Animal (álbum de Kesha)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde novembro de 2013). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Animal
Álbum de estúdio de Kesha
Lançamento 1 de janeiro de 2010 (2010-01-01)
Gravação 2008  – 2009;
Los Angeles, Califórnia
(Conway Recording Studios, Henson Recording Studios, Dr. Luke's)
Long Beach, Califórnia
(ACME Recording)
Eagle Rock, Califórnia
(Kingsize Soundlabs)
Nova Iorque, Nova Iorque
(Lotzah Matzah Studios)
Estocolmo, Suécia
(Maratone Studios)
Londres, Inglaterra
(Love Minus Zero Studios)
Gênero(s)
Duração 49:50
Idioma(s) Inglês
Formato(s) CD, vinil, download digital
Gravadora(s) RCA
Produção Dr. Luke (executivo), Ammo, Benny Blanco, David Gamson, Greg Kurstin, Max Martin, Tom Neville, Shellback
Cronologia de Kesha
Cannibal
(2010)
Singles de Animal
  1. "Tik Tok"
    Lançamento: 7 de agosto de 2009
  2. "Blah Blah Blah"
    Lançamento: 19 de fevereiro de 2010
  3. "Your Love Is My Drug"
    Lançamento: 14 de maio de 2010
  4. "Take It Off"
    Lançamento: 13 de julho de 2010

Animal é o álbum de estreia de estúdio da cantora e compositora norte-americana Kesha. Foi lançado pela editora discográfica RCA Records em 1 de Janeiro de 2010. Kesha trabalhou com uma variedade de produtores e compositores como Dr. Luke e Max Martin. O álbum consiste em quatorze faixas. O primeiro single, "TiK ToK", foi lançado digitalmente em 5 de Outubro de 2009. Animal estreou no primeiro lugar da tabela musical de álbuns americana Billboard 200, vendendo 152 mil cópias na primeira semana de lançamento.[1]

O álbum recebeu opiniões mistas pelos críticos de música contemporânea. Alguns apreciaram o seu divertimento, enquanto outros o rejeitaram chamando-o de "juvenil". O uso do auto-tune foi chamado de "divertido" por alguns críticos, enquanto outros acharam irritante e disseram que tornava difícil dizer se a artista podia realmente cantar. Liricamente, a maioria das canções do álbum são baseadas em experiências passadas na vida da cantora. Musicalmente, Animal apresenta um género musical dance-pop, como incorpora elementos de electro na sua produção e batidas. O álbum alcançou sucesso nas tabelas, estreando no número um do Canadá, e se posicionou dentro dos dez primeiros lugares em sete outros países. Animal recebeu o certificado disco de platina pela associação Recording Industry Association of America (RIAA) pelo embarque de mais de um milhão de exemplares. Mundialmente, o álbum vendeu mais de dois milhões de cópias.

Quatro singles foram lançados para promover o álbum. O primeiro, "Tik Tok", foi um sucesso mundial, alcançando o número um em onze países, incluindo os EUA, onde permaneceu por nove semanas consecutivas. A canção vendeu 12,8 milhões de cópias digitais em todo o mundo, tornando-se na melhor venda de single do ano de 2010. O segundo, "Blah Blah Blah", se posicionou nas dez melhores colocações em seis países. "Your Love Is My Drug", o terceiro single, atingiu a quarta posição nos Estados Unidos e recebeu o certificado de disco de platina duplo. O quarto e último, "Take It Off", teve um desempenho gráfico moderado, tendo atingido a oitava posição da tabela de singles americana.

