António Clemente Pinto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde janeiro de 2012). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Primeiro Barão e Baronesa de Nova Friburgo. Note-se a miniatura do Palácio do Catete ao fundo, e o documento nas mãos do barão, que faz referência à ferrovia de Cantagalo
Armas do barão de Nova Friburgo.

António Clemente Pinto, primeiro barão com grandeza de Nova Friburgo, (Ovelha do Marão, 6 de janeiro de 1795Rio de Janeiro, 4 de janeiro de 1869) foi um proprietário rural luso-brasileiro.

Chegou ao Brasil em 1821, onde passou a trabalhar em uma loja na cidade do Rio de Janeiro.

Ajudado por João Rodrigues Pereira de Almeida, barão de Ubá, enriqueceu por meio do comércio de escravos e adquiriu várias fazendas de produção de café nas regiões de Nova Friburgo, Cantagalo e São Fidélis. Entre muitas, as mais importantes foram a fazenda de Areias e a fazenda do Solar do Gavião.

Casado com Laura Clementina da Silva e pai dos condes de Nova Friburgo, Bernardo Clemente Pinto Sobrinho, e de São Clemente, Antônio Clemente Pinto Filho.

Construiu o atual prédio do Palácio do Catete – à época conhecido como Palácio Nova Friburgo – e o Chalé do Parque São Clemente, que se tornou a sua residência de campo em Nova Friburgo, estando, hoje, aos cuidados do Nova Friburgo Country Clube.

Por sua iniciativa, implantou o primeiro ramal da Ferrovia de Cantagalo, ligando Porto das Caixas a Cachoeiras de Macacu. Após sua morte, seus filhos prosseguiram com o projeto ferroviário, ligando Porto das Caixas até Niterói e depois até Cantagalo, passando por Nova Friburgo. Por fim, em 1882, a ferrovia atingiu a localidade de Itaocara, às margens do Rio Paraíba do Sul.

Recebeu o baronato por decreto de 28 de março de 1854 e grandezas por decreto de 28 de abril de 1860. Era grande do Império, cavaleiro da Imperial Ordem da Rosa e de Cristo e Fidalgo Cavaleiro da Casa Imperial.

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.