Anneliese Rothenberger

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Anneliese Rothenberger
Nascimento 1926
Mannheim
Morte 24 de maio de 2010 (84 anos)
Münsterlingen
Cidadania Alemanha
Ocupação apresentadora de televisão, cantora, cantora de ópera
Prêmios Grã-Cruz da Ordem do Mérito da República Federal da Alemanha, Ordem do Mérito de Baden-Württemberg
Causa da morte doença
Anneliese Rothenberger, 1969

Anneliese Rothenberger (Mannheim, Alemanha, 19 de junho de 1924Münsterlingen, Suíça, 24 de maio de 2010) foi uma soprano alemã de relevância internacional.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Estudou com Erika Müller e estreia em Coblenza em 1943. Em 1947 o director Günther Rennert contratou-a para a Ópera do Estado de Hamburgo onde estreia como Lulú de Alban Berg que cantou em Munique depois dirigida por Christoph von Dohnányi.

Em 1954 estreia no Festival de Salzburgo, na escola das mulheres de Rolf Liebermann e depois na Wiener Staatsoper. No Metropolitan Opera cantou Der Rosenkavalier como Sofia, a legendaria Lotte Lehmann a proclamou a melhor intérprete da personagem que também filmou dirigida por Herbert von Karajan junto a Elisabeth Schwarzkopf e Sena Jurinac.

Em 1961 actuou em Buenos Aires no afamado Teatro Colón em "O Rapto no Serrallo" e "O Caballero da Rosa".

Suas mais famosas interpretações foram dos papéis de Konstanze em Die Entführung aus dem Serail (em 1965 com Fritz Wunderlich dirigida por Giorgio Strehler), Fiordiligi em Così fã tutte, Zdenka em Arabella, Marie em Wozzeck, e Violetta na traviata. Foi uma importante Liederista e participou em obras contemporâneas.

Ao retirar do canto converteu-se em conhecida animadora de televisão, o "Show de Anneliese Rothenberge" para ainda a fazer mais popular.

Quando faleceu seu esposo em 1999 se retirou ao Lago Constanza e em 2003 recebeu o Prêmio JOGO à trajectória.

Discografia[editar | editar código-fonte]

Gravou muitas óperas completas, entre elas A flauta mágica, Dom Giovanni, Idomeneo, Arabella, Die Fledermaus, Orfeo ed Euridice, Hänsel und Gretel, A viúva alegre, A bohème, A traviata e Martha, e uma famosa Os casamentos de Fígaro junto a glórias da lírica como Lisa Della Casa, Dietrich Fischer-Dieskau, Fritz Wunderlich, Irmgard Seefried, Nicolai Gedda, Helen Donath, Peter Schreier, Walter Berry, e Rudolf Schock e Cessar Siepi, ainda que tenha afirmado numa entrevista que a única colega da que foi amiga foi Lisa Della Casa, porque disse que após ter cantado uma representaciòn ia directamente a casa; manter relações com seus colegas segundo ela era uma tolice.[2]

Referências

  1. «Anneliese Rothenberger (1921-2010)». www.operasiempre.es. Consultado em 16 de março de 2018. Arquivado do original em 3 de fevereiro de 2012 
  2. Cf. «Título ainda não informado (favor adicionar)». www.youtube.com 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • "Rothenberger, Anneliese" - Harold Rosenthal, New Grove Dictionary of Opera (Londres, 1992) ISBN 0-333-73432-7
  • Melodie meines Lebens- Anneliese Rothenberger, autobiografía, 1973.
  • Wolf-Eberhard von Lewinski: Anneliese Rothenberger. Velber: Friedrich, 1968.
  • Ricarda Strobel: Die deutschen Fernsehstars, Bd. 4. Göttingen: Vandenhoeck & Ruprecht, 1998. ISBN 3-525-20799-9.
  • Robert Eberl: Auferstanden aus Rothenberger-Ruinen. In: Kevin Clarke (Hrsg.), Glitter and bê Gay: Die authentische Operette und ihre schwulen Verehrer. Männerschwarm, Hamburg 2007, S. 220–224, ISBN 978-3939542131.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]