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Kesha tinha estado a gravar demos por vários anos, quando uma de suas demos acabou nas mãos de Samantha Cox, directora sénior de relações compositor/produtor da Broadcast Music Incorporated (BMI). Cox, que havia trabalhado com Kesha antes, reproduziu as demos para um amigo na BMI, que a passou para o gerente de Lukasz Gottwald. Na idade de dezoito anos, Kesha assinou com o selo de Dr. Luke, Kemosabe Records, e com a sua editora discográfica, Pescription Songs. Luke estava ocupado com outros projectos no momento, e Kesha finalmente acabou assinando com a empresa gestora de David Sonenberg, DAS. Enquanto estava na DAS, trabalhou com vários compositores e produtores de classe, mas raramente trabalhou com Luke ou até chegou a comunicar-se com ele. A DAS procurou um acordo discográfico para Kesha, apesar de ela ainda estar em um contrato assinado com Luke. Kara DioGuardi, uma representante A&R para a Warner Bros., também estava interessada em assinar com Kesha, mas o negócio nunca aconteceu por causa do contrato pendente com Luke. Pouco tempo depois, Kesha e a DAS separaram-se e aa rtista acabou se reuniundo com Luke. No final de 2008, Luke estava trabalhando em uma faixa com o rapper Flo Rida intitulada "Right Round", e os dois decidiram que precisavam de um gancho feminino. Luke decidiu ter Kesha participando na música, e dentro de dois meses, foi um êxito de número um em vários países ao redor do mundo. O evento fez com que a cantora fosse procurada por muitas grandes editoras, e ela acabou assinando um contrato de vários álbuns com a RCA Records. Kesha explicou que optou por assinar com a empresa devido à forma como ela conseguiu lidar com a RCA e com o executivo A&R Rani Hancock, explicando que "Rani nunca tentou censurar-me, [...] e eu gosto de estar rodeada de mulheres fortes e inteligentes".

Desenvolvimento e inspiração[editar | editar código-fonte]

"Animal, o nome da gravação, é o meu tipo de steez (estilo), eu tenho de dizer. Dei esse nome porque eu quero que as pessoas percam a calma quando escutarem a minha gravação e se direccionem para a parte animal de si mesmos que eles querm suprimir. A sociedade ensinou-nos a suprimir certas coisas e a não fazer certas coisas."

— Kesha falando sobre a inspiração para o título do álbum.

Kesha esteve trabalhando em Animal por sete anos antes de seu lançamento, e tinha escrito mais de duzentas músicas para o álbum. A abundância de material estendeu as suas originalmente previstas doze faixas para quatorze. Kesha sentiu que o álbum tinha uma mensagem de fortalecimento despreocupado para as mulheres jovens. "Para as meninas, eu acho que é uma gravação de habilitação, é engraçada, é atrevida", disse ela. "Acho que as pessoas precisam se divertir com qualquer coisa que estejam fazendo - maquilhagem, vestindo-se, escutando música, concertos ao vivo - qualquer coisa que você não precisa levar muito a sério, não leve muito a sério". Quando questionada sobre como o álbum relacionava-se a sua vida, a intérprete explicou que o álbum foi completamente autobiográfico. "Eu só escrevo sobre o que eu vivo, literalmente, [...] Eu acho que há uma grande canção pop em tudo e qualquer coisa, qualquer situação". Ela cita as suas canções "Stephen" e "Dinossaur" como exemplos disso. "É sobre um rapaz que tenho perseguindo desde que eu tinha quinze anos. Eu escrevi a música quando tinha dezasseis anos com a minha mãe, e eu estava como, 'Esta canção é lixada'. 'Dinossaur' apareceu "sobre (quando) um velho que estava se atirando a mim, e sua peruca estava caindo, e eu estava tipo, 'Oh meu Deus, você é tão velho, você é pré-histórico, você é como um ... dinossauro. D-I-N-O-S-A-você é um dinossauro'."

Composição[editar | editar código-fonte]

