António A. Coutinho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
António Coutinho
Nascimento 8 de outubro de 1946 (70 anos)
Aveiro, Vera Cruz
Nacionalidade Portugal Português
Alma mater Universidade de Lisboa
Campo(s) Imunologia

António Manuel Pinto do Amaral Coutinho GOSEGOIH (Aveiro, Vera Cruz, 8 de outubro de 1946) é um imunologista português.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de Armindo Tavares Coutinho (Sever do Vouga, Rocas do Vouga, 25 de Outubro de 1914 - Lisboa, 23 de Janeiro de 2007) e de sua mulher Maria da Nazaré Pinto do Amaral (Estarreja, Beduído, 7 de Outubro de 1915 - Lisboa, 14 de Setembro de 2004). É primo-irmão de Fernando Pinto do Amaral.

Em 1969 concluiu a Licenciatura em Medicina na Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, e em 1974 recebeu os graus de Doutor em Microbiologia Médica e de docente em Imunologia pelo Instituto Karolinska, da Suécia.

Investigador do Instituto de Imunologia de Basileia, na Suíça, entre 1975 e 1979, foi nomeado professor e director do Departamento de Imunologia da Faculdade de Medicina da Universidade de Umeå, na Suécia, cargo que exerceu entre 1979 a 1984.

Em 1980 integrou os quadros científicos do Centro Nacional de Investigação Científica francês III (CNRS), para criar a Unidade de Imunobiologia no Instituto Pasteur em Paris, que dirigiu de 1982-1998, como Director de Investigação do CNRS e Professor do Instituto Pasteur, tendo exercido o cargo de Director do Departamento de Imunologia entre 1991 e 1994. Foi ainda Professor Visitante no Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) e na Universidade de São Paulo, tendo sido eleito Professor de Patologia Geral da Universidade de Geneva (1982) e nomeado Professor de Imunologia na Faculdade de Medicina da Universidade de Lund (1987), cargos que não chegou a ocupar.

Dirigiu o Instituto Gulbenkian de Ciência de 1998-2012, sendo actualmente membro da sua Comissão de Gestão. Em 2012 foi nomeado membro coordenador do Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia, e é professor catedrático convidado de Imunologia da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa.

Durante a sua carreira científica recebeu vários prémios e distinções: Prémio Fernstrbmska da Universidade de Uma em 1981; Prémio Aniversario da FEBS (Federação das Sociedades Europeias de Bioquímica) em 1982; Prémio Gulbenkian de Ciência conjuntamente com os professores Benedita Rocha e António Freitas, em 1987; Prémio Behring-Metchnikoff, da Sociedade Francesa de Imunologia, em 1990; Prémio Lacassagne do "College de France" em 1995; Ordem do Cruzeiro do Sul (Brasil) em 1998; Légion d'Honneur (França) em 2001; Placa de Homenagem da Sociedade Brasileira de Imunologia em 2002; Ordem do Infante D. Henrique (Portugal) em 2003; Prémio Universidade de Lisboa em 2007.

A 9 de Junho de 2003 foi feito Grande-Oficial da Ordem do Infante D. Henrique.[1]

O professor António Coutinho é membro da European Molecular Biology Organization (EMBO), da Academia Portuguesa de Medicina, membro estrangeiro da Academia Brasileira de Ciências, Sócio Honorário da Sociedade Portuguesa de Imunologia e Presidente da Sociedade das Ciências Médicas de Lisboa desde 2006.

A 14 de Abril de 2015 foi feito Grande-Oficial da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada.[1]

Publicações[editar | editar código-fonte]

A. Coutinho tem mais de 450 publicações sendo, segundo dados do Institute for Scientific Information, um dos 100 imunologistas mais citados do mundo.[2]

Referências

  1. a b «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "António Manuel Pinto do Amaral Coutinho". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 11 de setembro de 2015 
  2. «Cientistas portugueses no top dos mais citados - JN». Jornal de Notícias. Consultado em 12 de julho de 2011 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um médico é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.