornando-se rainha mãe ou imperatriz mãe.

Observação[editar | editar código-fonte]

Se tivesse assumido o trono, a filha primogênita de D. Pedro II, D. Isabel do Brasil, então princesa imperial do Brasil à época da proclamação da República, ter-se-ia tornado imperadora do Brasil, e não imperatriz, pois este título se refere à consorte do imperador e aquele à chefe de Estado do Império.

Referências

  1. «Tratados e Actos Internacionais Brasil Portugal». Sistema Consular Integrado, Ministério das Relações Exteriores. Consultado em 5 de agosto de 2017 
  2. Amaral, Manuel. «João VI». Portugal - Dicionário Histórico, Corográfico, Heráldico, Biográfico, Bibliográfico, Numismático e Artístico. pp. 1051–1055. Consultado em 5 de agosto de 2017 
  3. Rezzutti, Paulo (29 de março de 2017). D. Leopoldina: A história não contada: A mulher que arquitetou a independência do Brasil. Rio de Janeiro: LeYa. ISBN 978-85-441-0520-7 
  4. a b Rezzutti, Paulo (2 de outubro de 2015). D. Pedro: a história não contada. São Paulo: LeYa. ISBN 978-85-773-4584-7 
  5. Schmidt, Maria Junqueira (1927). A segunda imperatriz do Brasil: Amelia de Leuchtenberg. São Paulo: Editora Melhoramentos. 184 páginas 
  6. Avella, Aniello Angelo (6 de setembro de 2010). «Teresa Cristina Maria de Bourbon: Uma Imperatriz Silenciada» (PDF). Associação Nacional de História 
  7. Barman, Roderick J. (1999). Citizen Emperor: Pedro II and the Making of Brazil, 1825–1891 (em inglês). Stanford: Stanford University Press. ISBN 978-0-8047-3510-0 

Ver também[editar | editar código-fonte]