Musicalmente, Animal é do género musical dance-pop, incorporando elementos de electro e electropop em sua produção e batidas. Os vocais de Kesha usam auto-tune e vocoders para alterar a sua voz e inclui amostras. Jeffries David, do Allmusic, observou que o álbum liricamente gira em torno de evitar a realidade com uma preferência por uma vida de "lixo chique", com letras como: "Maybe I need some rehab, or maybe just need some sleep" na canção de abertura, "Your Love Is My Drug".[nota 1] Nas letras, a maioria das canções do álbum são baseadas em experiências passadas de vida, de amor, desilusões, rapazes, e passar um bom tempo de Kesha. "Your Love Is My Drug" é uma música do género dance que é mergulhado com um pesado pano de fundo eletrónico. Seus vocais em toda a canção têm sido descritos como um estilo de cantar-falar aos berros. Musicalmente, a canção usa uma simples linha lírica de batida acelerada. Em "Tik Tok", Kesha usa um estilo de rap de palavra falada em versos, enquanto o refrão é cantado. De acordo com a cantora, as letras são representativas de si mesma, afirmando: "É sobre a minha vida, é cem por cento de mim". "Take It Off" tem sido descrita como "uma reformulação muito auto-tuned" de "There's a Place in France".

As letras de "Kiss n Tell" retratam um conto do "'ex-namorado promíscuo' de Kesha que está espalhando seus segredos selvagens ao toda a cidade". "Stephen" está abre com "harmonias vocais do estilo de Kansas", como Kesha canta sobre um amante inatingível retratando sua história. "Blah Blah Blah" combina o uso pesado de auto-tune com caixas de ritmos, enquanto faz infusão com o R&B. Liricamente, a canção retrata uma mulher que prefere ter sexo do que ouvir um homem falar. "Dinosaur" apresenta um sintetizador de assobio infundido, enquanto as letras descrevem a história de homens mais velhos que batem em mulheres mais jovens. "Party At A Rich Dude's House" é uma reminiscência de música da década de 1980 que de acordo com Jeffries poderia ter aparecido na banda sonora do filme Fast Times at Ridgemont High (1982). "Boots & Boys" é uma canção "vigorosa" reminiscente de "Suicide Blonde" de INXS, mas a partir de um ponto de vista feminino.

Recepção crítica[editar | editar código-fonte]

Críticas profissionais
Pontuações agregadas
Fonte Avaliação
Metacritic 54/100
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
Allmusic 3 de 5 estrelas.
Billboard (favorável)
The Boston Globe (desfavorável)
Entertainment Weekly (B+)
The Guardian 2 de 5 estrelas.
Los Angeles Times 3 de 4 estrelas.
musicOMH 4 de 5 estrelas.
NME 5 de 10 estrelas.
The Phoenix 3 de 4 estrelas.
Slant Magazine 1.5 de 5 estrelas.

Animal recebeu opiniões mistas pelos críticos de música contemporânea após o seu lançamento. O álbum recebeu uma pontuação de 54 de 100, baseando-se em dezoito revisões críticas, de acordo com o sítio musical agregador Metacritic. Ann Powers, do Los Angeles Times, afirmou que Kesha "ofereceu uma personagem completamente aprimorada para abraçar ou desprezar", comparando a sua personagem com a das "loiras arruinadoras clássicas", como Jean Harlow e Mae West, ao elogiar ela e o Dr. Luke por "refazerem o papel da heroína arruinadora para se adequar a uma nova era da superficialidade agressiva e auto-empoderamento libertino". Sua conclusão sobre o álbum de Kesha foi a de que "o seu compromisso total com Animal roteiro deliberadamente estúpido fornece faz [o álbum] trabalho". Ailbhe Malone da NME deu animal uma revisão mista, mas concluiu que "[b] eneath a pátina de Skeezy Freshers'-Semana Lolz-letras ("tenho uma garrafa de água cheia de uísque na minha bolsa ')" parece que "está um talento". Andrew Burgess de musicOMH ficou impressionado com Kesha, chamando -lhe um "auto-sintonizado conversa cantando, goma smacker" que pode muito bem ser "um gênio pop, uma calha glam- Jonathan Swift . " Ele descreveu o álbum como "um bom álbum contagiante dance-pop". Daniel Brockman de O Phoenix pensei que o álbum era "uma clara subversão das normas pop" com "ganchos sem esforço".

