Anne Victorino de Almeida

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Anne (Ana) de Medeiros Harlé Victorino d'Almeida (Poissy, 15 de Dezembro de 1978) é uma violinista e compositora portuguesa.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nasceu a 15 de Dezembro de 1978 em Poissy (França). Filha mais nova do compositor António Victorino d’Almeida e de Sybil Harlé, cedo despertou a sua vontade de estudar música, iniciando aos 4 anos de idade aulas de piano em Viena da Áustria. Aos 7 anos, já em Portugal, iniciou aulas de violino na Fundação Musical dos Amigos das Crianças com Inês Barata, com quem estudou durante onze anos, concluindo nessa mesma escola o 8º grau sob orientação de Leonor Prado. Em 1997, ingressou no Conservatório Regional de Rueil-Malmaison (França) estudando na classe de Dominique Barbier. Regressou um ano depois a Lisboa e ingressou na Academia Nacional Superior de Orquestra na classe de Ágnes Sárosi, concluindo em 2003 a sua licenciatura. Foi igualmente orientada, após a sua licenciatura, por António Anjos. Teve a oportunidade, ao longo do seu percurso musical, de frequentar diversos cursos e classes de aperfeiçoamento com violinistas e pedagogos conceituados, tais como James Dahlgreen, Gerardo Ribeiro, Galina Turtchaninova, Gilles Apap e Maxim Vengerov. Em 2004, frequentou e concluiu o primeiro ano de direção de orquestra na Academia Superior de Orquestra. Tem dedicado grande parte da sua carreira musical à composição de bandas sonoras, sendo-lhe atribuído o prémio de melhor proposta musical no concurso Teatro na Década. Compôs igualmente a música de diversas peças, encenadas no Instituto Português da Juventude, Teatro da Comuna e Teatro da Trindade. Em 2006, compôs a banda sonora do documentário Cartas a uma Ditadura realizado por Inês de Medeiros, exibido em diversas salas de cinema do país e estrangeiro, assim como a banda sonora da curta-metragem “Stroke” de Sofia de Bottom. Em 2014 escreveu a banda sonora e o argumento da curta-metragem “A Carruagem”, realizado por João Vasco, premiado com uma menção honrosa no Concurso de Vídeo do Inatel e vencedor em 2015 do Grand Prix Cinérail em Paris. A sua música é tocada regularmente por diversos intérpretes, formações de câmara e orquestras, destacando a Orquestra Metropolitana de Lisboa, Orquestra Sinfonietta de Lisboa, Orquestra Clássica da Madeira e Orquestra do Algarve. Várias obras são anualmente peças obrigatórias em diversos concursos. Foi compositora residente do Festival Gravíssimo! Edição 2017 e 2018 e, no decorrer do ano 2018, compositora da Orquestra Clássica de Cascais e Oeiras. Foi apoiada pela Sociedade Portuguesa de Autores para a gravação de parte significativa da sua música de câmara num CD duplo que, lançado em 2019, A Sombra dos Sentidos. Foi membro fundador do Quarteto Lopes-Graça de 2005 a 2014, com quem atuou com grande frequência nas maiores salas portuguesas e estrangeiro, destacando-se Andorra em 2008 e Brasil em 2013 na Oficina da Música em Curitiba, em Sorocaba e Brasília. Com esse quarteto, gravou em 2008 o CD Música Portuguesa para Quarteto com obras de António Victorino d’Almeida e Fernando Lopes-Graça e em 2011 o CD Festival Criasons, com obras de compositores portugueses. É membro fundador do Quarteto Camões e do trio Rumos Ensemble, criado em 2015, tendo atuado no Brasil, Alemanha, Namíbia, África do Sul, Estados Unidos, Cuba, França, Suiça, Tunísia, Cabo Verde e China. É membro fundador do grupo 100 Caminhos, criado em 2018. Na área do ensino, é profissionalizada pela Universidade Aberta. Os seus alunos têm sido recorrentemente premiados em diversos concursos, tais como o Concurso de Arcos de Viana do Castelo, Concurso Internacional do Fundão, Concurso Capela, Concurso Jovem.com, Concurso de Fátima Ourém, Concurso Nacional do Montijo, Concurso Nacional de Cordas Vasco Barbosa, entre outros. Orientou masterclasses em 2011 e 2012 na Escola Portuguesa em Maputo (Moçambique), em 2013 na Oficina da Música de Curitiba (Brasil) e em 2017 na Cidade de Praia (Cabo Verde). Foi júri convidado de diversos concursos tais como o Concurso Jovem.com e Concurso Capela, entre outros. Foi professora na Escola Metropolitana de Lisboa de 2000 a 2012. No ano letivo 2012/13 lecionou no projeto de ensino da música da SIC Esperança na Escola Gil Vicente em Lisboa. Foi também professora no Conservatório de Lisboa em Carnide entre 2013 e 2014. Atualmente, é professora na Escola de Música do Conservatório Nacional onde leciona desde 2004, exercendo desde 2017 o cargo de directora adjunta.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Aviso: A chave de ordenação padrão "Anne Victorino d'Almeida" sobrepõe-se à anterior "Anne Victorino de Almeida".