Anne Askew

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Xilogravura da queima de Anne Askew, por heresia, em Smithfield em 1546.

Anne Askew (Lincolnshire, 1520/1521 - 16 de julho de 1546) foi uma poeta e protestante inglesa. Foi a única mulher de que há registo a ter sido torturada no cavalete na Torre de Londres. Acabou condenada, por heresia, a ser queimada viva na fogueira. É reconhecida como uma das primeiras poetas feministas da língua inglesa e foi a primeira mulher a exigir divórcio na Inglaterra. [1]

Execução[editar | editar código-fonte]

Pouco antes da fogueira ter sido acendida por o carrasco, o mesmo, subornado por uma amiga protestante de Anne Askew, colocou um saco de pólvora ao seu pescoço. A pólvora explodiu pouco depois do carrasco acender a fogueira, e dessa forma o sofrimento de Anne foi abreviado.

Referências

  1. Merle D'Aubigné, Jean Henri (1994). The Reformation in England. 2 (reprint ed.). London: Banner of Truth Trust. ISBN 9780851514871.
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.