Monica Herrera da Billboard , comentou que o uso predominante de Auto-Tune na voz Kesha tornava difícil dizer se ela podia realmente cantar, citando a canção "Take It Off" como um exemplo de "a facilidade com que a individualidade pode se perder em um mar de Auto-Tune ". Por outro lado, Herrera ficou impressionado com os "refrões que grudam com o ouvinte para os dias". [14] David Jeffries de Allmusic não ficou impressionado com baladas do álbum, chamando-lhes "totalmente insatisfatório". No entanto, ele observou "que, com diversão para muitos," Tik Tok' tipo faixas, o álbum tem muito para ambos os pirralhos e bratty no coração ". James Reed do The Boston Globe acreditava que a personalidade Kesha "está completamente ausente a partir de [as músicas] ", resultando em seu som:" insípida e sem rosto ". Jonathan Keefe de revista Slant foi extremamente crítica do álbum e Kesha, dizendo que suas tentativas de cantar e rap foram "lamentáveis", descrevendo-a como "hipócrita" e "souless". Dave Simpson do The Guardian também questionou a honestidade de suas letras ao mesmo tempo compará-la desfavoravelmente a Lady Gaga , Katy Perry e Britney Spears.-->

Promoção[editar | editar código-fonte]

Ela cantou cinco músicas para uma sessão ao vivo com a MTV do Reino Unido, "TiK ToK", "D.I.N.O.S.A.U.R", "Blah Blah Blah", "Backstabber" e "Party at a Rich Dude's House". As três primeiras músicas foram utilizadas para a Push MTV, programa que é transmitido em canais de televisão MTV em todo o mundo. "TiK ToK" foi utilizado para promover a temporada de seis Project Runway e foi apresentado em 2009 o reinício do Melrose Place e The Hills. Outra canção, "Boots and Boys" foi usada em um episódio da nova Melrose Place também.

Para dar suporte ao seu álbum Kesha fez uma participação abrindo os shows na abertura da turnê Last Girl on Earth Tour da cantora Rihanna em 16 de Abril de 2010.

Por trás do álbum[editar | editar código-fonte]

Kesha fez uma participação no single de Flo Rida, "Right Round". Foi anunciado então que ela havia assinado com a RCA Records[2] e estava trabalhando no seu primeiro álbum,[3] Animal, previsto para ser lançado dia 5 de Janeiro de 2010, nos Estados Unidos. No seu processo de composição, ela disse à revista Esquire "Eu costumo sair de casa, ter uma noite insana, chego em casa meio bêbada, tropeçando, e escrevo algumas palavras. Na manhã seguinte acordo e falo, Uau, essa história precisa ser contada". Para primeiro single, "Tik Tok", ela explicou que "Acordou um dia após ter ido a uma festa, e estava cercada por dez das mulheres mais bonitas que já tinha visto… E pensou, Eu sou como P. Diddy — não há homem igual a ele em todo o mundo."[4] Ela falou DigitalSpy que quando se trata da sua música, ela quer "dar às pessoas algo que lhes traga alegria. Há artistas que fazem coisas acústicas mais sérias, e eu realmente os admiro, mas o que eu quero trazer à todos é diversão."[5]

Ela performou cinco músicas numa sessão ao vivo da MTV britânica, "Tik Tok", "Dinosaur", "Blah Blah Blah", "Backstabber" e "Party at a Rich Dude's House".[6] As primeiras três faixas foram usadas no programa MTV Push que é transmitido mundialmente nos canais da MTV.[7][8] "Tik Tok" para promover a sexta temporada de Project Runway e foi apresentado em 2009 na nova versão de Melrose Place[9] and The Hills.[10] Outra música, "Boots and Boys", também foi usada num episódio de Melrose Place.[9]

"Tik Tok" é o primeiro single do álbum. A música foi reproduzida pela primeira vez numa rádio americana dia 5 de Outubro de 2009.[11] A música fez muito sucesso na Nova Zelândia, Canadá e Austrália, onde alcançou o número um dos charts. Alcançou a primeira colocação da Billboard Hot 100 permanecendo nove semanas no topo da lista.

Indicações[editar | editar código-fonte]

Animal no total recebeu três indicações são elas de melhor álbum pop. Em 2010 recebeu suas duas primeiras indicações pela Teen Choice Awards e Soul & Jazz Awards. Em 2011 recebeu a sua terceira e ultima indicação pela Billboard Music Awards.

