Anre ibne Alaite

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
 Nota: Para outros significados, veja Anre.
Anre ibne Alaite
imperador safárida
Reinado 879 - 901
Antecessor(a) Iacube ibne Alaite Alçafar
Sucessor(a) Tair ibne Maomé ibne Anre
Morte 902
  Baguedade
Dinar de ouro de Almutâmide (r. 870–892) com os nomes de Almuafaque (r. 870–891) e o vizir Saíde (duluizarataim)
Dinar de ouro de Almutadide (r. 892–902)

Anre ibne Alaite (Amr ibn al-Layth) ou Anre Alaite Safari (em persa: عمرو لیث صفاری‎; romaniz.:Amr-i Laith Saffari) foi o segundo governante do Império Safárida do Irã de 879 a 901. Era filho de um funileiro e irmão mais jovem do fundador da casa reinante, Iacube ibne Alaite Alçafar.

Vida[editar | editar código-fonte]

Segundo as fontes, Anre teria iniciado sua vida como tropeiro e pedreiro, vindo a lutar posteriormente, em 875, ao lado de seu irmão mais velho para tornar-se governador de Herate. Quando Iacube morreu em Pérsis em 879, Anre tornar-se-ia o sucessor do trono safárida perante seu irmão Ali ibne Alaite, que era a escolha preferida por Iacube e seu exército. Após sua ascensão, Anre fez a paz com o Califado Abássida. O califa Almutâmide (r. 870–892) foi forçado a reconhecer a realidade da dominância safárida dos domínios califais orientais, e alcançou um modus vivendi com eles, talvez esperando, segundo Hugh N. Kennedy, aproveitá-los em uma parceria análoga como aquela com taíridas nas décadas anteriores. Consequentemente, os safáridas foram reconhecidos em seus domínios no Coração e Pérsia Oriental, bem como Pérsis, enquanto os abássidas exerceram controle direto sobre Jibal, Ragas e Ispaã.[1][2]

Em 884, o governante bavândida Rustã I (r. 867–896), após ser repelido do Tabaristão pelo governante zaidita Maomé ibne Zaíde (r. 884–900), chegou à corte de Anre, e solicitou sua ajuda para reclamar o trono bavândida. Com a ajuda de Anre, Rustã foi capaz de retornar seus domínios no Tabaristão.[3] Em 897, Ragas foi abandonada aos safáridas pelos abássidas, que não conseguiam defendê-la contra as invasões zaiditas.[2][4][5]

A aliança abássida-safárida no Irã foi mais claramente expressa contra o intrépido general Rafi ibne Hartama, que tinha feito sua base em Ragas e mostrou-se uma ameaça aos interesses califais e safáridas na região. O califa Almutadide (r. 892–902) enviou o duláfida Amade ibne Abdalazize para tomar Ragas de Rafi, que fugiu e fez uma causa comum com os zaiditas do Tabaristão em um esforço para conquistar o Coração safárida. Com Anre mobilizando um sentimento anti-álida contra ele e a esperada assistência dos zaiditas não materializando-se, Rafi foi derrotado e morto na Corásmia em 896. Anre, no pináculo de seu poder, enviou a cabeça do rebelde derrotado para Baguedade, e em 897, o califa transferiu o controle de Ragas para ele.[6]

A aliança finalmente colapsou após Almutadide nomear o governante safárida Anre como governador de Transoxiana em 898, que era governada pelo rival Império Samânida. Almutâmide encorajou-o a confrontar os samânidas, mas no evento, Anre foi esmagadoramente derrotado e levado prisioneiro em 900. O governante samânida, Ismail Samani (r. 892–907), enviou-o em correntes para Baguedade, onde foi executado em 902, após a morte de Almutadide. Como consequência de sua derrota, o califa conferiu os títulos de Anre para Ismail Samani, mas os safárida Tair ibne Maomé ibne Anre (r. 879–901) provou-se suficientemente resiliente para frustrar as tentativas califais de recuperar Pérsis e Carmânia por vários anos. Não foi até 910 que os abássidas conseguiram recuperar a cobiçada província de Pérsis.[1][7][8]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Iacube
imperador safárida
879 - 901
Sucedido por
Tair

Referências

  1. a b Kennedy 1993, p. 759–760.
  2. a b Bonner 2010, p. 336.
  3. Madelung 1993, p. 595–597.
  4. Mottahedeh 1975, p. 78.
  5. Kennedy 2004, p. 182–183.
  6. Bosworth 1975, p. 120.
  7. Bosworth 1975, p. 121–122.
  8. Bonner 2010, p. 336–337.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Barthold, W. (1986). «ʿAmr b. al-Layth». The Encyclopedia of Islam, New Edition, Volume I: A–B. Leida e Nova Iorque: BRILL. ISBN 90-04-08114-3 
  • Bosworth, C.E. (1975). «The Ṭāhirids and Ṣaffārids». In: Frye, R.N. The Cambridge History of Iran, Volume 4: From the Arab Invasion to the Saljuqs. Cambridge: Cambridge University Press. ISBN 0-521-20093-8 
  • Bonner, Michael (2010). «The waning of empire, 861–945». In: Robinson, Charles F. The New Cambridge History of Islam, Volume I: The Formation of the Islamic World, Sixth to Eleventh Centuries. Cambridge: Cambridge University Press. ISBN 978-0-521-83823-8 
  • Kennedy, Hugh N. (1993). «al-Muʿtaḍid Bi'llāh». The Encyclopedia of Islam, New Edition, Volume VII: Mif–Naz. Leida e Nova Iorque: BRILL. ISBN 90-04-09419-9 
  • Mottahedeh, Roy (1975). «The ʿAbbāsid Caliphate in Iran». In: Frye, R.N. The Cambridge History of Iran, Volume 4: From the Arab Invasion to the Saljuqs. Cambridge: Cambridge University Press 
  • Madelung, W. (1993). «DĀʿĪ ELAʾL-ḤAQQ, ABŪ ʿABD ALLĀH MOḤAMMAD». In: Yarshater, Ehsan. Encyclopaedia Iranica, Vol. VI, Fasc. 6. Londres et al.: Routledge & Kegan Paul. ISBN 1568590075