Anfepramona

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde março de 2014).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Anfepramona
Alerta sobre risco à saúde
(RS)-Amfepramone-Structural Formulae V1.svg
Nome IUPAC (RS)-2-diethylamino-1-phenyl-propan-1-one
Outros nomes dietilpropiona
Identificadores
Número CAS 90-84-6
ChemSpider 6762
Código ATC A08AA03
DCB n° 00774 (anfepramona) CAS 90-84-6
00775 (cloridrato de anfepramona) CAS 134-80-5
Primeiro nome comercial ou de referência Hipofagin S (25 e 75 mg)
Propriedades
Fórmula química C13H19NO
Massa molar 205.29 g mol-1
Farmacologia
Via(s) de administração oral
Meia-vida biológica 4 a 6 h[1]
Classificação legal

B2 - Substância psicotrópica anorexígena (Sujeita a Notificação de Receita B2) (BR)



Compostos relacionados
Compostos relacionados Catinona (encontrado no khat; (S)-2-amino-1-fenil-1-propanona)
Exceto onde denotado, os dados referem-se a
materiais sob condições normais de temperatura e pressão

Referências e avisos gerais sobre esta caixa.
Alerta sobre risco à saúde.

A anfepramona (cloridrato), também conhecida como dietilpropiona, é um fármaco anorexígeno, auxiliar no tratamento da obesidade. Possui atividade similar mas de menor potência estimulante à anfetamina e trata-se de uma amina simpaticomimética.[1][2] Estudos sugerem que este medicamento é o mais potente para tratamento da obesidade, proporcionando perdas de peso em 84 dias, numa faixa entre 9,7 a 17,5 kg.[1]

No Brasil em 2009 era mais vendido para mulheres e na forma manipulada. É mais consumido de acordo com a chegada do verão, por volta de outubro atinge seu pico máximo de venda. Os estados mais consumidores são SP, GO, SC, DF e RS. Segundo o relatório do SNGPC de 2009 entre os médicos que mais prescreveram anfepramona estavam um gastroenterologista e um ginecologista, especialidades não condizentes com a prescrição do medicamento.[3][4]

Foi retirada do mercado farmacêutico brasileiro em 04/10/2011 pela ANVISA. Em junho de 2017 foi re-liberado pelo Senado do Brasil sua produção, comercialização e consumo.[5]


Indicações[editar | editar código-fonte]

  • Obesidade exógena
  • Sobrepeso patológico
    • (em associação com dietas adequadas)

Modo de ação[editar | editar código-fonte]

A anfepramona tem ação no Sistema Nervoso Central. Produz efeito anorexígeno-saciogênico ao atuar no centro hipotalâmico da saciedade.[6] Além disso, provoca estímulo no SNC, pode elevar a pressão arterial e produz efeito de tolerância. Em associação com uma dieta alimentar ficou estabelecido ser mais eficaz que a administração de uma dieta e placebo.[2]

Atua na liberação da noradrenalina. Este, age nos núcleos hipotalâmicos laterais inibindo a fome. Tem potencial de dependência e gera tolerância (são necessárias doses maiores com o passar do tempo para obter o mesmo efeito), além de alterações psíquicas.

O efeito do medicamento diminui com seu uso.[2]

Reações adversas e efeitos colaterais[editar | editar código-fonte]

Tem efeito sobre a ação anti-hipertensiva de várias substâncias tais como a guanetidina, clonidina, metildopa, boca seca, nervosismo, insônia, obstipação intestinal, irritabilidade, ansiedade,excitação,tremores,ao dormir muitas vezes tem pesadelos isso é o motivo maior da insonia,depressão e choro excessivo taquicardia e hipertensão arterial.

Os efeitos colaterais mais comuns são: boca seca, constipação intestinal, irritabilidade, insônia e mais raramente taquicardia e hipertensão arterial.

Uso recreativo[editar | editar código-fonte]

Tal como a cocaína, a anfepramona gera sensação de bem-estar e euforia, aumentando o batimento cardíaco e diminuindo o sono, a fadiga e a fome, o que acaba tornando atraente seu consumo fora das prescrições médicas.

Porém, seu uso irresponsável vem a ser muito perigoso, principalmente se associado a álcool e outras drogas, podendo ocasionar até overdose e morte.

Nomes comerciais[editar | editar código-fonte]

NOME DO  MEDICAMENTO

PAÍSES ONDE É COMERCIALIZADO

Tenuate

Austrália, Canadá, Estados Unidos da América

Dualid S

Brasil

Hipofagin S

Brasil

Inibex S

Brasil

Neobes

México

Tenuate Dospan

África do Sul, Nova Zelândia

Prefamone

Suíça

Regenon

Suíça

Proibição[editar | editar código-fonte]

Em 04/10/2011, a ANVISA (Agência Nacional de Saúde) proibiu o comércio da substância em todo o Brasil. As farmácias terão até 60 dias para interromper as vendas do remédio. Está em tramitação na CCJ da Camara dos Deputados a PL2431/11 que impede a ANVISA de proibir a venda e prescriçao da Anfepramona. Em 02/09/14 O plenário do Senado derrubou resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que proibia o uso de remédios. A proposta também libera a venda de medicamentos que contenham a substância sibutramina, seus sais e isômeros, bem como intermediários.

Notas e referências

  1. a b c Cuidados Pré e Pós Operatórios na Cirurgia da Obesidade
  2. a b c Germed. «Bula do Hipofagin® S» (PDF). Consultado em 25 de maio de 2010 
  3. Relatório do SNGPC de 2009
  4. G1. «3 dos 4 remédios para emagrecer mais consumidos podem causar dependência». Consultado em 25 de maio de 2010 
  5. «Maia sanciona lei que autoriza venda de inibidores de apetite». Palácio do Planalto do Brasil. 23 de junho de 2017. Consultado em 25 de junho de 2017 
  6. [P.R. Vademécum ABIMIP]