Ano Prémio Categoria Resultado
2010 Teen Choice Awards Melhor Álbum Pop Nomeado
Soul & Jazz Awards Melhor Álbum Pop Nomeado
2011 Billboard Music Awards Melhor Álbum Pop Nomeado

Singles[editar | editar código-fonte]

Kesha no MMVA Soundcheck.
  • "Tik Tok" foi lançado como primeiro single do álbum em 7 de agosto de 2009, através de download digital. A canção gerou mistas revisões geralmente positivas dos críticos no seu lançamento. A mídia especializada elogiou geralmente a letra e a celebração festeira da vida, a produção da canção foi geralmente bem recebida, embora alguns críticos criticou a canção por soar irritante e sendo muito semelhante à realizada por outras faixas tais como Lady Gaga e Uffie. Tik Tok foi certificado disco de platina cinco vezes pela Recording Industry Association of America (RIAA) pela venda de cinco milhões de cópias e vendeu mais de 5.633.000 de cópias nos Estados Unidos. A canção foi o single mais vendido no mundo em 2010, vendendo 12,8 milhões de cópias somente naquele ano.
  • "Blah Blah Blah" foi lançado como o segundo single do álbum em 19 de fevereiro de 2010 e contém a participação da dupla 3OH!3. A letra da canção foi recebida com reações mistas dos avaliadores, alguns sentiram que o fornecimento vocal de Kesha foi eficaz e ousado. Uma queixa comum entre eles foi o aparecimento do 3OH!3 afirmando que era "desnecessário". O single obteve um sucesso comercial, ficando entre os cinco primeiros na Austrália e no Canadá, enquanto entrou no top dez das paradas dos Estados Unidos e da Nova Zelândia.
  • "Your Love Is My Drug" foi o terceiro single do álbum lançado em 21 de maio de 2010. A canção em geral foi bem recebida pela crítica. Os críticos elogiaram o gancho, mas teve reações mistas com o refrão. Alguns elogiaram Kesha por conhecer sua maneira em torno de um refrão pop forte, enquanto outros o chamou de previsível e sem graça. Antes do lançamento de Animal, a canção entrou em paradas nos Estados Unidos, Reino Unido e Canadá. Passou a vender mais de dois milhões de cópias só nos EUA.
  • "Take It Off" foi o quarto e ultimo single do álbum, seu lançamento ocorreu em 13 de julho de 2010, impulsionado pelo grande número de downloads recebidos na época do lançamento do álbum. A canção recebeu criticas variadas. Uma das queixas foi feita ao vocal super-alterado com o uso de Auto-tune. Mesmo com as críticas, o single logo chegou ao topo das paradas dos Estados Unidos, Reino Unido e Canadá. A música ficou por duas semanas consecutivas em 8° lugar na Billboard Hot 100 a maior parada musical dos E.U.A.

Faixas[editar | editar código-fonte]

