António Baldaque da Silva

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

António Artur Baldaque da Silva (Lisboa, 28 de Dezembro de 1852 - 21 de Agosto de 1915), foi um militar e um estudioso da oceanografia, hidrografia, biologia e pescas português.

|imagem =

Foto oficial do Comandante Baldaque da Silva

Biografia[editar | editar código-fonte]

A infância de António Baldaque da Silva foi dividida entre Lisboa e a Figueira da Foz, até 1864, ano em que ingressou no ingressou no Colégio Militar. A 17 de Outubro de 1870 inicia a sua carreia na Marinha (onde ocupou várias funções e cargos, alcançando o posto de Capitão-de-mar-e-guerra), como Aspirante Extraordinário. Segui-se o Curso Preparatório de Marinha na Escola Politécnica e posteriormente o Curso de Marinha Militar, na Escola Naval. Promovido a Guarda-Marinha, embarca em diversos navios, cujas em missões o levam a percorrer as águas do Continente, África, Extremo-Oriente e América do Sul.

Depois de uma passagem pela Direção-geral dos Trabalhos Hidrográficos, como coadjuvante dos trabalhos geodésicos nacionais, conclui, em 1881, o Curso de Engenheiro Hidrógrafo na Escola Politécnica. No âmbito específico da Hidrografia, foi encarregue de proceder à organização do Roteiro das Costas e Portos do Continente do Reino, trabalho de que resulta a publicação, em 1889, do Tomo I do "Roteiro Marítimo da Costa Occidental e Meridional de Portugal", referente à costa do Algarve.

Nomeado vogal da Comissão das Pescarias, escreveu aquela que é a sua obra mais conhecida, o "Estado Actual das Pescas em Portugal" (1891), que o credita como uma autoridade nacional na matéria. No mesmo ano, já como Capitão-Tenente, faz parte da Comissão das Obras do Porto de Lisboa para modificar o projeto primitivo, de modo a torná-lo melhor e mais económico. Em Novembro de 1892 é nomeado para a recém-criada Comissão Central de Piscicultura, onde concebe a primeira estação aquícola em Portugal: a estação aquícola do Ave (que será construída em 1898).

Reformado, por motivos de saúde, no posto de Capitão-de-Mar-e-Guerra, em 1911, dedicou-se à atividade política, tendo sido eleito senador do Congresso pelo distrito de Coimbra em 1914. Na sequência da degradação do seu estado de saúde, viria a falecer, em Lisboa, a 21 de Agosto de 1915.

Encontra-se colaboração da sua autoria na revista A Arte Portuguesa [1] (1895).


Livros publicados[editar | editar código-fonte]

  • Sondas e Marés, em 1882
  • Porto de abrigo na costa do Algarve, em 1885
  • 1.º tomo do "Roteiro marítimo da costa ocidental e meridional de Portugal, em 1887
  • Uma objecção técnica às obras do porto de Lisboa, em 1888
  • O descobrimento do Brasil por Pedro Alvares Cabral, em 1892 (eBook)
  • Estado actual das pescas em Portugal e "Noticia sobre a nau S. Gabriel em que Vasco da Gama foi pela primeira vez á Índia", em 1892
  • Estudo histórico-hidrográfico sobre a barra e o porto de Lisboa, em 1895.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Fontes[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Helena Roldão (17 de maio de 2016). «Ficha histórica:A arte portuguesa: revista de arqueologia e arte moderna(1895)» (pdf). Hemeroteca Municipal de Lisboa. Consultado em 30 de maio de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.