Anita Sarkeesian

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita fontes confiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto. (desde abril de 2017) Ajude a melhorar esta biografia providenciando mais fontes confiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes confiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Translation Latin Alphabet.svg
Este artigo está a ser traduzido de «Anita Sarkeesian» na Wikipédia em inglês (desde novembro de 2014). Ajude e colabore com a tradução.
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde dezembro de 2015). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Anita Sarkeesian
Sarkeesian em 2011
Nascimento 1984 (33 anos)
Ontário
 Canadá
Nacionalidade Estados UnidosNorte-americana
Alma mater Cal State University, Northridge
Universidade Iorque
Ocupação Crítica de mídia, blogueira
Página oficial
Feminist Frequency

Anita Sarkeesian (Ontário, c. 1984) é uma feminista de origem canadense, crítica de mídia e blogueira. Ela é a autora do videoblog "Feminist Frequency" e da série de vídeos Tropes vs. Women e Tropes vs. Women in Video Games, que examinam clichês na representação de mulheres na cultura popular.

Em 2012, Sarkeesian foi alvo de uma campanha de assédio virtual após ter lançado um projeto no Kickstarter para financiar a série Tropes vs. Women in Video Games. Ao mesmo tempo, apoiadores doaram mais de US$ 150 mil ao projeto, muito além do objetivo inicial de US$ 6 mil. A situação foi extensivamente divulgada na mídia, colocando Sarkeesian no centro de discussões sobre misoginia na cultura dos video games e assédio virtual. Subsequentemente, ela tem continuado a estudar percepções de gênero em video games e falar publicamente sobre problemas que ela percebe na indústria e na cultura. Em 2014, ela se tornou o tópico de ameaças terroristas contra sua conferência na Universidade do Estado de Utah, como divulgado em manchetes internacionais.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Sarkeesian nasceu perto de Toronto de pais imigrantes armênios. Ela se mudou mais tarde para a Califórnia, e se identifica como uma americo-canadense. Elas se graduou em comunicação na California State University em Northridge, e então obteve o grau de mestrado em pensamento sociopolítico pela York University, se formando em 2010. Sua tese de mestrado é intitulada "Eu vou Fazer um Homem Sair de Você: Mulheres Fortes na Ficção Científica e Fantasia."[1]

Ativismo feminista[editar | editar código-fonte]

Sarkeesian inaugurou seu website Ativismo Feminista (em inglês) em 2009, ainda estudante na York University. Ela criou o site para divulgar videos de discussão sobre a figura popular feminina em uma tentativa de criar uma mídia crítica feminista acessível. Em 2011, ela se associou à revista americana Bitch para criar uma série de vídeos chamada Tropos (clichês) x Mulheres (Tropes vs Women), que examinaram os clichês na representação das mulheres em filmes, na televisão e video games, com um foco na ficção científica. A série era composta de videos com clichês cinematográficos populares americanos como: The Manic Pixie Dream Girl (MPDG), Women in Refrigerators (WiR) e The Smurfette Principle (Smurfette). Ela também produziu um grande número de videos analisando a cultura popular do ponto de vista feminista, também como videos fazendo o Teste de Bechdel com figuras nomeadas para o Academy Awards.[carece de fontes?]

Em 2011, Sarkeesian foi co-autora na dissertação "Buffy vs Bella:[2] A reascenção do arquétipo feminino em histórias de vampiros" para a antologia: "Fãs de Vampiros: Audiência e Consumo dos Vampiros Modernos".[3] Ela apresentou em conferências e oficinas sobre crítica da mídia e videoblog's, e foi entrevistada pelo jornal britânico The Observer em março de 2012 sobre cultura midiática, afirmando: "Eu penso no alcance que poderia ter, a criação autêntica, de personagens femininos, é um avanço em direção de uma mídia mais feminista".[4]

O blog dela foi utilizado como material para estudos e cursos sobre mulheres a nível universitário, e ela fez palestras em universidades em cima do tópico sobre personagens femininas na cultura popular. Em março de 2012, Sarkeesian e o seu blog foram citados no periódico trimestral Feminist Collection's na seção E-Sources on Women & Gender.[carece de fontes?]

Em Janeiro de 2015, como parte de um investimento de US$300 milhões para aumentar a diversidade e inclusão na esfera tecnológica,a Intel anunciou que se associaria ao blog Ativismo Feminista (em inglês) e a outros grupos para ajudar a promover um aumento nas oportunidades de carreira, compromisso e representação positiva para as mulheres e minorias nas áreas tecnológicas e de games.[carece de fontes?]

Referências

  1. "I'll Make a Man Out of You: Strong Women in Science Fiction and Fantasy Television." em inglês
  2. Buffy de Buffy the Vampire Slayer e Bella de O Crepúsculo
  3. Fanpires: Audience Consumption of the Modern Vampire.
  4. "I think to the extent that it could be creating authentic, human female characters, it is a push towards a more feminist media"
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.