Edição padrão
N.º Título Compositor(es) Produtor(es) Duração
1. "Your Love Is My Drug"   Kesha Sebert, Pebe Sebert, Joshua Coleman Dr. Luke, Benny Blanco, Ammo 3:07
2. "Tik Tok"   K. Sebert, Lukasz Gottwald, Benjamin Levin Dr. Luke, Benny Blanco 3:19
3. "Take It Off"   K. Sebert, L. Gottwald, Claude Kelly Dr. Luke 3:35
4. "Kiss N Tell"   K. Sebert, L. Gottwald, Max Martin, Karl Schuster Dr. Luke, Max Martin 3:27
5. "Stephen"   K. Sebert, David Gamson, P. Sebert, Oliver Leiber David Gamson, Oliver Leiber 3:32
6. "Blah Blah Blah" (com participação de 3OH!3) K. Sebert, B. Levin, Neon Hitch, Sean Foreman Benny Blanco 2:52
7. "Hungover"   K. Sebert, L. Gottwald, M. Martin, K. Schuster Dr. Luke, Max Martin, Ammo 3:52
8. "Party At A Rich Dude's House"   K. Sebert, K. Schuster, B. Levin Shellback, Benny Blanco 2:55
9. "Backstabber"   K. Sebert, D. Gamson, Marc Nelkin, Jon Ingoldsby David Gamson 3:06
10. "Blind"   K. Sebert, L. Gottwald, B. Levin, J. Coleman Dr. Luke, Benny Blanco, Ammo 3:17
11. "Dinosaur"   K. Sebert, M. Martin, K. Schuster Max Martin, Shellback 2:55
12. "Dancing With Tears In My Eyes"   K. Sebert, L. Gottwald, B. Levin, C. Kelly Dr. Luke, Benny Blanco 3:29
13. "Boots & Boys"   K. Sebert, Tom Neville, Olivia Nervo, Miriam Nervo Tom Neville 2:56
14. "Animal"   K. Sebert, L. Gottwald, Greg Kurstin, P. Sebert Greg Kurstin 3:57
Duração total:
49:50

Desempenho nas tabelas musicais[editar | editar código-fonte]

Histórico de lançamento[editar | editar código-fonte]

Animal + Cannibal[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Cannibal (EP)

Animal + Cannibal é a primeira coletânea da cantora norte-americana Kesha que tem seu álbum de estúdio Animal e Cannibal, o Extended play da cantora. Originalmente Cannibal foi planejado para ser apenas um re-lançamento de Animal, mas Cannibal foi lançado, tanto como uma edição de luxo de Animal, como um EP independente. O EP foi classificado como um acompanhamento de "nove canções acompanhando" de Animal..[64][65] Cannibal foi originalmente destinado a conter algo entre 4-8 faixas com o resultado final composto por oito faixas e uma música remixada previamente ouvida, para um total de nove faixas..[64]

