Angelus Silesius

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Angelus Silesius
Nome nativo Johann Scheffler
Nascimento 25 de dezembro de 1624
Wrocław
Morte 9 de julho de 1677
Wrocław
Cidadania Alemanha
Ocupação médico, sacerdote, poeta, escritor, clérigo
Magnum opus O Peregrino Querubínico
Religião catolicismo

Angelus Silesius (Wrocław, 25 de dezembro de 1624 – Wrocław, 9 de julho de 1677), nascido Johann Scheffler e também conhecido como Johann Angelus Silesius, foi um padre e médico católico alemão, conhecido como poeta místico e religioso.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido e criado no luteranismo, adotou o nome Angelus (latim para "anjo" ou "mensageiro celestial") e o epíteto Silesius ("Silesiano") quanto da sua conversão ao catolicismo em 1653.[1] Durante o tempo que estudou nos Países Baixos, Silesius começou a ler as obras dos místicos medievais e se familiarizou com as do místico alemão Jakob Böhme por influência de um amigo de Böhme, Abraham von Franckenberg.[2] As crenças místicas de Silesius provocaram tensão entre ele e as autoridades luteranas no que resultou na sua conversão ao catolicismo. Silesius entrou então para a Ordem dos Frades Menores e foi ordenado sacerdote em 1661. Dez anos depois, em 1671, transferiu-se para uma casa jesuíta onde permaneceu durante o resto de sua vida.[1]

Um entusiasta conversor e sacerdote, Silesius trabalhou para convencer os protestantes alemães na Silésia a retornarem à Igreja Católica Romana.[1] Compôs 55 folhetos e panfletos condenando o protestantismo, vários deles foram publicados em dois volumes in-fólio intitulados Ecclesiologia (traduzido para "As Palavras da Igreja"). Atualmente ele é lembrado principalmente por sua poesia religiosa e, em particular, por duas obras poéticas ambas publicadas em 1657: Heilige Seelenlust (literalmente, "Os Desejos Sagrados da Alma"), uma coleção de mais de 200 textos de hinos religiosos que foram usados por católicos e protestantes; e Der Cherubinischer Wandersmann ("O Peregrino Querubínico"), uma coleção de 1.676 poemas curtos, na maior parte versos alexandrinos. Sua poesia explora temas de misticismo, quietismo e panteísmo dentro de um contexto católico ortodoxo.[1]

Referências

  1. a b c d Wikisource-logo.svg Benedict, Guldner (1907). «Angelus Silesius». In: Herbermann, Charles. Enciclopédia Católica (em inglês). 1. Nova Iorque: Robert Appleton Company 
  2. Paterson, Hugh Sinclair (1870). The British and Foreign Evangelical Review (em inglês). XIX. Londres: James Nisbet & Co. p. 682 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Angelus Silesius