Anna Murray-Douglass

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Anna Murray-Douglass
Nascimento 1813
Denton (Maryland)
Morte 4 de agosto de 1882 (69 anos)
Washington, D.C.
Nacionalidade norte-americana
Progenitores Mãe: Mary Murray
Pai: Bambarra Murray
Cônjuge Frederick Douglass (1838–1882)
Filho(s) Rosetta, Lewis, Frederick Jr., Charles e Annie
Ocupação Abolicionista
Empregada doméstica

Anna Murray-Douglass (Denton, c. 1813Washington, D.C., 4 de agosto de 1882) foi uma abolicionista estadunidense, participante da Underground Railroad, mais conhecida por ter sido a primeira esposa do líder negro Frederick Douglass.

Sua vida ilustra as dificuldades das mulheres que se casam com figuras públicas e famosas e acabam se distanciando do cônjuge.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Seus pais Mary e Bambarra[nota 1] eram escravos na zona rural do Condado de Caroline em Maryland[2] que, pouco antes do seu nascimento foram alforriados, de forma que ela já nasceu livre apesar de viver num estado escravocrata.[1]

Ela passou a viver em Baltimore onde cresceu,[1] trabalhando como empregada doméstica.[3] Ali conheceu, de forma que a história não registrou claramente como isto se deu, o jovem calafate Frederick Augustus Washington Bailey, ainda escravo e seis anos mais novo que ela, a quem facilitou a segunda e bem sucedida tentativa de fuga dando-lhe dinheiro para comprar a passagem de trem e um disfarce de marinheiro.[1]

Assim que ele chegou a Nova Iorque ela foi para lá onde se encontraram e foram casados pelo célebre reverendo negro James William Charles Pennington,[1] em 15 de setembro de 1838.[2]

O casal então se mudou para uma comunidade Quaker em New Bedford onde adotaram o sobrenome Douglass e Frederick começou sua carreira como palestrante em defesa da abolição.[1]

Os cinco filhos do casal — três meninos e duas meninas: Rosetta, Lewis, Frederick Jr., Charles e Annie — nasceram entre 1839 e 1849; em 1847 se mudaram para Rochester onde Frederick começou a publicar seu jornal abolicionista The North Star.[1]

Anna foi-lhe sempre uma esposa fiel: trabalhava como empregada doméstica e cuidava dos filhos; contudo não se pode dizer que tinham um casamento feliz, pois ela não acompanhava o marido em sua trajetória: mesmo quando este recebia visitas ela se limitava a servir e cozinhar para os hóspedes e em seguida se retirava.[4] Ele chegou a contratar-lhe um professor, mas Anna revelou-se incapaz de aprender, de forma que Frederick sempre se sentiu solitário em casa,[4] com uma esposa que raramente participava da vida como ativista e um círculo cada vez maior de colegas abolicionistas brancos e negros, crescendo o abismo entre os dois.[1]

Após a morte da filha mais nova, Annie em 1860, sua saúde começou a se deteriorar.[1] Em 1877 o marido foi nomeado para cargos federais em Washington pelo presidente Hayes e com isto mudaram-se de forma definitiva para a capital a morar numa casa em Cedar Hill, apesar de o então subúrbio de Anacostia adotar medidas segregacionistas.[5][6] Helen já se encontrava praticamente inválida.[4]

Morreu em 4 de agosto de 1882 na casa de Cedar Hill, sendo contudo sepultada no Mount Hope Cemetery, em Rochester.[1] Pouco mais de um ano e meio após seu falecimento Frederick contraiu novas núpcias com uma mulher branca, Helen Pitts, que era muito mais nova que ele e fora sua funcionária, gerando grande escândalo na sociedade americana que vedava as uniões inter-raciais.[4]

Notas e referências[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. Algumas fontes trazem a grafia Banarra.[2]

Referências

  1. a b c d e f g h i j Shirley Yee. «Douglass, Anna Murray (c. 1813-1882)». BlackPast.org. Consultado em 27 de dezembro de 2016. Cópia arquivada em 28 de dezembro de 2016 
  2. a b c Julius Eric Thompson, James L. Conyers (2010). The Frederick Douglass Encyclopedia. [S.l.]: ABC-CLIO. pp. 124–125. ISBN 978-0-313-31988-4 
  3. Roy E. Finkenbine. «Douglass, Frederick». American National Biography. Consultado em 24 de dezembro de 2016. Cópia arquivada em 24 de dezembro de 2016 
  4. a b c d Institucional (10 de fevereiro de 2005). «Famous Women in Mount Hope Cemetery: Helen Pitts Douglass - 1838-1903». Friends of Mt. Hope Cemetery. Consultado em 9 de janeiro de 2017. Cópia arquivada em 4 de setembro de 2013 
  5. Institucional. «Frederick Douglass National Historic Site». National Park Service. Consultado em 21 de dezembro de 2016. Cópia arquivada em 21 de dezembro de 2016 
  6. s/a. «Anacostia Historic District». National Park Service. Consultado em 21 de dezembro de 2016. Cópia arquivada em 5 de agosto de 2012