Notas

  1. Em língua portuguesa: "Talvez eu precise de alguma reabilitação, ou talvez só preciso dormir um pouco".

Referências

  1. Caulfield, Keith (13 de janeiro de 2010). «Ke$ha Ends Boyle's 'Dream' With No. 1 Debut On Billboard 200» (em inglês). Billboard. Consultado em 13 de outubro de 2010 
  2. Gordon, Sandra (25 de novembro de 2009), «Breaking & Entering: Ke$ha», Nielsen Business Media, Inc., Billboard, consultado em 26 de novembro de 2009 
  3. Official Bio, RCA Records, consultado em 20 de outubro de 2009 
  4. Sullivan, Matt (13 de agosto de 2009), «KE$HA and the Not-Quite-72 Virgins in Her Own Personal Heaven», Hearst Communications, Inc, Esquire, consultado em 20 de outubro de 2009 
  5. Levine, Nicke (13 de novembro de 2009), Interview - Ke$ha, Digital Spy Limited, consultado em 13 de novembro de 2009 
  6. MTV.co.uk Live Sessions, MTV Networks, consultado em 20 de novembro de 2009 
  7. «Watch Ke$ha on MTV Push!». Columbia Records. 2 de novembro de 2009. Consultado em 6 de novembro de 2009 
  8. «MTV NETWORKS INTERNATIONAL ROLLS-OUT MTV WORLD STAGE & MTV PUSH» (Nota de imprensa). MTV Networks UK. Consultado em 17 de novembro de 2009 
  9. a b Melrose Place Music Hub, The CW Television Network, consultado em 16 de novembro de 2009  Choose Your Episode - Nightingale and Canon
  10. «The Hills › Songs From the Show». MTV Networks. Consultado em 8 de novembro de 2009 
  11. FMQB CHR Airplay Archive 2009, Friday Morning Quarterback Album Report, Inc., consultado em 16 de novembro de 2009  10/5 Mainstream
  12. «Sade ist zurück: Platz zwei der Album-Charts» (em German). Media Control Charts. 16 de fevereiro de 2010. Consultado em 10 de março de 2010 
  13. Erro de citação: Código <ref> inválido; não foi fornecido texto para as refs de nome australian1
  14. a b c d e f g h i j k l «Ke$ha – Animal (Album)». Ultratop 50. Hung Medien. Consultado em 10 de maio de 2010 
  15. «CD – TOP 20 Semanal» (em Brazilian Portuguese). Associação Brasileira dos Produtores de Discos. Consultado em 14 de maio de 2010 
  16. a b c d «Animal - Ke$ha». Billboard (em inglês). Nielsen Business Media, Inc.. Prometheus Global Media. Consultado em 18 de Fevereiro de 2012 
  17. «Canadian Albums: Week of Janury 23, 2010». Billboard (em inglês). Nielsen Business Media, Inc.. Prometheus Global Media. Consultado em 18 de Fevereiro de 2012 
  18. «Billboard 200: Week of January 23, 2010». Billboard (em inglês). Nielsen Business Media, Inc.. Prometheus Global Media. Consultado em 18 de Fevereiro de 2012 
  19. «Top Digital Albums: Week of January 23, 2010». Billboard (em inglês). Nielsen Business Media, Inc.. Prometheus Global Media. Consultado em 18 de Fevereiro de 2012 
  20. «Tastemaker Albums: Week of January 23, 2010». Billboard (em inglês). Nielsen Business Media, Inc.. Prometheus Global Media. Consultado em 18 de Fevereiro de 2012 
  21. «Japan Albums: Week of June 19, 2010». Billboard (em inglês). Nielsen Business Media, Inc.. Prometheus Global Media. Consultado em 18 de Fevereiro de 2012 
  22. «Top 50 Ξένων Aλμπουμ» (em Greek). IFPI Greece. Agosto de 2010. Consultado em 10 de março de 2010 
  23. «Irish Recorded Music Association Chart Track». Irish Recorded Music Association. Chart-track.co.uk. Consultado em 10 de maio de 2010 
  24. «Japanese Oricon Top 30 debut albums». Oricon (em Japanese). Consultado em 9 de junho de 2010 
  25. «Oficjalna lista sprzedaży :: OLIS – Official Retail Sales Chart». OLIS. 21 de setembro de 2008. Consultado em 15 de março de 2010 
  26. Erro de citação: Código <ref> inválido; não foi fornecido texto para as refs de nome uK1
  27. «European Albums: Week of February 27, 2010». Billboard (em inglês). Nielsen Business Media, Inc.. Prometheus Global Media. Consultado em 18 de Fevereiro de 2012 
  28. «ARIA Charts – End Of Year Charts – Top 100 debut albums 2010». Australian Recording Industry Association. Consultado em 21 de abril de 2011 
  29. «Best of 2010 – Top Canadian Albums». Billboard. Prometheus Global Media. Consultado em 21 de abril de 2011 
  30. «Annual Top 50 debut albums Chart 2010». Recording Industry Association of New Zealand. Consultado em 21 de abril de 2011 
  31. «End Of Year Charts: 2010» (PDF). UKChartsPlus. Consultado em 10 de agosto de 2011 
  32. «Best of 2010 – Top Billboard 200 Info». Billboard. Prometheus Global Media. Consultado em 21 de abril de 2011 
  33. «ARIA Charts – Accreditations – 2010 Albums». Australian Recording Industry Association. Consultado em 18 de março de 2010 
  34. «Music Canada – Platinum – Canada». Music Canada. Consultado em 18 de março de 2010 
  35. «Gold & Platin» (To access certifications, one must enter the search term "Ke$ha" into the "Interpret" field). International Federation of the Phonographic Industry. Consultado em 27 de janeiro de 2011 
  36. «Gold & Platinum: Kesha Singles and Albums». Recording Industry Association of America. Consultado em 5 de outubro de 2010 
  37. «IRMA - Gold - Ireland». IRMA. Consultado em 30 de maio de 2011 
  38. «ゴールド等認定作品一覧 2010年6月». Recording Industry Association of Japan (em Japanese). 10 de julho de 2010. Consultado em 13 de julho de 2010 
  39. «Radio Scope – July 25 2010». Radio Scope. Consultado em 1 de agosto de 2010 
  40. «Animal (Denmark Release)». iTunes. Apple Inc. Consultado em 18 de março de 2010 
  41. «Animal (Italy Release)». iTunes. Apple Inc. Consultado em 21 de março de 2010 
  42. «Animal (Philippine Release)». CD Album. Sony Music Entertainment (Philippines). Consultado em ©2010  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  43. «Ke$ha "Animal" South Korea Album Release». SonyMusic. 4 de janeiro de 2010 Please use browser "Google Chrome" for with automatic language translation. Thank You.
  44. «Canada, Ke$ha: Animal – Animal release date: Tue, 01/05/2010». iTunes. Apple Inc. Consultado em 30 de janeiro de 2010 
  45. «Ke$ha: Animal». keshasparty.com. Consultado em 10 de março de 2010 
  46. «United States, Ke$ha: Animal – Animal release date: Tue, 01/05/2010». iTunes. Apple Inc. Consultado em 26 de janeiro de 2010 
  47. «Kesha – Animal». JB Hi-Fi. Consultado em 15 de agosto de 2010 
  48. «New Zealand, Kesha: Animal – Animal release date: Mon, 01/11/2010». iTunes. Apple Inc. Consultado em 21 de março de 2010 
  49. «Ke$ha "Animal" Thailand Album Release». sonymusic.co.th. Sony Music Entertainment. Consultado em 9 de abril de 2010 
  50. «Frab=nce, Ke$ha: Animal – Animal release date: Lu, 01/25/2010». KeshasParty.com. Sony Music Entertainment. Consultado em 21 de março de 2010 
  51. «Brazil, Ke$ha: Animal – Animal release date: Mon, 01/28/2010». KeshasParty.com. Sony Music Entertainment. Consultado em 5 de março de 2010 
  52. «United Kingdom, Ke$ha: Animal – Animal release date: Mon, 02/01/2010». KeshasParty.com. Sony Music Entertainment. Consultado em 30 de janeiro de 2010 
  53. «Sony Music – KESHA – KE$HA IRRUMPE EN LA ESCENA DEL POP Y PRESENTA SU ALBUM DEBUT"ANIMAL"». sonymusic.com.ar. Sony Music Entertainment. Consultado em 18 de março de 2010 
  54. «Ke$ha "Animal" Japan Album Release». sonymusic.co.jp. 12 de maio de 2010 Please use browser "Google Chrome" for with automatic language translation. Thank You.
  55. «Kesha – Animal». JB Hi-Fi. Consultado em 15 de agosto de 2010 
  56. «Cannibal + Animal (Australia release)». iTunes. Apple Inc. Consultado em 20 de novembro de 2010 
  57. «Cannibal + Animal (Canada)». iTunes. Apple Inc. Consultado em 22 de novembro de 2010 
  58. «Animal + Cannibal (Philippine Release)». CD Album. Sony Music Entertainment (Philippines). Consultado em ©2010  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  59. «Cannibal + Animal (New Zealand release)». iTunes. Apple Inc. Consultado em 20 de novembro de 2010 
  60. «Animal + Cannibal (Deluxe Edition)». Sony Star. Sony Music Entertainment Korea Inc. Consultado em 5 de abril de 2011 
  61. «Cannibal + Animal (United States)». iTunes. Apple Inc. Consultado em 22 de novembro de 2010 
  62. «Cannibal + Animal – Ke$ha (Brazil release date))». livrariacultura.com.br. Consultado em 3 de dezembro de 2010 
  63. «Animal + Cannibal». Amazon.com, Inc. Consultado em 1 de fevereiro de 2011 
  64. a b Montgomery, James (13 de outubro de 2010). «Kesha To Return With Cannibal On November 22. Animal companion will feature eight new songs». MTV News. MTV Networks (Viacom). Consultado em 13 de outubro de 2010 
  65. «Kesha Wants to Be 'Gangster,' Says Producer». Rap-Up. Consultado em 13 de outubro de 2010